Sociedade

Brasil instalou 1º Laboratório Nacional de Referência de STP  

Na luta contra a tuberculose, São Tomé e Príncipe, conquistou uma vitória retumbante. O apoio do Brasil foi fundamental. A cooperação técnica brasileira no sector da saúde permitiu criar e instalar o primeiro laboratório de referência nacional de luta contra a tuberculose.

O projecto que simboliza o êxito na cooperação sul – sul começou a ser elaborado no ano 2009. Altura em que São Tomé e Príncipe começou a registar o recrudescimento de casos de tuberculose, com destaque para os multireincidentes. Era preciso reforçar a capacidade de diagnóstico. «Houve a necessidade de nós aumentarmos a nossa capacidade de diagnóstico, de forma a dar uma resposta mais eficaz na luta contra a tuberculose e reduzir o peso orçamental, uma vez que na altura tínhamos que enviar as amostras para Yaoundé- Camarões de modo que os resultados fossem confirmados», explicou Bonifácio Sousa, Coordenador do Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose.

Para a Ministra da Saúde Maria de Jesus Trovoada, o laboratório de referência dará ao país a possibilidade de acelerar o processo com vista a extinção da pandemia. «Este laboratório vai contribuir de forma mais eficaz na luta contra tuberculose que ainda é um dos problemas de saúde pública em São Tomé e Príncipe. Ao longo de vários anos a baciliscopia (exame que permite verificar ou não a presença do vírus, do bacilo de Koch, agente causador da tuberculose), tem sido a base de diagnóstico no país, e outros exames eram feitos no exterior. Com este laboratório, estes exames serão feitos aqui», afincou a ministra.

Maria de Jesus Trovoada, manifestou confiança na qualidade técnica do laboratório que é de referência nacional e sub-regional. A Ministra acredita que o a infra-estrutura de saúde vai atender também as populações de outros países da África Central. «Este projecto não se cingiu apenas na construção e apetrechamento deste edifício, mas também em acções de formação, partilha de experiência, reforço de stock de medicamentos, entre outros», acrescentou.

Em representação da Agência Brasileira de Cooperação, ABC, Andréa Watson, sublinhou que a inauguração é apenas o primeiro passo, e que o Brasil vai continuar a auxiliar São Tomé e Príncipe, na consolidação da sua própria autonomia no combate ao flagelo da tuberculose que vem ceifando vidas em todo o mundo.

«O Brasil quando faz a cooperação técnica com outro país visa sempre entregar o produto final, que é fruto deste esforço conjunto, de maneira que o parceiro ganha a autonomia para tocar o projecto em si. Estamos aqui para inauguração, mas haverá uma segunda fase em que o Brasil vai está envolvido junto com a equipa de São Tomé, para que justamente esta autonomia seja alcançada pelo governo santomense. Nós temos muita esperança de que este laboratório que hoje se inaugura seja apenas um primeiro passo, não só para o laboratório, mas também para a equipa toda que vai ser capacitada e quiçá para os futuros laboratórios e outros projectos com o Brasil na área de saúde», afirmou.

Por último, o representante do Governo Brasileiro, Rodrigo Lacerda, que foi o portador da mensagem do presidente do Brasil, Michel Temer, enalteceu o empenho de cada um, na construção da infra-estrutura que deixou alegre os governantes brasileiros, acrescentado que, com este laboratório, São Tomé e Príncipe poderá ganhar no futuro a sua autonomia no combate a doença, que também é o desafio do povo brasileiro.

A obra  inaugurada no último sábado nas imediações do Hospital Ayres de Menezes, foi financiada pelo governo brasileiro, no valor de Um Milhão de Euros. Contempla inúmeras salas, com destaque para as salas de baciliscopia, preparo de meios, esterilização, cultura, autoclavação, armazém, vidraria, sala de reunião e casas de banho.

Recorde-se que a taxa de incidência da tuberculose no arquipélago ronda os 97 casos /100 mil habitantes por ano. E em termo de registo anual, em 2017, registou-se 144 casos, segundo os dados do Programa Nacional de Luta Contra Tuberculose.

Gil Vaz

    4 comentários

4 comentários

  1. ANCA

    29 de Janeiro de 2018 as 12:00

    Muito bem

    Mais uma infraestrutura, mais um equipamento de saúde de referência, nacional regional, que saibamos manter, estimar, tirar o melhor proveito, deste laboratório, bem haja cooperação brasileira governo do Brasil, bem haja governo de São Tomé e Príncipe.

  2. Pedro Costa

    29 de Janeiro de 2018 as 20:54

    Finalmente uma notícia positiva para o bem deste povo e país. Oxalá que o saibam estimar e tirar dela os reais benefícios.

  3. Nuno Migue Menezes

    30 de Janeiro de 2018 as 13:28

    Brasil instalou 1º Laboratório Nacional de Referência de STP

    Infraestrutura Nova,manutenção da mesma infraestrutura necessario assim o fazer, e isso vai haver costos inormes para o governo de Sao Tome e Principe, e se nao haver manutencao fica em ruinas, temos varios exemplos dentro de Sao Tome e Principe boas infraestruturas e sem manutencao e outras coisas mais ficaram em ruinas espaco que se pode hoje aproveitar,essa mesma infraestrutura se chama nautico de sao tome and principe.

    E quando assim abriu tivemos visita do governo e passando tempo ficou em ruinas e quem nao se recorda nautico de sao tome and principe ???

    nautico de sao tome and principe era na altura uma piscina Publica de Sao Tome and Principe com bar,igual a piscina que temos em Portugal,e quem conhece a zona de Oeiras portugal aonde vivi na minha idade de infancia o Nautico de Sao Tome and Principe ‘e igual a Oceanic pool Oeiras.

    Foram infraestruturas feitas e com o tempo ficou em ruinas ate a data de hoje….

    O concelho que dou a Politicos de Sao Tome and Principe o governo de Sao Tome and Principe, fazer uma reunião com Portugal,Unicef,Brazil,As Nações Unidas para assim os mesmos desenhar o modelo da economia sustentavel dentro de Sao Tome and Principe que ajuda o PIB interno a crescer e ao mesmo tempo a crescer Sao Tome and Principe comecar a pagar as suas dividas.
    Esse desenho existe tanto na europa,muito dinheiro gasto e sem lucro e sem divida paga,apenas divida a aumentar esta na hora de pedirem ajuda, senhores antes de nos aceitar o dinheiro nos ajuda….

    A profissao para o desenvolvimento dentro de Sao Tome e Principe nao ‘e apenas o Juizes,medicos,ou varios membros de um Partido Politico do governo.

    Temos que ter infraestruturas a nivel de Profissoes todas que existe para a melhoria de sao Tome and Principe que ainda nao tem essa infraestruturas, por exemplo eu sem estudos, a minha profissao ‘e cortar as unhas a cao, isso na europa aonde vivo consigo ter dinheiro para pagar as minhas dividas vestir ter carro e outras coisas mais….

    E maneira de ver e de pensar do Povo de Sao Tome e Principe os mesmos falam porque que precisamos dessa profissao??
    E essa profissao aqui aonde estou a viver por semana da a mim £200 libras cortar as unhas apenas a cao.

    Entao, aconcelho primeiro, aos Politicos pedirem ajuda,informa as pessoas quem sabe quem percebe nao ‘e necessario ser de origem de Sao Tome and Principe,no encontro informa nos Sao Tome and Principe necessaitamos de ajuda para um crescimento PIB produto interno bruto e depois, nos comecamos a pagar as dividas que assim temos.

    E um ou varios expert vao ajudar….Acreditem!!!!
    A educacao que tenho dentro de Reino Unido me encinaram a mim assim, nao ter medo,pedir ajuda,explicar,e um expert ajuda, ate pode haver expert britanico aqui no reino unido sem trabalho e o governo de sao tome and principe pedir ajuda a ele, e ele informar quero casa paga todos os meses durante 8 anos vos ajudo e mudo sao Tome e principe por completo. E isso existe acreditem!!!!

    8 anos com casa paga por governo de Sao Tome and Principe, aqui dentro de Reino unido chamamos o PACOTE ESTIMULO .E com o tempo se vai ver o desenvolvimento que FMI classifica desenvolvimento acelerado.

    E desenvolvimento acelerado nao quer dizer que Sao Tome and Principe roubou para assim ter, mais sim pediu ajuda a um expert e o mesmo desenhou e bateu certo o que estamos a ver.

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  4. ANCA

    30 de Janeiro de 2018 as 15:40

    Assunto não vem ao caso.

    A propósito das estradas de São Tomé e Príncipe, as nossas estradas estão sempre esburacadas, sem esgotos para escorrências de aguas pluviais, bermas cheios de terras, passeios destruídos, etc, etc,…temos que ser críticos, enquanto cidadãos, enquanto instituições SãoTomense, em relação a isto,…cães, porcos, galinhas,patos, a circularem nas vias publicas, nos rios, convivência de pessoas com pulgas, ratos, mosquitos, lamas,etc, etc…isto significa a falta de paz, para quem duvidar pesquise o conceito de paz.

    É neste contexto quanto a estradas Sãotomense, proponho o desafio da autossustentabilidade, ou seja a existência de portagens internas, nos limites dos distritos,onde por cada entrada saída, devia-se pagar o mínimo,taxas de 0,50 dobras 1,00 dobra, 2,00 dobras, sei lá, de forma a constituir um fundo anual de manutenção de vias e estradas, através de uma conta ministério das finanças, assim as nossas instituições com atribuições de manter as estradas estariam aptas a cumprir o seu papel e objetivos sem estar sempre dependente de financiamento externos ou do governo.

    Quanto aos animais a soltos a circularem nas vias públicas nos rios, mesmo as pessoas a lavarem no rios, o que significa contaminação, estas praticas deveriam ser ordenadas por regulamentos, a desinfestação deve ser uma realidade nacional institucional.

    Se és Sãotomense és capaz

    Acredita em ti

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Principe

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo