Sociedade

Oficiais e sargentos das FASTP foram treinados para utilizar as novas tecnologias de informação e comunicação

O curso que durou 2 meses, foi organizado no quadro da cooperação técnico militar entre São Tomé e Príncipe e Portugal. Oficiais superiores e sargentos, apreenderam a utilizar as novas tecnologias de comunicação e informação, para vencer futuros combates.

Conhecimento e manuseamento da tecnologia que está a revolucionar o mundo, é fundamental para vencer os combates da modernidade. Oficiais superiores e sargentos das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, foram treinados por instrutores portugueses, para dominar a ferramenta da comunicação e informação. «A formação alcançou nossa e novas expectativas. Devemos tirar dela benefício para o nosso dia-a-dia de trabalho», afirmou o Tenente-coronel, António Nascimento, em nome do grupo dos formados.

Numa altura em que foi aprovada a lei orgânica das forças armadas, advinham-se novos desafios para a instituição militar. Daí a importância do curso sobre as novas tecnologias de comunicação e informação.

Portugal que instalou um centro de informática no Quartel General das Forças Armadas, orientou a formação, que visa despertar os militares são-tomenses, ara um conhecimento mais profundo das novas tecnologias de comunicação e informação. «O conhecimento nesta área é evolutivo, e o objectivo principal desta formação que apesar de ter sido básica foi transmitir-lhes conhecimentos necessários para u despertar e saber mais, e o conhecimento necessário para desbravar as potencialidades das tecnologias de informação e comunicação», referiu o Coronel do exército português Rodrigues Silva, na qualidade de Director do Curso.

A cooperação militar portuguesa, promete prosseguir com a acção de formação dos militares são-tomenses, no domínio das novas tecnologias. O próximo curso vai envolver os soldados.

Processo de formação que vai de encontro a voz de mando do Tenente-coronel Idalécio Pachire. O comandante do exército, recordou que desde o ano 2003, quando assumiu o cargo, que a formação contínua dos militares tem sido, a principal voz de mando do seu comando. «Desde que tomei posse neste comando o lema foi de formar, formar, formar. É isto que está a acontecer e vai acontecer durante a fase de reestruturação das forças armadas», precisou.

Note-se que a aprovação da lei orgânica das forças armadas, impõe pela primeira vez a criação de dois ramos, o exército e a guarda costeira, assim como a introdução de duas novas patentes, nomeadamente a de coronel e de brigadeiro.

Abel Veiga

    23 comentários

23 comentários

  1. dPires

    1 de Junho de 2012 as 8:49

    É bom!
    O nosso exército tem que estar capacitado, pelo menos para mínimo, no que concerne as NTIC – novas tecnologias de informação e comunicação.
    Já não era sem tempo. Mas, de qualquer forma, o importante é que este curso é uma maior valia para os nossos defensores da pátria.

  2. luisó

    1 de Junho de 2012 as 9:26

    Força FASTP.
    A formação é um pilar de qualquer organização.
    A cooperação com Portugal é muito boa e reconhecida por ambas as partes.
    As FASTP querem-se democráticas e actualizadas nos conhecimentos e doutrinas.
    Já chega de maus exemplos vindos doutros Palop`s.
    Força.

  3. Andre Tiny

    1 de Junho de 2012 as 10:38

    Brigadeiro ?
    Para que serve patente de Brigadeiro num pais como o nosso sr Tenente coronel? Chega de palhacadas, por favor.

  4. Cidadao

    1 de Junho de 2012 as 10:47

    Analfabetos e feios, armados em valentes.

  5. A chave

    1 de Junho de 2012 as 12:07

    Futuros combates? O qué? Acho que o ejercito de STP nao resiste um dia um combate com um ejercito invasor.

    • Truki Sun Dêçú

      1 de Junho de 2012 as 13:22

      Sr. A chave:– ejercito de STP, ou exército de STP ?? Penso que apesar de tudo, o ‘acordo ortográfico’ tem limites.

    • são tomé

      5 de Junho de 2012 as 11:44

      ola caros amigos, os comentários frisados acima são louváveis. mas devem aprender a corrigir os erros do passado para melhorar o futuro.
      essas melhorias que estão sendo feitas no exército santomense não melhora só a Força Armada, mas também a sociedade santomense.

  6. Cidadao

    1 de Junho de 2012 as 12:26

    Sr. Pachire, os militares precisam também de formação de “CIVISMO” e saberem que o seu lugar é no quartel e não na praça. Muitas vezes eles “abusam” e isto é do conhecimento de todos, mais ninguém faz nada. Têm que aprender que na praça quem põe a ordem é a Polícia.

    • são tomé

      5 de Junho de 2012 as 11:49

      tens razão, mas quando a polícia não consegui dar conta do seu trabalho, alguém tem que assumir. mas só se assumi o trabalho da ordem pública quando alguém que esta no poder manda.

  7. Andre Tiny

    1 de Junho de 2012 as 13:57

    Concordo plenamente com a opiniao das 9.26 am
    que privilegiam as politicas de formacoes para esta jovem? Nacao; mas falar de promocoes para Brigadeiro num sector financeiramete improdutivo (por enquanto) como as FARST, cheira egocentrismo acima da realidade desta Republica.
    P.S. Tambem nao e de espantar onde veio esta patetica aprovacao.

  8. mosssad

    1 de Junho de 2012 as 16:32

    Desperdicio de dinheiro… sao tome nao precisa de exercito, mas sim de uma policia militar que patrulha as ruas e que tambem esteja a altura de defender a Nacao. Com esta estrutura policial o pais pouparia mais dinheiro tanto na logistica como infra-estutura e armamento desnecessario. que so estao a criar ferrugem e nunca vao ser utilizados. Um pais como sao tome e principe, tem que ter outras prioridades, com Educacao, Saude publica, saneamento de meio, e nao gastar milhoes com armamento obsoletos que estao nbo Quartel a servir de Museu de Sucatas

    • são tomé

      5 de Junho de 2012 as 12:02

      caro mosssad, tu tens uma visão contravertida do emprego do exército num país. mas tens razão quando dizes que o armamento das Forças Armadas estão velhas. falta de uma boa manutenção e uma manutenção rotineira, e principalmente compra de novos armamentos para as duas Forças.

      • mosssad

        5 de Junho de 2012 as 13:52

        Eu digo e repito Sao tome nao precisa de Exercito….mas sim de policia militar! A nao ser que muitos nao entendem o que significa policia militar…
        no precisamos de Tanques Russos velhos …., mas sim veiculos ligeiros de transporte. Mais economicamente viavel e menos poluente.
        Policia que possa responder a qualquer momento a qualquer situacao. Policia que possa ir aos tribunais, e interrogar os juizes ou outro funcionario qualquer do governo que esteja metido em negoios ilicitos ou na corrupcao.
        Policia capacitada….pouparia-se muito mais dinheiro, em vez de ter um exercito mal formado, e mal armado, e que nao tem nada para fazer a nao ser gastar o misero dinheiro disponivel.

  9. mister bo

    1 de Junho de 2012 as 20:51

    so sargento éque deve ser treinados e os soldados nao ten direito

  10. mister bo

    1 de Junho de 2012 as 20:52

    agora que estao a treinar patentes altos que pouca vergonha

  11. Carlos Ceita

    2 de Junho de 2012 as 11:12

    Hoje uma Força Armada moderna tem de pensar e puxar pela cabeça. Tem de ser estratega tem de estar informado do que se passa no mundo e não confiar apenas nos seus músculos e equipamentos bélicos. Se eventualmente São Tomé e Príncipe for atacado militarmente (o que não acredito) os nosso inimigos fá-lo-iam pelo mar ou pelo ar pelo facto de sermos uma ilha. Teríamos muito a aprender por exemplo com a experiencia britânica que durante a II Guerra Mundial. Ora significa que devemos ter uma força armada vocacionada para o mar e ar.
    Não concordo com aqueles que dizem que não deveremos ter Força Armada. Temos de ter uma Força Armada de acordo com a nossa realidade formada profissional e voluntario e em número reduzido. E em tempo de paz tem de sair do quartel não para fazer golpes de estado mas para ajudar a proteger os bem dos saotomenses que ao invés de estarem na cidade sem fazer nada deveriam estar no campo a plantar toda a variedade de bananas e outras culturas agrícolas e a criar gados para que as nossas crianças tenham leite todas as manhas ao pequeno-almoço.

    • são tomé

      5 de Junho de 2012 as 12:20

      tens toda a razão carlos ceita. mas como se vai criar o aeronáutica? o que temos mal se consegui manter. a guarda costeira precisa de muitas melhorias, os norte-americanos estão investindo na guarda costeira dando o seu apoio, mas todos sabemos que o maior apoio que se pode dar é o apoio da nossa população espero que ti ouçam. um abraço

    • mosssad

      5 de Junho de 2012 as 17:08

      Meu caro Inglaterra foi defendida pelos americanos, e tambem, para nao sofrerem damos colaterais construiram tuneis que hoje e muitas das estacoes de Metro serviram de abrigos…Ingleterra e ilha sim, mas tem muito mais proximidade com o continente do que sao tome e principe. Os Alemaes quando atacaram fizeram mais pelos ares do que pela terra.

  12. Papagaio

    2 de Junho de 2012 as 13:18

    Assim como EUA protege israel em todos aspecto militar,assim tambem s.tomé deveria aproveitar esta oportunidade sem gastar um tostão do orçamento do estado, tendo em conta intereses americanos nesse País,por ser um País estrategico devido a sua localisação .hoje em dia ninguem consegue invadir israel devido a sua tecnologia militar,vindo de America.

  13. Fernando Castanheira

    2 de Junho de 2012 as 14:07

    Militar para que e defender o que?
    Mais gastos financeiros apenas. Mandem os miudos fazerem formacao na area do turismo , agricultira, pesca e outros, como se faz por ex. na ILHA MARGARITA.
    Que se organize uma boa forca policial e basta.

    • mosssad

      4 de Junho de 2012 as 10:09

      Concordo plenamente consigo, nao ha necessidades de gastar dinheiro com algo que nao tera nenhum proveito para a populacao em geral, a policia sim deve ser treinada, e dar equipamento para combater a pilhagem nos tribunais, no governo e no pais em geral.
      Temos e que ter uma policia capaz de agir em todos ramos , policia para combater a corrupcao. porque o tribunal de contas tambem nao passa duma fachada criada para esconder os abutres da praca santomense.

  14. dPires

    4 de Junho de 2012 as 15:45

    Quém é digno de usar essas patentes? Acho que novas patentes estão a questionar, subjacentemente, o aumento de salário.

  15. mosssad

    5 de Junho de 2012 as 9:28

    Se pegassem nesses militares e os presos que andam nas cadeias a limpar as ruas e apanhar lixos ..sao tome seria a cidade mais limpa do mundo.
    Armamento e desperdicio de dinheiro, sao tome nunca vai entrar em guerras, ou conflitos externos, a Guerra de Sao tome ..e a miseria, a corrupcao governamental e nos tribunais, e a falta de saude, medicamentos, primeiro ministro fraco e ministros incopetentes,
    Esta e a Guerra que o pais precisa de treinar tecnicos para combater

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo