Cultura

Crianças da Praia Burra na ilha do Príncipe ensinadas a conhecer plantas medicinais

Uma iniciativa de Maria do Céu Madureira professora de farmácia do Instituto Superior de Ciências da Saúde Egaz Monis, que lidera um grupo de estudantes finalistas daquele centro de ensino de Portugal. O grupo de investigação científica está a seleccionar mais 100 plantas são-tomenses de enorme valor curativo.

A ilha do Príncipe é um das regiões do arquipélago são-tomense rica em plantas endémicas e com enorme poder curativo. Maria do Céu Madureira especialista portuguesa que já publicou um livro com cerca de 50 plantas medicinais de São Tomé e Príncipe, lidera o grupo de estudantes finalistas de farmácia do Instituto Superior de ciências da Saúde Egaz Monis que está a investigar o poder curativo das plantas de São Tomé e Príncipe.

As crianças da comunidade de Praia Burra na ilha do Príncipe, também foram ensinadas a conhecer o valor das plantas medicinais. «Recolhemos informação da medicina tradicional, mas também gostamos sempre de dar as crianças um bocadinho de conhecimento das plantas que são eficazes para tratar uma dor de barriga uma ferida, ou uma dor de cabeça, coisas simples mas que são realmente eficazes quando há falta de medicamentos, ou de um hospital perto, uma comunidade mais distante da cidade pode as crianças utilizar bem essas plantas», explicou Maria do Céu Madureira.

A especialista portuguesa garante que existam cerca de 300 plantas medicinais em São Tomé e Príncipe. Para além das 50 espécies publicadas em livro o instituto superior de ciências da saúde de Portugal, está a seleccionar mais 100 plantas curativas.  É vasto o poder curativo das plantas de São Tomé e Príncipe. Até o cancro pode ser tratado.

Maria do Céu Madureira mostrou uma planta que em São Tomé e Príncipe é considerada como flor e que actualmente produz um dos medicamentos mais utilizados nos hospitais no tratamento de doentes cancerígenos. «Esta planta lindíssima que as pessoas aqui usam como flores de jardim na ilha do Madagáscar, conseguiram descobrir que esta planta é um excelente medicamento para o cancro. Esta planta neste momento já está transformada em medicamento e utilizada para tratar tumores do cérebro, tumores da mama, cancros, leucemias nas crianças», sublinhou.

O poder curativo da tal planta verde de flores brancas, para casos de cancro, foi descoberto na ilha africana do Madacasgar.

A natureza mostra que tem todas as soluções para o homem. O verde que cobre as ilhas de São Tomé e Príncipe conserva espécies de plantas e animais raras no mundo, mas não só. Também tem soluções para muitas enfermidades que assolam o planeta terra.

Depois da ilha do Príncipe, o grupo de estudantes finalistas de farmácia do Instituto Superior de ciências da Saúde Egaz Monis, vai trabalhar junto as comunidades da região norte da ilha de São Tomé.

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Daniel

    24 de Agosto de 2010 as 12:45

    ÓPTIMO, QUANDO PENSA-SE ASSIM, SABER QUE TUDO NA NOSSA TERRA TEM SO SEU VALOR, MESMO O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E SAÚDE DEVIA DAR MAIS VALOR A ESSES TIPOS DE PROJECTOS, SEGUIR O GRANDE EXEMPLO QUE O NOSSO PAÍS IRMÃO MOÇAMBIQUE QUE TÊM DEMOSTRADO NESSES ÚLTIMOS TEMPOS….

  2. Pleto

    24 de Agosto de 2010 as 13:15

    Sao pequenas/grandes acçoes como essas que fazem um País crescer e ter credibilidade. Precisamos disto em todos os sectores, mas infelizmente quase tudo em STP mete política e compliquices.

    O santomense tem que mentalizar que o desenvolvimento do nosso País nao passa necessáriamente pela política, a política e os políticos baralham tudo mas se tivermos uma sociedade civil forte,organizada, activa e muito dinamica, acredito que nao haverá políticos/partidos que possam nos meter areia nos olhos.

  3. Digno de Respeito

    24 de Agosto de 2010 as 13:44

    Boa iniciativa, como umas tantas que por ai se pode considerar…

    Entendo que através do Sector da Educação e Cultura, adoptar-se uma estratégia de desenvolvimento no domínio do auto-conhecimento socio-cultural envolvendo a sociedade civil (dentro e fora da Capital). Esta é mais uma prova dos valores que deveria ser mais aproveitados. Aliás, STP deveria ser um berço laboratórial em Bioquimica com reconhecimento internacional. Parece-me que exitem condições básica. Será viável e vantajoso?!!!! Já se pensou no número de quadros nacional (dentro e fora do País) nesta área e a fins?!! Eles, não estarão interessados em colaborar para o bem económico?

  4. Madalena

    24 de Agosto de 2010 as 16:38

    A Planta sempre noiva, é curativa e depois? Eles agora devem ao torto e ao direito usa-las?
    Acho melhor pensarem no ensino, na saude, no conhecimento de forma geral. Outras iniciativas??
    passooooo

  5. António Veiga Costa

    25 de Agosto de 2010 as 1:11

    Primeira medida seria catalogar as espécies curativas e registrar internacionalmente como originárias de nossa biodiversidade.
    Citando o Brasil como exeplo: muitas das plantas foram levadas de lá por grupos de estudiosos e registradas lá fora como propriedade dos usurpadores.
    Defendam o que é nosso!

  6. BLAGA PENA

    25 de Agosto de 2010 as 5:58

    E aqui que vai ser dirigida a minha opiniao, acho eu, esta deveria ser uma area de investimento, todos os santomenses deveriamos evidar os esfoços e criar um projecto em nome de todos nos, a diaspora tambem deve participar

  7. Osama bin Laden

    25 de Agosto de 2010 as 13:18

    Abel gostaria que desvendasse o secretismo que anda volta da composição do Governo da ilha do Príncipe.
    Paira cá em STP que o secretario Hélio Lavres recusa abandonar lugar, o Presidente anda de mãos atadas para formar o elenco.
    Não sou de Príncipe, mais ao ouvir isso deu-me uma certa graça….

    Dizem-se que Tó Zé nem tem pulso com eles lá no Príncipe que têm mania que é inteligentes, mais não passam de pequenos capachos, eles querem autonomia para andar a porrada por causa de poder, essa gentinha de Príncipe realmente, são autênticas piadas…..

    Meu amigo Tó Zé deixa eles, volta para S. Tomé que melhor para ti.

    • Polvo Paul

      25 de Agosto de 2010 as 15:50

      Tenho um amigo do Príncipe que estuda junto comigo, cá no Brasil, que contou-me que o Presidente do Governo regional do Príncipe, quer trocar o Presidente da Assembleia regional um homem formado em direito, por outro chamado João Paulo Cassandra.
      O meu amigo confidencio-me que esse João Paulo é um indevido bastante preguiçoso e já foi administrador do hospital, onde deixava os doentes com fome usando verbas para o feio para seu próprio bem.
      Também fartei de rir quando me contaram isso, trocar um jurista por um outro que nem tem capacidade de trabalho que ainda por cima é preguiçoso.

      Enfim, mas no Príncipe quem reina é os indevidos que tem apelido Cassandra.

      Aaaaaaaaaaah, gente de Príncipe são muitos engraçados…..

      • Polvo Paul

        27 de Agosto de 2010 as 11:08

        Carlos Cassandra Director do Hospital do Príncipe, Rodrigo Cassandra Director da EMAE Príncipe, João Paulo Cassandra próximo presidente da Assembleia regional, To Zé Cassandra presidente regional.
        É caso para dizer que família Cassandra que está a mandar no Príncipe, mudança chegou para vocês, cuidado, Príncipe não é herança da vossa família.
        Tó Zé esta de parabéns foi para Príncipe para promover os seus familiares, que vergonha….

        • sydnei

          28 de Agosto de 2010 as 14:34

          Meu caro amigo n sou de principe mas sim de são tomé , estou a ver que Principe esta adesenvolver mas que São Tomé se n sabia fica a sabe que tó zé esta a mudar principe ok …so um burro e inguinorante como vç que nve isso—ok força

  8. xavier

    26 de Agosto de 2010 as 9:28

    Os meus parabéns à iniciativa. Acho que é preciso valorizar mais ainda a riqueza de plantas medicinais no país e promover as patentes comerciais sobre os seus principios farmacéuticos como uma nova fonte de ingressos

  9. Digno de Respeito

    26 de Agosto de 2010 as 14:13

    Espero que alguém venha um dia a beneficiar da ideia( que em alguns momentos) vem sendo debatida. Bem haja ….

  10. sydnei

    28 de Agosto de 2010 as 14:36

    é uma boa iniciativa do governo regional , se os mais velhos morrerem vam com seus saber e nos ficamos lixados …força vai para frente e so assim podemos consigui

  11. Jeissy Ananias Lucino

    11 de Junho de 2011 as 19:12

    Primeiramente, devo elogiar o trabalho que o nosso Governo vem fazendo ao longo desses anos todos,e que tenham muita coragem e dedicação, porque quem esta de fora vê o jogo de outra maneira, fazendo critica com palavras grosseiras, que talvez se estivessem no mesmo lugar não fariam nada ou pior.
    Para acrescentar,eu li todos os comentários, e deparei com questões diferentes e que por vezes quem falou certas asneiras não têm noção do que diz.
    Para nós criticamos trabalho do outro, temos que fazer uma auto- critica, pergunto, Que contribuição esses pobres coitados, frustrados,que andam desesperados com a vida fizeram para seu país? Que andam por traz deitando pedra para sua própria janela, depois dizem eu estudei em Brasil, China,E.U.A, O que fizeram? que iniciativa? que contribuição?
    Outros nem se identificam se quer.
    Caros compatriotas, vamos mostrar no terreno quem somos, vamos dar e depois exigirmos,
    Respeite a democracia, deu-nos liberdade mas temos que saber o que vamos dizer,
    Quem não quer ser magoado,
    não magoe os outros.
    Obrigado!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo