Sociedade

ONU preocupada com protestos que mataram pelo menos 5 na RD Congo

PARCERIA – Téla Nón /Rádio ONU

Em nota, secretário-geral pediu moderação ao governo e às forças de segurança garantindo o direito dos congoleses à liberdade de expressão; segundo agências de notícias, manifestantes exigiam saída do presidente Joseph Kabila do poder.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

 

As Nações Unidas manifestaram preocupação com relatos de repressão violenta a protestos na República Democrática do Congo.

A nota, emitida pelo porta-voz do secretário-geral António Guterres, revela que pelo menos cinco pessoas morreram e várias ficaram feridas. Mais de 120 manifestantes foram detidos.

Direitos

Os protestos ocorreram em várias cidades congolesas. Segundo agências de notícias, os manifestantes exigiam a saída do poder do presidente Joseph Kabila.

Guterres pediu moderação ao governo e às forças nacionais de segurança. Ele lembrou que os direitos à liberdade de expressão e à reunião pacífica dos congoleses têm de ser garantidos.

Um acordo político, firmado em 2016, previa a realização de eleições até dezembro de 2017. O presidente Kabila está no poder desde 2001, após cumprir dois mandatos.

O secretário-geral da ONU pediu a todos os políticos do país africano que se comprometam com acordo de 31 de dezembro de 2016, que continua sendo a única forma viável de realização das eleições, e de uma transferência pacífica de poder para a consolidação da paz na República Democrática do Congo.

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo