Sociedade

Tartarugas marinhas versus TURISMO

A ONG Marapa vocacionada para a preservação das tartarugas marinhas, registou em 4 meses de 2013(Setembro à Dezembro)a morte de 201 tartarugas nas praias da ilha de São Tomé. Sendo considerado pela CNN como melhor destino de férias para o ano 2014, a Marapa faz recordar que as tartarugas são uma das principais atracções turísticas do país. Um artigo da Direcção da Marapa que deve ser lido com atenção.

CLIQUE – TARTARUGAS MARINHAS E O TURISMO

    4 comentários

4 comentários

  1. Danilton Will

    23 de Janeiro de 2014 as 12:18

    As leis serão boas mas se forem alinhadas a uma sensibilização a população especialmente nas escolas primarias e secundarias, os frutos poderão ser mais lentos, mas muito mais eficiente ao medio/longo prazo. Esse processo não deve ser esporádico mas sim sistemático até que se consiga os objetivos propostos. O dinheiro que se poderá gastar agora recrutando agentes qualificados que possam preparar outros agentes, serão ganhos com os resultados da mesma.

    Para que seja um processo sistemático, eficaz e com menos custo, creio que todos os professores seriam os primeiros a serem sensibilizados para o trabalho com os alunos. Os professores podem ser uma peça fundamental na promoção dos aspetos turísticos e outras matérias extracurricular nas nossas ilhas. Devem ser respeitados, valorizados e dar-se ao respeito e valorizarem-se para a missão que se lhes propões. Podem ser uma chave na mudança que se propuser. Entretanto, a sensibilização dos professores para funções “extracurriculares” de apoio social, poderá passar pela consciência por sociedade melhor, de um turismo forte, geradora de riqueza que consequentemente lhes trará aumento salarial e melhoria de vida num futuro.

    Alguns pequenos textos e/ou ilustrações, de acordo as idades, feitos pelos nossos escritores e artistas, poderão ser ferramentas uteis para os professores partilharem nas salas com os seus alunos nos momentos de descontração e conversas animadas sem constrangimentos para os alunos.

    A ideia não se prende somente as tartarugas mas também a outras especeis animais e plantas, lixos nas ruas, cuidados nas praias, …

    Creio que nesta matéria de turismo e muitos outras matérias, para não dizer todas, a postura de movimentação em bloco seria muito eficaz para desenvolvimento de um país tão pequeno como o nosso. A movimentação isolada de uma peça deixá-la-á desprotegida e fragilizará a defesa do rei e comprometerá a vitoria da equipa. No nosso caso, o rei não é o presidente nem o governo mas sim o país que todos queremos bem.

  2. Mria Madre Deus

    23 de Janeiro de 2014 as 13:05

    Seus incompetentes. O que fizeram? ficam só em Bla bla bla. O responsável da associação vendeu a sede de protecção em micoló todos averem e não fazer nada. Flá sósósó…. Seus incompetentes.

    • MARAPA

      24 de Janeiro de 2014 as 15:21

      A ONG MARAPA assumiu o Programa de Proteção das Tartarugas Marinhas em S. Tomé e Príncipe desde 2003. Desta data para cá não houve a venda nem alienação de nenhuma estrutura construída pela MARAPA. Em 2013 reabilitamos o centro de incubação de Micoló e esta totalmente novo pode-se constatar no terreno.
      Queira inteirar-se melhor das actividades desenvolvidas pela MARAPA no nosso site http://www.marapa.org), ou dirigir-se aos nossos escritórios no Largo de Bom Despacho, ou ainda dirigir-se ao.
      Nesta encruzilhada os nossos objetivos têm sido cumprido apesar de ainda restar muito a fazer, e só com a colaboração de todos poderemos triunfar, e a natureza agradece!

  3. wilson afonso

    29 de Janeiro de 2014 as 9:01

    o nosso pais precisa de nós para seguir em frente

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo