Sociedade

Greve na PIC entrou no oitavo dia

Não tem fim a vista. A greve na Polícia de Investigação Criminal, entrou no oitavo dia. Um membro da comissão de greve disse ao Téla Nón, que está marcada para esta quarta-feira, uma reunião com uma comissão criada pelo Governo para tentar resolver o problema. Os agentes querem aumento do subsídio de risco de vida e a implementação do subsídio de piquete.

O tempo passa e os agentes da PIC aguardam com ansiedade por negociações que não acontecerem durante os 8 dias de greve. Só nesta quarta-feira poderá acontecer a primeira tentativa de entendimento entre o Governo e os agentes em greve.

A comissão de greve da PIC, através de um dos seus membros, garantiu ao Téla Nón, que o ministério da Justiça criou uma comissão, para dialogar com os grevistas. O primeiro encontro está marcado para as 9 horas desta quarta – feira.

A estratégia de cansar o adversário parece estar a resultar. O membro da comissão de greve, confidenciou ao Téla Nón, que nos últimos dias, alguns agentes estão a dar sinais de marcha . «Tem havido uma tentava de criar divisão no seio do pessoal da PIC. E notamos que algumas pessoas já estão a por um pé atrás», desabafou o membro da comissão de greve que falou para o Téla Nón coberto de anonimato, por recear represálias no futuro.

Os profissionais da Polícia de Investigação Criminal, reivindicam o aumento do subsídio de risco de vida, e a implementação do subsídio de piquete.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. edu

    26 de Novembro de 2013 as 16:19

    Manda todos pra casa. Só têm boa vida. Se eles reenvendicam, o que podemos dizer dos militares, policias, e forças para militares? Tambem têm vida dificil, mas não fazem toda essa confusão. Srª Ministra se eles querem trabalhar que trabalham se não quiserem manda para casa.

    • S.Tomé Poderoso

      27 de Novembro de 2013 as 8:13

      Nota-se a o empenho que este e os sucessivos Governo têm com a tal dita reforma da justiça.

  2. "Nós por cá e a nossa maneira"

    26 de Novembro de 2013 as 16:36

    …..enfim STP……por aí se verifica a tamanha importância que os serviços da Policia de Investigação Criminal tem para o país e o devido tratamento respeitoso que os seus integrantes tem recebido dos sucessivos governos da Republica…..isto é desolador…..

    …….haver vamos……

  3. .A. Gomes

    26 de Novembro de 2013 as 18:12

    Esta é a nova táctica do Governo
    Não dar satisfação aos grevistas, e criar divisão no seio dos mesmos.
    Assim aconteceu com os professores, e irá acontecer com os próximos sectores
    A ver vamos, até onde esta tactica irá chegar
    A.Gomes

  4. armando

    26 de Novembro de 2013 as 18:56

    Tantos crimes de colarinnho branco por investigar, a PIC seria um incomodo para os governantes corruptos. Por isso nem formacao nem condicoes, querem uma policia pobre para mendigar batatinhas. Isso e uma vergomha e falta de respeito para com o povo de STP. O pais precisa de uma PIC renovada, pois sem uma boa policia nenhum pais desenvolve sadiamente.

  5. wê bê wê

    27 de Novembro de 2013 as 8:58

    pessoas como Edu existe tanto na cadeia,isto porque querem que a PIC acabe para continuar a roubar, matar,violar,consumir droga e criar mas deliquentes a País, STP é nosso viva a PIC, uma vergonha.

  6. lede di alami

    27 de Novembro de 2013 as 9:28

    Curruptos ainda estao a chorar..

  7. hioster vaz

    28 de Novembro de 2013 as 5:37

    E preciso que saibamos todos que se trata de uma instituição de estado de extrema importância em todos aspectos e se não forem satisfeitas as demandas põe em causa a vulnerabilidade dos seus serviços ao ponto de a não resistência da corrupção atingirem purpoções mais alarmantes, dizer também que o risco de vida não esta por fora desta questão e acrescento de que todos adoram a suas vidas como humano que somos. Por favor rever esta situação enquanto seja tempo útil.
    Saudações

  8. Floli Canido

    28 de Novembro de 2013 as 10:47

    Meus caros boa sorte. Vão em frente estamos convosco

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo