Sociedade

Roça Laura já tem água potável

É uma das comunidades mais pobres do distrito de Mé-Zochi. A parceria entre a Câmara distrital de Mé-Zochi e a Associação dos moradores, trouxe solução para uma das necessidades básicas da população, água potável.

O fardo da pobreza na Roça Laura, tinha mais peso por causa da falta de água potável. Idosos como o senhor Manuel Lopes, não podiam percorrer mais de 2 quilómetros para abastecer de água imprópria para o consumo, que brota numa vala no meio do mato.

Asmático e hipertenso Manuel Lopes, disse que dependia da solidariedade dos vizinhos para beber água. Agora tudo mudou, água abundante corre no chafariz da Roça Laura. A satisfação é grande na Roça. Manuel Lopes, afirmou que doravante, seja cego ou qualquer deficiente físico que vive na Roça, tem possibilidades de ter acesso a água.

Num país onde tanto dinheiro é gasto sobretudo no período de campanha eleitoral, a população da Roça Laura precisava apenas de 75 milhões de dobras, cerca de 3500 euros para ver resolvido o problema de falta de água potável. A Câmara distrital de Mé-Zochi financiou o projecto apresentado pela Associação dos moradores. Nelson Carvalho, que preside a autarquia de Mé-Zochi, anunciou que para além da Roça Laura, outras localidades do distrito vão beneficiar de água potável, no quadro do programa de investimento público preparado pela segunda autarquia mais populosa do país.

Água potável já é realidade numa roça em que a semelhança das outras, a população vive abaixo da linha da pobreza.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. voz do emigrante

    4 de Agosto de 2011 as 8:28

    Meu deus tres mil euros o estado saotomense nao tinha para por agua potavel a populaçao enquanto estes cabroes viajam todos os dias e fasem gastos avultuosos e nao sao capazes de oferecer agua a populaçao que tirstesa,que pessoas formadas e miseraveis,disem ser doctor,engenheiros,etc e sao assim tao miseraveis enfim

  2. lúsat

    4 de Agosto de 2011 as 9:02

    graças a Deus! Deus te abençoa sr. Nelson pelo trabalho que tas a prestar no exercício das suas funções na câmara de Mezochi.

  3. Ex da Turma FE

    4 de Agosto de 2011 as 10:33

    Quantas pessoas vivem ai?
    As roças da dependencia de UBA BUDO, foram vendidas e pertencem às pessoas da esfera do Poder politico instalado.
    Falar de agua no jornal não parece novidade, quando se sabe as condições edafoclimaticas do arquipelago, mesmo como as mudanças climaticas. Força Nelson, faz isso mesmo.

  4. Francisco Ambrósio Agnelo

    4 de Agosto de 2011 as 16:35

    Após a independeência tudo tornou-se confuso.Interpretou-se mal aquilo que é a verdadeira excência da palavra”Democracia” O resultado hoje é esse.O bem indespensável a vida, tornou-se uma ferramenta política ao ponto de gerar conflito num pequeno País mundialmente conhecido pela sua forte rede hídrica.Sejámos mais humano!

  5. MELQUIADES NEVES

    11 de Agosto de 2011 as 12:59

    Esse Jovem merece apoio de todos, para fazer mais e melhor, tudo indica que é a pessoa que os mezochinos esperavam.
    Bom agora é pensar no sentro de formação proficonal pra filhos desses coitados, pra eles mesmos comessarem a fazer suas obras

    Melquiades Neves

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo