Cinco quilómetros de estradas na fase de conclusão no distrito de Me-Zochi

As obras de construção das estradas que ligam Amparo a Segundo Cruzeiro, Lemos e Caixão Grande, poderão ficar concluídas depois de Agosto. Constatação do Ministro das Obras Publicas, Carlos Vila Nova, após visita as obras.

Noite e dia homens e máquinas pesadas esforçam-se, para garantir uma obra de qualidade e também para cumprirem o contrato estabelecido com o governo são-tomense. Foi o anterior Governo de Rafael Branco, que projectou as obras de construção da estrada que liga a localidade de Lemos, no distrito de Mé-Zochi, à Vila de Caixão Grande, Cruzeiro e Amparro Segundo. Zona densamente povoada, cuja população, vivia praticamente isolada, na estação das chuvas, porque a estrada ficava intransitável.

O anterior governo que lançou as obras no ano 2010, inscreveu mais de 3 milhões de dobras no Orçamento Geral do Estado para financiar a construção de 5 quilómetros de estrada asfaltada. «Em termos teóricos ela já deveria estar concluída, os serviços que fiscalizam as obras já se aproximaram da empresa com expedientes normais e próprios para que ela se pronuncie e justifique», afirmou o Ministro, das obras públicas.

A inauguração do troço principal que liga Amparro II à Cruzeiro e o respectivo ramal que liga Lemos à Caixão Grande, deveria ter acontecido em Junho passado, e foi novamente estabelecido um novo contrato, desta vez para finais de Agosto. O ministro, Carlos Vila não acredita que a empresa cumpra o prazo. «Os engenheiros da obra indicam que nos finais do mês de Agosto estará concluída. Temos que acompanhar sempre, porque nós estamos preocupados com a qualidade da obra. Estamos preocupados com o investimento feito e temos necessidade de pensar em outras coisas», sublinhou o ministro.

A população beneficiária da nova estrada, é produz vinho da palma, safu, ananás, cacau, café e outros produtos agrícolas e hortícolas. Daí a importância económica da estrada que está a ser construída com fundos do Estado São-tomense.

O Ministro das Obras Públicas, está também preocupado com o estado das obras, no troço de estrada de 4 quilómetros que liga San Finícia à Folha Fede. As obras iniciaram desde 2003 e ainda não terminaram.

Ramusel Graça

  1. img
    Fela dí bê Responder

    Sr. Ministro, que medidas tomaram(ão) para resolver “o estado das obras, no troço de estrada de 4 quilómetros que liga San Finícia à Folha Fede. As obras iniciaram desde 2003 e ainda não terminaram.”???

  2. img
    presidenciaistp2011 Responder

    Pergunta Maria das Neves onde esta 400 e tal mil dolares nao ao ministro.

    • img
      Jacinto Responder

      Isso mesmo presidenciaistp2011. O troço de estrada que liga Folha Fede à San Finícia iniciou desde 2003. Maria das Neves era Primeira-Ministra na altura. Aquilo custou USD 1,200,000.00. Deste valor, os “barrões” da nossa praça, os “donos” de S. Tomé e Principe “limparam” USD 400,000.00. Podem perguntar a Maria das Neves em que estado está aquela estrada. Eu não me lembro bem, mas acho que na altura o ministro das finanças era o Eugenio Soures.

    • img
      Jacinto Responder

      Soares – queria dizer.

  3. img
    Carlos Ceita Responder

    Meus caros amigos.

    Estradas são um meio de comunicação e aproximação de cidades vilas e luchans. Facilita a circulação de pessoas e bens indispensáveis para potenciar desenvolvimento do turismo e consequentemente a economia de um país. É uma boa notícia uma infraestrutura desta natureza. Contudo mais do que construir estradas é importante a sua preservação a sua durabilidade a sua garantia em suma a sua sustentabilidade. Podemos garantir que as nossas estradas tem sinalizações adequadas? Foram devidamente fiscalizadas para em caso de danos apurarem-se responsabilidade ao construtor? São construídas estradas que se adaptam ao nosso clima tropical com chuvas em abundância. Existe algum mecanismo ou dispositivo de escoamento de aguas na época chuvosa? Desculpem-me a ignorância de um leigo na matéria de construção de estradas.
    Abraços

  4. img
    # HeCoS # Responder

    S.T.P. – São Tomé e Príncipe. ” esta é a ditosa pátria minha amada”

    Srº. Ministro das Obras Públicas,

    Não deixa de ser verdade que obras como estas muito carece o nosso país, embora estas só surgem em momentos como estes q o paí vive (campanhas), como forma de angariar votos das populações locais.
    Por outro lado, tratando-se de uma região onde a chuva é predominante, acumulando riachos, charcos de água e lama quando esta ocorre, é necessário ter em atenção uma rede de esgotos que pemita escorrer com facilidade estas águas dando mais vida e durabilidade a estas mesmas estradas.
    Pela imagem aqui tornada pública pelo “téla nón”, pode-se verficar q estas mesmas vias não fazem acompanhar de passeios para a circulação dos pedestres (peões). Não digo em toda a margaem da via, mais sim, em locais próximos, frequentados pelas populações. Sendo assim estes, terão de compartilhar as mesmas vias com os veículos que pr alí circulam, oq põe em causa risco de acidente e perda de vida humana.
    Há que se começar a pensar na modernização e na qualificação das obras e infra-estruturas.

    Um bem Haja.

  5. img
    valentim cravid Responder

    Ora aí está uma boa notícia.

  6. img
    Arnaldo cotú Responder

    O pinto da costa quero regressar outra ves ao poder para faser o que? esteve la 20 anos e nao fes nada,desta ves ira criar instabilidade politica porque ira pensar que ainda é o tenpo do partido unico,vai ser aque onde ira começar a guerra,tenho pena do ze povinho enfim

    • img
      Jacinto Responder

      Caro Arnaldo, embora o teu comentário esteja fora de contexto, eu devo lhe confessar que concordo plenamente consigo.

    • img
      l Responder

      Devias estar calado sr. Arnaldo. Vc esta a envergonhar os teus irmaos que por sinal sao cultos.
      Vc ainda era bebe quando Pinto deixou de ser presidente, o que sabes de Pinto?
      Ouviste falar nao e? Boboca

  7. img
    josé Responder

    acho que pinto da costa vai dar volta por cima e corigir os erros do passado…porque agora não existe partido unico..agora povo poê e tira…ninguém mais é burro como antes enter asparas…mais acredito na reviravolta do manuel pinto da costa..vamos todos torcer juntos pra um são tomé e principe melhor embora não seja fácil…é nosso país por mais dificil que seja a melhora temos sempre que pensar num futuro melhor…

Deixe um comentario

*