Sociedade

Populações de Amparro II, Lemos, e Pau Sabão beneficiam da maior obra rodoviária do actual governo

A estrada asfaltada que vai ser construída de raiz, esestrada-de-lemos.jpgtende-se por mais de 5 quilómetros. Distância curta mas com enorme impacto económico e social. Milhares de pessoas que habitam essas localidades, vão sair do bloqueio imposto pela péssima condição da actual via, caracterizada por valas de cerca de 1 metro de profundidade. A chuva abundante abriu crateras no caminho poeirento na gravana(estação seca), e intransitável quando chove.

O troço maior é de 4 quilómetros e 100 metros e liga Amparro II nas proximidades de Almeirim, e a estrada pública entre Pau Sabão e Cruzeiro. No meio do percurso, mais concretamente na povoação de Lemos, sai um ramal de 1,65 quilómetros que liga a povoação com a vila de Caixão Grande.

As obras de construção da estrada asfaltada foram lançadas pelo ministro das obras públicas e infra-estruturas, Benjamim Vera Cruz e deverá estar concluída dentro de 1 ano. O financiamento exclusivo do Governo são-tomense está avaliado em 3 milhões de euros. Um investimento que alivia o sofrimento das populações, e impulsiona a actividade económica.

Carlos Mcarlos-malanza.jpgalanza(na foto), um dos mais antigos habitantes da localidade de Lemos, desabafou para o Téla Nón, a alegria que invadiu a sua alma. «Toda população de Lemos tem interesse na construção desta estrada. Porque quando chove é uma calamidade, nenhum carro passa por aqui. Se alguém adoece tem-se que carregar o doente na costa, e muitas vezes a pessoa que está a carregar o doente acaba por cair com o mesmo, nas valas da estrada», declarou.

O impacto económico também é seguro. «Todos os agricultores desta zona vão beneficiar bastante com o transporte das mercadorias. A vida de toda população local vai melhorar», enfatizou.

O Ministro das Obras Públicas, promete que o prazo para a entrega da nova estrada vai ser cumprido. «Estamos em crer que apesar de este esforço representar cerca de 60 biliões de dobras (3 milhões de euros), tudo iremos fazer para que esta obra esteja realizada no prazo estipulado», garantiu o ministro.

O Téla Nón testemunhou no local a alegria da população de Pau Sabão, quando o ministro Benjamim Vera Cruz, lançou a primeira pedra de uma obra que vai contribuir para a urbanização daquela região da ilha de São Tomé. Lemos que se encontra no meio do percurso dista cerca de 5 quilómetros da capital do país.

Segundo os habitantes, tudo indica que os proprietários das terras que estão abandonadas na zona, vão encontrar um motivo forte para construir residências, e manifestam-se seguros de que muita gente vai emigrar para a zona, fugindo da pressão populacional na cidade capital.

Abel Veiga

Recentemente

Topo