Sociedade

Mén Non – II Congresso da Mulher Santomense em Portugal

A Mén Non – Associação das Mulheres de São Tomé e Príncipe em Portugal tem a honra de convidar o publico para participar no II Congresso da Mulher Santomense em Portugal, no dia 22 de Setembro de 2018, pelas 10 horas, no Auditório Agostinho da Silva, na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, no Campo Grande, em Lisboa.

Atente ao programa final do Congresso em anexo, onde poderão ver o vasto e interessante leque de temas a abordar.

Agradecemos desde já a vossa presença, que contribuirá para prestigiar o nosso evento.

“Bamo Zunta Mon”

1 – Planeamento II congresso 2018 final XII

    4 comentários

4 comentários

  1. Seabra

    15 de Setembro de 2018 as 21:57

    As ditas doutoras sãotomenses,que vão contar as suas estórias pessoais para se distinguirem e atenuar as suas frustrações, teriam mais utilidade no país ou fazendo algo na dita diáspora, França etc,para fazer conhecer melhor o país, fazendo proposta aos governos que dirigem mal o país, fazer artigos inteligentes e úteis sobre a situação política e as consequências para o povo sãotomense e o país….
    Mas não, vão é paliando as suas frustrações, com 15 à 30 minutos na luz, de exibição teôrica da pretendida saboderia,que só mesmo nestas ocasiões podem estar na luz. …o resto do tempo estão na escuridão de “desesparate houses wife”. Nada fazem das suas vidas,senão vivendo à sombra dos seus maridos que lhes sustentam .
    Que me expliquem de que exemplo me falam sobre as ditas mulheres indépendantes, autonomas, “entrepreneuses “? Em todo o caso a Lavínia (Maria Alves Neto), não faz parte destas mulheres. Há bons outros exemplos de mulheres que representam esta automonia,conheci algumas : Alda Melo, São Lima, Ondina Barros ( falecida) , e muitas outras, menos a Lavínia, que foi sempre ” femme au foyer”.

    • Àfrica

      17 de Setembro de 2018 as 13:40

      Com devido respeito a todos os leitores do jornal Téla Non.
      Não encontro outra palavra para comentar este poste a não ser um grandessíssimo “Vai a Merda”
      Devias ter vergonha na cara! Gostaria de conhecer o seu curriculum para entender quem é você?!
      É típico! Não faz nem deixa fazer.
      Força MénNon!Gosto muito do vosso trabalho.

      ÀFRICA.

  2. Ademilsa Neto

    18 de Setembro de 2018 as 7:49

    Mas porquê que a Lavinia reagiu violentamente (reconheço a nossa mana ), de maneira ordinària e grosseira?
    Ela mostrou a fraqueza dela, quando insultou a pessoa que lhe tratou de “femme au foyer”, e por cima é verdade.
    Mana Lavinia, você tem sorte de ter um marido como o Oscar que te dà tudo, sem você trabalho que ao deve , na França. Devia ficar contente. Ou serà que mana Lavinia é mesmo uma mulher frustrada, porque sente-se sem serventia? Que pena de ter caido tao baixo assim. Fiquei triste com a sua resposta, mana.

  3. Seabra

    18 de Setembro de 2018 as 17:21

    Gostaria de dizer a Maria Alves N. , que o meu argumento não contem nenhum INSULTO. Ser mulher doméstica, nada tem de insultante. A pessoa que li, tem razão. Porque tanta baixaria ? Só mostrou o seu mau caracter de conflituoso , de estérica e violenta…e mal educada.
    Você gostaria de ter o meu curriculum vitae ? Ora que você não assume a sua ordinarice com um falso perfil “Africa “. Gostaria de sublinhar que está num site democrático, não precisa “puxar o saco “para ser publicada….a não ser que o Abel Veiga, tenha um outro espaço social, onde só ELITE como você (grande universidade de Nanterre) , é que escreve e publica.
    Maria Alves, vai catar ! !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo