Destaques

São-tomenses gritam em Moscovo

Numa carta endereçada a todos os órgãos de soberania de São Tomé e Príncipe, a Associação dos Estudantes São-tomenses na Rússia, pede socorro às autoridades nacionais após 7 meses de atraso no pagamento das mensalidades cujo no valor, segundo a associações, é  inferior a 300 dólares.

 

Moscovo aos 24 de Maio de 2014

 

 

Excelentíssimo Senhor Presidente da Republica

Democrática de São Tome e Príncipe

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Nacional

Excelentíssimo Senhor Primeiro Ministro

Excelentíssimo Senhor Ministro da Educação e Cultura

Excelentíssimo Senhor Ministro das Finanças

 

Excelências, antes de mais queira receber os nossos respeitosos Cumprimentos.

Nos AESTP-Moscovo( Associação dos Estudantes São-tomenses na Federação Russa) Viemos por este meio mui respeitosamente  protestar e fazer-vos lembrar   do incompreensível, desanimador, gritante e  assustador atraso no pagamento das nossas mensalidades que perdura a sete(7) meses o que poe em causa a subsistência do nosso quotidiano, pois segundo a famosa pirâmide de Abraham  Maslow  as necessidades fisiológicas encontram-se em primeiro lugar,  e para dizer-vos que nem isto  esta a ser possível satisfazer face ao não pagamento demorado da bolsa.

Confessamos-vos de que  difícil foi tomar-mos esta decisão de recorrer aos meios de comunicação social para expor  o nosso descontentamento face a esta desagradável situação, porem outra saída não tivemos face ao atraso e a  falta de informações que possam justificar a mesma, longe esta a nossa intenção de querer denigrir a imagem do nosso Estado pois ciente estamos de que vivemos no mundo de comunicação e imagem e qualquer ação  intempestiva e o suficiente  para denigri-la, outrossim queremos apenas o pagamento das nossas mensalidades  para poder-mos prosseguir  de uma forma tranquila rumo aos objetivos almejados.

De relembrar-vos de que o PIB per-capita mensal para os cidadãos residentes em Moscovo são de 350 USD mensal, infelizmente recebemos uma quantia a baixo da mesma, e o mais desanimador reside no fato de estarmos a sete meses sem receber o que poe em causa a realização dos nossos próprios desideratos.

Atenciosamente,

AESTP-Moscovo( Associação dos Estudantes São-Tomenses na Federação Russa)

    12 comentários

12 comentários

  1. arroz podre

    27 de Maio de 2014 as 8:36

    Credo?
    É este tipo de Governo que querem permanecer mais tempo no poder?

  2. DE UM SANTOMENSE

    27 de Maio de 2014 as 9:50

    Pois é! Não pensem que são apenas os estudantes de Moscovo é que estão a passar por esta situação!! São os estudantes que estão espalhados em diversos países do mundo,são as mulheres, os homens e as crianças Santomenses espalhados pelo país, enfim, enfim. Há um silêncio dos Santomenses, porque já não têm força no interior para gritar pela miséria, pela incerteza, pela frustração, que graça o nosso país nunca antes visto!! Sr PR quer levar-nos para onde? O senhor não dá conta que estamos a afundar?? Quer levar este governo até onde. Salve-nos!!

  3. eduardosantos

    27 de Maio de 2014 as 9:50

    E agora dizem que vêm melhorar a vida do povo, Julio Nierer dizia que tipo de gente somos nós, Cada dis que passa os outros vão caminhando para céu e nós para Aldeias! queria ele dizer outra coisa, que Deus nos proteja, um bem haja.

  4. Ma Fala

    27 de Maio de 2014 as 10:43

    O nosso estado e o nosso maior pudor. Quando o primeiro estudante morrer por falta de alimentacao(fome), ou por falta de assistencia medica, quando o primeiro estudante for alvejado pelo seu senhorio por nao cumprir com o pagamento da renda, ou for preso por ser obrigado a roubar para se alimentar ai sim estes prepotentes farao o favor de os pagar a tempo e hora-
    Desde ja os meus sentimnetos de soliadariedade para com os meus irmao na Federacao Russa.

  5. Me Zemé

    27 de Maio de 2014 as 14:10

    Embora fazer um curso superior fora do país é melhor que no país, pois nos abre mais os horizontes, mas temos que ter muito cuidado em ir fazer curso para países estranhos sem garantia de bolsa.
    A Federação Russa tinha disponibilizado vagas para formação superior, mas sem bolsa. Alguns ariscaram na esperança que, depois de lá estarem o estado os ajudaria, mas esqueceram o estado que têm. O conselho que deixo, quem sabe que os familiares não tem condições para os sustentar fora do país, não se mete em essas aventuras, estuda cá internamente que é sempre mais seguro.

    • John

      27 de Maio de 2014 as 16:31

      Tu falaz-te de algo que nao sabes. Infelizmente

  6. sd

    27 de Maio de 2014 as 18:09

    Mé Zemé faço das tuas as minhas palavras. Muitos engenheiros e doutores tambem estudaram na Russia sem bolsa, graça aos familiares, portanto isso de vir pedir que o estado pague bolsa é fantuchada. Conheço estudantes que enviam dinheiro para familiares cá e depois vêm dizer que não têm dinheiro. Isso é xaxa. Na Russia no verão os estudantes podem ir trabalhar e ganhar dinheiro para garantir a sua subsistencia. Muitos fizeram isso e hoje são engenheiros doutores etc

    • estressado

      31 de Maio de 2014 as 15:45

      esse dinheiro esta a ser emprestado por uns colegas melhor cala essa tua boca

  7. Sofredor

    27 de Maio de 2014 as 19:59

    Senhor Mé Zemé, e o Senhor sd os senhores estao a falar de coisas desparatadas, tudo os que os senhores falam e passivel de refutacao,nao tem nexo, e desprovido de logica, deixem de agir por emocao busquem a razao. A Russia de hoje nao e a Uniao Sovietica de ontem, a situcao de Estudantes ca e preocupadissima e gritante, falam de trabalho no verao os senhores ja ca estiveram para provar a existencia destes mesmos trabalhos, os Senhores encontram mesmo a par dos ultimos acontecimentos Geopolitico?. Pelos vossos comentarios deixa-me com a nitida sensacacao de que o ultimo tratado que os senhores leram foi o de Tordisilhas aonde Portugal e Espanha Governavam o Mundo, convem debrucar-mos da materia antes de de interferimos nela, pois e a nossa imagem que esta em jogo- Deixo-vos um conselho de compatriota- Crescam e aparecam.

  8. luisó

    28 de Maio de 2014 as 0:14

    Onde pára o dialogo nacional sobre isto ou por acaso esqueceram-se?

  9. estressado

    31 de Maio de 2014 as 15:43

    eu ak em angola nao recebo na mao de estado ja a dois anos estou aflito nao sei o k estou a pagar tentei dizisti mas disseram para aguentar k nao sou fraco nao tenho mais nada a fazer

  10. estressado

    31 de Maio de 2014 as 16:12

    esse tas de Mé Zemé telves faz parte daqueles k quando etudava o talves o pais onde estudou estava em guerra e o governo dava tudo aos estudantes melhor ele calar essa boca ele nao sabe qual q politica da russia depois anda a mandar essa boca poe no teu lugar depois tem a palavra k dissemos @ bi pia cua cu we bo @

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo