Sociedade

Projecto de apoio as câmaras distritais

 A cerca decidade-1.jpg duas semanas que arrancou no país o projecto de apoio as câmaras distritais no que concerne  a implementação de um sistema regular de recolha dos  resíduos sólidos. Este projecto visa essencialmente promover a responsabilização e compromisso dos decisores políticos bem como a sociedade civil para a recolha e tratamento de resíduos sólidos, impulsionar acções de sen  sibilização, informação e animação nas localidades, escolas e junto as populações para transmitir a importância do respeito pelo meio ambiente.

Neste sentido a comissão organizadora tem realizado algumas actividades de limpeza nalgumas praias da capital. O ponto mais alto deste projecto é a construção de um aterro central  em São Tomé e outro na ilha do Príncipe para o tratamento do lixo no país. Mas antes, vão ser construídas estações de transferência de lixos nos distritos de Lembá, Cantagalo, Lobata e Me-Zochi.«Nós temos o projecto da gestão dos resíduos sólidos onde nós estamos a preconizar construir um aterro sanitário. Este aterro sanitário vai portanto fazer o tratamento de lixos de todo o país. O aterro sanitário de são Tomé vai receber o lixo que vem de todos os distritos. Nos vamos construir nestes distritos estações de transferências. Elas têm como objectivo guardar os lixos e os carros irão buscar estes lixos uma vez por semana e leva-los aos aterros sanitários que vai ser construído perto de agua-grande. Apenas agua-grande vai ter acesso diário para o aterro sanitário. Os outros distritos devido a pouca quantidade de lixo não serão necessários. Nesta primeira fase vamos fazer a separação dos lixos no aterro, mesmo na fase futura quando tivermos uma população mais sensibilizada e com um certo nível da consciência da questão de lixo pode-se buscar contentores especializados para o efeito», acrescentou  Arlindo Carvalho, director do ambiente.

De salientar que no distrito de Cantagalo já foi identificado uma zona para a construção das estações de transferência. Os aterros sanitários que serão construídos em S.tomé e no Príncipe  vão dispor  de uma zona de compostagem para a transformação do lixo em estrume e estão orçados em 4.5 e 1.5 milhões de Euros, respectivamente.

O que vai permitir uma boa gestão de resíduos sólidos no país durante um período bastante longo. Este projecto das ONG MARAPA, ADAPPA, ALISEI e a Fundação da criança e juventude em parceria como governo e  outras instituições tem a duração de 18 meses e é financiado pela agencia espanhola.

Ectylsa Bastos

Recentemente

Topo