Economia

Fluxo global de investimento estrangeiro direto foi 16% menor em 2017

Comparação é feita com valores de 2016; números são apresentados pela Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad; movimentação foi de US$ 1,52 trilhão, com EUA na liderança e Brasil em sétimo lugar.

Foto: Unctad

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque. 

O total de investimento estrangeiro direto aplicado nos países no ano passado bateu a marca de US$ 1,52 trilhão, 16% a menos do que o montante movimentado em 2016.

A Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, apresentou os números nesta segunda-feira, explicando que a redução global foi influenciada pela queda de 27% dos investimentos estrangeiros para países desenvolvidos.

Brasil

Ainda assim, os Estados Unidos lideram a lista das 10 nações que mais receberam este tipo de investimento no ano passado: US$ 311 bilhões. Na sequência estão China, Hong Kong, Holanda, Irlanda, Austrália e em sétimo lugar, o Brasil.

O país recebeu US$ 60 bilhões de investimento estrangeiro. Segundo a Unctad, os “investidores voltaram a procurar oportunidades, especialmente no Brasil”. Das 10 grandes aquisições feitas na América Latina no ano passado por uma empresa estrangeira, nove aconteceram no Brasil e sete dessas transações envolveram um comprador chinês.

Fusões & aquisições

Cingapura, França e Índia são as outras nações que mais receberam fluxos de investimento estrangeiro direto.

No geral, esse tipo de investimento para países em desenvolvimento se manteve estável, totalizando US$ 653 bilhões. Houve aumento dos investimentos para nações da Ásia e da América Latina, mas na África os números foram similares aos de 2016.

A Unctad revela ainda que as fusões e aquisições além-fronteiras tiveram uma redução de 27% em 2017, com valor de US$ 666 bilhões. Mas mesmo com a queda, o volume foi o terceiro maior dos últimos 10 anos.

Notícias relacionadas:

Entrevista: Países menos avançados e acesso à eletricidade

Unctad pede mais acesso à tecnologia na ajuda pública ao desenvolvimento 

 

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo