Política

Japão promove bolsas de estudo para estudantes são-tomenses

Pela primeira vez os estudantes finalistas do Liceu podem prosseguir os seus estudos no Japão, principalmente a formação profissional na área técnica e científica. A embaixada nipónica no sediada em Libreville-Gabão decidiu lançar o programa de formação num convívio com os alunos do Liceu Nacional.

Para que a padrinhagem e o clientilismos não comprometam o processo de formação profissional de estudantes são-tomenses no Japão, o Governo nipónico decidiu  promover directamente a bolsa de estudos junto aos alunos do Liceu Nacional.

Através de um programa de interacção com os alunos do Liceu Nacional, a embaixada do Japão, mostrou as áreas de formação que podem ser aproveitadas. Eletrónica, telecomunicações, informática, oceanografia, meteorologia, engenharia química, fazem parte de uma longa lista de cursos, que os estudantes são-tomenses poderão concorrer a partir deste ano. «Em primeiro lugar vamos realizar testes de admissão. Em Agosto voltaremos, para testes escritos e orais, a nível das áreas técnicas e científicas. Os candidatos serão também submetidos a exames de química, matemática e de inglês. Os testes serão organizados e avaliados pelo Ministério da Educação do Japão, que fará a selecção final dos estudantes que beneficiarão da bolsa», explicou Sato Yoshilx(na foto), assessora para Educação e Cultura da Embaixada do Japão.

Japão decidiu conceder bolsas para os estudantes são-tomenses desde o ano passado, mas nenhum estudante são-tomense concorreu, por falta de informação. Por isso, este ano,  a representação diplomática com sede no Gabão decidiu agir no terreno, para sensibilizar os estudantes são-tomenses. «Decidimos fazer uma manifestação cultural no Liceu para promover essas bolsas. Ao mesmo tempo que explicamos os estudantes sobre a existência da bolsa e as suas diversas áreas, fizemos a apresentação da história e culturas japonesas, para que conheçam um pouco a realidade do Japão»,acrescentou.

Tradicional parceiro de São Tomé e Príncipe na oferta de ajuda alimentar, Japão pretende contribuir para a formação de quadros técnicos são-tomenses.

Segundo a assessora da embaixada nipónica para área da educação e cultura, São Tomé e Príncipe, tem muitas dificuldades em termos infraestruturais. Daí a opção do seu país em atribuir bolsas para formação profissional em áreas técnicas. « Creio que se os são-tomenses tiverem a oportunidade de adquirir conhecimentos técnicos no Japão, poderão ajudar no desenvolvimento do país», concluiu.

Abel Veiga

    19 comentários

19 comentários

  1. Põe boca não tira

    26 de Fevereiro de 2013 as 12:00

    Para evitar a burocracia excessiva do Estado de STP, é bom que issso seja assim…….

  2. luisó

    26 de Fevereiro de 2013 as 12:45

    Química, matemática e inglês?
    Credo….
    Quantos vão?

  3. martins

    26 de Fevereiro de 2013 as 13:25

    Boa iniciativa.
    Ja Pão. Como dizia um amigo.
    Ja ha Pão, falta paz e amor em STP.

  4. supresa

    26 de Fevereiro de 2013 as 13:49

    cuida caros estudantes ante de saírem, do país verificam se de facto e mesmo um bolsa ou ajuda de custo, depois verificam tb quem vai pagar a bolsa, onde vão ficar… pk os países asiáticos tem muito racismo devem prever isto.. e se for governo de STP a assumir o pagamento desistem na hora para não passarem fome como esta acontecer como os estudantes que estão em cuba, Brasil Portugal angola Marrocos e cabo verde…que estão já um ano e tal sem receber a bolsa cuidado com esse ai.

  5. Cultura

    26 de Fevereiro de 2013 as 13:51

    Agradeço a atenção dos estados japonês e a sua boa vontade em disponibilizar bolsa de estudo aos nossos estudantes.
    Ma quero lembrar os pais e encarregado de educação que os governantes não querem bem para povo muito menos para estudante. Cada apoia que os nossos governantes pedem 95% reflectem em seus próprios interesse.
    Temos alunos em Cuba , Brasil, Marrocos, entre outros canto do mundo a passar fome.

  6. nora

    26 de Fevereiro de 2013 as 14:49

    OLHA GENTE O PARCEIRO VEIO NOS DAR CONHECIMENTO DE MAIS UMA MÁ FÉ DO GOVERNO DE PATRICE TROVOADA. “Japão decidiu conceder bolsas para os estudantes são-tomenses desde o ano passado, mas nenhum estudante são-tomense concorreu por falta de informação” atrocidades a sociedade Santomense. Devem ser castigados principalmente este OLINTO DAIO O DEMONIO.

    • kung fu

      27 de Fevereiro de 2013 as 4:05

      Eis o nosso mal.
      Ninguem e’ punido pelo mal que comete….

  7. Silvania Barros

    26 de Fevereiro de 2013 as 15:40

    Eu discordo quando dizem que ninguem candidatou porque eu fui a unica a fazer a candidatura e só não fui selecinada porque o sistema de correios em s.tomé ainda é uma calamidade pois enviei o documento e so depois de um mes que chegou ali. e foi atraves disso que fez com que a comitiva viesse a S.tomé fazer esta apresentação porque eu espliquei a situação da informação em STP.

