Sociedade

Sociedade Civil insurge-se contra a nova lei da ADI

Antes da votação e aprovação pela maioria parlamentar da ADI na sessão plenária de quarta – feira do diploma que permite a entrada e permanência de cidadãos estrangeiros no país por um período de 6 meses e sem necessidade de visto de entrada, cerca de 200 cidadãos são-tomenses, enviaram ao Presidente da Assembleia Nacional, José Diogo uma petição a exigir um exame de consciência.

Em pleno período eleitoral, os são-tomenses consideram a abertura das fronteiras para a entrada de mais cidadãos estrangeiros no país e sem necessidade de visto por um período de 6 meses, como uma afronta à sociedade. «Tomando em consideração que muitos estão a braços com conflitos armados e enfrentam guerras promovidas por terroristas radicais e religiosos. Cientes das fragilidades do nosso país, pela sua dimensão, assim como da vulnerabilidade das nossas instituições, em matéria de controlo de estrangeiros ; Conscientes do perigo para a nossa paz e tranquilidade, tendo em conta o risco real de uso abusivo dessas excessivas facilidades por pessoas de má fé, eventuais terroristas e forças estranhas……vimos pela presente convocar o sentido patriótico de vossas excelências, senhor Presidente da Assembleia Nacional e senhores deputados da nação, no sentido de não aprovação deste diploma» lê-se na petição que foi entregue ao Presidente da Assembleia Nacional.

No documento distribuído a imprensa, a sociedade civil são-tomense, pediu aos deputados da nação e ao Presidente da Assembleia Nacional, que fizessem «um exame de consciência, a fim de aquilatar do peso de remorsos e outras consequências que poderão carregar no futuro, pelo facto de não atenderem ao nosso apelo à prudência e ao patriotismo activo; isso sobretudo no caso de virem a acontecer actos que possam por em risco ou venham a custar vidas humanas em São Tomé e Príncipe», concluiu a sociedade civil.

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. Joao Carlos

    16 de Agosto de 2018 as 10:50

    O que os deputados do ADI dominados pelo seu chefe pretendem é criar um caos caso os resultados das eleições não lhes convier, e como já é sabido que de forma honesta o ADI perde essas eleições…, então estão a orquestrar manobras sujas para evitarem a derrota…
    Os Partidos políticos da oposição mais a sociedades civil devem se unir, e apoiarem-se na comunidade internacional(países amigos como Angola que é uma potência regional), Nações Unidas onde por sinal temos alguém que conhece os problemas de São Tomé e Principe (Eng. António Guterres), apelar o povo a uma desobediência generalizada, paralisem o País se for necessário

  2. Gustavo

    16 de Agosto de 2018 as 11:27

    Um país que precisa de turismo com medo de abrir um pouco mais as portas.

    …Quem é que quer fazer terrorismo em São Tomé? São Tomé não tem relevância para tal.

    • Púmbú

      17 de Agosto de 2018 as 0:02

      Buuurrrruuuu. És simplesmente um granda BURRRRO.

    • Virgínia

      21 de Agosto de 2018 as 4:09

      Palhaço, qual o turista que vai fica 6 meses em São Tomé ou seja que país for, só na vossa mente doentia.
      Para de defender o mal só para garantir o seu pão e deixa resto da população morrer. Muitas vezes melhor fica calado.

    • Manuel Gonçalves da Costa

      22 de Agosto de 2018 as 22:59

      Gustavo …Na verdade o país precisa de turismo, mas essa é uma medida que o afugenta.Como já alguém escreveu, não é normal que um turista goze 6 meses de férias. Então e na minha opinião, essa é uma medida (não generalizando) que poderá sim,servir de refúgio a “foras da lei”.
      Além de mais, a não exigência de visto de entrada, se traduzirá numa perda de receita para os cofres do Estado.
      A ser aprovada tal medida, STP poderá assistir a uma avalanche de pseudo-turistas, que a permanecerem por 6 meses, tornaria
      impossível um controle adequado.

  3. Bem de S.Tome e Principe

    16 de Agosto de 2018 as 11:50

    A sociedade civil está perdendo o seu tempo.Quem? Diogo, Evaristo,deputados de ADI,dizer não ao PT? Essas individualidades estão tipo como mulherque está em casa de homem e que este a maltrata,batee mesmo assim diz; eu nao posso sair de casa, eu gosto dele.

  4. salmarçar 2

    16 de Agosto de 2018 as 12:43

    Caros leitores,

    Perante a aceso debate sobre a nova lei de visto, sou obrigado e tecer algumas considerações.

    A política de visto é muito importante para qualquer país. É, pois, através deste que se facilita a circulação de pessoas e bens num determinado espaço geográfico, fomentando assim a economia. Porém, no caso de São Tomé e Príncipe, essa questão não se coloca,uma vez que já existe um regime,e muito bom, sobre essa situação.

    Parece-me que o mais importante é o ADI, particularmente o seu governo, criar leis que combatam à corrupção dos governantes, criando leis que obriga todos os políticos a declararem os seus bens antes de exercerem qualquer cargos públicos; criar leis que permitam à Polícia Judiciaria(P J) de deter os órgão políticos, com base na prova, que estejam envolvidos no desvio de dinheiro público.. etc. Isto sim, seria útil ao país, e não a lei sobre o visto.
    Sendo assim, os partidos da oposição devem mostrar ao governo que há coisas mais urgente, tais como, as que referi a cima.

    Bem haja a todos.

  5. Zani

    16 de Agosto de 2018 as 13:46

    Deixem eles virem e ficarem o período que quiserem pois temos muita praia linda, floresta exuberante, uma fauna espectacular e um povo pacifico e acolhedor!
    Só pedimos uma coisa!
    Gastem toda vossa divisa no nosso país e levem boas lembranças nossas quando partirem!

  6. Madredeus.igreja

    16 de Agosto de 2018 as 16:44

    Cm esses senhores deputados que o povo escolheu e o presidente da assembleia da república, vão fazer exame de consciência, se eles não tenhem vergonha!
    Aqui até lá, vão entregar alguns desses senhores, já sem estatuto de estrangeiros, mais sim como santomenses com direito a votos
    Vão ver.
    Tá tudo preparado, por esse Gabonês e seus comparsas.
    Se assim não fosse, qual é a presa dos deputados de ADI, aprovarem a lei
    Deus acuda o povo pequeno, que o graúdos vão a inferno

  7. Onde mesmo?

    16 de Agosto de 2018 as 18:44

    Perda de tempo, isto porque tanto o sr. presidente do parlamento e os deputados da bancada da governação são carneiros e mercenários ao serviço do seu chefe o PT. Apelar a consciência dessa gentalha é o mesmo que pedir ao satanás que se ajoelhe perante uma cruz.

  8. Rapaz de reboque

    16 de Agosto de 2018 as 21:31

    Independenca total sa cua cu povo mece agora choram tudo destruído,miséria por todo pais politicos sem carácter,crianças a revirar o lixo para sobreviverem mães desesperadas sem um pão para dar aos filhos, cidade cheio de lixo ,motoqueiros autoridades das estradas, pedofilia ,hospital sem condições, cacau em via de extinção, café qyase que ja não se vê foi isto que ganhamos com políticos esses políticos que enriqueceram as custas do povo vamos unir e acabar com isso nas próximas eleições

  9. Martelo da Justiça

    17 de Agosto de 2018 as 18:26

    Com esses tipos de ADI, este é um exercício inútil.

  10. Gentino Plama

    22 de Agosto de 2018 as 11:07

    A abertura de fronteira, não deve ser de imediato pensado e decidido por quem quero que seja, não obstante, tratar-se de um País.
    Porém, há que dar a satisfação ao outro lado que é a Região Autónoma de Príncipe, que deve referendar para e deixar claro a sua posição face a proposta. Embora o Príncipe depender economicamente de São Tomé e, este ter o poder designado (Poder Central), Príncipe goza do Estatuto de Autonomia.
    Por outro lado, o propósito de abertura de fronteiras do modo que o seu preponente quer, deixa claro que este não estará disposto a aceitar o outro resultado das eleições, se não, a vitória do seu partido.
    É de reparar que no nosso País, nunca houve tanto caso de morte, como e o dia de hoje.
    Só na legislatura de ADI, morreram mais pessoas do que as de Regime Único, somando a Governação do Trovoada Pai e, a do Fradique de Menezes. Mortes por encomenda como por exemplo: acidente propositado, violência resultado em morte, justificado como sendo a reação ao assalto.
    Coisa nunca antes vista na nossa Terra, onde todos conhecem a todos.
    O conselho não pesa. A vida é bela; pois ela, é somente uma. Faça de cobarde, não fique fora de casa para além da hora que seja visto.
    Não debate questão política com os seus amigos, pois, algum deles faz parte de agente de informação. (Bufo)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo