Colóquio Internacional – São Tomé e Príncipe numa perspectiva interdisciplinar diacrónica e sincrónica

O Colóquio Internacional São Tomé e Príncipe numa perspectiva interdisciplinar, diacrónica e sincrónica resulta de uma parceria entre investigadores do Centro de Estudos Africanos do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) e do Programa de Desenvolvimento Global do Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT) no quadro de programas de investigação em curso, e visa apresentar e partilhar estudos e resultados de projectos sobre São Tomé e Príncipe, nas várias áreas do saber científico.

Call for Papers

COLÓQUIO INTERNACIONAL
SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE NUMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR, DIACRÓNICA E SINCRÓNICA

Lisboa, ISCTE-IUL, 27 e 28 de Março de 2012

O Colóquio Internacional São Tomé e Príncipe numa perspectiva interdisciplinar, diacrónica e sincrónica resulta de uma parceria entre investigadores do Centro de Estudos Africanos do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) e do Programa de Desenvolvimento Global do Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT) no quadro de programas de investigação em curso, e visa apresentar e partilhar estudos e resultados de projectos sobre São Tomé e Príncipe, nas várias áreas do saber científico.

Reflectindo a sua pequena dimensão, em termos quantitativos a produção científica relativamente a São Tomé e Príncipe não é comparável com a de outros países africanos lusófonos maiores, como Angola ou Moçambique. Contudo, nos últimos anos o número dos trabalhos de investigação relacionados com o pequeno arquipélago no Golfo da Guiné tem aumentado consideravelmente, tanto nas áreas das Ciências Sociais, como das Ciências Naturais. Nesse sentido, este Colóquio pretende dar maior visibilidade à investigação que tem vindo a ser feita, criando oportunidades para os investigadores das diversas áreas científicas apresentarem os seus trabalhos e contribuírem, deste modo, para dinamizar o interesse por São Tomé e Príncipe e pelo papel desempenhado pela investigação científica.

Privilegiar-se-á uma abordagem comparativa e interdisciplinar que tenha em conta perspectivas históricas, antropológicas, sociológicas, culturais, económicas, políticas, biológicas e ambientais, que permita não só uma perspectiva histórica em termos globais e ao nível da relação do arquipélago com o continente Africano e com o mundo, mas também em termos do reconhecimento da importância dos saberes no contexto actual desta sociedade. Espera-se que através de uma compreensão histórica mais aprofundada da realidade deste arquipélago, seja possível uma melhor compreensão da situação presente deste país, ajudando a identificar dificuldades actuais e a cooperar na sua resolução.

Áreas temáticas:

Ocupação e história colonial, história da escravatura e da economia de plantação

Génese da sociedade, insularidade, sociedades crioulas

O colonialismo moderno, o mundo das roças, descolonização

O período pós-colonial, transições políticas, políticas económicas, diáspora

Línguas, literatura e cultura

Biodiversidade, etnobotânica, medicina tradicional, circulação de saberes….

Desenvolvimento e Cooperação (apresentação de projectos)

Comissão Organizadora

Ana Cristina Roque (IICT)

Gerhard Seibert (CEA)

Vítor Rosado Marques (IICT)

João Dias (CEA/ISCTE-IUL)

Secretariado

Teresa Vilela (IICT)

Fernanda Alvim (CEA/ISCTE-IUL)

  1. img
    Hélio Fernandes Bandeira Lima Responder

    Sempre deve-se louvar estas iniciativas. Porém, ao nível do sector público, para aumento de trabalhos científicos de qualidade, há necessidade da nossa Administração Pública desburocratizar os procedimentos de prestações de informações aos investigadores. Quando o investigador estiver devidamente identificado a recolha de dados (análise documental, observação, entrevista, questionários, etc) não deveria ser tão dificultado, sobretudo da parte de alguns dirigentes, como tem sido hábito.

  2. img
    Anca Responder

    Bem haja

    Continuemos a pesquisar, investigar e relacionar o saber, tanto empírico, com saber científico, de modo a descrever e compreender melhor a realidade do país (território; população), os seus problemas , e delinear uma contribuição e um caminho caminho de luz, e modernização da sociedade SãoTomenses, rumo a crescimento econômico, desenvolvimento sustentável, sócio-político-econômico-financeiro de São Tomé e Príncipe.

    Quanto mais trabalhamos, pesquisarmos e investigarmos a informação mais hipóteses temos de ser bem sucedido, como povo, como país.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. img
    Digno de Respeito Responder

    Caro Hélio,

    Certo que a dificuldade que temos em conseguir informações fiáveis junto as respectivas fontes, penaliza muito o nosso trabalho. Enquanto investigador, é preciso ter “estomago” e muito amor a nosso STP para desenvolvermos estudo sobre o que vai valorizar o nosso amanhã.

    Há pessoas (nossa gente) que ainda pensam que quem investiga/pesquisa sobre determinada matéria é rica em euros e até sugere disponibilizar a informação por x valor…. ridículo. Por isso, esses os temas tratados ou abordados nesses tipos de eventos contribui muito para o nosso desenvolvimento económico, social, cultural e político. Mesmo que não ganhemos hoje, os nossos filhos e netos virão beneficiar com o resultado desses trabalhos. Fica um conselho para todos: disponibilizem-se e colaborem com os pesquisadores/académicos/investigadores (santomense ou não) porque é muito importante.

Deixe um comentario

*