Sociedade

Habitantes da cidade de São Tomé vão participar na criação do plano de gestão de resíduos

Cada cidadão que habita o distrito de Água Grande, o mais populoso do país, vai ser convidado a dar sua opinião sobre a problemática do lixo, que ao longo dos anos tem tirado beleza, alegria e saúde pública, à capital do país e consequentemente a ilha de São Tomé.

A iniciativa de promover o fórum de participação do cidadão do distrito de Água Grande, é do projecto REHDES – Reforço Holístico para o Desenvolvimento Sustentado. O projecto financiado pela União Europeia, e executado pelo Consórcio de La Ribera de Valência-Espanha, pretende envolver directamente cada cidadão do distrito de Água Grande, no debate sobre o lixo, e na definição da melhor forma de tratar e resolver este problema antigo da capital são-tomense.

Através do fórum de participação dos cidadãos, o projecto acredita que vai colher contributos, experiências, conselhos e ensinamentos, que permitirão a criação do Plano de Gestão de Resíduos da cidade de São Tomé.

O Fórum de Participação do cidadão, está marcado para os meses de Outubro e Novembro próximos. No entanto no passado dia 29 de Julho, uma equipa técnica do Consórcio de la Ribera de Valência-Espanha, reuniu-se pela primeira vez no edifício da Câmara Distrital de Água Grande, com os representantes de todos os bairros da cidade de São Tomé.

«Vamos fazer um Fórum dos Cidadãos, para que todos possam contribuir na elaboração do plano de gestão de resíduos», confirmou Sergi Machi (na foto à esquerda), membro da equipa técnica do Consórcio de la Ribera.

A reunião que serviu para explicar os representantes dos bairros sobre o processo de participação comunitária e de cada cidadão, chamou a atenção para a necessidade de recrutamento e formação de um grupo de agentes cívicos no domínio do ambiente. No grupo de 5 membros pelo menos 1 deles, será formado do domínio de gestão ambiental. O gestor ambiental coordenará as actividades do grupo e terá a sua sede de trabalho no Ponto Verde, que está instalado no Bairro 3 de Fevereiro na capital São Tomé.

«Mas o trabalho dos 5 agentes cívicos, estará concentrado nas escolas, nos bairros residenciais, no contacto com os seus vizinhos, etc», explicou o quadro superior do Consórcio de la Ribera de Valência –Espanha.

O Presidente da Câmara Distrital de Água Grande, agradeceu a presença dos representantes dos bairros da cidade de São Tomé. José Maria Fonseca considera o projecto “REHDES”, como sendo a solução para o problema de insalubridade pública, que o lixo tem criado para a vida na cidade de São Tomé.

«Este projecto é a solução para os problemas de gestão do lixo. Vai reduzir a carga que a lixeira tem recebido, e vai promover a economia circular em Água Grande», precisou o Presidente da Autarquia da capital.

Comunicação e sensibilização das populações são os dois eixos estratégicos do projecto, que pretende ter sucesso no tratamento e gestão dos resíduos sólidos em São Tomé.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Bernardo+Vasconcelos

    7 de Agosto de 2021 as 11:12

    Porcos!

  2. Lima

    7 de Agosto de 2021 as 16:52

    O importante é comecar pela sensibilizacao da populacao sobre o que o lixo pode trazer como problemas para a populacao sobretudo no campo da saude.O problema da estetica. A cidade perdeu todo o seu luxo.
    Aprender as criancas ,os jovens e osmais velhos que nao se deve deitar o lixo seja ele qual for em qualquer parte.Aprendam a levar o lixo para um lugar proprio.Mesmo um pedaco de papel nao deve ser deixado ou atirado simplemente no chao.
    A camara tem que meter a disposicao da populacao recipientes onde se deve deixar o lixo que seja caseiro ou nao.
    Sensibilizar as pessoas ,a nao misturar os lixos.Cada tipo de lixo tera o seu contentor marcado ou com cores diferentes ou com letras bem visiveis,ou com desenhos para nao haver problemas de comprehensao ,embora hoje quase toda gente tem um minimo de alfabeto .A sorte que temos pois é , somos quase todos alfabetizados.
    A camara tem que ter trabalhadores que recolhem os lixos todos os dias.
    A camara em colaboracao com o servico da policia tera que ter policias que estarao preparados para multar os que transgressem.
    Isso nao diz respeito so os habitantes da cidade capital mas sim todos que por la transitam.
    As vendas selvagens devem ser interditas.
    Aplicar rigorosamente as leis com multas que devem ser pagas imediatamente para nao haver um deixar de cada dia.
    Aquele que cometeu infracao ou paga logo ou entao é sujeito a ter que ter um, dois, ou mais dias com a vassora na mao durante as horas de trabalho ir varrer,limpar a cidade.
    Comecar por uma grande campanha,uma grande sensibilizacao,durante um largo tempo.Utilizar todos os meios possiveis de comunicacao para esse efeito.
    Professores nas escolas com os seus
    alunos,pancartas pela cidade toda e mesmo fora da cidade.
    Tal como sabem fazer campanha para as eleicoes entao saberao convencer o povo a tratar nao so da capital mas da terra toda.
    Vamos limpar nao so as cidades mais tambem essa pouca vergonha que nos invadiu levando-nos a viver nos lixos compostos ate de cao,gato e memo porcos mortos nas valas,depositados no passeio etc etc.
    Com coragem com educacao com respeito por nos mesmos a nossa terra mae ira para ventre sem necessidades de ajudas,vindas sempre do exterior como se nao pudessemos ser capaz de coisas simples.Os nossos coqueiros,as nossas palmeiras oferem-nos materiais que fazendo cestos,grandes cestos podemos instalar nas ruas onde se deposita certos lixos.Quando eu era crianca tive um membro da minha familia que era condutor de caro de lixo da camara .As folhas mortas dos caroceiros eram varidas, apanhados e queimadas nunca houve a ideia de cortar os caroceiros devido as folhas que caiam.
    Os caroceiros serviam-nos de sombra quando se saia da escola e tambem o seu fruto a gente apanhava para comer e partir comendo assim a noz.
    Bom ,coragem presidente da camara se voce refletir nao precisas de muito para que a tua nossa cidade possa ser digna desse nome que se diz CAPITAL DE STP.

    • Lucas

      9 de Agosto de 2021 as 6:54

      Lima onde vives?

      • Lima

        10 de Agosto de 2021 as 7:48

        Por que razao ou razoes queres saber onde eu vivo?O lugar da minha vivencia tem alguma relacao com o meu comentario?Poderas dar-me respostas a essas perguntas?Entao assim poderei responder-te for necessario.Sejemos inteligentes e lutemos,pondo em pratica todo o nosso saber para que 200000 pessoas possam ser felizes ,com menos doencas,com pouca pobreza seja ela intelectual ou economica,ou mesmo cultural.

        • Lucas

          11 de Agosto de 2021 as 5:53

          O Bernardo+Vasconcelos disse tudo
          Eu acrescento * o reino*
          Daí a pergunta
          Onde vives?

  3. Pascoal+Carvalho

    8 de Agosto de 2021 as 13:35

    Uma boa ideia, para resolução de um problema que afeta a todos.
    Esperemos que dê certo, com tão almejado contributo de todos.

  4. Bernardo+Vasconcelos

    9 de Agosto de 2021 as 7:48

    Caro Lima
    Adorei a sua contribuição mas com os negros
    Não funcionará longo prazo! Nada do que é convencional funciona em África.

    Estive em Angola pela primeira vez este ano 2021 e os negros não importam viver com grandes carros e grandes casas em autênticas pocilgas em redor!

    • Madiba

      9 de Agosto de 2021 as 12:50

      Gostei muito do seu comentário! O problema nosso é só este. Preto e basta. A câmara de Água Grande dá uma ajuda formidável. Não conheço país da Europa que aceita população colocar lixo no chão, e os funcionários da câmara com uma pá, pouco a pouco retiram esses mesmos lixos para camião. Significa que a Câmara encoraja as pessoas a colocar o lixo no chão!!! É a Câmara que permite isto e mais ninguém.

  5. Lima

    9 de Agosto de 2021 as 10:19

    Caro Bernardo Vasconcelos.Nao é questao de ser negro ou nao negro.Em todo pais do mundo ha lixeiras.Se ja tiveste ocasiao de ir a Angola tenta apanhar acasioes para ir aos outros paises nos outros continentes mesmo na Europa se infelizmente es Europeu.Porque hoje um Europeu que diz aquilo que disseste ,é um infeliz.
    Mas pronto tu podes ter a tua opiniao.
    Eu acho que aquilo que achas de preto nao é exacto .O negro ,tem muito sentido de higiene porque quase 90% das limpezas sao feitas por eles os negros sobrtudo nos paises occidentais.
    Entao vamos juntos reflitir sobre o que acontece quando um pais se deixa levar.Ele fica como quando um ser humano entra em depressao.Ele ja nao é capaz de nada ou quase nada.Ele deixa-se levar,mas com ajuda,com tratamento ele podera por-se de pe.
    Entao eu conto contigo para demonstrar o contrario.
    Que STP vai por-se de pe denovo, como uma nacao digna desse nome,com uma capital bem limpa que fara vergonha as outras capitais do mundo estou convicta.
    Apostemos,senhor Vasconcelos?.
    Aguardo a sua opiniao.Sejemos optimistas.

    • Lucas

      11 de Agosto de 2021 as 6:00

      Lima
      A questão é que o *negro*(expressão sua)no seu ambiente não só não limpa como suja e muito Daí estar certo o Vasconcelos Os * negros* juntos são porcos muito porcos

  6. anonimo

    9 de Agosto de 2021 as 11:12

    uma autentica caça a projectos e a dinheiro fácil, se stp tivesse caixotes do lixo espalhados por todas as cidades vilas aldeias etc onde o lixo fosse colocado se tivesse diariamente camiões de lixo a recolher esse mesmo lixo para uma incineradora o problema era resolvido facilmente, mas não trata se a população como burros e porcos, os estrangeiros não são mais asseados que os santomenses, os estrangeiros tem a mais acesso e mais condições que são criados por os governos, estas ongs parceiros nada fazem a não ser pagar ordenados milionários a formadores e etc o que sao tomé necessita é de obra feita incineradora de resíduos camiões de transporte de lixo e contentores de lixo e pessoal qualificado para efetuar o trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo