Surto de diarreia já matou uma criança

O surto que é tradicional na estação seca, já provocou nos últimos dias 25 casos de internamento de crianças menores de 5 anos, e pelo menos uma morte. A falta de água potável que aumentou nos últimos dias por causa da seca, está a complicar a situação.

Manuela Ferreira, directora dos cuidados de saúde, anunciou que o surto sazonal de diarreia, já causou uma morte e neste momento 25 crianças menores de 5 anos estão a receber assistência médica no hospital Ayres de Menezes.

Para além da diarreia as crianças sofrem também de vómito. Dois processos de desidratação que obriga os encarregados de educação a darem muita atenção a hidratação das crianças. No entanto o abastecimento de água potável a população diminuiu bastante nos últimos dias por causa da estação seca prolongada.  Muitas comunidades estão a recorrer a água dos rios para se abastecerem.

O número de casos de diarreia e vómito não pára de aumentar e as pediatrias do hospital Ayres de Menezes já estão a arrebentar pelas costuras. Mas dados divulgados pela direcção dos cuidados de saúde, indicam que o número de crianças afectadas pelo surto sazonal de diarreia é menor este ano do que o ano passado. Em 2009 nesta altura foram registados cerca de 6 mil casos, quando em 2010 o número situa-se em 4 mil casos de diarreia.

No entanto o facto da estação seca prolongada, estar a secar as torneiras nas diversas regiões do país, poderá agravar a situação, uma vez que a população está a recorrer a água imprópria para o consumo.

Abel Veiga

  1. img
    Alberto Nascimento Responder

    Aconcelho aos responsaveis que organizem urgentemente uma campanha de basico tratamento da agua do rio na TVS:
    ferver antes de beber/ 1 gota de lixivia por litro de agua.
    Eu acho que os especialistas estaram mais a vontade para apresentar isso. por favor, n custa muito!

    • img
      Alberto Nascimento Responder

      Somos Todos Politicos [STP]

      Se fosse sobre politica ja haveriam posto 100 comentarios. depois dizem todos que querem um STP melhor. todos olham para o governo/corrupcao como a unica saida e o que querem ‘e tirar sempre vantagem da’i.

      Como ‘e sobre diareia e morte de criancas ninguem comenta.

      Santomenses e Politica/ Pouca vergonha!

  2. img
    Mané Petema Responder

    É tão patético essas comparações com anos anteriores, como se números menores fosse algo de consolação. Diarréia somente mata povos sem instruções. Diarréia se resolve com Soro Caseiro.

    Soro caseiro é uma solução aquosa de açucar e sal de cozinha recomendado para prevenir a desitratação, resultante de vômitos e diarréias. Com a diarréia e/ou vômito ocorre perda de água e sais minerais pelo organismo. A função do soro caseiro, por via oral, é repor estes ingredientes.

    Não precisamos de formulas mágicas, sim de higiene e bom senso por parte das pessoas de bom senso.
    Asta!

  3. img
    António de Oliveira S. Responder

    Quando se trata de epidemias envolvendo principalmente morte de crianças uma rapida movimentacao por parte dos responsaveis tem que se trazida.
    Campanhas de TV, Radio e mesmo panfletos nao servem apenas para momentos politicos.
    Espero que isso passe rapido pk eu sei o que ‘e ser menino e estar mal nesse hospital.

  4. img
    P.F. Responder

    Coisas & Lugares,21Set.(2010)De facto estes comentários são dignos de respeito e valem nota dez.A Diareia é um problema de saúde pública que ninguem poderá ficar indiferente.É caso para se dizer:Infelizmente, falta tudo em S.Tomé e Principe. Desde um simples cuidado primário de saúde.Por outro lado, todos apreendemos que na vida a vontade move a montanha e não me venham cá dizer que é falta de meios. Porque todas as desculpas dos altos dirigentes do nosso País a todos os níveis é falta recursos. Só meios não basta é necessário que se mobilize as vontades.Tudo isso, deve-se as falhas das sucessivas políticas no sector de saúde que tivemos no País durante vários anos.Num País onde a TV é monopólio do estado e as directrizes devem ser emanadas pela tutela ou mesmo pelo Governo só depois os organismos competentes do sector da Saúde começarem acatar as orientações as endemias não esperam pelas decisões e indefinições políticas/borrucráticas dos orgãos do estado que competem a resolução destes problemas e têm assim a probalidade de alastrar e seifar vidas humanas,principalmente as nossas crianças que não sabem defender! Tem sido ao longo muitos anos. Porque não estabelecer no Ministério de Saude de STP medidas preventivas para debelar estes surtos ou estamos em presença de uma
    de uma politica sem regras e do deixa andar? Tomo a liberdade para expremir a minha preocupação através deste jornal electrónico “Tela Non”, e sugerir as populações para que assemelhança dos
    métodos e de conselhos cientificamente comprovados no mundo para ajudar a atenuar esta doença que foram apresentados por outros compatriotas que me antecederam,cujos efeitos até aqui se revelaram curativos mesmo nos Países mais avançadosa,proveito para pedir os nossos técnicos de saúde,as agencias das Na~ções Unidas residentes no País,bem como algumas ONG’s vocacionadas para o efeito, para se empenharem de coração junto das comunidades mais vulneráveis e não só, a fim de as ajudarem travar este mal.Porque todos agradecemos e merecemos melhor saúde,mais higiene,mais trabalhos remuneráveis,melhor poder compra e mais solidariedade e termino dizendo:O País precisava de um Jornal electrónico assim.Um bem haja.

  5. img
    ZUMBAKUÊ Responder

    De facto, estamos num país onde quase todos nós temos a pretensão de ser políticos (ou politiqueiros?. Uma notícia como esta, de comentários ou sugestões apenas “5″. Onde estão as pessoas que fazem grandes comentários e até sugestões na melhoria da acção dos nossos polítcos? Será que esta notícia não suscita preocupações e interrogações na mente dos supostos comentadores políticos? Meus irmãos, acho que deveríamos questionar quanto as causas da diarreia, solicitar as medidas tomadas na detecção dos agentes causadores. Não basta fazerem estudos comparativos dos anos, mas sim tomarem medidas que visem prevenir este estado de coisas. Numa situação dessas, onde estão os agentes de saúde pública? Onde estão os laboratórios de microbiologia para efectuar estudos dessas águas? Que medidas de informação á população no sentido de tratamento dessas águas? Num país com meia dúzia de habitantes cada ano que passa temos surtos de diarreia e vómitos e nunca há detecção do OU DOS agentes causadores?
    Senhores “doutores” do hospital, uma coprocultura a esses meninos poderá ajudar na detecção do microrganismo. E não é preciso ser execelentes profissionais para o fazer.
    Bem lá estou eu a meter “FOICE EM SEARA ALHEIA”

    ANTÊ MUNGUÊÊÊ
    PASSÔÔÔ

Deixe um comentario

*