Cultura

Carlos do Carmo cantou e encantou São Tomé

O silêncio, que se fez sentir quarta – feira num dos hotéis da cidade de São Tomé, deu eco a voz de Carlos do Carmo, na interpretação pela primeira vez em São Tomé, do FADO música património cultural da humanidade.

O músico, português que veio a São Tomé no quadro das celebrações do dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, realizou um espectáculo quarta – feira em São Tomé.

Disse que na sua exibição, cantou poemas de escritores portugueses, mas a sua voz também ecoou na interpretação de alguns temas que o lançaram na senda do sucesso e da fama, nos quatro cantos do mundo.

Ao quebrar o silêncio imposto pelo FADO, Csentiu que encantou o público são-tomense. «As pessoas estavam muito sensibilizadas, mantiveram – se em silêncio e o no final estavam verdadeiramente eufóricas. Portanto correu bem», declarou.

FADO é Património Mundial da Cultura. «Onde há portugueses haverá sempre espaço para o FADO», reforçou o artista português.

Gilberto Gil Umbelina, músico são-tomense, foi o arquitecto da primeira exibição de Carlos do Carmo a São Tomé e Príncipe. Autor da ideia de trazer para São Tomé, o artista do FADO, para cantar e encantar o pais nas celebrações de 10 de Junho, dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas, Gilberto Gil Umbelina e Carlos do Carmo também cantaram juntos, uma das canções, do espaço de língua portuguesa.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Deputado com 4ª Classe

    15 de Junho de 2012 as 18:20

    Em STP, já temos muitos fadista. Basta olhar para o país, durante 36 anos de independência. Os fadista são-tomenses cantaram tanto, até deixou país pobre desgraçado!

  2. Argenezio Antonio Vaz

    15 de Junho de 2012 as 19:08

    Mostrar a “burguesia” santomense e os seus amiguinhos portugueses no hotel de luxo, quando a escassos metros so temos burracos, lixo e miseria. Vamos fazer como disse um governante português, vamos reduzir os preços para que os desenpregados possam assistir, por exemplo, fado. Que beleza. Foi bom

    • Carlos Ceita

      16 de Junho de 2012 as 10:03

      Nem mais caro Argenezio Antonio Vaz sem falar do espectáculo das transes que vai tomando conta de um espaço que deveria ser de saber e aprendizagem.

  3. FIJALTAO

    16 de Junho de 2012 as 11:43

    Alguém o disse! Devemos agarrar o mundo pelos cornos da desgraça e fazer da desgraça a graça! O povo de S.Tomé merece conhecer horizontes ocultos que nem o seu governo está interessado que ele o conheça. Os jovens, mergulhados na pobreza, mergulhados na ignorância do saber e da informação, mergulhados no Kuduro, na Kizomba e noutras Pornoculturas musicais, merecem conhecer outras músicas para além das mencionadas! Obrigado Gilberto Umbelina e um grande obrigado ao Sr. Carlos do Carmo.

  4. jose sousa

    18 de Junho de 2012 as 13:44

    Ola!
    Antes de mais venho elogiar o cantor Carlos do Carmo pela sua visita a SAo Tome e Principe.
    Aproveito este ocasiao para lembrar o governo portuguese que os Santomenses que fizeram o pedido de Aquisicao de Nacionalidade Portuguesa nao devem ser vitimas de espirito de deixar andar, ma fe, represalia sem justificacao alguma ou alegacao de que ha muitos pididos; porque nada cabe na cabeca de ninguem de que as autoridades que lidam com isto estejam veemente interessados em trabalhar para que o servico publico seja mesmo eficiente e pelo contrario constitui acomulacao de despesas para o proprio governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo