Política

Maior incorporação policial da história de São Tomé e Príncipe

92 novos agentes da polícia  policia.jpg nacional juraram esta sexta-feira, cumprir as leis da república e defender a pátria. É a maior incorporação policial da história do país. Um processo de reforma da instituição policial que pretende contribuir para o desenvolvimento económico e social. O Primeiro Ministro rafael Branco, que presidiu a cerimónia fez questão de anunciar que São Tomé e Príncipe vai ser o destino turístico mais procurado no mundo nos próximos anos. Daí a importância de reforçar a segurança interna. A cooperação portuguesa é o principal parceiro do estado são-tomense na construção da nova polícia nacional.

Dos 92 agentes da polícia que juraram bandeira, 2 são oficiais formados na escola superior de polícia em Portugal. Os outros overno fez a maior9 incorp0oração p participaram durante 4 meses num curso interno dirigido por oficiais da polícia portuguesa de segurança pública.

O Comandante da instituição o Intendente Manuel Vicente, alertou para a necessidade de maior investimento na polícia nacional, uma vez que o arquipélago vive um momento especial. «Numa altura em que a ordem pública, assim como a luta contra o crime e outros agentes de perturbação da instabilidade do estado assume actualmente cada vez maior relavancia em São Tomé e Príncipe», declarou o comandante geral da polícia.

Por sua vez o Primeiro Ministro e Chefe do Governo, realçou as perspectivas económicas que se avizinham. Para Rafael Branco a polícia nacional tem missão especial na garantia do sucesso de tais perspectivas. «Entre 2009 e 2019, São Tomé e Príncipe vai ser o país do mundo, onde o número de turistas mais vai crescer. Isso é muita responsabilidade. O turista tem que se sentir seguro em São Tomé e Príncipe. Para que isso aconteça as nossa fronteiras tem que ser credíveis. Para que isso aconteça quem investe em São Tomé e Príncipe tem que estar seguro no seu investimento. Tudo isso depende em grande parte do vosso trabalho», afirmou o chefe do governo.

O secretário de estado da administração interna de Portugal que marcou presença no acto de juramento dos novos agentes da polícia nacional, anunciou o reforço da cooperação bilateral para este ano. Formação da polícia nas áreas de ordem pública, segurança pessoal e na assistencia técnica ao serviço de migração e fronteiras de São Tomé e Príncipe, destacam-se na lista de projectos, que inclue também a continuidade da formação de quadros superiores da polícia nacional em Portugal.

Rui Sá Gomes, que apresentou um relatório exaustivo das acções já desenvolvidas pela cooperação portuguesa no domínio técno-policial, disse que o novo protocolo de cooperação vai custar mais de 600 mil euros.

Abel Veiga

Recentemente

Topo