Sociedade

Advogados dos Búfalos falam esta segunda-feira a nação

edificio-do-supremo-trubunal-de-justica.jpgCom a conclusão da fase de instrução contraditória do processo de alegada tentativa de golpe de estado, em que 14 elementos detidos foram postos em liberdade por decisão do juiz, sendo 11 deles sem qualquer culpa, o grupo de advogados que está a defender os chamados Búfalos falam esta segunda feira a imprensa. Levy Nazaré um dos advogados que por sinal defende Arlécio Costa, líder dos búfalos, manifestou para o Téla Nón o sentimento de vitória pelo facto das alegações dos advogados desde o início do processo estarem a ser comprovadas.

11 cidadãos nacionais estiveram detidos cerca de 6 meses sem qualquer culpa no processo. Outro motivo de vitória tem a ver com o facto do juiz do caso ter rejeitado grande parte das acusações feitas pelo Ministério Público, nomeadamente o crime de tentativa de golpe de estado e de atentado contra a vida do Presidente da República e dos membros do governo.

Levy Nazaé lamenta no entanto o facto do seu constituinte Arlécio Costa, ser acusado de 7 crimes de posse ilegal de armas, quando segundo ele no acto de detenção do seu constituinte foram encontradas apenas 3 armas. O facto de o juiz ter rejeitado acusações tão fortes como o de prática de crime de golpe de estado, dá margem de manobra ao advogado na composição da defesa do seu cliente.

Levy Nazaré, que continua a dizer que não existem provas que sustentam a acusação, contesta o facto de no sistema judiciário são-tomense, não existir um tribunal de instrução. Actualmente o juiz que instrui o processo é o mesmo que vai julgar o caso. «Não garante a imparcialidade na tomada da decisão. É um dos erros do sistema», reclamou o advogado.

Esta segunda – feira, juntos os advogados dos 29 elementos do partido FDC, vão cantar alguma vitória e certamente desafiar a justiça no sentido de absolver os seus constituintes.

Abel Veiga

Recentemente

Topo