Sociedade

STP reserva mundial de orquídeas agora ameaçadas

Cientistas que periodicamente realizam estudos sobre as diversas variedades endémicas de orquídeas de São Tomé e Príncipe consideram o arquipélago como uma das principais reservas mundiais de orquídeas.

A comunidade científica internacional estima que São Tomé e Príncipe conserva cerca de 150 espécies de orquídeas. A maioria das espécies ainda não  está catalogada, ou seja, é desconhecida do mundo científico.

Uma equipa de investigadores  da Universidade Livre de Bruxelas, está neste momento a recolher amostras das espécies de orquídeas de São Tomé, no quadro da investigação científica sobre a origem desta espécie endémica, e ao mesmo tempo está a reconstruir o pavilhão das orquídeas no jardim botânico de São Tomé.

Um trabalho de preservação das orquídeas que vem sendo realizado há 20 anos. Tariq Atévar(na foto a direita), Biólogo do Jardim Botânico de Missouri – Estados Unidos de América,  é um dos cientistas que periodicamente visita e realiza trabalhos de recuperação e protecção das orquídeas no jardim botânico de São Tomé.

Desta vez Tariq Atévar, trouxe dois estudantes da Universidade Livre de Bruxelas, que estão a preparar a tese de doutoramento tendo como alvo as orquídeas de São Tomé e Príncipe. «Trabalhamos nisto há 20 anos e já recolhemos cerca de 15 novas espécies de orquídeas. De cada vez que trabalhamos no terreno de São Tomé ou do Príncipe descobrimos novas espécies que ainda não foram registadas e o nosso trabalho é de as registar», explicou Tariq Atévar.

Segundo os pesquisadores São Tomé e Príncipe tem cerca de 150 espécies de orquídeas. Mas até agora só foram registadas 35 espécies.« São plantas que nunca foram registadas e são endémicas de São Tomé e Príncipe. Únicas no arquipélago e no mundo. Há muitas espécies que deveremos descobrir nos próximos 5 anos»,  precisou.

Um património natural do país e do mundo, que no entanto já está a ser ameaçado. Tudo por causa do abate anárquico de árvores que assola o país. «Sim elas estão ameaçadas. É verdade que o parque nacional protege uma grande parte das orquídeas.  Mas, por exemplo na zona norte da ilha de São Tomé, há uma grande pressão, ….porque as pessoas precisam de madeiras para sobreviver. As orquídeas vivem nas árvores e de cada vez que se corta uma árvore faz desaparecer as orquídeas», sublinhou o biólogo do jardim botânico de Missouri.

Segundo o biólogo, Tariq Atévar, o jardim botânico de São Tomé é um dos lugares mais visitados pelos turistas, e as orquídeas são um dos atractivos. Protecção das orquídeas e do ecossistema podem gerar crescimento económico, por via do eco-turismo. «As pessoas poderão vir do mundo inteiro para ver as orquídeas», pontuou.

A investigação em curso, visa descobrir as origens das orquídeas de São Tomé e Príncipe. Porquê que apareceram aqui em São Tomé e Príncipe? Porquê que só existem aqui? São várias questões que os cientistas da Universidade Livre de Bruxelas, procuram respostas, ao longo de várias semanas de trabalho no terreno e em plena floresta de são Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. Kelly

    21 de Novembro de 2017 as 22:50

    Uma pena, muito triste

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo