Pinto da Costa dá sustentabilidade a máxima “FÉLA DI BÉ SÁ TLÊXI VÊ”!

Em 1991 Manuel Pinto da Costa  era apeado do Palácio do Povo, sem qualquer glória, pelo  PCD – GR, Partido de Convenção Democrática – Grupo de Reflexão, que logo a seguir a vitória conseguida nas primeiras eleições legislativas da história de São Tomé e Príncipe realizadas em 20 de Janeiro, apressou-se em instalar Leonel Mário D’ Alva,  na altura a segunda figura  hierárquica do Estado, enquanto Presidente da Assembleia Nacional, para de forma transitória assegurar o cargo de Presidente da República até a eleição do novo Chefe de Estado que viria a ser eleito a 3 de Março do mesmo ano.

Nessa altura, o ex-Presidente Santomense, que liderou os destinos do país desde a  proclamação da sua independência nacional a 12 de Julho de 1975, nem teve a honra de poder passar o testemunho ao futuro Presidente que viria a ser eleito no quadro do  sistema político         multi-partidário, tendo sido imediatamente excluído de todo o processo de transição que o país então conhecia.

Mas Manuel Pinto da Costa demonstrou não ter conseguido digerir a desfeita do PCD-GR, ao surgir em 1996 como candidato às eleições presidenciais, concorrendo entre vários candidatos, com o Chefe de Estado cessante, Miguel Trovoada, que obteve a sua segunda vitória eleitoral consecutiva, habilitando-se a um segundo mandato presidencial de 5 anos. O desejo de Pinto da Costa em voltar a comandar os destinos da nação não se conteve com a derrota nas urnas, tendo o mesmo reaparecido em 2001 para outro embate eleitoral, onde veio a ser copiosamente derrotado pelo seu antigo colaborador no regime de partido único, o cidadão e político de carreira, Fradique de Menezes.

Pesando sobre a figura de Pinto da Costa uma cada mais forte contestação de várias franjas da sociedade pelos erros e excessos do seu regime de 15 anos de poder absoluto e tendo o seu próprio partido, o MLSTP – PSD, reduzindo-o a condição de simples militante de base, desprovido de qualquer protagonismo político, o ex-Presidente  pareceu ter aprendido  alguma lição com as duas derrotas eleitorais consecutivas em 1996 e 2001, não tendo aparecido como candidato no Ano de 2006.

Mas como em política o que é verdade hoje, poderá não ser certo no amanhã, Manuel Pinto da Costa, reaparece com os seus apetites presidencialistas em 2011, baralhando claramente as contas no seio do seu próprio partido e candidatando-se como independente às eleições presidenciais mais disputadas que o país já conheceu. Tendo ficado a frente dos resultados da primeira volta com 35,82% dos votos expressos nas urnas, eis que a vitória acabou por lhe sorrir na disputa da segunda volta com Evaristo Carvalho, Vice-Presidente do ADI, partido no poder e Presidente da Assembleia Nacional, dando assim sustentabilidade a máxima popular santomense,  “féla  di bé  sá  tlêxi  vê”.  Desta forma, o único homem em São Tomé e Príncipe, que no seu curriculum vitae apenas consta como referencia o exercício do cargo de Presidente da República, volta exactamente 20 anos depois ao Palácio do Povo para cumprir mais um mandato de 5 anos, desta vez como Presidente democraticamente eleito, apoiado entre outros pelo próprio PCD, que o tivera como principal alvo a abater na abertura do país ao multi-partidarismo no início da década de 1990.

Olhando para a trajectória que o país conheceu desde 1990 até aos dias de hoje, em que os principais autores políticos, com destaque para os dois primeiros Chefes de Estado eleitos democraticamente, nomeadamente Miguel Trovoada e Fradique de Menezes,  não conseguiram corresponder com as expectativas do povo no concernente  a melhoria  do    bem-estar social e desenvolvimento nacional, a eleição de Manuel Pinto da Costa é encarado pelo eleitorado que o confiou a responsabilidade de voltar a assumir o mais alto cargo do Estado santomense como uma espécie de “tudo ou nada” para a reviravolta que o país requer em matéria de se fazer política.

Entretanto, é importante que cada santomense, lá onde se encontre, tenha a ponderação suficiente para compreender que Pinto da Costa jamais encontrará alguma “varinha mágica” para nos próximos 5 anos de mandato presidencial poder contribuir de forma decisiva para solução aos principais problemas que o nosso país enfrenta. O importante na verdade, é que o novo Presidente da República consiga no exercício do seu mandato, cumprir com as suas promessas eleitorais, principalmente no sentido de promover a unidade nacional e respeitar o cumprimento dos mandatos governamentais emanados das urnas pela vontade popular para poder marcar a diferença em relação aos seus dois antecessores que ficam inegavelmente marcados pela história como os principais autores da instabilidade política em São Tomé e Príncipe ao longo dos últimos 20 anos.

Ainda assim, para que a empreitada de Manuel Pinto da Costa possa reflectir de forma positiva na vida da nação santomense, será imperioso que os autores dos diferentes segmentos da política, começando pelo Primeiro-Ministro e todo o seu governo, a Assembleia Nacional, os partidos políticos, assim como a sociedade no seu todo, consigam ter a capacidade de colocar de parte as suas diferenças e unirem esforços no sentido ao combate sem tréguas aos factores negativos que têm deixado São Tomé e Príncipe com lugar cada vez mais cativo na lista de países do mundo que se destacam pelos níveis elevados da pobreza e da corrupção.

Parabéns a Manuel Pinto da Costa e um bem-haja a todo o povo de São Tomé e Príncipe!

Eusébio Pinto

Licenciado em Economia

  1. img
    Malébobo Responder

    eis um pau mandado, está claro Eusébio Pinto, não esteja ai a enganar o outro pesando que somos parvo, o povo de distrito de Me-zochi demonstrou claramente que não gosto do pinto da costa

    • img
      Minu yéé Responder

      Respeita a opinião do outro se pretendes que a sua seje respeitada.

    • img
      santoespirito Responder

      mezochi nao e um pais mas sim e apenas um distrito.o mas ensencial e que o povo de sao tome e principe demonstrou claramente que gosta de pinto da costa.

    • img
      santoespirito Responder

      malebobo ficas a saber que mezi-chi nao e um pais, mas sim um distrito.o mas enssencial e que o povo de sao tome e principe demonstrou que gosta de pinto da costa.

    • img
      truquim deçu Responder

      Ó carro amigo Malèbôbô,o Pinto da Costa agora é Presidente de todos os Samtimenses, então esquece de Mézochiano etc, vamos tocar a vida para frente, lembras que vc é santomense, logo pertences todos os distritos do País, o que nos intereça é esquecer o odio que os ditos enganadores do povo andaram a colocar em´cada um de nós, no sentido de estarmos contra outros pela questão poltica e os senhores ditos enganadores ficarem a saberen a sua propia vida esquecendo-se de nós.
      Cabe- nos agora unir as forças esquecendo dos partidos politicos e vermos a nossa terrra STP de cabeça erguida onde cada um de nós podemos ser de novo povos irmãos amigos e vizinho um do outro nos momemnto deficies e não como inimigos, porque quem fica a perder somos nós com as nossas ignorancias e não aquelçes que nos governa.UM bem aja ao povo de STP.Viva o Pinto da Costa.

    • img
      estou aki pra ver Responder

      Vcs de Mé-Zochi e de Cantagalo não são ninguem pensam que dicidem alguma coisa em S.T.P; mas vcs estão enganados,por isso em S.T.P. outros distritos evoluem e estes distritos ficam pra traz se não mudarem este rancor que não vos leva a lado nenhum vão ficar pra traz, porque vcs demostraram não gostar de P. da Costa, mas quem ganhou é ADI? Não.
      E agora como é que é? Se houver programa da parte do presidente para desenvolvimento dos distritos quais são os 1º que ele apoia? Pensem nisso.Vcs acham que são espertos mais são ums burros e rancorosos isso sim. Pensem mto bem.

  2. img
    Francisco Ambrósio Agnelo Responder

    O Srº Pinto da Costa só tem nesta 1ªetapa 5 anos para mostrar o que vale.Se este for preocupar-se com a currupção, alteração da constituição,a união do seu partido,os nigeriano,etc, os cinco anos acabarão em desilusão. A cooperação com píses além fronteira na aquisição de investidores para o país, criar emprego é fundamrntal. A criação de infrastruturas para o turísmo é outra alavanca ao desenvolvimento.

  3. img
    Adérito Silva Responder

    Peço-lhe desculpas pelo seu artigo, mas não compete ao presidente da república melhorar o bem-estar da população. Isto é básico e o senhor como articulista deveria saber isto. Como tal não cabia nem ao senhor Miguel Trovoada nem ao senhor Fradique de Menezes aquela função, ou seja, como om senhor diz de ” não conseguiram corresponder com as expectativas do povo no concernente a melhoria do bem-estar social e desenvolvimento nacional…”. Esta não é função do presidente da república.De resto o seu texto parece-me uma retrospectiva histórica pobre dos acontecimentos políticos nacionais.
    Fui
    Adérito Silva

    • img
      madame Responder

      pobre é a tua resposta autocritca sem bases. o único erro cometido pelo individúo em seu artigo foi ter escrito ou caracterizado o significado de -PCD- como partido de convencao e nao convergencia, democrática.

    • img
      quintiliano dos santos Responder

      acho que pinto da costa tem que apostar no combate a corrupçao tendo coragem primeiro pelos tribunais.em sao tome e vergonha saber que desviam dinheiro nos tribunais
      e vergonha que o presidente da republica exonera um juiz do tribunal supremo ele mesmo assim tome decisoes
      ha denuncia de que o governo levantou dinheiro na altura da campanha e procurador nao faz nada tudo isso tera que ser combatido
      so assim começamos a ser respeitados caso contrario nem, cinco nem dez nem nada teremos o que pinto da costa defendeu pra ganhar as eleiçoes em sao tome e principe tenho dito

      • img
        quintiliano dos santos Responder

        o sistema juridco santomense deve ser mais serio e responsavel
        o governo deve criar condiçoes para que nao haja corrupçao ja la em cima a partir do tribunal supremo a a instancia inferior do poder judiciario em sao tome

  4. img
    edy Responder

    parabens jovem escreves bem. Na realidade o P. Costa foi abandonado pelo MLSTP, porque os membros activo do MLSTP sao muito individualistas, corruptos e muitos deles comtribuiram para a queda do P.COSTA na primeira republica. e por isso que o MLSTP esta aonde esta. votei no Pinto da Costa mas nunca irrei votar no MLSTP. Parabens Pinto Da Costa. “The wars come and go but my soldiers stay eternal” Tupac shekou

  5. img
    Bamho Fora Responder

    SR Camarada Presidente Pinto da Costa faça de novo a coperação com a China Popular isto irá trazer muitas vantagens…………….

  6. img
    parabéns Responder

    queremos paz, estabilidade política e social, desenvolvimento, justiça social, combate a corrupção,emprego para os jovens, energia, água, estrada, mais saúde, mais educação, formação, aumento salarial, 13º mês como um direito do funcionário,mais trabalho, disciplina,civismo, mais atenção aos idosos, as mulheres, as crianças, aos estudantes, internet de qualidade a baixo custo, comunicação a baixo custo, transporte aéreo e maritimo , transporte público, habitação para os jovens, legalização de mototáxi,baixa de preço dos produtos de 1ª necessidade, rotatividade nos cargos públicos,promoção da competência e honestidade,avaliacão dos funcionários públicos,inspecção a todos níveis,respeito ao meio ambiente, a natureza, combate a pobreza, combate a violência doméstica, mais disciplina rodoviária , combate a descriminação, mais imprensa privada,etc. são acções da responsabilidade do governo ,mas não só, são também, do pr, dos deputados, dos autárcas, dos chefes,dos embaixadores, dos privados, partidos politicos,os estrangeiros residentes, sociedade civil e todos os sãotomenses de boa vontade. bem haja. viva pinto da costa, viva evaristo de carvalho, viva o povo de s.tomé e príncipe, viva a democracia.

  7. img
    Malébobo Responder

    santoespirito diz:
    o Senhor,nem sabe escrever a palavra MÉ-Zochi, fui, obrigado

  8. img
    Hélcio Viegas Responder

    O Artigo do Dr. Eusébio, remete-nos a reflexão do que é o passado, presente e futuro das nossas ilhas. É um artigo de alguém que mesmo distante espreita o nosso percurso politico. Fiquei a saber através do seu artigo, que PCD fica inegavelmente impresso como determinador das regras do nosso jogo político. Abriu a democracia, afastando para efeito o PINTO, partecipou da governação sem grande êxito na semelhança dos outros, e agora foi inteligente em devolver à Nação, o Homem-do-estado, apoiando o Pinto. Parabéns Dr. Eusébio. Os leitores do Tela Nom ja estavam com saudades dos seus grandes artigos a que nos hatituou.

    FIM A CORRUPÇÃO, MÁ FÉ, INVEJA… ENFIM… A FALTA DE AUTORIDADE

    HELCIO VIEGAS

  9. img
    Ceu Responder

    Mas que tristeza ver imigrantes Santomenses em paises democraticos a dizerem que votaram num ex-ditador, não aprenderam nada nos países onde estão?
    Não se esforçam para se integrarem e perceberem o mundo ou são renegados?

  10. img
    Luís Gonçalves Responder

    Malébôbô fenje que não sabe o que se passou em Mé-Zochi e Cantagalo.1º o baixo nível de escolaridade netes distritos fizeram com que o dinheiro esbanjado, falasse mais alto, tanto é durante a partilha um foi baleado na perna na Trindade, junto á casa do Secretário de Estado enquanto a sua mulher destribuia dinheiro. Já Água Grande com pessoas mais cultas “wê lugidu”, embora tenham recebido muito, mas muito dinheiro, não se deixaram enganar. O mais importante é que Pinto da Costa, será a partir do dia 3/9 Presidente de todos Santomenses, quer queiramos quer não. Só tenho a desejá-lo muita saúde, mandato firme e imparcial para bem do país e de todos nós. Porque alguém tem que dar pontapé de saída, rumo a estabilidade e progresso, para mim esse alguém é Pinto da Costa.

  11. img
    JOSE TORRES Responder

    Qual e a tua CEU? Voce deve ser um desempregado no estrangeiro e quer a todo o custo ser critico?
    CEU ! A campanha ja acabou e Pinto da Costa e o Presidente de tosdos santomenses. ok?
    Vamos trabalhar e propor coisas concretas ok?

  12. img
    Indignado Responder

    Haver vamos …..tenho pena dos nossos filhos.

    Não sabemos o que queremos. Mas uma vez S.Tomé está adiado ao desenvolvimento. Um ditador reconhecido internacionalmente a ser presidente novamente. Gostamos de coisas menos boas.
    Enfim ….

Deixe um comentario

*