Sociedade

Ministério do Turismo condena o acto macabro de 2 de Março em Mucumbli

O Ministério do Turismo, Cultura, Comércio e Indústria, juntamente com a Direção Geral de Turismo e Hotelaria, tomando conhecimento da morte da Senhora Catarina Barros de Sousa, funcionária do Hotel Mucumbli, na noite do dia 02 de Março do ano em curso às 18 horas, vítima de assassinato, um acto considerado macabro e totalmente condenável pelo presente Governo, e por toda a comunidade Santomense, reafirma o compromisso de preservar a segurança e a calma que nos tem caracterizado enquanto destino turístico e em quanto país e recusa conviver com qualquer ação que tente alterar o nosso modo de viver e a nossa forma calorosa de receber a todos os que nos visitam ou escolhem viver e trabalhar entre nós.

Nesse sentido, o Ministério do Turismo, Cultura, Comércio e Indústria vem, em nome do Governo e de toda a sociedade santomense, lamentar profundamente esta irreparável perda, e endereçar aos entes queridos da mesma os nossos mais sinceros sentimentos de pesar.

Fonte – Ministério do Turismo

    9 comentários

9 comentários

  1. Aleluia

    4 de Março de 2020 as 21:09

    Fraquinha! Demita-se!

  2. Luís Pereira

    5 de Março de 2020 as 8:31

    Vem muito tarde e em termos muito suaves, quando deveria ser uma condenação veemente e em forma ameaçadora de forma a por termo a onda de crimes que assola o país.

    • Socorro

      5 de Março de 2020 as 11:37

      Ministério do Turismo? Catarina Sousa não era cidadã são-tomense? Este governo está fora de si?

  3. Gil Catarino

    5 de Março de 2020 as 14:25

    E o Ministerio da Administracao Interna o que tem a dizer? Que é que o Turismo tem a ver com isto, valha-nos Deus. Alguém agarre nisto…

  4. negrinho Galhardo

    5 de Março de 2020 as 21:01

    Já si sabi o assassino da funcionaria do Hotel Mucumbli.
    É muito triste saber que existe pessoas que tem coragem de fazer um acto doloroso.
    É bom que governo ve bem a justiça que lhe será feita,já que não aceitaram que a população fazer .
    Esperemos…

    • Socorro

      6 de Março de 2020 as 20:34

      Pena máxima. Pena máxima para ser cumprida até ao último dia, até ao último minuto, até ao último milésimo de segundo.

  5. Vanplega

    5 de Março de 2020 as 22:10

    Quem criou toda esta situacao, foram os sucessivos governantes deste pais.

    Criaram impunidades, roubos, crimes de varias ordens. Deixaram o pais, andar do jeitos que esses governantes queriam, para poderem roubar a torta e direita, criando este coisa que vamos nestes pais. Uma destruicao sem fim a vista.

    COMO RESOLVER TUDO ISTO? para que volte o respeito, a educacao, acabar com essa roubaleira e esses crimes no pais.

    FUZILAMENTO NA PRACA PUBLICA.
    Roubou, praticou crimes, seja ele quem for FUZILAMENTO. So assim teremos paz, o pais passara a funcionar como relogio Suico.
    QUEM TEM OCU, TEM MEDO

  6. tudo está dificil

    6 de Março de 2020 as 9:19

    Toda gente sabe porquê que o país está assim. Incendiou-se viatura de juiza, nada aconteceu. Partiu-se as igrejas e mataram uma criança, nada aconteceu. Os dirigentes que estão no poder incentivaram a violência para chegarem ao poder. O resultado só pode ser esse. Depois dizem que as pessoas estão a pedir licença sem vencimento. Têm razão em abandonar o pais. É só perseguição ….

  7. Seabra

    10 de Março de 2020 as 1:06

    Apraz-me de ler toda esta efervescência do povo sãotomense, pedindo justiça para a malograda Catarina. É legítimo e de boa conduta…aprecio bastante esta SOLIDARIEDADE. Agora vai esta perguntinha : porque razão não houve este MOVIMENTO de SOLIDARIEDADE quando assassinaram cruelmente, bárbaremente, atrozmente um nacional na sua residência , filho de STP de Mãe Paula URRACA Pereira( nativa do país ) , e de pai português Martinho dos SANTOS. Ninguém reagiu. Será porque o povo sãotomense ( mesmo os pretendidos amigos do malogrado Jorge,2 ou 3 fiéis e verdadeiros amigos) teve medo do governo TOTALITÁRIO do Patrice Trovoada? Será porque não apreciavam o malogrado (difícil de acreditar visto a simpatia e a generosidade do personagem) ?. Até hoje a PJ nada fez de concreto. O que fizeram do telefone celular do malogrado Jorge Santos, dos materiais de valores que se encontravam no domicílio dele quando foi assassinado ? Será que houve alguém responsável deste inquérito que abafou o assunto por uma questão de cobiça material, ou seja, por ambição de possuir certos bens pertencentes à víctima, preferiu recuperar para ele é arquivar este ASSUNTO /DOSSIÊ ? São questões que interpelam, visto a demora deste dossier, ou então deve-se talvez ao feitiço feito pelos assassinos e os seus mandatários. Como é que este crime demora tanto a ser DESVENDADO, num país tão pequeno que são as îlhas de STP. Toda a gente está ao corrente da participação ativa da empregada dele , MARLENE, que ficou em casa do malogrado desde o crime da madrugada de sábado 2 para domingo 3 de junho 2018 ( recebi chamada do falecido naquele sábado 2/6/2018 às 22h30 STP celular dele confirmou ) ,ficou de me ligar depois de falar com o amigo dele Edgar Neves e nunca mais o ouvi e nem ouvirei…a PJ tinha todos os dados para fazer rápidamente, um bom trabalho eficaz, que era de prender tão logo os criminosos, pois que deviam fazer falar SERIAMENTE a vagabunda desgraçada da sua empregada Marlene, que esperou até a 2a feira para escapar da casa do malogrado, deixando -lhe já assassinado, colocando -lhe na sanita (com ajuda dos outros assassinos) , e voltou a ir á casa do malogrado na 3a feira dia 5/6/2018 , abriu a porta ( já ela sabia que ele estava morto , porque ela mesmo participou neste ato MACABRO ) e fingi descobrir o sucedido chamando à polícia. Francamente,nesta situação só há 2 hipóteses :seja o governo ditador do Patrice Trovoada que impediu todo o inquérito (2o consta, porque o PT estava envolvido ),ou então a PJ é realmente NULA.
    Em menos de 73 horas, conseguiram apanhar e prender o assassino da malograda Catarina, e ainda bem. Só procuro compreender como é que os assassinos que tiraram a vida do Jorge Pereira dos Santos, ainda andam livremente, sem serem tormentados pela PJ, pela Justiça sãotomense. É de uma ENORME INJUSTIÇA este ASSUNTO sobre o crime do Jorge Santos, cujos os criminosos vivem IMPUNES.
    Será que teremos que encontrar outros meios para que justiça se faça.
    Senhor 1o ministro, Jorge de Bom Jesus, intervenha para haja justiça. Nós os amigos, irmão,irmãs, filhas (Sindavy e Josiane ) exigimos JUSTIÇA JÁ!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo