Sociedade

Juiz confirma prisão preventiva para Armando Correia e Osvaldo Santana e elementos da população festejam a decisão do tribunal

silva-cravid.jpgOs dois arguidos no caso da utilização da linha de crédito cedida pelo Brasil, foram ouvidos quinta-feira pelo Juiz Silva Gomes Cravid(na foto), que confirmou a prisão preventiva. Armando Correia Director Geral da STP-Trading e Osvaldo Santana Director Comercial, estão a aguardar o julgamento na cadeia central. Algumas dezenas de populares concentraram-se diante do edifício do tribunal na noite de quinta-feira para saudar a decisão do juiz. Alguns exibiam latas da manteiga imprópria para consumo e que foi importada pela STP-Trading. Gritavam “justiça Social…Justiça Social”.

Como sempre quando acontece algo de relevância e que afecta personalidades influentes na sociedade, São Tomé e Príncipe fica quase que em silêncio. É o que aconteceu ontem. Registava-se pouca movimentação das figuras de proa da política e do sector privado nacional.

Pela primeira vez nos últimos anos, o tribunal estava a tomar decisões sérias em torno de um escândalo financeiro e comercial. Trata-se da importação de bens alimentares do Brasil, através de uma linha de crédito de 5 milhões de dólares. O intendente Armando Correia Director Geral da empresa STP-Trading que fez a importação e o director comercial Osvaldo Santana, estavam a ser ouvidos pelo Juiz Silva Gomes Cravid.

Dezenas de populares concentraram-se diante do edifício do tribunal. Desde as primeiras horas de quinta-feira e de lá só saíram por volta das 19 horas, quando o juiz confirmou a prisão preventiva dos dois arguidos.

Desta vez o intendente Armando Correia que na quarta – feira foi conduzido por agentes da polícia ao comando distrital da polícia, contrariando a decisão do juiz que mandou detê-lo na cadeia central, não conseguiu mudar de rota.

Aliás talvez prevendo o desfecho, o tribunal mandou retirar os agentes da polícia que estavam a guardar o edifício. Os polícias foram substituídos por militares do exército. A polícia militar, passou a garantir a segurança do juiz e do tribunal.

E foram os militares que conduziram o intendente Armando Correia e Osvaldo Santana para a cadeia central. Quando os dois arguidos desciam as escadas do tribunal, cercados pela polícia militar, os elementos da população que estavam diante do edifício começaram a bater palmas, e a gritar de alegria. Diziam” não é só pobre que tem que ir para cadeia” ” muito bem tribunal”, ” Justiça Social…..Justiça Social”, ao mesmo tempo assobiavam. Os advogados de defesa não prestaram declarações a imprensa. Mas em conversa com o Téla Nón disseram que desconhecem o teor do despacho do juiz. Certo porém é que os seus clientes foram mandados para prisão preventiva.

No entanto o Téla Nón apurou que a justiça está a caça do terceiro responsável da STP-Trading. Trata-se do secretário-geral do PCD e deputado a Assembleia Nacional Delfim Neves. Ele é Director Administrativo e Financeiro da STP-Trading. Delfim Neves que tinha-se manifestado disponível para prestar declarações a justiça no âmbito deste caso, sem mesmo aguardar pela decisão da Assembleia Nacional de levantamento da imunidade parlamentra, terá mudado de opinião nas últimas horas.

Fonte judicial disse ao Téla Nón que na manhã de quinta-feira, o deputado foi notificado para comparecer as 11 horas no tribunal, mas recusou assinar a notificação alegando ser deputado, e por isso mesmo só depois do levantamento da imunidade parlamentar se apresentará a justiça.

Enquanto isso o parlamento já tem em mãos o pedido da justiça para retirar imunidade aos deputados alegadamente implicados no caso que põe em causa a imagem do país e que o povo quer ver esclarecido.

Abel Veiga

Recentemente

Topo