Sociedade

Município de Águeda equipa Biblioteca e Espaço Internet em Mé-Zóchi, São Tomé e Príncipe

O Município de Águeda enviou no passado dia 15 de Fevereiro um contentor com equipamento necessário à criação de uma biblioteca e um espaço de acesso à internet, bem como uma área de bar e serviço de refeições, em Trindade, no Distrito de Mé-Zochi, em São Tomé e Príncipe.

Na sequência da deslocação da comitiva aguedense em abril de 2012 a S. Tomé e Príncipe para explorar as oportunidades de investimento naquele país, o Município de Águeda manifestou interesse em celebrar um protocolo de cooperação com Câmara Distrital de Mé-Zóchi, em áreas como a educação/formação e apoio às empresas aguedenses que se pretendam instalar naquele país.

Em abril de 2012, o Presidente da Câmara Distrital de Mé-Zochi, Nelson Carvalho, manifestou interesse em dotar um equipamento com um espaço de acesso à internet e biblioteca, bem como de um snack-bar, em Trindade. Neste sentido, a Câmara Municipal de Águeda assumiu o compromisso de enviar material escolar que foi retirado das escolas do concelho que foram intervencionadas, bem como das cantinas e enviar para Mé-Zochi, pelo que cerca de 2 toneladas de livros escolares e de cultura geral também foram canalizados para este fim.

Entre os bens e equipamentos que já se encontra a caminho da cidade de Trindade, Distrito de Me-Zóchi, e que é a segunda cidade mais populosa do país, além dos livros escolares, existe pedra de calçada, luminárias para iluminação pública e de sala, equipamento para parque infantil, 1 quadro, 10 mesas e 26 cadeiras escolares, material didático (cassetes), um conjunto de arca frigorífica, lava-louça, vitrina, armários em inox, espelhos, t-shirts e botas.

Os livros enviados foram recolhidos no âmbito da campanha “Dar Livros é Dar Amizade a Bissau”, onde os aguedenses demonstraram o seu voluntarismo e solidariedade. Contudo, na sequência do clima de instabilidade que se vive na Guiné-Bissau, não foram reunidas condições para que o contentor chegasse ao destino, pelo que foram encaminhados para este projeto com Mé-Zóchi, São Tomé e Príncipe.

Este projeto contou com a participação de voluntários locais (colaboradores da Câmara Municipal de Águeda e voluntários do Banco Local de Voluntariado de Águeda) que durante 9 de fevereiro (sábado) fizeram uma triagem de diversos artigos e foram envolvidos 8 colaboradores da Câmara Municipal de Águeda no carregamento do contentor.

Prevê-se que o contentor chegue a S. Tomé e Príncipe entre 1 e 8 de março, dependendo das condições meteorológicas.

Téla Nón

    7 comentários

7 comentários

  1. Madalena

    19 de Fevereiro de 2013 as 14:51

    Estes livros devem ser lidos enão transformados em papael de embrulho de doce e fofupofos!
    Nem tão pouco rolha de garrafa para azeite.
    Sabemos fazer bom uso e agradecemos de viva voz.

  2. Kia- li- tassondu

    19 de Fevereiro de 2013 as 15:45

    Hahahahahhh hahahahahhh…….
    Madalena es demais fizeste me ir e muito com estas palavras comícas!!! Mas tudo que disseste é pura verdade.
    Um bem haja a tds beijos a todos.

  3. Madalena

    19 de Fevereiro de 2013 as 18:10

    Não te rias?
    Quem nao sabe que muitos livros são vistos como papel de embrulho, em feiras, doc de alto valor.
    A pessoa que gostava de livros faleceu!!
    Dona Alda, esta era amiga da leitura. Ja declamei poemas em frente dela.
    Achas que este clima de incertezas a gente tem tempo para ler?
    Não se Lê com fome, falta de Luz, etc.
    Falar atoa só, vida de gente inventar kua vagim. Veja um 1º Ministro ao inves de preocupar com Bolseiro, agricultor, formação profissional, casa de agricultor, roça bila obò, está preocupado com despesas de RDPAfrica, deixa justiça , entrega justiça.
    Pescador quer bote, fio e isca.
    Eu quero emprego ara comprar peixe, etc.
    Um acorja de malandros Mor!!

  4. Ramalho

    19 de Fevereiro de 2013 as 18:24

    Os Trindadenses sempre souberam amar o livro e hoje a nível de desenvolvimento humano, revelam grande crescimento no âmbito de capital humano.Caros Trindadenses continuam a fazer o bom uso dos livros.

  5. Ramalho

    19 de Fevereiro de 2013 as 18:29

    Os tindadenses sempre amaram o livro, e hoje revelam grande crescimento no âmbito de desenvolvimento Vs Capital humano. Contudo, continuem a ser o amigo do livro e dar sempre o cuidado que merece.

  6. Dario

    20 de Fevereiro de 2013 as 19:10

    O mais importante que ter livro é fazer uso do mesmo. que vale ter a estante cheia se nunca lermos nenhum livro que lá esta???
    É como a velha anedota….
    Qual a sua habilitação? Nunca Estudei, mas sou marido de uma professora!

  7. Luís Martins

    30 de Setembro de 2013 as 22:25

    É possível saber se já foi feito algo com os livros e material que foi enviado nos contentores? Se possível enviem partilhem fotos!!!
    Abraços!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo