Política

Governo pede ajuda da UE para garantir ligação marítima segura entre as ilhas 

O Governo são-tomense, apresentou para a União Europeia, as fragilidades que caracterizam a ligação marítima entre as duas ilhas. Fragilidades que já provocaram vários naufrágios.

O Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, detalhou para a delegação da União Europeia, a recente tragédia do navio Amfitrit que saldou na morte de 8 cidadãos são-tomenses, e 9 outros até agora dados como desaparecidos.

Jorge Bom Jesus, disse que São Tomé e Príncipe, conta com a União Europeia, «para melhorar a ligação marítima entre as duas ilhas garantindo deste modo uma melhor coesão nacional», frisou.

O Primeiro Ministro, recordou que a União Europeia e os países que a compõe, endereçaram mensagens de condolências ao governo e ao país, em alusão ao naufrágio do Amfitrit. O momento actual é de acção, para reestruturar todo o sistema de ligação marítima entre as ilhas.

A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Elsa Pinto, já foi instruída para começar a trabalhar em parceria com a União Europeia, para reestruturar o sector dos transportes marítimos. «O governo instruiu a ministra que é ordenadora nacional do FED para identificar no quadro da cooperação regional suportado pela União Europeia, mecanismos que possam permitir maior segurança na ligação marítima entre as duas ilhas reduzindo o isolamento, que possa vir a constituir um entrave para o desenvolvimento da região autónoma do Príncipe», acrescentou Jorge Bom Jesus.

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. Nuno Miguel De Menezes

    7 de Maio de 2019 as 20:00

    Governo pede ajuda da UE para garantir ligação marítima segura entre as ilhas.

    Depois da ajuda ‘e Necessario fazer receita para assim pagar o valor dessa mesma ajuda,Sao Tome and Principe necessita de varias infraestruturas.
    As insfraestruturas ja feitas necessario fazer receitas para a sua manutencao e pagar o valor de emprestimo dessa mesma infraestruturas.
    Como Por exemplo:
    Hospital, aplicar uma taxa minima para a consulta medica essa mesma receita vai ajudar amanha comprar uma lata de tinta e pintar as paredes do hospital e outras coisas mais que assim esse mesmo hospital necessita.
    Uma antena de comunicacao entre as ilhas dois barcos e uma sala de operacao que funciona apenas durante a hora de trabalho isso garante a seguranca Maritima aonde os comadantes dos barcos podem usar o sinal de S.O.S pedir ajuda se por acaso acontecer algo,e uma lancha a caminho para ajudar essa mesma embarcacao.
    As receitas ‘e o valor dos bilhetes entre as ilhas aonde com o tempo vai ajudar a pagar o emprestimo que assim o Governo pode adquirir e a manutencao e a limpeza desse mesmo barco.
    Necessario tambem criar uma infraestrutura entre as ilhas para assim embarcar os tripulantes e nesta infraestrutura criarem o controlo de DROGA armas e outras coisas mais…. como assim acontece no aeroporto dentro de Sao Tome and Principe.
    Temos que criar uma area para assim isso tudo acontecer,quem sabe fora da cidade capital e ao criar permitir o taxi ir e levar as pessoas, nao ‘e necessario tudo isso dentro da cidade quem sabe pode acontecer perto da prai fernando dias.

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  2. Renato Cardodo

    7 de Maio de 2019 as 20:28

    Vergonha que traduz—se em incapacidade e desnorteamento total:
    Solicitar contributo é algo sério após ter esgotadas as avaliações sérias sobre o investimento.
    Lógico que vão dar mais ou menos outra canoa imprópria ou desadequada como tem acontecido frequentemente.
    Até quando aprendem a deixar de ser pedintes e perceber que o mundo mudou?
    Haja estômago para vos engulir….

    • Vedé

      8 de Maio de 2019 as 11:11

      O amigo Renato está sendo inconsciente. Se o governo está a mobilizar todos os mecanismos para solucionar o transporte de pessoas e bens entre as 2 ilhas e você diz que o governo está sendo pedinte? Olha se eu tivesse como ajudar colaboraria de certeza com o governo para resolver esse problema e não ficaria a criticar os bons feitos dele. Seja optimista e não o contrário. Tenha o espírito patriótico e pense mo S. Tomé e Príncipe.

      • Renato Cardodo

        8 de Maio de 2019 as 18:07

        Caro Vede,
        A lógica que encerra a questão é a seguinte:
        Devemos recorrer aos parceiros depois de fazermos o trabalho de casa.
        Avaliarmos os tipos de embarcações,os RH e o impacto deste investimento integralmente.
        Mesmos simbólica a contrapartida nacional ou seja que não pretendemos esmola mas ajuda digna.
        Infelizmente não tem—se acautelado todas as variáveis e tudo que nos cair na rede é peixe.
        Lamento ter—lhe p

    • Renato Cardodo

      8 de Maio de 2019 as 18:08

      ….lamento ter—lhe feito pensar que sou o profeta da desgraça ou de o

      • Púmbú

        8 de Maio de 2019 as 22:56

        És um ordinário. Um boca féde. És um burrinho com manias de sábio. Sacana.

  3. Separação de poderes violada

    7 de Maio de 2019 as 22:54

    Assim só a pedir só?
    Ja arranjaste dinheirinho para o orçamento do estado os meses estão a andar e ha compromissos financeiros a cumprir pagamentos de ordenados bolseiros estão sem receber chatice muito.

  4. STP Terra linda e gente boa

    8 de Maio de 2019 as 3:45

    Deixem o governo trabalhar. Esse acordo é importante e urgente neste momento. Sobre tudo para assegurar melhores condições de transporte entre as ilhas a favor dos nossos irmãos do Príncipe. Vamos esperar pelos frutos. E essa união europeia que cumpra com a sua palavra nos acordos porque eles estão a beneficiar com um acordo de pesca no mar são-tomense. Temos que estar atentos a estes europeus que também não é flor que se cheira. São outros malandros.
    Um bem haja a todos.
    Que Deus abençoe STP.

  5. mario mendes

    8 de Maio de 2019 as 7:55

    Ó Jorge deixa de chorar e ser pedinte…..ponha a massa cinzenta a funcionar não foi para pedir que querias ser primeiro ministro…..se for assim qualquer um pode ser primeiro ministro nesta terra. Quantas embarcações o País não recebeu dos parceiros……que bandalheira…..bando de pedintes…..

  6. mario mendes

    8 de Maio de 2019 as 7:58

    Uma pessoa tenta ver noticias boas desse País mas quando abre os jornais digitais é só coisas relacionadas com pedidos ou desgraça,,,,uma vergonha… se for assim até o Juvé pode ser primeiro ministro….

    • Vedé

      8 de Maio de 2019 as 11:19

      Existem parasitas intestinais que mesmo se a gente comer boa refeição os mesmos dão mau estar no abdome. Muitas pessoas comportam como parasitas, nunca coisa boas lhes agradam.

  7. luisó

    8 de Maio de 2019 as 9:11

    Esta politica de se aliar á UE já devia ter sido feita há muito tempo.
    A UE tem um programa chamado de regiões periféricas…açores, madeira, canárias e cabo verde….
    Há muito que cabo verde abriu os olhos e percebeu onde se devia posicionar para melhor garantir o seu futuro.
    A paridade do escudo como euro foi das primeiras parcerias.
    Por isso tem portos em todas as ilhas com ligações de barcos a sério e aeroportos sendo 6 internacionais.
    País sem futuro……

  8. Descamisado

    8 de Maio de 2019 as 11:39

    Senhor Mário Mendes.Se o senhor conseguir produzir na República Democrática de S.Tomé e Príncipe para que haja aumento de produção e da produtividade de modo a assegurar a produção do Produto Interno Bruto para garantir a exportação,o País inteiro agradecia. Se o senhor dissesse ao Governo para não cooperar com a União Europeia, gostaria de lhe solicitar como seria o País sem estabilidade monetária Desde já pergunto-lhe?Quanto vale um Euro em relação a dobra. A União Europeia como disse o senhor Luisó tem programa de apoio as Regiões periféricas com vários Países Insulares e natural que o Governo deva saber tirar proveito disto.

  9. Grupo Mé-Zedo

    8 de Maio de 2019 as 12:18

    Que Deus nos ajude, que Deus ajude S.Tomé e Principe.
    Pedir noa é roubar. É normal o país pedir sim para conseguir acabar de uma vez por todas com os problemas e as tragédias.
    Todos os países do mundo pedem uma coisa ou outra ao outro, Portugal por exemplo está agora a pedir França e Espanha apoio no processo de implementação do TGV. Moçambique está a pedir os Estados Unidos para alavancar o sector de produção de alumínio. Angola esta a pedir china apoio para a melhoria tecnológica dos caminhos de Ferro de Angola. E porque que S.Tomé e Principe que desde o periodo da cana de açúcar andou a alimentar a sua metrópole não pode pedir apoio à União Europeia?
    Sabem quantos santomenses trabalham em países europeus? Nao sabem que esses santomenses trabalhadores na Europa fazem descontos salariais para o sector social?….
    Nao temos que ter vergonha, o que temos que ter á a necessária consciência de conduzir s ajudas para os sectores proprios, com a devida honestidade, transparecia e competência técnica.
    De resto, um apelo ao Jorge Bom Jesus e sua equipa para prosseguirem a governação com Zelo e determinação como têm vindo a fazer……

  10. F.R.J

    8 de Maio de 2019 as 15:13

    Congratulo com o pedido feito a UE, porém, não devemos esquecer que o fundo da questão passa muitas vezes pela responsabilidade das instituições ou melhor as instituições que nada têm feito para uma fiscalização responsável em prol das vidas das pessoas e dos seus bens.

    Ora vejamos, o que levou a última tragédia vivida por nós no navio anfitrite, foi a falta de fiscalização das instituições competentes. Isso significa que podemos ter o melhor navio do mundo, se, as instituições forem incompetentes ou praticamente inexistentes casos semelhantes ao navio Anfitrite continuarão a existir nas nossas águas.
    Deixemos de tapar o sol com peneira, e passemos sim, a responsabilizar as instituições. Só assim teremos um STP mais além.

  11. MIGBAI

    8 de Maio de 2019 as 15:16

    Devia ser implementada pelos países estrangeiros umas escolas de natação em São Tomé e outras no Príncipe de forma a quem quisesse andar de ilha em ilha fosse a nado.
    Os primeiros pioneiros desta excelente medida, seriam os governantes actuais e depois os deputados seguidos dos magistrados.
    Minha gente dentro em pouco ficávamos livres destes parasitas.

  12. Luxemburgue

    8 de Maio de 2019 as 16:14

    Cuanta esquizofrenia poñitica nos apoiantes de ADI. Os mesmos que chorabam pelo accidente do barco e criticaban ao Governo, agora nao querem que o Governo trilhe caminhos para encontrar uma solucao real. Pena de adeistas!!

  13. de melo

    8 de Maio de 2019 as 17:28

    Que ajuda seja bem vinda, só que não se esqueçam que o barco de passageiro e para passageiro ,e cargueiro e para carga, os barcos tem-se naufragado porque barrotam ele com tanta carga, esses barcos são para transporte de pessoas e não cargas.

    • Amar o o que é nosso

      9 de Maio de 2019 as 14:51

      Há barcos para pequenas travessias e há barcos para atravessar o Atlântico. São Tomé e Príncipe distam 150kilometros.isto não é para qq barco!!!

  14. Sotmbila Pass

    8 de Maio de 2019 as 23:04

    Como assim? O dinheiro da adjudicacao de 4 blocks de petroleo (1 a Sonangol na, ZEE e 3 a TOTAL na ZECNSTP) ja evaporou-se em menos de 5 meses? Desses milhoes todos, ja nao restaram nada para pelo menos mandar reparar o sobre e ente catamara? So por ter sido fabricado por Sa PA direct a ente para o Pinta CABRA a NOVA ja nao quer me er nela? A NOVA esta com medo do XIDE do Pinta Cabra? Deixem LA de ser pedintes. Peguem nos milhoes recebidos dos 4 blocks petroliferos e t uma parte para comprar um navio apenas para carga e outra parte para reparar e o sobrevivente catamara adaptado com motors mais economics e mais lentos (para comecar) apenas para passageiros. Em Sao Tome dos dias de hoje onde politicos ditos de craveira mandam queimar viatura do Estado apenas pelo poder, nao ponho de parte uma sabotagem de mais incisiveis ao navio apenas com o proposito de assegurarem o contlo pdo negocio de transportava maritima entre as ilhas. Para os politiqueiros de STP tudo vale. Agora o proximo Barco ou a sucata Nova vai estar total ente sobre o control da NOVA, o que nao era o caso do navio Amfritit. As perguntas que nao se querem calar sao:
    1. Porque razao a UEE?
    2. Porque nao a Sonangol, para ser amortizada com petroleo a sêr explorados no futuro, ou com o dinheiro de accoes sociais contempladas no recente acordo de adjudicacao?
    3. Porque nao a TOTAL, sendo que ela arrebatou recent e ente 3 blocks petroliferos a ZECSTP?
    Porque nao a empresa que se gaba aos 4 ventos que exporta a cerveja LUANDINA a STP? A dona desta empresa e detentor de bilhoes de dolares. Mande-lhe investir uma pequenissima parte dos seus bilhoes no negocio de transportacao maritima segura entre as ilhas.
    4. E porque nao MELO XAVIER? E so na cervejeira Rosema para fomentar mais bebedeiras e atrofiar ainda mais o cerebro dos santolas?
    Dizem que JBJ e academic. Mas o cara nao esta a agir como tâl. Um projecto tao tecnico como a transportaco maritima segura a sêr coordenado por uma Ministro dos Negocios Estrangeiras que por signal no domi a area tecnica. Oh Sr. Primeiro Ministro, POR AMOR DE DEUS

  15. modesto

    9 de Maio de 2019 as 12:30

    S.O.S JBJ
    Venho sugerir o seguinte, e espero que as autoridades levem isto muito a sério e aproveitem esta ideia brilhante:

    Sugestão: Se a Justiça aplicasse uma caução bem avaliada aos dirigentes envolvidos em casos de delapidação do estado enquanto aguardam em liberdade a conclusão dos referidos processos, com este dinheiro revertido a favor do estado, poder-se ia comprar pelo menos dois barcos bons por enquanto. Um para passageiros e outro para cargas.

    Espero que analisem bem esta ideia, bom trabalho JBJ!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo