Sociedade

Sida abre debate e troca de experiência nas primeiras jornadas médicas de cooperação entre Portugal e São Tomé e Príncipe

As primeiras jornadas médicas sobre as doenças infecciosas, unem em São Tomé e durante três dias especialistas são-tomenses e portugueses, numa reflexão conjunta para melhor combater a grande variedade de doenças infecciosas cujo o índice tem crescido consideravelmente no arquipélago africano. O comportamento da SIDA no mundo e em São Tomé e Príncipe, abriu a conferência, tendo como primeiro orador o professor doutor Francisco Antunes que chefia a comissão científica portuguesa. O especialista que é também director do serviço infectocontagioso do Hospital Santa Maria em Portugal, disse que actualmente existem 5 milhões de pessoas em todo o mundo que precisam do tratamento antiretroviral para atenuar o impacto negativo da SIDA, mas que apenas 30% dos doentes tem tido acesso aos medicamentos. No continente africano a situação é mais complicada. Tuberculose e hepatites víricas, fazem parte da lista de doenças infecciosas que até quinta-feira, vão ser estudadas entre especialistas portugueses e são-tomenses.

Recentemente

Topo