Política

MDFM-PL, já conseguiu encontrar dois candidatos para substituir o ministro demissionário Carlos Fernandes

Após simbolo-mdfm1.JPG4 sessões da comissão política para tratar de mais uma crise interna no seio do partido, por causa da demissão precoce do Ministro dos Recursos Naturais, Energia e Meio Ambiente, Carlos Fernandes, o partido MDFM-PL, que integra o governo de coligação tripartido, conseguiu arranjar dois militantes seus para substituir o ministro demissionário. Mateus Meira Rita, actual embaixador de São Tomé e Príncipe na Nigéria e Guiné Equatorial, e Cristina Dias ex-Ministra da Economia são os nomes que vão ser apresentados ao Primeiro-ministro Rafael Branco.

O Téla Nón apurou que a última reunião da comissão política do MDFM-PL ficou marcada por forte tensão. Por pouco dois membros do órgão político quase se envolviam em pancadaria. Sinal claro que a crise política interna no MDFM-PL é profunda. O confronto verbal entre os dois militantes que quase chegaram a vias de facto, tinha a ver segundo a fonte do Téla Nón, com o desejo de uma das alas de incluir o nome do ex-Ministro da Defesa Óscar Sousa, como candidato a substituição do demissionário Ministro dos Recursos Naturais, Energia e Meio Ambiente.A tensão arrefeceu com o entendimento entre os membros da comissão política para que sejam Mateus Meira Rita e Cristina Dias os únicos candidatos a serem apresentados ao Primeiro-ministro Rafael Branco. Ao Tenente-coronel Óscar Sousa que esteve ausente do país nos últimos dias, deverá ser entregue uma das pastas importantes dentro do sector energético, apurou o Téla Nón.

Mateus Meira Rita, que é embaixador de São Tomé e Príncipe junto a Nigéria e Guiné Equatorial, é considerado como um dos homens são-tomenses que domina o dossier petróleo. Meira Rita foi ministro dos negócios estrangeiros e cooperação, e um dos actores principais da preparação de São Tomé e Príncipe para a entrada na era do petróleo. Actor tão activo que Meira Rita mergulhou-se a fundo no negócio do ouro negro.

O Téla Nón sabe que o candidato ao cargo de Ministro dos Recursos Naturais, Energia e Meio Ambiente apresentado pelo MDFM-PL, é sócio ou então accionista da empresa petrolífera ERHC, a mesma empresa que as autoridades são-tomenses queixam-se como tendo aproveitado da inexperiência nacional para abocanhar o ouro negro nacional, uma vez que o acordo assinado na década de 90 dá a ERHC, muitos direitos e vantagens neste negócio.

Caberá ao Primeiro-ministro avaliar a candidatura de Meira Rita, e decidir se haverá ou não choques de interesses. Como é que o engenheiro de profissão conseguirá defender os interesses do estado são-tomense no domínio petrolífero, ao mesmo tempo que o arquipélago tenta contrariar as vantagens adquiridas pela empresa de que é sócio a ERHC?

Cristina Dias é o segundo nome concorrente ao posto de Ministra do sector que administra o dossier petrolífero. Ex-Ministra da Economia no governo de Tomé Vera Cruz, ela poderá ser a quarta mulher do actual executivo se Rafael Branco, assim decidir. Actualmente Cristina Dias trabalha na Agência Nacional de Petróleo de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

Recentemente

Topo