    • Os Leonenses

      26 de Fevereiro de 2013 as 17:24

      Tu foste a unica a candidatar poorque es do ADI. Como e possivel seres a unica pessoa a ter conhecimento dessa bolsa? Quero dizer que o Ministerio da Educacao camuflou essa bolsa.
      Para os alunos interessados em candidatar nessa bolsa devo dizer-vos que eu ja estive la numa formacao de 3 meses em 1997. E um pais muito organizado e que da gosto estudar. Um pais onde aprende-se muito bem desde que haja vontade. Se for bolsa da JICA – Agencia Japonesa de Cooperacao Internacional, e muito boa. De la pra ca nao sei como e que esta, mas esses paises nao mudam tanto na forma de organizacao. Por isso aconselho-vos a candidatarem. Nao se esquecam de aprender Ingles.

  8. Addon Tiny

    26 de Fevereiro de 2013 as 16:55

    É lovavel a iniciativa do governo Japones,mas o meu receio é os nossos filhos irem a japão um pais asiatico cheio de problemas climaticos(sismos,cheias) etc o que a nossa gente não esta abituado onde a cultura é totalmente diferente,Porquê não apoiarem as universidades locais uma vez que existem, equipa-las de meios necessarios para realização desta formações de modo que para futuro mais pessoas possam ser beneficiada.

  9. Beatu Salu

    26 de Fevereiro de 2013 as 20:47

    Assim é que deve ser.
    Pratiquemos o bem porque o bem fica nos bem
    Mais fortes são os puderes de deus

  10. Barão de Água Ize

    27 de Fevereiro de 2013 as 1:51

    A formação dos jovens no estrangeiro com bolsas de estudo, é de aplaudir se os cursos que frequentam interessam ao desenvovimento de STP. Depois de concluirem os estudos, regressam a STP e vão ter emprego? Como resolver essa grave situação de jovens com energia para trabalharem e não encontarem posto de trabalho? Não compete ao Estado criar postos de “trabalho” sem base funcional e económica, só para abafar protestos.

  11. boca suzu diz

    27 de Fevereiro de 2013 as 9:17

    esse governo de PT foi um desastre:
    Nao promoviam concursos publicos
    Nao aceitaram a ajuada do japao
    Nao meteram dinheiro de negocio de kosovo que feito em nome de STP no cofre do estado.
    Nao promoveram muitos que os ajudaram
    Nao trabalharam com boa fé
    Fezeram negocio de traficante visivel com os barcos na nossa costa
    Proibiram a entrada de carros com volante do lado direito para jovem nao poderem ter carros e aumentar o negocio de CFO e CIM
    Engaram muitos jovens
    Chamaram e chamam os depotado dos outros partidos na Assemblea de ladroes cara cara coisa que nunca aconteceu e agora se ouvi e se nota que em 2 anos anos roubo é credo… e os deputados dos outro partidos deixam em branco.
    Criaram mais lobis mais agora com estrangeiros
    Eu nao gosto de gente de ADI( Aldraboes Desde Infancia)

  12. HLN

    27 de Fevereiro de 2013 as 10:17

    Pois é, até a diplomacia nipónica já não vê com bons olhos a governabilidade reinante em STP, Por isso vieram pessoalmente, tristeza. Boa Silvana valeu a tua coragem, pela informação prestada. Que Deus abençõe STP.

  13. Engenheiro

    27 de Fevereiro de 2013 as 14:46

    Quero bolsa para MESTRADO, será que posso me candidatar?

    Mas mal que passei na Licenciatura, se for Governo a frente desse negócio, prefiro lavar prato e fazer MESTRADO.

  14. Amigo do amigo

    27 de Fevereiro de 2013 as 16:34

    Há Liceu na Região Autónoma de Príncipe Também! Filhos de Príncipe não vão para Japão?

  15. Denise de Ceita Viana

    28 de Fevereiro de 2013 as 20:42

    Eu quero saber se só os estudantes residentes em S. Tomé e Príncipe é que tem direito a essa bolsa ? E se não como posso fazer pra usufruir dessa bolsa , quais os requisitos. obrigada .

  16. STOP

    1 de Março de 2013 as 10:01

    Sr./Sra. boca suzo,
    O Sr./Sra. Pode acusar o ADI, em todos os malefícios. Porque realmente eles deram cabo deste belo País. Ai de nós, se ADI, permanecesse mais no poder. Seria um desastre. Mas no entanto, quero alertar-lhe, de que a melhor coisa que o Governo de ADI, fez, é o de proibir a entrada de caros de volante direito em S.Tomé e Príncipe. Se o Sr./Sra. for um verdadeiro (a) motorista, terá possibilidade poder comparar que não é igual. Por isso, é que nenhum BRITANICO importará caros de volante direito para INGLATERRA. Se porventura encontrar caro de volante esquerdo na INGLATERA, será apenas de passagem. Com matricula BRITANICA, nem pensar. Investigue ou tente se esclarecer sobre essa parte no País BRITANICO.

  17. José Manuel conceição Costa

    11 de Julho de 2014 as 21:53

    Neste âmbito de programa de ajuda de bolsa de estudo promovido pela instituição Téla Non junto com a cooperação de japão é uma oportunidade.mas pretendo candidatar-me na cadeira de direito

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo