Anúncios

Atenção – Concurso para construção de barragens hidroeléctricas sobre o rio Yô Grande e em Bombaim

A Unidade Técnica de Apoio a parceria público privada, convida as empresas para apresentarem a manifestação de interesse ao Concurso Público com previa qualificação para Construção, Operação e Transferência (BOT) de aproveitamentos hidroeléctricos  sobre rios e locais, designadamente Yô Grande e Bombaim.

Para ter todos os detalhes clique sobre o documento seguinte : Concurso Hidroelectrica IO Grande e Bombaim

    15 comentários

15 comentários

  1. José António

    15 de Novembro de 2021 as 21:23

    Brincadeira
    Mais uma brincadeira de mau gosto
    Lançaram pedra para reabilitação da estrada de Vila Dolores e do Bairro Verde em S.Gabriel na véspera da segunda volta das eleições presidenciais, só para conseguirem enganar o povo para votar no Posser. Eleições acabaram, as pedras foram lançadas mas a reabilitação nada. O mesmo passa com a reabilitação da estrada da zona sul para Porto Alegre. Fizeram o concurso, lançaram a pedra, mas obras nada.
    Agora está perto eleições legislativas. Então vamos lançar pedra para Iô Grande e Bombaim
    Muita Brincadeira

    • Matabala

      16 de Novembro de 2021 as 7:20

      Tem toda a razão não esquecendo a estrada do Norte. O percurso desde a cidade até Guadalupe é estrada mato…desvia de burraco para cair noutro ….3 anos de obra que nao acaba.

    • Docas09

      16 de Novembro de 2021 as 18:47

      Lançamento da 1ª pedra é uma coisa, concurso para construção é outra.
      Não misture as coisas.

  2. Pedro Costa 2

    15 de Novembro de 2021 as 22:40

    Na realidade este nossos governantes andam mesmo a governar este país!?
    Sinceramente, isto é demais!
    O país anda de lançamentos em lançamentos de concursos; de lançamentos em lançamentos de 1ª pedra; de leilões em leilões do blocos do petróleo, de ideias soltas em ideias soltas, etc, etc e não se vê nada de concreto! Estamos constantemente em refazer algo ou repensar algo. Que coisa!!?
    Este país não tem futuro.
    Enfim

  3. Antonio Martins

    15 de Novembro de 2021 as 23:22

    Boa noite
    Mais uma deste governo que quer o sector privado a financiar
    Eu filo em agostinho neto acabei por ser roubado expropriado por este governo
    Nunca pagaram nada
    Cambada de burloes aldravoes vigaristas

    Só quem for louco como eu fui e que se mete nesta porcaria de contratos que e tudo mentira

  4. Fuba cu bixo

    16 de Novembro de 2021 as 0:16

    “Ta fala non esta fazê” esta fala non ta fazê”

  5. Engenheiro

    16 de Novembro de 2021 as 7:32

    Brincadeira tem limite.
    Sempre que há uma crise energética inventam algo para enganar o povo!
    O senhor aprumado das obras públicas vem logo com projectos de energia limpa, barragens, eólicas e mais palhaçadas que já se sabe: NÃO PASSAM DE BANDIDAGEM!
    É preciso ter um pouco de escrúpulos.

  6. Ainda Restam Dúvidas?

    16 de Novembro de 2021 as 8:14

    Caro José António, V. Excª está coberto de razão. Infelizmente quando um País tem um Governo incompetente, mentiroso, só de falácia a comer toda uma sociedade com “zôplô d´ubuê cu sena boca doxi” dá nisto. Nunca em S.Tomé e Príncipe teve um governo com estas características. Infelizmente as mentiras destes gajos já vêm desde campanha de 2018 na boca do seu 1º ministro. Estamos a esperas destas e de outras mentiras em 2022. Como diz o outro o Povo está de olho.

  7. arroz+podre

    16 de Novembro de 2021 as 8:32

    Se for verdade, até que enfim.
    Se for mentira, adeus o PODER.

  8. Sol

    16 de Novembro de 2021 as 10:57

    Recordo que a cerca 7 ou 8 anos estive privilégio de estar no Príncipe e assisti uma reunião em que participava membros de Governo e Deputados Regionais e o Sr. Viegas de PNUD declarou em viva voz a construção de 5 mini-hidricas nos rios Papagaio e na zona Oeste, não me recordo mais o nome do rio. Disse ainda que havia disponível 6 milhões de dólares para o efeito. Quem me pode explicar o que se passou que até a data presente, pelas informações que tenho nada foi feito?
    Por favor parem de desses malabarismos com essa franja de População que tanto merecem pelo que vêm fazendo em prol de um ambiente saudável o que lhes valeu o prémio de reserva da biosfera, que hoje o País é visto diferente e que vem angariando visitas dos turistas e que os sucessivos Governos central tem como estandarte.

  9. Mepoçon

    16 de Novembro de 2021 as 12:37

    Obra de Iô grande é de grande envergadura. Governo lançou concurso já tem financiamento ou é para devirtir com o povo?

  10. Luísa Albuquerque

    16 de Novembro de 2021 as 15:13

    Realmente andam a brincar com este povo. Toda gente sabe que é tudo fantochada.

  11. Panela Suja

    16 de Novembro de 2021 as 15:19

    Mais lançamento de pedra?
    Cabeça dura desse homem. Tantas pedras lançadas que nenhuma chegou ao destino. MISERICÓRDIA S.T.P. 12 de Julho é mesmo aziago.

  12. Rita salome

    16 de Novembro de 2021 as 15:21

    Senhor osvaldo abreu porque é que não pensou neste concurso logo quando vocês assumiram o poder?
    Agora que já estão de saída e com falhas graves de energia é que querem enganar o povo?
    Seus malandros. Passaram três anos a enriquecer e comprar património em Portugal e o país so atrasou.
    Mostra me uma coisa boa que fizeram.

  13. Guilherme

    16 de Novembro de 2021 as 15:32

    Apenas peca pela tardia

    São Tomé e Príncipe precisa de barragens hidroeletricas como o “homem precisa do pão para a boca”. Quem nos dera se pelo menos, a vinte anos atras,ou mais, os governantes de então, ou os sucessivos governos que tivemos até a presente data, tivessem pelo menos, reabilitado as barragens então existentes, feito uma reabilitação de fundo na barragem do rio contador, e construido as barragens de Yô Grande e Bombaim. Lembro-me que ainda no tempo dos assessores russos e outros de leste europeu (anos 80..), estudos sobre a potencialidade e viabilidade de construção de barragens hidroeletricas na zona sul foram elaborados e recomendados. Até porque, a carga pluviométrica que caia naquela zona não deixava margens para dúvidas. Enfim, talvez estes estudos estejam arquivados algures nas estantes do arquivo nacional. Certamente, hoje teriamos uma energia mais barata, limpa e talvez até em excedente. Portanto, o “pecado” em relação a problemática da energia eletrica recai sobre todos aqueles que ja foram dirigentes deste país. Todavia, antes tarde do que nunca, e o concurso esta lançado. Queira Deus, para bém desta terra e das futuras gerações que os projectos ora lançados sejam materializados. Se assim for, seremos todos vencedores.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo