Sociedade

Luz eléctrica já ilumina Mato Cana

Comunidade agrícola com mais de 600 habitantes, Mato Cana, entrou numa nova era em 2014. Mais de 100 mil euros foram investidos pelo Governo para levar energia eléctrica, a antiga dependência da roça Água Izé.

Postes e cabos de alta tensão foram estendidos em mais de duas dezenas de quilómetros, para tirar os habitantes de Mato Cana, da escuridão, do isolamento, e solta-los de uma das amarras da pobreza, a falta de energia eléctrica.

Uma iniciativa da câmara distrital de Cantagalo. «O desenvolvimento chegou a Mato Cana, a informação chegou a Mato Cana», declarou Aleixo Pires, Presidente da Autarquia de Cantagalo.

Festa marcou a viragem do ano em Mato Cana. O Ministro das Obras Públicas, Infraestruturas, Recursos Naturais e Meio Ambiente, Osvaldo Abreu, inaugurou a electrificação da roça. Segundo o Ministro a electrificação das comunidades rurais, é um projecto do Governo que visa fixar as pessoas nas suas terras de origem. « Vão poder ter acesso não só a televisão, mas também a internet, portanto nós queremos uma juventude activa e para que isso aconteça nós temos que contribuir para a melhoria de condições de vida da população. Estas crianças estão a crescer amanhã poderiam sair de Mato Cana, poderiam ir para outras zonas, mas hoje com energia vão sair daqui? “ Povo em coro não” Sim vão ficar em Mato Cana e vão contribuir para o desenvolvimento de Mato Cana e de São Tomé e Príncipe», palavras do ministro Osvaldo Abreu, e da população no meio da festa.

O projecto de electrificação avança sobre o distrito de Cantagalo. Depois do Plano de Água Izé e Mato Cana, as populações das roças Uba-Budo, Colonia Açoriana, Santa Cecília, e Anselmo Andrade vão pela primeira vez ter acesso a luz eléctrica.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Diáspora

    3 de Janeiro de 2014 as 8:39

    Muito bem Presidente Aleixo Pires.
    Cantagalo saberá reconhecer isso. Que venha as eleições da câmara vou pedir a todos os meus familiares que votem para sí e ao seu partido.

  2. Odair Costa

    3 de Janeiro de 2014 as 9:00

    Agora que eu vejo o governo com uma boa estratégia de levar a energia para todo povo de S.TOMÉ,se o custo é 100 mil dólares então todos os anos o governo consegue levar a energia para zonas que não tem.Gostaria de pedir ao Governo para não esquecer de Zona Norte do País,no caso de localidade de Ribeira Funda e Ribeira Palma que são localidade que não tem luz eléctrica e o Poste de Alta tensão passa por perto dessas localidades.Continui com vosso trabalho.

  3. Libô Mucambú

    3 de Janeiro de 2014 as 9:26

    Não é favor nenhum quando o político que é eleito faz, nada mais do que o seu dever, servir os interesses da população. Mas será que durante três anos este presidente fez o suficiente???! A ver vamos!!

  4. jaca

    3 de Janeiro de 2014 as 11:17

    Acompanhei a divulgação desta notícia na TVS, a perceção com que fiquei, é que foi a EMAE( não obstante Instituição do Estado ) que financiou e executou o projeto através dos seus fundos próprios .
    Temos que ter a humildade , hombridade e a capacidade de reconhecer quando as Instituições estão a trabalhar e desempenhar as suas funções com êxitos.

    Por outro lado, temos que ser sinceros e reconhecer que a imagem que tínhamos da EMAE esta a mudar: passamos a quadra festiva sem cortes e a energia esta mais ou menos estável não obstante ser a obrigação da EMAE fornecer a energia com qualidade aos seus clientes e a população em geral.
    Devemos encorajar toda a EMAE( Os Diretores, os quadros e os que prestam serviços) para continuem a trabalhar no sentido de melhorar a prestação de servição da EMAE aos seus clientes.

    Viva EMAE

  5. banana

    3 de Janeiro de 2014 as 12:35

    gostei isso mesmo força.e o dever

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo