Medidas agressivas do fisco começam a mexer com interesses pessoais e de grupos

São mesmo “agressivas” como disse a directora dos impostos. A instituição decidiu avançar com medidas coercivas para obrigar os contribuintes a pagar as dívidas com o estado. 20 processos de execução fiscal estão a ser implementados. O estado poderá arrecadar 500 mil euros numa assentada.

A raiz do deixa andar e da cumplicidade política para defender interesses de particulares e de grupos, começa a ser extirpada do solo fiscal são-tomense. Os sucessivos governos, sobretudo os ministros das finanças têm advertido os homens de negócios, concomitantemente actores políticos são-tomenses para a necessidade de cumprirem com as suas obrigações fiscais, mais sem sucesso.

A evasão fiscal passou a ser norma, no país da impunidade. O Téla Nón recorda que no anterior governo a então Ministra do plano e Finanças, chamou a atenção dos deputados, maior parte deles homens de negócios para a necessidade de darem o exemplo cumprindo com as suas obrigações fiscais.

Na lógica de que os cães ladram e a caravana passa, os principais actores da fuga ao fisco, nunca pensaram que o cenário ia mudar. Mudou e de forma repentina. Para evitar a falência total do próprio estado, o governo através da direcção dos impostos decidiu avançar com medidas coercivas para recuperar dívidas e evitar o colapso do estado, cujas receitas não param de diminuir. «Face ao acumulado de dívidas registadas na Direcção dos Impostos, o fisco decidiu tomar medidas mais agressivas. Constatamos que os incumpridores não são responsabilizados, ou seja, alguém que não paga os impostos nada lhe acontece», afirmou a Directora dos Impostos(na foto).

Alda Daio, explicou ao Téla Nón que já existem 20 processos de execução fiscal, e que um dos casos culminou com a penhora do Armazém pertencente a firma Irmãos Monteiro. «Foi penhorado um armazém pertencente a dois executados num mesmo processo. É um armazém situado no bairro Lucumy, pertencente a uma firma comercial, mas também está em causa os próprios sócios que têm dívidas avultadas. São contribuintes que não declaram. Sabemos que são pessoas que comercializam vários produtos na nossa praça. São grandes importadores e não declaram», sublinhou.

O caso do armazém localizado no bairro Lucumy é apenas um exemplo. A penhora está avaliada em 6 mil milhões de (dólares ERRADO) dobras, cerca de 240 mil euros. Pelo que o Téla Nón apurou o montante em causa que a tal firma deve ao estado é suficiente para pagar um mês de salário de todos os funcionários da função pública. Alda Daio deixou claro que se os donos do armazém não pagarem o valor em causa o bem imóvel serão vendido em hasta pública.

No conjunto dos 20 processos de execução fiscal em curso, a Direcção dos Impostos, garante que estão em causa cerca de 500 mil euros. Dinheiro que a evasão fiscal, colocou fora do controlo do estado, para o benefício de particulares e de grupos.

O negócio de arrendamento de casas também está a dar lucros fabulosos há determinadas individualidades do país, e a custo zero. Agora e com base na lei o fisco exige que 15% do valor do arrendamento seja depositado nos cofres do estado. «Estou a falar de casas próprias que estão arrendadas. Uma casa arrendada gera rendimento para o contribuinte e deve ser tributado. Para esse imposto actualmente, a percentagem é de 15% do rendimento bruto», frisou a Directora dos Impostos.

A direcção dos impostos está consciente de que as medidas agressivas em curso não são bem acolhidas. O facto do estado são-tomense ter dado provas, desde 1975 de que não é bom gestor, contribuiu para a enraizar a mentalidade anti-fisco.

O cidadão comum, assim como os grandes homens de negócios, reclamam o facto de pagarem o imposto, mas em contrapartida o estado, ou melhor, os governos que gerem tais fundos nada fazem, para uma efectiva melhoria das condições sociais e económicas do país. «De facto há este argumento para o não pagamento dos impostos. Mas essas exigências devem ser feitas em outros fóruns. O cumprimento da obrigação fiscal deve ser observado. Agora a exigência de uma boa gestão dos bens e dinheiros públicos, deve ser feita em sede própria. Somos contribuintes mas ao mesmo tempo eleitores, temos vários papéis na nossa sociedade, e assim podemos exigir que haja uma boa gestão», concluiu.

Acção coerciva sem precedentes do fisco são-tomense, para alimentar os cofres do estado.

Abel Veiga

.

  1. img
    BLAGA PENA Responder

    Pois a que mudar, o azimute do barco
    Viva Alda Daio
    Força e bom trabalho

    • img
      Venâncio Responder

      Boa inciativa senhora. Toda nação santomense espera que não seja mais uma destas atitudes recorrente dos nossos políticos de gerar propaganda mais na prática nada será feito.

      Somente não compartilho com a opinião de pagar 15% do valor do aluguel das casas. O governo deve criar um imposto fixo anual que pode ser pago em prestações mensal dependendo do tamanho da casa. Como por exemplo Imposto sobre Propriedade Territorial Urbano que o Brasil cobra. independente da casa estar alugada ou não temos que pagar este valor.

      Casas enquanto propriedade privada o proprietário deve alugar e fazer o que pretender, mas, deve pagar algo aos cofres público.

      Aproveita e faz uma auditoria no processo de concessão de bolsas de estudos. O que ando lendo nesse jornal a respeito disso parece que Muitos estão ganhando dinheiro com isso.

      cumprimento bom trabalho

  2. img
    Teodoro Menezes Responder

    Pagar impostos é dever do cidadão;mas
    cobrar uns e fingir que outros não existem é crime e quem foi o principal culpado desta situação foi Estado que não soube fazer valer a sua competência.Já agora,por favor se isto não lhe dá muito trabalho dê uma vista de olhos nas Empresas Públicas e pivadas que cobram IRS e Segurança social dos trabalhadores retêem estes valores nos seus cofres e não depositam na conta do Estado.Não lhe conheço de perto mas a sua acção merece respeito.Os meus parabéns e gente assim é que queremos nas Instituições.Obrigado

    • img
      Teodoro Menezes Responder

      Onde digo pivadas deveria estar Privadas.
      Obrigado.

  3. img
    Celina Gama Responder

    Parabéns a Direcção dos Impostos, na medida em que o trabalho a ser desenvolvido, ser denotado como colectivo e não exclusivo de uma pessoa.

  4. img
    fidelito Responder

    Muito bem.

    FORÇA!

    PRECISAMOS DE BOAS ESTRADAS E ÁGUA POTÁVEL E NÃO DE 2 BMWX6 –ÚLTIMO GRITO!!!

  5. img
    Maria Izé Responder

    Dar César o que é de César. Parabéns ao anterior Director dos Impostos que começou a campanha das execuções fiscais.

  6. img
    jp Responder

    Força Dra. Alda, conte sempre com o apoio da população

  7. img
    Ke kwa Responder

    Isto ainda vai acabar numa guerra civil

  8. img
    o imaginario Responder

    são dessas coisa q cresce um pais, os grandes negociantes tambem tem que pagar emposto pq emposto não é só pobre coitado…
    Força Alda Daio Bom trabalho..

    • img
      Edson Responder

      Imposto meu caro imaginario!

  9. img
    suspeito de sempre Responder

    mas são 6mil milhõe de dollar ou 6mil milhões de dobra, porque se for dollar nao pode dar 240 mil euros?, com essas medidas vai dar em algo, só espero k esse algo seja de beneficio para pais , e não ajudar essa capula k dizem ser empresario

  10. img
    euzinha Responder

    Viva nós santomenses. Queremos o país caminhando a passos gigandes. Pra frente que atrás vem gente.

  11. img
    Celsio Junqueira Responder

    O aparecimento da “Máquina Fiscal” em força, rigorosa e competente é de saudar.

    Felicito a Directora e toda a sua equipa.

    Todos teremos a ganhar com uma Justiça Fiscal eficiente e eficaz.

    Alerta, cuidado com os “excessos” e os “Justiceiros” que com a slogan da Justiça levada ao extremo só faz e promove o contrário, Injustiças.

    Muita ponderação e equidade, analisar caso a caso, dar a cada cidadão a possibilidade de se defender e de exercer o Direito ao contraditório.

    Não perseguir os “Ricos” por serem ricos, riqueza não é sinonimo de crime e/ou pecado, mas deve ser tributavel.

    Portanto, meus senhores agir em conformidade com a Lei e o Bom Senso.

    Bem Haja,

  12. img
    "Osama Bin Laden" Responder

    STP não tem força produtiva para geral receita fiscal no valor 6 mil milhões de dólares de unidade de conta, a capacidade contributiva do nosso povo é baixa.
    Basta olhar para os nossos OGE’s ao longo dos anos e dar uma vista de olhos na rubrica de contribuição e imposto para chegar a essa conclusão.
    OGE para 2011 está previsto em 153 milhões de dólar, neste caso o nosso Governo não precisaria solicitara juntos aos nossos parceiros o financiamento para OGE de 2011.
    Por favor expliquem isso melhor.

    • img
      Téla Nón Responder

      Foi um erro, ou lapso de escrita do Téla Nón. Já está corrigido. Obrigado Laden.

      • img
        Interventor Responder

        Entao sao 6.000.000,00 de dobras?

      • img
        Mundo é de Deus... Responder

        1,00 EURO  24.500,00
        240.000,00 Euros  X

        Logo X= 240.000*24.500/1

        Feitas as contas X vai ser = 588.000.000,00 e não 6 mil milhões

        Queremos informações exactas, para não nos induzir em erros.

  13. img
    datinho Responder

    Até k fim, uma senhora de muita coragem. Força Alda, é o k precisava esta ilha maravilhosa

    • img
      Mimi Responder

      A Direccao dos Impostos esta a DAR SEGUIMENTO (e bem) a um PROCESSO JA INICIADO de arrecadacao de receitas, via cobranca de impostos, o qual era IMPERATIVO CONTINUAR. O que se espera e que as receitas sirvam para os fins a que se destinam, para que os contribuintes comecem a acreditar que vale a pena contribuir

  14. img
    Madalena Responder

    Drª Alda Daio
    Bom trabalho, é preciso equipe forte e coesa.
    Mas, gostaria de vê-la no Governo, na coordenação economica do país. Alda foi no meu tempo a melhor de todas como estudante. Força. Eu não devo ao FISCO. Por isso…

  15. img
    Peço mais respeito! Responder

    Estou farto de sociedade de moral hipocrita…

  16. img
    eu Responder

    Que tristeza, Alda daio!!
    Foi você que iniciou esse processo?È a primeira vez que se faz execuções fiscais? Que mentira!!O que se passa, é que nunca se publicitou tanto, porque a lei impede.
    Se não me engano muito, o anterior governo tentou fazer passar no parlamento uma lei que autorizasse essa publicitação, e os deputados não aceitaram. Certo ou não?! Aliás agora, falou-se em vinte e tal nomes, mas só foi identificado um devedor. Porque será?
    O teu tio Pascoal Daio, deve muito ao fisco. Executaste os bens dele?
    Sejamos sérios!O fisco é uma equipa, e não uma pessoa.
    Todos, mas mesmo todos, devem pagar. Seja quem for.
    Fui

    • img
      Jose Silva Responder

      Muito bem lei para todos, só assim o País podera avançar. Nada de rifas, falhou comeu.
      Gostaria de perguntar também se esses depiladpres do povo que ficaram com diversas casas de Estado como se fosse herança dos seus pais e andam alugadas, o que serão delas? Não havera justiça? O povo precisa saber.

  17. img
    Leopardo Responder

    Dr. Alda Daio….
    O cidadão tem o dever para com o estado em pagar os imposto, por outro lado, o Estado tb tem o dever para com a população e dar boas condições de vida.
    Fala-se mui em imposto, mas não se fala do hospital e das estradas … etc… A Sr.ª Alda qd quer fazer consulta vai a Europa.. e povinho vai para hospital de M… é assim que querem crescer o Pais.
    Primeiro têm que dar e depois exigir… e não exigir do povinho que não tem nada para dar.

    • img
      contabilista Responder

      tu talves deve ser um BURRO,

      agora pergunto, não sabes que de impostos é que o Estado vive e em oncseguinte é que o Estado poderá construir estradas, HOspitais, escolas e uotros bens público?

      De onde epnsas que o Estado tirará o Dinheiro para a construçõa dos mesmos?

      nmu País com o PIB baixissímo!!??

    • img
      Jose Bandeira Responder

      Leopardo

      Estou a ver que es um daqueles que sempre fugiu ao fisco e vai ter agora de corrigir a infraccao. Vai ser para ti mas vai ter de ser assim. Em todo o Mundo e assim, as pessoas tem de pagar imposto para que o estado consiga cumprir com as suas obrigacoes. Todos os maus habitos enraizados na nossa sociedade vao ter de ser eliminados. Forca Dra Alda Daio.
      Se queremos um S.Tome e Principe prospero, temos todos de dar a nossa contribuicao para que assim seja.

  18. img
    Fernanda Alegre Responder

    Que sucessivos governantes temos…se fosse pah tirar curso de bandidagem eles seriam perfeitos professores…Um País como nosso,tão pequeno mais coisas que decorre nele…hum..enfim!!!!

    Apesar de ser tarde a atitude, mais prontos é de louvar espero que não fique só por meras palavras.

    Força e continue a fazer o bem pois isso é o melhor gesto que pode-se mostrar.

  19. img
    Espaco democratico Responder

    Acharia tudo muito louvavel, se uma fatia relevante do arrecadado nao se destinasse a engordar os salarios dos proprios funcionarios dos impostos. 1)Qual a real motivacao por detras destas medidas “agressivas”? 2)Ate que ponto existe neutralidade para determinar os valores devidos ou em outras palavras ate que ponto nao temos uma mafia de funcionarios publicos a estabelecer valores que os convenhem, impondo aos contribuintes por vezes quantias injustificaveis a serem pagas. 3)Se o objectivo e mesmo arrecadar o maximo possivel para os cofres do estado, porque que o proprio estado e conivente com esse tipo de situacao? 4) O que distingue um funcionario publico de outros que faz com que uns cheguem a ganhar 5 a 10 vezes mais? 5) Sera que compensa, motivar os funcionarios publicos a semalhanca do caso da Direccao dos Impostos, na busca de maior produtividade, se esta for a logica, porque nao adopta-la entao para todo o funcionalismo publico, de modo a evitar tamanhas injusticas?
    Enfim, coisas para se pensar, entre outras…

  20. img
    Macarofe Responder

    Força Alda, mostre o Dialo que é assim que se trabalha….

    • img
      E.Santos Responder

      Ah, o Dialo já não é Director? Desde quando? Nem me apercebi da mudança. De facto este rapaz surpreendeu-me pela negativa. Parecia ser uma pessoa tão humilde, mas o poder e o MLSTP estragaram o rapaz…E diga-se de passagem a Alda Daio era quem deveria ter substituído o Agostinho Fernandes desde aquela altura. Mas enfim…o cunho partidário falou mais alto.
      Bem, força Alda. É a oportunidade de demonstrares o teu brio profissional.

  21. img
    Ze Maria Responder

    Eu gostaria que esse discurso tornasse uma realidade. Com todo respeito minha senhora, essa medida apenas será aplicada ao coitado do Zé Povinho.

    Os tubarões da praça, que há décadas não vêm pagando tributos, irão continuar com esse vergonhoso benefício.

    Assim, como já passaram gente com influência maior nessa Direção [inclusive Advogado]e não conseguiram mudar essa realidade, nem a senhora conseguirá o fazer.

    Torço para que isso torne realidade, mas inicie com o alguns elementos do Governo, seguidamente pela Assembléia Nacional que por coincidencia tem alguns parlamentares que são comerciantes em embora não apareçam perante o público, sem se esquecer dos Magistrados e dos grandes nomes da nossa praça.

    Que Deus lhe ajude nessa caminhada.

  22. img
    Alberto Nascimento Responder

    “os homens de negócios, concomitantemente actores políticos são-tomenses…”

    quais negocios?

  23. img
    finalmente Responder

    Primeiamente gostaria de felicitar este governo pelas accoes que tem tomado para por cobro a certas anomalias que vem acontecendo ja a certo tempo,sobre o assunto dominante sabe-se que a contribuicao tributaria por parte dos operadores economicos ,homens de negocios singular ou colectivo representa uma fasquia significativa para o estado,em s.tome exitem muitos estabelecimento geradores de rendimento e tambem que da emprego a muitos,o que o estado tem que fazer uma vez que ja comecou cobrar os incumpridores fiscais e fazer tevantamento de tudo quanto gera receitas desde quiosque, bares ,salao de beleza ,casas arrendas,discotecas, lojas , tudo depois atribuir o valor que cada um deve pagar,e isso dever ser acompanhado com o levantamento de quanto trabalhadores existem nesses estabelecimentos geradores de rendimento,o que vai acontecer e que dai entra tambem seguranca social,porque fazem descontos e nao entregam a seguranca social.com isso a receita que vai entrando o estado tera como dar resposta a muita coisa que faz falta ao pais.obrigado telanon por esse espaco sou saotomense estou fora depais mas acompanho atentamenta a evolucao das coisas ali na minha terra assim apetece-nos voltar e dar o contibuto para o desnvolvimento do pais,continue firme directora de imposto isso mesmo ainda ha pessoas que querem ver s.tome a dar passos.obg…

  24. img
    MALA PE TEMA Responder

    Dr.Alda, seja realmente transparente, nao ‘e admissivel enquanto Senhora como Presidente do Tribunal de Execucao fiscal tenha que exercer em processos que o seu tio Pascoal Daio Advoga ‘e caso para dizer que voces combinam para comer dinheiro aos contribuintes,aliais o teu tio ambos nao pagam imposto,tens que comecar a cobrar imposto da venda de ovos e frango do Daio, dos processos de Pascoal Daio e da casa que o teu pai tem alugado sem contar com os projectos do teu irmao arquitecto. E as receitas da comissao eleitoral.Fui

    • img
      Celsio Junqueira Responder

      Carissimo Mala Pe Tema,

      Espero que a Sra Dir. Alda Daio não esteja ao serviço da familia DAIO, mas sim do Estado Santomense e do contribuinte.

      Pois não é a sua familia que lhe pague o ordenado e só é funcionário público quem aceita as regras de servir o cidadão sem olhar aos nomes e apelidos, estatuto, riqueza ou caracteristicas de natureza diversa.

      Vamos desejar que a Maquina Fiscal seja isenta, imparcial e acima de tudo muito competente no seu arduo trabalho.

      Já vamos muito atrasado para a Justiça Fiscal, mas sempre a tempo de corrigir os erros do passado. Os impostos é uma forma que todos temos de contribuir para uma sociedade, as infraestruturas e serviços públicos.

      Vamos acreditar que é desta que um dos lados da Justiça arranque a bem de todos nós.

      Abraços,

  25. img
    Santolas Responder

    Força!

    Dra. Alda Daio pessoas como tu que a nosso pais precisa.

  26. img
    Leopardo Responder

    José Bandeira e Contabilista e outros …

    Não estou contra imposto … mas antes de exigir deve-se dar primeiro… se vcs fossem ao nosso hospital … vcs iriam saber o que estou a falar …
    O imposto cá em ST é para pagar viagem na classe executiva para os nossos dirigentes….
    Esse Pais é uma vergonha.

    • img
      Maria leva leva Responder

      È verdade, pagar imposto para quê?!!! Se na prática andas nas estradas cheio de buracos, hospital não se fala, não há luz, não há escola, não há saneamento básico, desporto zero, cultura enfim, aeroporto água weu.
      Não há barco para ligar as duas ilhas, cortam orçamento a ilha do Príncipe.

      Não se pode pagar imposto para as pessoas ficarem a viajar na 1ª classe, mais de 20 fezes por ano, ou vocês param com viagem e começa a fazer qualquer no país ou ninguém é obrigado pagar nada.
      Vão ler a teoria do imposto vão ver para que serve o imposto pago por povo.

  27. img
    Bragança Responder

    “Antes tarde do que nunca” Ja dizia o velho ditado. Para além desta medidas citadas, as quais eu concordo plenamente acho que ainda há formas de o estado angariar fundos através das receitas fiscais. Estabelecer parcerias de modo a obter informações para tributar os rendimentos aplicados em paraisos fiscais, tributar rendimentos que os residentes nacionais obtêm no estrangeiro, realizar uma fiscalização para averiguar se os os impostos retidos na fonte são efectivamente entregues a administração fiscal.
    Sugiro também uma reforma fiscal, quando as bases tributáveis, as taxas, responsabilidades pelas dividas fiscais, e responsabilidade acessórias como por exemplo a declarativa.
    Mas nesta reforma temos que ter atenção a competitividade fiscal tendo em conta que estamos num mundo globalizado, o que pode conduzir a deslocalização das empresas e de remdimentos por outro lado desencorajar o investimento directo do estrangeiro, ou seja temos que analisar alguns benéficios fiscais nessa matéria.

  28. img
    Parlamento de STP Responder

    Patrice também tem que pagar imposto da Vivenda que ele comprou, comprou não lhe ofereceram foi o homem que vende nosso petróleo na Nigéria que lhe ofereceu a casa, ao troco de quê é que ninguém sabe, mais era bom que ele explica-se na casa feita no terreno do senhor António que Fradique de Menezes tomou a força toda, porque ele tem poder….

    O poder de vino vai ser mais forte, é uma questão de tempo.

    • img
      Pedro Sousa Responder

      Se Patrice não pagar imposto eu também não pago, nem que para isso tiverem que passar por cima do meu cadáver.
      Lei para um Lei para todos.
      Eu nasci em STP, não vim de Gabão.. Meu pai e minha nasceram em STP e eu Também, não tenho outro lugar no mundo para ir, ou seja sou filho de uma terra só, a minha mulher e as filhas são todas em STP.
      Se não paga eu também não….

      • img
        Jose Alberto Responder

        Pedro Sousa

        Nao olhe para os outros. Cumpra com a tua parte e estou certo que todos os outros, por obrigacao moral, tambem farao a sua, independemente dos cargos que ocupam, em nome de uma justica igual para todos.

        • img
          Hugo Lima Responder

          Pois José,
          Concordo plenamente contigo. É por essas
          e outras que o nosso STP está como está se voçê não paga eu também não pago.
          Não pode ser assim, Eu tenho que fazer a minha parte para depois poder te denunciar é assim que temos que pensnar e fazer. A Lei é pra todos.
          Se um individuo atirar-se a ponte?

          Apelo:
          Senhores Membros de Governo, Deputados que coerciantes ou negociantes fazem a vossa parte pagam os imposto.
          Porque um dia não vai ser só conversas. Pessoas que não cumprem a Lei têm que ir para tras das grades……..

  29. img
    Peço mais respeito! Responder

    Chega de hipocrisia… É o mesmo que aconteceu com o tribunal de contas, agora já nem se houve mais falar… Quero ver pra crer.
    Eu particularmente sou a favor do imposto, mas próprio o Estado se encontra bem fragilizado diante das próprias normas impostas. Penso que o valor tributário é de extrema importância para própria consolidação da economia do país, o que não compreendo é como um Estado pode tomar uma atitude dessas somente agora. Tudo isso me faz pensar de que noutra hora não havia um Estado!

  30. img
    MALA PE TEMA Responder

    Sr Patrie trovoada,Sr comprou casa do sr Fradique,pergunto sera que Sr,declarou as financas o volor real?
    eu e o povo de stp gostavamos de saber,
    para de estar a perceguir os irmaos monteiro pq eles trabalhao e vsacrificam para ajudar esse povo,
    eles nao sao bandidos sao pessoas serias e onesta,sim estao a pagar a fatura dop M.L.S.T.P por favor parem de estar a perceguir os homems que trabalham.
    fui………………..

  31. img
    Carlos Ceita Responder

    Meus senhores não vamos transformar este fórum de debate de ideias num fórum judicial de acusações e defesas. Estar a trazer nome de pessoas A ou B que não pagou impostos acusando-os sob anonimato não tem muita graça. As mães os pais os irmãos os filhos não são para ai chamados. Os argumentos jurídicos devem ser esgrimidos na sede própria. Evitemos personalizações. O que interessa efectivamente é saber como alguém já disse aqui se as intenções se materializarão na prática. Nas democracias avançadas a fuga ao fisco é crime e da cadeia. Mas desde 1991 até hoje na nossa democracia já devia ter juízo suficiente. Já não é uma criança. Já não há desculpas. A democracia não é so votar em 4 e 4 anos. A nossa democracia tem de amadurecer tem de crescer para ser uma prática quotidiana. E isso para pelo cumprimento da lei. E ninguém deve estar acima dela. Por fim se a recolha dos impostos forem bem sucedidos então construam estradas hospitais e liceus. A democracia também é isto.
    Porque como o povo diz e com razão quem avisa amigo é. POE E TIRA

  32. img
    caboverdiano Responder

    viva senhor primeiro ministro até que enfim apareceu um homem com H GRANDE com a coisa no lugar para que esses ladroes entre nos eixos e o pais entre no rumo certo

  33. img
    Digno de Respeito Responder

    A democracia é mesmo isso. Respeitar e fazer respeitar sem excepção. Por isso a democracia financeira gera responsabilidade económica. E saimos todos a ganhar. Plenamente de acordo com a actual Directora dos Impostos e a sua equipa. Espero que se comece também a criar condições para execução de bens (directa ou indirectamente subtraidos) a pala de “fuga fiscal”. Aos incumpridores apartir de um determinado valor considerado avultado e depois de esgotado as capacidades de negociação parcelar, sugiro a confiscação e leiloado ao público. E o produto resultante dessa operação iria contribuir para a receita patrimonial. Basta tentar perceber como é que alguns “dos tais” conseguem comprar quase a pronto veículos luxuosos e imóvel quase á pronto em determinados locais previlégiados de Portugal.Esperemos que essas aquisições tenha sido resultante do suor pessoal dos seus detentores….

    Força senhora Directora. Inclua na sua equipa peritos em Fiscalidade e Património pois será um reforço avantajado. Bem haja…

  34. img
    madalena Responder

    Olha minha prima disse que não paga imposto.
    Perguntei-a porquê?
    Ela me disse que:
    - Vivo em casa sem agua, sem luz e sem esgoto.
    - Na minha rua não tem espaço de lazer, n~
    ao tem jardim , não tem casa de cinema, não tem nada.
    Escola, transporte publico e iluminação pública são deficientes.
    – Recebi o salario de Setembro em 10 de Novembro, por isso….
    Meu filho, não tem professor com formação especifica, pois ele é deficiente. Não tem no país escola para deficiente.
    Imposto para quê?

  35. img
    Edson Responder

    O Estado existe para fazer valer e cumprir a lei. As pessoas devem perceber que o orçamento anual do Estado depende desses pequenos e grandes valores do fisco, portanto deve-se de facto obrigar as pessoas (seja elas quem for)a cumprirem com o dever. Esta é uma forma de contribuir para o desenvolvimento do paìs, pois nenhum paìs do mundo (nem mesmo os do G8) abdicam de cobrar os seus impostos!

  36. img
    Fruta Fruta Responder

    Parabéns Srª Directora!
    Até que enfim aparece alguém com coragem e determinação para avançar com alguma disciplina nesse torrão que parece uma anarquia.
    O Estado vive de quê? Sem recursos (Dobra/Ouro/Dinheiro) não se pode pode canalizar a água para o Hospital, nem investir em novas e na manutenção de todas as infraestruturas que estes mesmos individuos usufruem. A Fraude e evasão fiscal prejudica duplamente, uma vez que a maior parte das vezes são esses mesmos individuos que utilizam as infra estruturas mais intensivamente.
    A democracia tem de ser consolidada com medidas dessas e com ética. O Governo eleito democraticamente é para servir o povo. Basta estarmos sempre de mãos estendidas à espera de subsídios.
    O Léve Léve é uma cultura do povo nas relações sociais. Faça-se cumprir a lei que é feita para toda a gente e para o beneficio de todos. A lei não é só para alguns.
    Avante Senhora Directora!

  37. img
    Manuel Taraveira Responder

    Eu vejo com bons olhos essa iniciativa. Desde que seja implementado para todos e não para uns. Força…

  38. img
    Adazilza Costa Responder

    Dra. alda,agora diga lá quanto vai receber em comissões pela combrança dos impostos. 3% de cada um que conseguir arrecadar. por exemplo, quando o patrice pagar o valor que deve pagar pela compra da casa de praia das conchas ao fradique, a senhora vai receber 3%!

  39. img
    Barão de Água Izé Responder

    Cuidado na ação fiscal. Os impostos Têm que ser pagos, mas o Fisco na sua ação não deve criar obstáculos que possam prejudicar a Economia. Agir com firmeza, analisando caso a caso e punir se necessário. Não aplicar normas e metodos de cobrança fiscais (como penhoras automáticas) genéricos que muito mal farão a STP:

Deixe um comentario

*