Anúncios

Aviso dos herdeiros do Eng. Salustino da Graça do Espírito Santo

                                        AVISO

Os Herdeiros de Eng. Salustino da Graça do Espírito Santo, legalmente representados, fazem saber a todos os que ocuparam parte da conhecida roça Quinta de S.Vicente, particularmente na sua extremidade sul, que confronta com a Estrada de Lemos, e que inclusive têm anunciando vendas de terrenos e casa ali construídas abusivamente, que se abstenham de tais práticas, visto que, em breve, os herdeiros apossarão da referida roça na sua área total e não se responsabilizarão por quaisquer prejuízos ou transtorno que venham causar a qualquer ocupante.

Mais, avisam que utilizarão todos os meios ao seu alcance para prosseguir os seus interesses sobre o referido legado.

NB: Este Anuncio vem em sequência dos avisos que vem sendo difundido na Radio Nacional desde 2020 e tambem nos dias 23,24,25,26,27 e 28 do mes de Março e 28, 29 e 30 do mes de Setembro de 2021 Respectivamente.

São Tomé, 24 de Setembro de 2021
Os  Co- herdeiros legalmente Representado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    6 comentários

6 comentários

  1. José Sousa

    16 de Outubro de 2021 as 14:18

    O meu tio gastou imenso direito na construção que fez aí. Irei ajudá-lo a batalhar com todos os recursos ao meu dispor para que não perca os investimentos feitos. Creio que ele tem direito de posse sobre o espaço que ocupou. Quanto aos outros ocupantes não sei de nada.

    • Engenheiro Ney Angavu Almasi.

      18 de Outubro de 2021 as 17:10

      O seu tio nada tem a temer, visto já estar informado e a par das documentações legais e reais do terreno, podendo no entanto solicitar novamente os reais documentos,legais, os quais originaram os documentos também judicialmente legais que o seu tio possui como actual titular, tranquilo,
      Todavia estar atentos a ” novos invasores” mas que sertamemente serão responsabilizados judicialmente, pagando até a última poeira que vierem a tirar do lugar.
      Obrigado.

  2. Pedro Costa 2

    17 de Outubro de 2021 as 20:47

    Neste país a coisa anda bem!
    Já ouvi histórias como esta que revolta! O que se passa neste país é inadmissível. Casos idênticos a este existem muitos e ninguém faz nada!
    Pessoas que vendem terrenos que não lhes pertencem!!?
    Outra situação neste país é de quando se quer tratar de uma documentação do terreno que se extraviou, gastar-se um dinheirão!
    É um abuso! Ter de pagar ao estado (isto é) e pagar o funcionário que vai pesquisar e tratar do processo. Sem GORJETAS não se vê o avanço do processo! Mas a função destes funcionários não é de darem respostas aos pedidos dos clientes? Recebem o vencimento para o quê?
    E ninguém mete mão nisto?

  3. Engenheiro Ney Angavu Almasi.

    17 de Outubro de 2021 as 20:51

    NB:Humilde opinião de quem conhece e acompanha o processo de perto.
    Estes ditos “herdeiros” há muito tentam, mas por não terem nenhum comprovativo nem como proprietários muito menos como herdeiros, (sabe-se que o Eng Salustino nunca registrou filhos de “fora”) sempre vêem frustradas as suas tentativas ( por exemplo apoderar da casa da roça há três semanas atrás, o indivíduo residente em bobo forró), porque não fizeram o trabalho de casa, antes deveriam fazer um sério levantamento sobre o referido prédio rustico, uma vez que o este nunca pertenceu ao Eng Salustino ele apenas cultivava a terra da esposa, aliás que só veio a registrar o terreno depois de reformada e viúva.
    Deviam também saber que a estremidade sul a que referem tem um legítimo proprietário residente no país e reconhecido por entidades estatais legais do país,.
    Tbem é verdade que o prédio rustico – número nove mil cento e dezessete-,(parte de terreno da roça pertencente a Maria do céu) na sua “estremidade norte, rio lemos a torres dias” está devidamente registrado, que sublinho, nada tem a ver com o Eng Salustino, pertencendo sim a Maria do céu Marques e Figueiredo do Espírito Santo que aquando do registro era viúva, professora primária reformada residente na referida roça Vicente e actualmente representada pelos seus netos, e de salientar que partes do terreno tem ainda outros herdeiros devidamente identificados que nada tem a ver com Salustino.
    Receio passarem vergonha e serem escurassados por verdadeiros herdeiros e no último caso, por quem eles menos esperam, a população de torres dias que conhece documentalmente este terreno e também está atenta a este caso.

    • Engenheiro Ney Angavu Almasi.

      18 de Outubro de 2021 as 16:52

      Voltamos a aconselhar:
      Devem repensar a ocupação.
      Repitimos, fazer verdadeiros levantamentos, não sebemos se lhes será permitido, visto o prédio nada ter a ver com eles, todavia embora nós observadores atentos, não possamos dar total e verdadeiras coordenadas, exemplificamos, aquelas terras é formada por inúmeros pequenos terrenos todos devidamente registradosf, tais como os predios números, mil seiscentos e quarenta e dois, seis mil trezentos e cinco e três mil e trinta e nove que juntos formam o prédio, nove mil cento e dezassete, pertencente a Professora primária na altura da inscrição reformada, residente na roça Vicente, cujo nome é Maria do Céu Marques e Figueiredo do Espírito Santo, e outras “fatias” cujos nomes e herdeiros estão devidamente identificados, por conta das confrontações devidamente explícitas no registo da Maria do Ceu, por conta de documentos apresentados recentemente por herdeiros de outras “fataias”, mas também como constado no mapa ou estrato geográfico pouco actualizado depositado conjuntamente pelos inúmeros herdeiros da roça nos serviços geográficos e cadastrais do osso amadíssimo pais “naquele tempo”, e novamente nada tem a ver nem com Salustino nem com os seus familiares diretos (refirimos a qualquer família que não seja esposa, que por sua vez aquando do registo já era viúva), sendo do conhecimento dos verdadeiros, legítimos, e herdeiros diretos da Maria do Ceu,
      que actualmente tem o bem vigiado e estimado pelos verdadeiros netos do Eng. Respeitado Salustino Graça.
      Sejamos sérios, embora e apesar da nossa justiça não andar tal como reconhecidamente almejamos, contra factos não há nem deve haver argumentos, o “Boboforista” e os ditos primos que se juntarem a ele por mais que comprem ou falsificam, certamente e tristemente voltarão a estaca zero.
      OBs:A população de Torres Dias, localidade que confronta pelo norte a extremidade sul do referido prédio rùstico está sensibilizada e atenta, certamente e infalivelmente reagirá a ocupação de qualquer invasor visto conhecer e ser aliada dos verdadeios herdeiros netos diretos da Maria do Céu, pessoa que tanto ajudou a supracitada comunidade e lhes confiou o referido bem, até que voltasse os verdadeiros herdeiros e apareceram.
      Obs: Os invasores serão repelidos, na paz.

  4. SANTOMÉ+CU+PLIXIMPE

    18 de Outubro de 2021 as 7:50

    Muito bisness…virou moda, perdi terreno do meu avô, por causa das malandrices…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo