Sociedade

Arroz importado dos Camarões é bom para comer e recomenda-se

É a conclusão que se tira do parecer emitido pelo Ministério da Saúde, após avaliação feita pela equipa técnica dos cuidados de saúde, às análises recomendadas no estrangeiro. A equipa técnica analisou as 3 contra análises e aprovou o consumo do arroz.

A equipa técnica do sector dos cuidados de Saúde do Ministério da Saúde, não tem dúvidas de que o arroz importado dos Camarões, não apresenta qualquer ameaça para a saúde pública.

Após avaliação dos resultados das análises, feitas em dois laboratórios de Portugal e num laboratório dos Camarões, a Direcção dos Cuidados de Saúde, emitiu o parecer final ao Ministro da Saúde. O arroz está bom para ser consumido. Não há qualquer risco de nocividade para a saúde humana.

O leitor tem acesso ao parecer da Direcção dos Cuidados de Saúde. CLIQUE –Parecer do Ministério da Saúde

Abel Veiga

    43 comentários

43 comentários

  1. Tavinho

    11 de Julho de 2013 as 17:04

    Quanta vergonha!? Mais a onde vamos parar, para limpar a cara do Delfim Neves e dos seus compadres,o governo passa por cima da analise da ASAE, e autoriza o consumo do arroz de morte a população, só porque não podem punir Delfim Neves, porque ele tem rabo de muitos preso. E assim vai STP ao 38 anos de independência. Não poderia haver uma oferta maior afazer a este povo nesta data histórica de 12 de Julhos. Mais um ditado santomense diz “Mukunki ka fé xinte êlé só cá potó ni sôn plimeloêÊE. Santomé té Uê?

    • Barão de Água Izé

      11 de Julho de 2013 as 22:10

      Camarões produz arroz? Se negativo, onde e quando foi produzido este arroz? Em que condições e quanto tempo esteve armazenado? Qual o seu prazo de validade?
      Quais as condições mínimas para armazenamento de 900 TON de arroz? Porque ele foi comprado nesse País e não em outro? Quais as condições mínimas requeridas para armazenamento deste arroz em STP? Estas perguntas são tão importantes quanto à análise laboratorial.

  2. Muita bom mesmo

    11 de Julho de 2013 as 17:21

    Porque nao exportamos para portugal este excelente arroz? Laboratorio portugues ta tudo dito, se ainda dissessem que era sueco acreditava. O arroz é bom para sao tomense, ou é bom tambem para portugues, ingles, americano e alemao? Se sim porque não o exportamos para estes paises este arroz de excelente qualidade e preço? Por favor passem a mensagem e não a censurem, a democracia tem destas coisas, ve-se quem a defende mais…

    • Preto e Racista

      14 de Julho de 2013 as 20:51

      Está muito bom mesmo, mas eu gostava que me explicasse ….A propósito do arroz em questão, gostava de lhe perguntar, o que é que os Países que citou no seu comentário, têm a ver com este arroz. Quem importou o arroz, foi um Santomense, que além de comerciante também é Deputado do seu País. O arroz veio de outro irmão Africano, os Camarões. A única intervenção de Portugal, foi o laboratório da ASAE, analisar o arroz, a pedido do Governo de S. Tomé. Quem enviou a ‘amostra’ do arroz, foi o Governos de S. Tomé. Porque não pergunta ao Delfim Neves, porque importou este arroz impróprio, e ao seu Governo, porque autorizou a sua comercialização, apesar do parecer negativo, que a CIAT de S. Tomé e a ASAE, deram. Ou então mande uma amostra para o laboratório Sueco, que tem a sua confiança.

  3. Me Zemé

    11 de Julho de 2013 as 17:22

    Há uma dúvida que ainda permanece no ar! Quem fez a colheita da amostra? Os intervenientes eram isentos? Estavam pessoas capacitadas a colher as amostras? Na colheita das amostras estavam pessoas da oposição? Na altura do envio das mesmas não foram adulteradas? … Pelo que se vê a olho nu do arroz, de excelente qualidade como diz o Tela Non, é de duvidar. Há muitas coisas ainda a esclarecer sobre esse arroz. Outro caso, é que no país de origem (Camarões) , também há lá polémica sobre a qualidade do arroz. Não será o mesmo que veio para cá? É sempre bom ter isso tudo em atenção, pois com a saúde não se brinca, temos que cuidar bem dela, caso contrário vivemos menos tempo e certamente não será isso que os dirigentes pretendam, que o seu povo viva pouco.

  4. Muita bom mesmo

    11 de Julho de 2013 as 17:24

    Este governo tambem parece que parecer estrangeiro é lei? e parecer interno é brincadeira? acreditamos em tudo o que nos dizem ou dao para comer? estrangeiro parece ser uma especie de deus em sao tome e pelos vistos ate os nossos governantes todos poderosos, sao submissos e dizem sim a tudo de fora, a tudo de dentro é mais do mesmo, tratam nos como escravos, de fora tratam como patrao, cheeeeee

  5. Tito

    11 de Julho de 2013 as 17:28

    Não deram importância os resultados de analise da ASAE, que recomenda o não consumo deste arroz e acharam mais credível o resultado de uma empresa Camaronesa, o mesmo país onde foi importado o arroz e o resultado de um laboratório privado? Conhecem a ASAE? Desconfiam da qualidade técnica da ASAE?
    Mais só em STP, mesmo que pode-se ver coisa dessas.
    Coitadinho de nós.
    Deus tem piedade de nós! Protege-nos senhores das mão desses tiranos que são os nossos governantes!

    • chimidô

      11 de Julho de 2013 as 18:53

      Esperava muito mais da ASAE.
      O relatorio da ASAE parece quem tem medo de se meter na coisa, ent\ao deixa um relatorio inconcluviso.
      Acredito que muitas pessoas criaram expectativas a volta do relatorio da ASAE

      • Vai ou racha.

        13 de Julho de 2013 as 22:19

        Resultado da ASAE, foi claro em dizer:

        Em conclusão, face ao exposto e tendo em conta a perigosidade deste tipo de “micotoxina, produzido pelo “Aspergilus flavus”, parece-nos, salvo melhor opinião, que o arroz, em causa, não deveria ser colocado no mercado.

        O que mais têm para provar?
        Credo terra…..

    • Eu mesmo

      11 de Julho de 2013 as 21:06

      Fico perplexo a ler alguns comentários das mesmas pessoas que estavam a espera dos resultados das analises recomendadas no estrangeiro, ja que a directora do ciat disse a tvs que a estação de pótó não tem aparelhos para analisar certos parâmetros sobretudo os que podem pôr em risco a vida humana. Agora que chegaram os resultados só porque não é aquilo que estas mesmas pessoas esperavam e porque ja tinham uma opinião definitiva sobre o assunto, quando nem sequer são técnicos agora lamentam e estranham os resultados. Se têm dúvidas há mecanismos para se esclarecer. Pergunta ao estado português e camaronês a credibilidade desses laboratórios! É tão simples quanto isto. Agora cada um é livre, de ter a sua posição, mas aqueles que têm responsabilidades na segurança alimentar e garantia da saúde dos santomenses deram aval ao produto para o consumo humano.
      Uma coisa é certa, o Delfim Neves sozinho deu uma cabazada de dez a zero a todos os dirigentes do ADI que deram cara nesta comédia. Na minha modesta opinião Isto foi uma grande vergonha para os militantes do ADI. O ADI tem mudar de estratégia se quiser combater e ganhar ao Delfim Neves, ja são muitas derrotas juntas. Fui……

      • Neima CassandraEu mesmo

        12 de Julho de 2013 as 20:19

        Como devem ter verificado abstive de fazer comentários sobre varios teatros a volta do arroz, não porque não estava preocupada mas sim porque notei desde inicio deste epsódio que o assunto estava muito politizado. Ora bem! nesta matéria o ADI, pecou porque não se brinca com este tio de coisas ou tem certeza fala e as pessoas terão que ser responsabilizadas ou apenas alerta e aguarda o veridito de quem sabe e estudou para falar sobre o assunto. Neste capitulo o ADI foi efectivamente derrotado, porque assumiu a questão ao peito politicamente na tentativa de arrasar com o Delfim e no fim quem ficou arrasado é o ADI.
        Estou perfeitamente de acordo com o seu comentário quando diz que o ADI terá que mudar de estratégia para o seu obstáculo vs Delfim Neves. Porque na verdade se a imagem do Delfim estava muito abaixo com o caso do arroz com estes resultados e a conclusão que chegou a Direcção dos Cuidados de Saude Santomense inverteu claramente o barometro, quem estava a zero subiu para cem (Delfim Neves) e quem estava a cem baixou para zero (ADI). penso que “dr.” Patrice Trovoada como um estratega reconhecido, deve orientar melhor os seus homens acho que o Levy, Isabel e Ilisio sobretudo saiem muito mal na foto deste epsódio. Na verdade o Delfim tem vindo a longo dos largos anos de confronto com o ADI e Patrice e ele só tem tido vitorias contra a derrota do outro lado. Dai a necessidade de mudar de estratégia porque o Delfim tem revelado, embora com todas as criticas que lhe fazem umas com alguma justeza e outras nem por isso, ele tem superado e demonstrado que é mesmo um estratega político.
        Desculpa se estou exagerando mas é a apreciação que muitos observadores atentos e sobretudo os apolitica tem vindo a verificar.
        Cumprimentos a todos os leitores.

        • Neima Cassandrra

          13 de Julho de 2013 as 6:44

          Quando entrei no sistema para responder o senhor ou a senhora “Eu mesmo” iniciei o meu comentário escrevendo esse “nome” mas havia esquecido de mudar o rato e ficou ligado ao meu nome, razão pela qual venho pedir desculpas aos leitores e principalmente ao senhor (a) Eu mesmo.
          Desculpa.

          • Faminto XXI

            15 de Julho de 2013 as 15:27

            Eu mesma não será você mesma?

  6. santomense tambem

    11 de Julho de 2013 as 18:00

    Entao come tu….

  7. santomense tambem

    11 de Julho de 2013 as 18:08

    Leiam isto por favor: “Uma contradição, segundo a equipa técnica do Ministério da Saúde, pelo facto do Governo ter enviado apenas uma amostra, que não tem nada a ver com o arroz “Carolino”, por sinal inexistente no mercado nacional.” Tela-Nom, ainda bem que sao voces a escreverem isto. Haja Paciencia.

  8. pichotada

    11 de Julho de 2013 as 18:21

    mais uma vez ta comprovado que a quadrilha no nosso governo trabalham juntos…nao basta querer matar povo alem disso recomenda-se…

    • Frank

      14 de Julho de 2013 as 11:25

      Somos democráticos, temos o direito de dizer o que queremos, mas como a responsabilidade. Um dos promotores da Democracia, é a Direção deste jornal, que de igual modo nos tem dado a oportunidade de expormos as nossas ideias, quando a matéria assim suscitar comentário.
      A participação neste espaço sobre o anonimato, não deveria ser a razão de certas identificações que se tem apresentado. Que fossemos razoáveis na escolha de pseudónimo. Como pessoa desta terra de nome São Tomé e Príncipe, apelo a Tela-Nom pela prudência quanto a identificação. É inadmissível esta identificação “ pichotada “
      Esse não é um espaço anárquico.

  9. A dama do blin

    11 de Julho de 2013 as 19:02

    Delfim leva teu arroz para casa e come, você e o resto da tua familia.
    Eles tambem foram chamados de famintos.
    Olha aproveita e ofereça alguns sacos também ao Pêpê Lima.

  10. realista

    11 de Julho de 2013 as 19:11

    Mais uma k delfim aprontou e vai escapar direito ainda mais cuidado k delfim nao dormi vai ver se o partido ADI nao vai pagar indimizacao haver vamos

  11. Filomeno DMargarido

    11 de Julho de 2013 as 20:51

    A força de um grão de arroz

    Diz uma lenda, muito, mais muito antiga
    que outrora um astuto e maquiavélico grão de arroz
    irrompendo como uma praga, tal como o açoite que castiga
    causou uma enorme tempestade tropical
    agitando os alicerces de uma suposta terra firme umbelical

    A mesma lenda acrescenta ainda
    Que a tempestade tenebrosa, foi uma guerra de súbito
    Que causara ao povo anão, muito hóbito
    Ao sufocar, e inundar cabeças de gente que nao era corpulenta,
    Nem alta, em suma, que nao eram gente gordo

    Aquela tempestade de medo, pavor e horror
    Foi fruto do imprevisto, que é arma traiçoeira e atroz,
    causadora dum silêncio imposto, como num filme de terror
    A inesquecível guerra de um grão de arroz

    Aquela guerra causou crise de fome, “ La Famine”
    Causou silêncio, e culto ao chefe, a moda de Mussuline
    Criou estereótipos inversos nos jovens,
    a quem foram recomen/receitados precocemente dentadura
    Pra que comessem, bebessem e falassem menos
    Como os já cansados anciãos, semi-inertes e impávidos
    Cujos médicos receitavam a dieta modelo ditadura.

    Aquela guerra afetou imenso o meu trisavó
    Que envaidecido pensando ter contemplado terra firme
    De súbito presenciou á guerra que desabou
    Na qual, um grão de arroz cegou-lhe um dos olhos
    Por sorte, deixou-lhe intacta a lingua, com a qual, a nós essa história, pela internet relatou!

    Filomeno Dmargarido
    11-07-2012

  12. Joscon

    11 de Julho de 2013 as 20:54

    A verdade é como o azeite, vem sempre ao de cima

    Felicito o jornal “Tela Non “ a oportunidade de disponibilizar a análise técnica laboratorial sobre o arroz importado realizada pela ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica de Portugal. Fico siderado com as contradições no que cerne aos resultados obtidos pelas três entidades. Vejo grandes aproximações nos resultados obtidos pela ASAE e CIAT-STP, o que demonstra que alguém está a faltar com a verdade.

    Em primeiro lugar, o centro de investigação Agronómica e Tecnológica de São-tomé e Príncipe (CIAT-STP) concluiu que, a análise que efectuou ao arroz havia aspergillus sp produtoras de aflotoxina, restos mortais de mortais de larvas e adultos de coleópteros, e também a presença de insectos vivos.

    Em segundo lugar, ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica em Portugal, também realizou uma análise similar e, chegou a seguinte conclusão: a amostra em causa, revelou a presença de Aflatoxina B1 num teor superior ao estabelecido pela (regulamento de 1881/2006, de Dezembro de 2006 da CEE). Na última página do documento lê-se “ Para a determinação de Aflatoxina B1, a amostra não está conforme os limites legais definidos no regulamento da CE (1881/2006) ”

    Em terceiro lugar, surge uma outra análise a mando do governo a um laboratório de Covilhã, cujo nome é AQUIMISA – soluções em segurança alimentar com o objectivo de credibilizar a sua política desastrosa.

    Tendo em conta os 3 relatórios, posso adiantar o centro de investigação Agronómica e Tecnológica de São-tomé e Príncipe (CIAT-STP) é credível, não tem os meios de que precisa para ser mais eficaz. A ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica em Portugal, demonstrou de forma clara e inequívoca que o arroz em causa não está em condições apreciáveis para ser consumido. A aflatoxina B1 é um pró-carcinogéneo pois provoca danos graves ao fígado, são mutagénicos e teratogénicos, isto é, são indutores de cancros.

    A presença de micotoxinas em alimentos é um sério problema para saúde pública e para a qualidade dos alimentos. A Aflatoxina causa necrose aguda, cirrose e carcinoma de fígado em diversas espécies animais. Nenhuma espécie animal é resistente aos efeitos tóxicos da Aflatoxina, assumindo-se que humanos possam ser igualmente afectados.

    Casos tenham comido o arroz e, tenham algum problema digestivo, mas precisamente no fígado e vias biliares, recomendo que devem fazer uma limpeza ao fim de desintoxicar o corpo (2 vezes/por mês, mas precisamente no fim de semana).

    Limpeza ao fígado e vesicular biliar 1

    Esta receita é simples e eficiente. Também é óptima para a prisão de ventre.
    1 Limão orgânico (se for muito pequeno, usar 1-2 limões)
    1 Colher de sopa de azeite extra virgem de oliva (de preferência orgânico)
    1 Copo de água (cheio)
    Lavar muito bem o limão. Cortar ao meio, sem descascar nem tirar as sementes. Colocar tudo no liquidificador e/ou triturar. Coar e beber rapidamente (em jejum). O amargo do limão limpa o fígado, e o azeite ajuda no bom funcionamento do intestino.

    Limpeza ao fígado e vesicular biliar 2

    • 1 Taça de água natural pura e ionizada
    • 1 Colher de azeite de oliva extra virgem
    • 1 Dente de alho
    • Pequeno fragmento de gengibre
    Seguir a indicação anterior. Misturar todos os fragmentos e beber

    • Rui Castro

      13 de Julho de 2013 as 7:03

      Sejamos sérios, esta sua receita é apenas para se esconder da vergonha.
      Na verdade o ADI principalmente o Levy, Isabel e Ilisio, ficaram muito mal na fotografia desta novela.
      Os dirigentes do ADI deviam ser mais inteligentes, ao notarem que estavam sozinhos ja que os chamados jovens indignados também são do ADI nesta luta contra Delfim Neves, numa questão tão séria, nenhum mais partido político, sociedade civil organizada ou ão, confissões religiosas e outros cidadãos comuns deram cara. Tinham tempo para mudar de rumo e terão que rapidamente mudar de estratégia sobre pena de ficarem como o Novo Rumo do João Gomes, sem norte nem sul. Conclusão que se chega com desfecho deste teatro é que o ADI é um partido mentiroso, adulterador de produto ( ja que só o ADI apresentou o produto, sujo, dito pobre e malcheiroso). No futuro quem ira acreditar mas nas criticas e denúncias do ADI? Ninguém ! tão somente os seus dirigentes e isto é muito mau para um partido da esfera do poder. O resultado que estava a ser planeado inverteu a favor do Delfim Neves ou seja aquele que previa ter dez pontos (ADI) passou para zero e que se previa ter zero ( Delfim Neves) passou a ter dez pontos.
      Diz-se de passagem que em todos os confrontos políticos ja havidos entre ADI mais Patrice contra contra Delfim Neves este último tem saído vitorioso e esta é mais uma vitória do homem.
      ADI tem que mudar de comportamento se quiser ser um partido credível e aceitável.

  13. Barão de Água Izé

    11 de Julho de 2013 as 21:52

    Para além de todas as análises e contra-análises, era importante conhecer onde foi produzido, quando, qual a viagem desses arroz, quanto tempo esteve armazenado e em condições nos Camarões.
    O Governo deveria informar-se e informar STP destas perguntas, que podem ajudar a esclarecer da qualidade do arroz, independentemente de análises insuficientes ou contraditórias.

  14. Mana

    11 de Julho de 2013 as 23:58

    Vao ao restaurante baratucho e podem saborear arroz com menguito frito. Bwe fixe!!! Agora baixem o preco do arroz para 12 mil dobras e voces vao ver que o povo pequeno vai carregar delfim como heroi. Delfim agora manda vir urgente outro arroz e poe a vender 13 mil dobras. Assim daras o golpe final aos adistas.

  15. Stwart Neto

    12 de Julho de 2013 as 7:35

    Mandem o arroz para Portugal que está na crise, estão eventualmemte famintos com crise de fome como STP. Francamente…
    Agora aos tecnicos santomenses que fizeram as analises sejam firmes e não deixem levar, pois estão dizendo que são do ADI.O arroz está cá e vamos a luta. O Governo deve fazer tudo para clarifiocar isso, retirar todo o arroz e ir até ao fim.
    Mas como o crime compensa, no fim quem for culpado deverá ser castigado.

    • Pléto Lúlúlú

      12 de Julho de 2013 as 22:02

      Sr. Stwart Neto ….O que é que Portugal, tem a ver com o arroz importado por um Santomense, que até é Deputado ?? O arroz foi importado dos Camarões, que também é um País Africano, irmão de S. Tomé como gostam de dizer. O relatório da ASAE é bem claro. O arroz não está conforme os limites legais.A única relação de Portugal com esse arroz, foi a pedido das autoridades de S. Tomé, fazer análise num Laboratório, conceituado e reconhecido pelas normas da Comunidade Europeia. O normal é que, quem vai fazer a análise de determinado produto, vai ao ‘terreno’ colher várias amostras, para então tirar as sua conclusões. Como não foi o caso, deixo a pergunta:— Quem enviou a amostra do arroz para Portugal ??? Francamente digo eu ….. e volto a perguntar:— Que raio tem Portugal a ver com o arroz importado, por um comerciante Santomense, que até é Deputado ???

  16. Desgraçado

    12 de Julho de 2013 as 8:46

    Com este parecer infelizmente o mentor desta pouca vergonha não vai responder na justiça e o partido ADI corre sérios riscos de ser processado, Delfin sai por cima de novo e agora está a ri de nós… Enfim

  17. zeme Almeida

    12 de Julho de 2013 as 9:01

    Caros jornalistas do Tela-Non estas informacoes que voces estao dar os tais tratamentos tem um preposito{ defender alguem e o governo} nao o povo de STP.Será que voces sao verdadeiros Saotomenses de carne e alma?Acho que nao!Um arroz tao polemico e duvidoso voces convivem com noticias propagandistas do governo a obrigar o povo consumir este produto?Se fosse o contrario,alguem do ADI que importou este artigo,teria os mesmos tratamentos jornalisticos?{Nao}

  18. AZAR

    12 de Julho de 2013 as 9:17

    Todos queriam que o arroz nao fosse bom para falarem de delfim. Minha gente, o que voces nao notam eh que cada vez que tentam atacar delfim, ele fica mais poderoso. hoje eh dia 12, deixem a inveja e o odio de lado e celebrem o dia nacional, pois os vossos familiares estaram a comer um bom calulu com esse arroz enquando voces so estam preocupados com o sucesso de delfim neves e estam a esquecer da vossa propria vida.. viva 12 de julho e viva sao tome e principe

  19. Edaugusto

    12 de Julho de 2013 as 9:23

    Está tudo mais claro, o porquê da demissão da Drª. Manuela, só porque ela não foi na fita de dizer que o arroz é bom para o consume, agora com o matador, o arroz está bom para o consumo. Gostaria de perguntar se algum membro do governo vai consumir este arroz, ou se o próprio Delfim e a sua familia vão consumir este arroz, os Srs deputados , ou mesmo o Ministro da Saúde? Este produto foi importado especialmente para o povo pequeno, que foi rejeitado e deu grandes problemas nos Camarões e foi retirado imediatamente do Mercado, porque lá a justice foi feita.

  20. Pen Drive

    12 de Julho de 2013 as 9:43

    Dizem que existe sacos com arroz bom e sacos com arroz estragado. Qual deles foi para análises?

  21. Ricardo Santos

    12 de Julho de 2013 as 15:29

    Povo de São Tomé e Príncipe por favor não consomem esse arroz.. nós contentamos com fruta-pão com coco é muito melhor… quero ver se os tais (Quem importou e aqueles que defendem a comercialização do mesmo arroz) vão comer esse arroz podre

    • Edaugusto

      13 de Julho de 2013 as 9:19

      Em vez de andarem com esees truques, porquê não solicitaram informações dos Camarões, do porquê que este produto deu grandes complicaçõe naquele país e foi retirado do Mercado. Porquê que querem que comámos a força este arroz, sem se preocuparem com a nossa saúde, a nossa saúde, a nossa vida nºao tem preço. Os dirigentes são tratados no exterior com Junta médica e nós no Hospital Ayres de Menezes. Poupem-nos!

  22. Zinane

    12 de Julho de 2013 as 20:24

    Segundo o tela non o governo julgou inconclusivo o resultado da ASAE dai terem encomendado mais dois testes “A inconclusão da análise da ASAE obrigou o governo são-tomense a solicitar mais dois testes a laboratórios internacionais”
    Entao porquê que a AQUIMISA recebeu a amostra no dia 18/06/13 antes da ASAE que só recebeu a amostra no dia 21/06/13?

    • Faminto XXI

      15 de Julho de 2013 as 15:34

      Parabéns pelo raciocínio. Mas são poucos nestes espaço que querem pensar. Ou melhor só querem politicar.

  23. a força do povo

    12 de Julho de 2013 as 20:39

    Meus senhores,
    Não se pode esquecer que a Dra Manuela foi demitida do cargo da directora dos cuidados de saúde porque disse que o arroz não estava em condições de consumo.

    Foi imediatamente demitida.

    Veio o Dr Pascoal como o novo director dos cuidados de saude, por sinal deputado dos partidos que estão no governo, dizer que o arroz já está em condições de consumo.
    Pergunto:
    1- A drª Manuela falou mentira?
    2- Ela não entendia nada daquilo que falou?

    3- O Dr Pascoal é mais inteligente do que a Drª Manuela?

    Ou trocaram o arroz?

  24. Vane

    13 de Julho de 2013 as 2:37

    Não importa da onde vem e sim a qualidade do produto.
    Concordo em parte com Ricardo,eu preferiria fruta pão e coco rsrsr felicidades a tds!

  25. minus de aguamole

    13 de Julho de 2013 as 18:16

    o que posso dizer no momento tem tudo de verdade e contrariedades, porem, dou comigo a tagarelar pros ventos e os fulaninhos pro tras de toda essa barbaridade, ficam se borrifando, isso e motivo mais que suficiente pra dizer que estes tipos tem muita cara de pau e malandragem do mais alto nivel, fazerem tanta sacanagem com o povo santomense… agora comemos o arroz que o diabo debulhou ou atiramos pros passaros? pois no principio o intragavel era mesmo podre, agora ate sopa podemos com ele fazer, olha quao veraz e o ditado, o batuque estoura quando esta no ritimo! ate pra quando o circo estara aberto?

  26. zeme Almeida

    14 de Julho de 2013 as 8:27

    Voces recomendam que comam primeiro.

  27. Mana

    14 de Julho de 2013 as 13:13

    Zeme almeida, ja tens idade para ter juizo. Come o arroz com coco e com menguito frito.Bom muitoeêeee. E isso que que o meu povo pequeno come todos os dias. O povo sabe que o teu grande lider patrice afferista esta na sua mansao em cascais. Fui ….

  28. Bom samaritano

    15 de Julho de 2013 as 8:56

    essa é uma grande brincadeira, estamos feito a bife não sabemos qual é o resultado certo, agora já dá ordem para todos o povo pequeno comer o arroz que causou tanta polemica, eu no meu ver nenhum povo pequeno poderia comer mais esse arroz para deixar uma lição para o compradores de produto, de forma de antes eles requisitar um produto devem fazer um estudo depois de comprar e comercializado, mais como estamos num país pobre muito vão comer esse arroz e calar boca. ADI fez um papel de pressão ao governo pela mal qualidade de arroz, eles fizeram o trabalho de oposição de forma de abrir o olho aos pequenos e de alertar aos todos São-tomense. obrigado Télamon pela oportunidade de expressar a minha ideia. Força povo pequeno, unido venceremos.

  29. zeme Almeida

    15 de Julho de 2013 as 9:04

    Obrigado Mana,tenho um grande orgulho de ter o Patrice Trovoada,como o meu Lider carismático,como a senhora diz.

  30. santiago filho

    15 de Julho de 2013 as 19:49

    Dizem que o arroz em causa foi analisado em 3 laboratorios em portugal e outro em Camaroes todas positiva, so em S.Tome que que a analise e comprometedora porque? sera que as primeiras pessoas que consumiram o tal produto teve algum sintoma duvidoso.Pelo amor de Deus meus senhores deixa trabalhar o Sr Delfim deixam de inveja.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo