Cultura

Morreu Cesária Évora,a “Diva dos pés descalços”

Cabo Verde e o Mundo consternaram-se na tarde do último sábado, 17 de Dezembro, com o anúncio da morte da cantora dos pés descalços, Cesária Évora, de 70 anos, ocorridona sua ilha natal, São Vicente, após vários meses de doença.

A morte de Cesária, vítima de insuficiência respiratória, foi oficialmente anunciada na cidade de Praia pelo também cantor e Ministro da Cultura de Cabo Verde, Mário Lúcio Sousa, que declarou ter perdido uma grande amiga e todo o mundo está a chorar a partida da “Diva dos pés descalços.”

Seguiram-se de imediato reacções do Presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, que disse o momento é de tristeza e consternação, declarando ainda que quando falo de Cabo Verde no Mundo, o nome de Cesária aparece sempre em primeiro. O Primeiro-Ministro José Maria Neves,que determinou dois dias de luto nacional, afirmou que Cesária Évora promoveu tanto Cabo Verde e queela jamais morre porque é um ícone.

Os músicos cabo-verdianos também reagiram através de vários órgãos de informação internacionais, a perda da embaixadora da música das ilhas de morabeza que, só aos 47 anos, conseguiu sair de Cabo Verde e do seu S. Vicente para encantar o Mundo. Ao nível internacional várias são as reacções dos governantes, desportistas e artistasde vários domínios à morte da mulher que encurtou a fronteira linguística, impondo a sua forte e adocicada voz do Ocidente ao Oriente, em nome da África e da lusofonia.

A “Diva dos pés descalços” que terminou a carreira musical em 23 de Setembro do ano em curso, pouco antes de ter sofrido um Acidente Vascular-Cerebral, gravou 24 álbuns e chegou a vencer o prémio Grammy de melhor álbum de “World Music” contemporânea em 2004.

Cesária que sempre quis ser cantorainiciou a sua carreira, cantando ainda jovem em serenatas pelos cantos do seu São Vicentequando tinha 16 anos, acompanhando um jovem com quem saía.Ele tocava o violão, então eu podia cantar junto. Foi isso. Não era bem meu namorado. Declarou em tempos a cantora que entre gravar e não gravar, mais tarde, aceitou gravar para a Rádio Barlavento e a Rádio Clube de Mindelo. Passou também a cantar em casa de portugueses e nos navios de guerra para ganhar uns trocos.

Aos 34 anos, em 1975, com a independência do país e a partida de muitos músicos para a Europa e os EUA, as circunstâncias impuseram um intervalo nas suas cantigas que só voltaram ao público dez anos depois.

Mãe de dois filhos, Eduardo que teve aos 18 anos e Fernanda, mais nova, foi pelas mãos do empresário José Silva, D’Jó Silva, que a cantora chegou em 1988 à Paris, depois de ouvir Cesária na gravaçãofeitaem Portugal no ano de 1985 na sua primeira viagem para fora de São Vicente e ao convite de amigos, onde ela passou despercebida do público português.

Cesária Évora notabilizou em 1992 com a gravação de “Miss Perfumado” que internacionalizou a cantora que,por opção artística e simplicidade pisou, descalça, os mais importantes palcosdo mundo. Contrariamente foi a “Sodade”, o conhecido hino da morna dos cabo-verdianos, lagrimando a história colonial das gentes do arquipélago que seguiu o triste caminho de roças de São Tomé, que se tornou no maior êxito da Diva, cantada em várias versões pelos músicos do mundo.

Cesária, a voz singular e balançada que não cantava apenas a morna, o bilhete de identidade da cultura cabo-verdiana, foi submetida no dia 10 de Maio, em França, a uma cirurgia de urgência no coração. Levou mais de um mês para recuperar no país europeu quedesde sempre se assumiu como a capital de música africana e, depois da alta voou para Cabo Verde “para descansar e para os cabo-verdianos vissem que estava bem”, segundo a Diva. O intervalo entre a cirurgia e a despedida para eternidade, ainda possibilitou a Cesária cantar e gravar com os seus músicos e a preparar um novo disco de originais.

O estado debilitado com que a Diva regressou a França que lhe adoptou como a sua artista levou aos médicos que lhe acompanhavam na capital francesa a impor a cantora que anulasse a próxima digressão.

Nascida no Mindelo a 27 de Agosto de 1941, Cesária Évora, é filha do músico Justiniano Cruz que tocava o violão, violino e cavaquinho, quem ela já cantava ao colo e que morreu prematuramente quando a pequena tinha apenas 7 anos de idade. Um seu irmão também tocava saxofone.

A “Cize” como era carinhosamente tratada pelos amigos, regressou a sua ilha natal, São Vicente, no passado dia 22 de Outubro e na última sexta-feira deu entrada no Hospital Batista de Sousa, onde esteve internada nos cuidados intensivos e veio a falecer no sábado.

Ao nível de condecoração internacional, a Diva em 2009, foi distinguida pelo Presidente francês Nicolas Sarkozy com a Medalha de Legião de Honra pela simpatia que a voz e a música de Cesária impuseram nos franceses, onde a capital, há muito, os africanos já poluíam com a contagiante música do continente negro.

As várias comunidades de cabo-verdianos que forçosamente tiveram de conhecer a chuva que cai bruscamente ao longo do ano nas ilhas do Equador, com o violão e a harmónica que transportam na alma, a triste notíciada morte da mensageira dos seus sentimentos que desceram o Atlântico, sentem-se nesta hora de dor e de luto ainda muito mais órfãos na despedida longínqua da sua embaixadora musical.

Os são-tomenses comungando o crioulo da tristeza dos que conheceram o caminho longe de São Tomé, não podem ficar indiferentes a partida para eternidade da mais notável voz cabo-verdiana, daí que esta rubricano Téla Nón, mais do que derramar lágrimas de rumba das ilhasverdes a badalar a morna, é a sentida homenagemde palavras consternadas com mensagem de condolências aos cabo-verdianos, a morabeza e a todos quantos se sentem abatidos com a perca da Cesária Évora, a “Diva dos pés descalços”.

O funeral de Cesária Évoraterá lugar na cidade de Mindelo, amanhã, terça-feira, com o cortejo fúnebre a sair às 16h00 do Palácio de Conselhos para o cemitério de São Vicente.

Si bu iscrevê mu, un ta iscrevê! Si bu esquecê mu, un ta esquecê, até dia qui bô voltá!Sodadi, sodadi, sodadi dêsse nha terra San Nicolau.” A “Sodade”do caminho longe de São Tomé de Cesária Évora adoptada pelos cabo-verdianos como o hino da morna.

19.12.11

José Maria Cardoso

    8 comentários

8 comentários

  1. Bloco operatório do principe

    19 de Dezembro de 2011 as 14:47

    Descança em paz, tu não morrerás em nós ficarás eternamente na memória de todos que escutaram esta maravilhosa voz cantando… Sodadi bó…

  2. Horácio dos Santos

    19 de Dezembro de 2011 as 15:57

    Certamente que o Mundo perdeu um valor incalculavel na musica. Que a sua alma descanse em paz

  3. Anca

    19 de Dezembro de 2011 as 16:24

    Quando a valorização e investimento da cultura sobrepõe a questões de ideologia política, ela extravasa a barreira elas próprias de ordem culturais, e transfronteiriças, para o reconhecimento de um Povo, com nível cultural próprio e característico.

    Este é um momento de dizer-te Cisa muito Obrigado.

    Das tuas canções, da tua forma de ser estar e fazer ensinas-te e deixas-te exemplo ao Mundo.

    Meus cumprimentos de dor e perda a família e irmãos Cabo Verdianos.

    A Cise, sempre estará entre nós.

    Com Sodade

  4. mirna

    19 de Dezembro de 2011 as 16:35

    diva,minha eterna diva, dolorosa saudade, doce mel, encanto profundo, palavras soltas, nostalgia, ahhhhhhh,enfim a terra que te seje leve…..

  5. Bartolomeu Lêdesaua

    19 de Dezembro de 2011 as 16:55

    QUE DEUS LHE RESERVE UM CANTINHO NO SEU REINO

    As minhas condolências e votos de grande pesar aos Caboverdianos e a África Lusofona, pela perda da desditosa CÉSARIA EVOVORA.

    QUE SENHOR DEUS DOS ALTOS CÉUS TE DÊ A PAZ E ETERNO DESCANÇO.

    Sou Santomense, UM DOS SEUS ADMIRADORES mas creio que jamais morerás !.. DIVA DOS PÉS DESCAÇOS !…

  6. deputado

    20 de Dezembro de 2011 as 19:08

    As minhas condonlencias para familia da césaria évora e ãos caboverdianos com o seu desaparecimento a cultura fica mas pobre é´uma grande mulher a …DIVA DOS PÉS DESCALÇOS. DESCANSE EM PAZ

  7. patricia evora

    10 de Março de 2012 as 19:48

    meus sentimentos meu nome tambem tem evora acredito que sou parente

  8. patricia evora

    10 de Março de 2012 as 19:50

    moro no brasil ,Rio de janeiro, se alguem quiser entrar em contato mande um e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo