Ministro da Educação avisa que vai ser muito difícil pagar a tempo as bolsas dos estudantes

O Ministro Olinto Daio(na foto), que estreou o programa Grande Entrevista da TVS, disse que o problema de atraso no pagamento da bolsa de estudo dos estudantes no estrangeiro, não ficará resolvido a curto prazo. Numa carta enviada ao Téla Nón os estudantes são-tomenses no Brasil manifestam-se desesperados com a situação.

Há mais de 6 meses que os estudantes são-tomenses no Brasil, não recebem a bolsa de estudo. O mais grave é que o sistema brasileiro não permite que os estudantes trabalhem para garantir rendimento complementar.

O desespero é grande no seio dos estudantes. Confrontado no programa Grande Entrevista da TVS, com o grito de socorro dos estudantes, o Ministro da Educação, Cultura e Formação, avisou que o problema não será resolvido a curto prazo. «Para um país que não possui recursos como nosso, até enviarmos bolsas com frequência para os alunos, a curto prazo vai ser muito difícil», afirmou Olinto Daio.

O Ministro reconheceu no entanto que o atraso é longo. «Quando entramos em Setembro não havia bolsas pagas. Temos dívidas de Julho à Dezembro do ano passado. Para pagarmos é preciso que o Orçamento Geral do Estado, seja promulgado pelo Presidente da República. E ainda assim depende da disponibilidade financeira do país», explicou.

Olinto Daio confessou que a situação dos estudantes são-tomenses no Brasil, é mais difícil do que os que se encontram noutros países, nomeadamente Portugal. «No Brasil por Exemplo, com o atraso que há o estudante está mais em risco que os alunos em Portugal. Pelo sistema brasileiro o aluno não pode fazer nenhum biscato, como é possível em Portugal. Vamos fazer o pagamento dos seis meses logo que esteja disponível», precisou ser avançar datas.

Na análise da situação dos estudantes são-tomenses no estrangeiro, o Ministro destacou Portugal, onde se regista cerca de 1300 estudantes. Olinto Daio pôs em causa os critérios utilizados pelos anteriores governos para atribuição das bolsas. Disse que o seu governo está a criar um novo regulamento para atribuição das bolsas, de forma a pôr fim a alegada desordem no processo. «Por exemplo em Portugal, o aluno que faz licenciatura recebe 250 euros.  Valor para pagar propina alimentação e estadia, o que não dá para nada», sublinhou.

Por outro lado segundo o Ministro «os alunos que foram para curso profissional grande maioria deles, tem um subsídio que a escola de formação dá no valor de 200 e tal euros. Os pais foram pressionando e o ministério ao longo dos anos foi incluindo-os na lista de bolseiros, e recebem 100 euros. Portanto têm 100 euros, têm o subsídio que a escola dá, têm alojamento e têm alimentação. Enquanto os alunos de licenciatura que precisam de mais livros e de investigação, só têm 250 euros», declarou considerando o processo como sendo injusto.

Segundo os dados divulgados pelo ministro da educação, cultura e formação, para além dos 1300 estudantes em Portugal, São Tomé e Príncipe tem mais 1200 estudantes espalhados pelo mundo.

O jornalista Artur Pinho que apresenta o programa Grande Entrevista, questionou o Ministro sobre o facto de no orçamento geral do estado para este ano, não estarem contempladas verbas para sustentar a bolsa dos estudantes espalhados pelo mundo. Olinto Daio respondeu que o governo só vai pagar a bolsa dos estudantes enviados pelo Ministério da Educação.

Os que beneficiaram de cursos de formação profissional, através da geminação entre as câmaras portuguesas e são-tomenses ficam de fora.

No entanto desde o ano 2004 que as despesas com o pagamento das bolsas de estudo dos estudantes são-tomenses no estrangeiro, têm sido suportadas com o fundo resultante do negócio da venda dos 30 mil barris de petróleo diários, que a Nigéria coloca a disposição de São Tomé e Príncipe para comercializar no mercado internacional.

O negócio rendia aos cofres do estado são-tomense mais de 1 milhão de dólares por ano. Na Grande Entrevista da TVS o público ficou sem entender porque é que agora não há verba inscrita no OGE para suportar a bolsa dos estudantes.

Será que São Tomé e Príncipe perdeu tal montante, após a confusão que rebentou no país, envolvendo o Governo, a Assembleia Nacional e o Presidente da República em torno dos 30 mil barris de petróleo? Esclarecimento que o Téla Nón promete procurar junto a quem de direito.

Abel Veiga

  1. img
    Ate quando nosso São Tomé e Principe Responder

    Pois é, as coisas vão acontecendo de nos os estudantes no Brasil vamos sofrendo. Eu particularmente não entendo como é possível isso acontecer. desde Junho ante 10 de Fevereiro nada de bolsa. E um valor que já foi orçado no ano passado pelo OGE. Como o Brasileiro diz, Pimenta no olho do outro é refresco.
    Nota: Eu não concordo com o corte de bolsa aos que já esta beneficiando. Acredito que devia ter mais controle e não dar bolsa as pessoas sem planejamento.

    • img
      Coloquem no nosso lugar!! Responder

      Povo de São tomé e Principe, Nós os alunos estudante no Brasil estamos numa situação limite, devemos aluguel aproximadamente cinco meses, temos dividas no banco (usamos todos os limites do bando, juros todos os dias), comida aua uê. Porque fazer isso connosco eim meus senhores. Sum Frandique Meneses quidalêêê.. Sum Patrice Trovoada quidalêêê!! .. Sum Olinto Daio quidalêêê..
      Punda plumê lêtê cu mén nancê pê nancê bóca. Manda nón djêlu êêê!!!!!!!!!

    • img
      Tela Responder

      É Certo que a culpa até seje do anterior governo mas nao é o anterior governo que esta a governar agora, o povo Elegeu ADI, para resolver problemas e acho que acima de tudo deve-se resolver problema e não justificar que o problema é do antigo governo, pelas contas feita, desde que o actual governo está no poder, os estudantes Bolseiro de Brasil não recebem mas será que o ME não sabe que os Estudante do Brasil têm bolsa não foi assinado um protocolo de cooperação enre Brasil e STP nesse sentido? então porque que vêm com essas desculpas sem fundamento?
      Relativamante aos estudante Bolseiro de Portugal, é Certo que muitos que estão ali não são originais Bolseiros do ME mas a única forma de resolver o problema é exigir aos responsáveis uma explicação, falando das Bolsas concedidas pela Fundação FAMA, será mesmo que todos os Estudantes estão a receber o Subsidio? necessário se torna saber em que ocndições esses Bolseiros estão em Portugal, para não se juntar aos Bolseiros de ME, E Isto de cortar os subsidio dos estudante que estão em Portugal é um acto de irresponsábilidade porque é certo que aquela quantia não chega e o ME sabe disso e se o anterior governo comprometeu pagar os tais 200 e tal euros não é justo diminuir sem mais nem menos com este fundamento e isto dos os alunos terem como fazer Biscato isso nem deveria ser dito pelo ME é uma vergonha os estudante sairam de São Tomé para Estudar e não para trabalhar,se fosse para ir alí trabalhar e estudar então não é necessário a interferência do ME, melhor o Ministério fazer o seu papel e assumir os seus comprimisso e deixar de desculpas sem fundamento e resolver o problema isto pagar os estudante o mais rapido possivel, Força Estudantes

      • img
        Tela Responder

        Algo que mi escapou, se no orçamento geral do estado nao esta previsto o verba para o pagamento dos estudantes para esse ano, então aonde que o Ministério ira tirar dinheiro para pagar os estudante, pelo que essa desculpa de que está a espera que o Presidente de República promulque o mesmo, não passa de desculpas infundadas, e como que o jornalista que o estava o intrevistar não colocou essa questão e se colocou porque que o tela non nada diz sobre isso???

  2. img
    celio Responder

    Os alunos nao podem ficar a espera da aprovação do orçamento. Tem se enviar alguma verba emergencial, pois a situação é grave e STP tem que honrar suas responsabilidades.

  3. img
    Celsio Junqueira Responder

    Meu Caro Ministro da Educação,

    Estranho não haver verbas para os bolseiros e ordem/justiça na sua atribuição.

    Quer uma solução prática para pagar os bolseiros?

    Basta que o Estado congele as inumeras viagens “descontroladas” feitas por tecnicos, chefes e representantes das Instituições Santomenses para o exterior.

    Logo ai teria uma boa parte do problema resolvido.

    Abraços,

    PS – Peça uma investigação de quanto gasta o Estado com as viagens de pessoas ao seu serviço!

  4. img
    BARAO DE AGUA'-IZE' Responder

    Ha gente a ganhar uma pipa de massa a custa de petroleo e nao ha dinheiro para enviar a um jovem numa terra estranha, onde nao tem mae nem pai, tios ou primos.
    Simplesmente ridiculo.
    Organizem mais uma sessao de djambi. Nao e’a solucao magica para as coisas ca na terra???

    • img
      Ate quando nosso São Tomé e Principe Responder

      A ganhar dinheiro de petróleo sem mesma começar a extracção (30.000, 40.000 USD). San Tomé . Tela ô

  5. img
    Maléquitone Responder

    os estudantes podem morrer de fome, serem expulsos de casa, ou obrigados a entrarem em maus caminhos. Pois o Governo alega não tem verba ta lar. Mas fica a dúvida, Como o governo compra carros, viajam como quem troca de camisa…….isto sim, é falta de patriotismo. Eles foram eleitos para Governar, não para reclamar, pedir paciência….não é só os Egipcios podem!

  6. img
    Mimi Responder

    Normalmente os governos dos países acolhedores estabelecem os montantes básicos necessários para a sobrevivência dos estudantes nos seus respectivos países. Estes incluem os custos das propinas, alojamenteo, alimentacao, lazer, seguro de saúde (em alguns países é obrigatório) ou alguma outra forma de proteccao, e outros. Nos casos em que algumas despesas sao cobertas pelas escolas ou outras instituiçoes, normalmente o sponsor (para nós seria o Governo de STP) faz as devidas deduçoes para que nao haja duplicaçao de pagamentos/subsidios/ e nem favoritismos de uns em detrimento de outros. O importante é que os montantes atribuídos NUNCA remetam os estudantes a níveis de miséria.

    Num momento em que se nota HA MESES o desepero dos estudantes santomenses fora do país, esperava soluçoes e nao as justificaçoes (por mais justificáveis q possam parecer) por parte do titular da pasta da Educaçao. SOu de opiniao que se houve “erros” no passado que nao sejam os estudantes a pagar por eles. O GOVERNO QUE INVENTE e tire-os desta situacao! Afinal os pais inventam de tudo par aver bem os seus filhos (e o Governo neste momento é o recurso para estes estudantes). Que se recorra a fundos de emergência, que se faça alguma coisa mas que nao os deixe passar fome, dormir ao relento, ser hunilhado e simplesmente dizer que “Para um país que não possui recursos como nosso, até enviarmos bolsas com frequência para os alunos, a curto prazo vai ser muito difícil”. ARRANJE SOLUCOES!

  7. img
    mister STP Responder

    Isso só pode ser um insulto ao estudante bolseiro no Brasil. A situação a cada dia esta cada vez mais precária ja há semana que bebo água com açúcar e como pão, nos proximos dias não terei nem isso para comer.
    Por favor resolve nosso problema. Estou passando fome.

    • img
      Delfin Responder

      Eu sinceramente nao entendo como um goverdo deixa uma situaçao com essa atingir o nivél que atingiu. Onde estão os planejadores das finanças santomenses? Não sabiam que os estudantes dependem dessa bolsa para se manterem no estrangeiro? sabe-se que Brasil é um País violento, O que pretendem com isso tudo?
      Caros representantes de São tomé e Principe por amor que temos a nossa terra, resolva a nossa situação. Pois, já estamos enfrentando dificuldades de todas as ordem: desde aluguel de casa, até um pão para pequeno almoço (matabicho).

      Obrigado

      • img
        Delfin Responder

        Só para reforçar o meu raciocinio. Pois, ta dificil de entender uma coisa muito obvia. Sabe-se que o orçamento do ano de 2010 contemplava a bolsa no mesmo daquele, porquê esse atraso de seis meses? Onde entrou o subsidio referente ao mesmo pagamento. Desculpe lá meus Senhores, acho que os alunos necessitam de uma explicação.

        Obrigado

  8. img
    Alguém que não é de S.T.P Responder

    A SITUAÇÃO É GRAVE MESMO.
    TODO ESSE PROBLEMA GIRA EM TORNO DA MAL ADMINISTRAÇÃO DO GOVERNO. O QUADRO DO GOVERNO DESSE PAIS DEVIA SER MUDADO – FALTA PESSOAS COMPETENTES PARA ADMINISTRAR O PAIS. AGORA PERGUNTO, COMO SERÁ O RUMO DESSE PAIS, SE O GOVERNO TEM DIFICULDADES EM MANTER OS ALUNOS NUMA FORMAÇÃO PROFISSIONAL, SABENDO QUE ELES É QUE IRÃO ADMINISTRAR O PAIS MAIS TARDE.
    È UMA SITUAÇÃO SÉRIA QUE PRECISA SER ESTUDADO COM URGÊNCIA, OU VÃO ESPERAR ALGUEM MORRER DEPOIS PRA ENVIAR A BOLSA??!!!

    • img
      jaka doxi Responder

      Meu caro que se diz não ser de são Tomé e príncipe.
      O problema destes estudantes já vem do anterior governo dirigido por Rafael Branco e seus caciques.
      Ainda assim penso que o actual governo deve resolver o problema.
      Mas antes sugiro que devem chamar a responsabilidade a estes senhores.
      Como é possível que Aurelio Martins envia estudantes para Portugal e não se responsabiliza pela estadia dos mesmos.
      Até é compreensivel que ele tenha esta atitude porque nunca foi aluno bolseiro e não percebe desta matéria.Mas aqueles que o permitiram deveriam ser sancionados.
      E já me disseram que estas bolsas foram dadas em tempo de campanha eleitoral.
      Fui

      • img
        Tagarela Responder

        O quê que Aurélio Martins tem a ver com a germinação Camarária e envio de estudante ao abrigo desse protocolo?
        O problema é gravíssimo e urge tomar decisões imediatas: enviar dinheiros aos estudantes que estão sob responsabilidade do Ministério de Educação e chamar responsabilidades a outras Instituições que se responsabilizaram pelas bolsas de alguns estudantes.
        Como já disse alguém neste forum, elegemos o actual governo para resolver os nossos problemas e não ficar a lamuriar vergonhosamente como fez O ME dizendo que não há dinheiro e em PT os alunos podem fazer “biscates”. Foram ali para estudar e não trabalhar. Seja responsável ao falar. Francamente!!! Viva STP!!!

        • img
          maisa Responder

          Estão a dizer que estudante que estão em portugal fazem biscate,saiba que nem todos conseguem isso,e para alem disso o ministro de educação teve ousadia de dizer que estudante profissional recebem subsidio de 200 euros pura mentira porque nem todos estudante recebem essa quantia e fiquem já a saberem que cortaram muitas escola profissional o subsidio,tanto de alojamento como de alimentação.Vê se trata disso chega de conversas.

  9. img
    Mendigo de STP Responder

    Pois é, neste momento, os estudantes que estão no Brasil não pedem frequência no pagamento das bolsas, PRECISAMOS DE DINHEIRO AGORA, PARA ONTEM!!!!! Todo o mundo entende que o país é fraco em recursos e blábláblá…..mas estamos a PASSAR FOME, PRECISAMOS DE DINHEIRO PARA AMANHÃ DE MANHÃ….POR FAVOR, IMAGINEM QUE SOMOS VOSSOS FILHOS, NA TERRA DOS OUTROS SEM PÃO E CHÁ PARA COMER….TENHAM PENA DE NÓS……..POR AMOR DE DEUS….!!!!!!

  10. img
    yure Responder

    Disculpa!Acho que os nossos ministros andão muito mal informados nenho estudante cá recebi 200€ e se recebi é para pagar casa gás alimentos e quando recebemos,rebemos muito tarde quer dizer quatro meses de atrazo e eu acho governo deveria vir cá para ouvi os estudantes de cursos profissionais porque passamos muitas dificuldade na minha escola cá em Aveiro não nos paga s de Setembro estamos à passar muita fome ja chegamos ponto de tmar banho com Àgua fria no pleno inferno só estamos à fazer uma refeição que è moso na escola jantar è deus quem sabe por amor de deus tambem somos filhos da erra ajude-nos nos estamos com publema atè cabelo vão corta-nòs subsidio cas se nos não apresentamos um comprovativo residencia ha mais de 50km vuces sabem oque è isso ach que nâo pense bem antes de curta -nos esse subsidio.

    • img
      maisa Responder

      O governo está mal das ideias em cortar o subsidio profissional.

  11. img
    Muala Têma Responder

    Gostária imenso que o senhor ministro “esclaresse melhor” a situação dos alunos no Brasil.Pois como disse na entrevista ao programa Grande Entrevista os alunos so curso PROFISSIONAL recebem mais do que os alunos que estão a licenciar-se ou a graduar-se conforme os países , então fica a minha pergunta , porquê que alguns alunos da pós -graduação não estão a receber a bolsa e outros sim ? Se o objectivo é ser justo , então que assim seja!!!

  12. img
    nao vamos ao lugar nenhum assim Responder

    iss nao pode ser normal agora para pagar estudantes nao ha dinheiro mas para campanha e viajens vossas ha sempre dinheiro todos temos direito… se voces podem pagar os que estao a fazer dotoramento tambem pode pagar os de profissional porque tem toda escola paga os alunos de profissional .isso eh injustiçaaaaaaaaaaaaaaaaaaa….

  13. img
    no escuro Responder

    caro Olinto, nao estas a dizer nada novo, o importante é resolver o problema e nao fazer narrativa de casos.

  14. img
    Leoter Viegas Responder

    Pelos dados do Ministro, existem cerca de 2.500 estudantes santomenses a estudarem no estrangeiro ( tanto nas Esccolas Profissionais com nas Universidades). Apesar de alguns estarem a receber subsídios de algumas escolas, se considerarmos que em média, cada estudante recebe 250€ mensal (valor altamente insuficiente para qualquer estudante sobreviver), estaremos a falar num total de 625.000€ mensal, isto é, 7.500.000€ anual (Sete Milhões e Quinhentos Mil euros). Trata-se de um valor incomportável para um País que não produz e que depende em mais de 90% do seu Orçamento de Estado da ajuda externa. Por isso, os Políticos e os Governantes particularmente, mas os santomenses em geral devem refletir sobre tudo em S.Tomée Princípe, mas na Educação em Particular, desde o ensino pré-escolar até o ensino superior. A falta de coragem, demagogia e populismo, sobretudo de diversos Ministros da Educação desse País, tem levado o sector de educação a um beco sem saída. Agora vem o Ministro dizer que não há dinheiro para pagar a bolsa aos estudantes que os sucessivos Governos enviaram para estudar.
    Meus caros compatriotas estudantes! Reivindiquem o vosso direito. Não calem perante a irresponsabilidade dos governantes santomentes.

    Leoter Viegas

    • img
      jhunior Responder

      Peço imensas desculpas se por falha minha não entendi bém o significado do seu comentário meu querido professor, mas sera ilegítimo a declaração do actual Ministro de Educação?? Não terá sido esta declaração uma boa actitude por parte do actual ministro de ducação de STP na medida em que contrariamente aos anteriores resolveu por o dedo na ferida explicando as causas??
      Sera que as criticas não deveriam ser derigido aos seu prodigiosos antecessores?J.G.C.SILVA JHUNIOR….abraços desse seu querido aluno..

      • img
        Leoter Viegas Responder

        Meu caro Januário,
        Sei que és inteligente, por isso, estás onde estás.
        Se voltares a ler com atenção o meu comentário, verás que faço uma crítica aos vários governos, sobretudo aos vários Ministros de Educação. Chamei a atenção para uma reflexão profunda sobre o sistema de educação em STP, porque se continuarmos assim, o País não tem e não terá recursos suficientes para custear as despesas da educação. As contas que fiz dizem respeito somente aos estudantes que estão fora do País. E aqueles que estão em S.Tomé? Por isso, mais uma vez, apelo a uma reforma no sistema de educação em S.Tomé.

        Abraço e sucessos nos teus estudos

        Leoter Viegas

  15. img
    Leila Responder

    xeee..é isso que o ministro de educação tem a dizer…ta ok,falou bonito sr ministro, mas agora paga já a nossa bolsa!!despacha e paga isso logo, esta só falar e mais nada…resolve esse pagamento o mais rápido possível.
    oh..aguardo o dinheiro na minha conta o quanto antes!!

  16. img
    xuxa Responder

    Diante de uma situação como essa, não é hora de pensar, mas sim de agir…
    Vários meses já se passaram e ainda com essa história .

    Deviam já saber o significado da palavra planejamento. Não é de um dia para outro que se faz isso, mas sim de antecedência para que as coisas dêem certo.

  17. img
    S.T.P no coração Responder

    Meu Caro jaca doxi, tu tas a ser parvo porké, xtamos a falar do ministro de educação e do Governo, nao xtamos a falar de Aurelio Martins, sou xtudante Sãotomense,em Portugual, e reçebo subsilio de escola a onde xtudos, graça a=Aurelio Martins, xtou realisando meu sonho em sim forma, sou de familha pobre, e tou a lutar pra alcansar objectivo,, sabemos k xtudantes no Brasil passam mais dificuldade em relaçao a xtudantes de Portugual,voçe ta fasendo politica sem argumente, meu irmao aranja outra forma de se apareçer nao criticas outro sem argumentaçao logica meu caro jaca doxi…. espero k Governo resolva essa situaçao, vixto k é competençia de governo resolver isso…

    • img
      jaka doxi Responder

      Meu caro STP no coração.
      O senhor não percebeu,não percebe e nunca vai perceber o alcance do meu comentário.
      Sou de opinião que o assunto deva ser resolvido com todos os estudantes sejam eles em Portugal,no Brasil ou em qualquer parte do mundo.
      Mas não posso concordar que pessoas que não entendam da materia como é o caso do seu “dono”andam por aí a enganar filhos de pobres como é o seu caso só porque pretendem dar nas vistas.
      E o mais grave é que o façam com a colaboração de gentes supostamente com alguma sabedoria como é o caso dos responsáveis do anterior governo.
      Por isso peço para que o problema seja resolvido de uma vez por toda.
      Sabe como?
      Chamando as coisas pelos seus nomes.
      Todos aqueles que ajudaram a fomentar esta situação devem ser desmascarados na praça pública por forma a que mais ninguem faça o mesmo.
      NB:Por favor meu caro. Você diz que esta a estudar em Portugal e por isso peço-lhe para cuidar mais da sua escrita:conselho de kota.
      Fui

      • img
        london Responder

        jaka Doxi,

        Mto bem dito!Concordo consigo 100%, os problemas das bolsas de estudo, devem ser encarada de uma forma seria e sem descriminar se a bolsa e para alunos do brasil, portugal etc.
        Quanto a este estudante de “familia pobre”, a sua escrita deixa mto a desejar pra que se encontra a estudar em portugal.

        • img
          Maria Guerra Responder

          todos os problemas de bolsa de todos os paises é preoucupante, em vez de descrimianar quem ou não vai receber… culpa é do outro governo os que entraram este ano os ampare e trave as próximas entradas… os que já começaram tem que chegar até ao fim! sr ministro dinheiro de petrolio é também nosso!os que estam nos paises africanos também sofrem eos que estão com os brancos ainda pior mt racismo e vcs ainda atrapalham para os brancos quando lá vão e os trat bem bota os para correr cria leis para os dar cabo da vida como eles nos dão aqui, povo santomense não nos abandone que etamos a sofrer mt aqui não tem fruta com bunzo , n tem dinheiro morre com fome e ainda vizinho fica vijia gente!

  18. img
    Fenix stp Responder

    Sr Ministro, espero que o sr leia os comentários que foram feitos aqui e não podia deixar de lado a minha humilde opinião como santomense que sou a cerca dos seus comentários:
    1 – O sr na sua entrevista não profere nenhuma, só no blábláblá, eu diria o sr calado é um autentico poeta!
    2 – Pelas minhas contas, S.T.P tem 2.500 alunos bolseiros, e eu pergunto será mesmo? acho que grande parte desses estudantes são fantasmas, porque não mostram a lista dos estudantes a serem pagos, existem alunos a mais de 10 anos a receberem bolsa! como é possível o governo não ter uma política que regulariza o numero de estudantes bolseiros fora do pais, vem de novo a tona, é preciso que isto continue assim para que se possa roubar, pois o dinheiro que supostamente iria para os estudantes fantasmas cai na conta dos ditos políticos santomenses.
    3 – Entra governo, sai governo e o pais continua na mesma, para aqueles que acreditam na mudança, dou-lhe um conselho, é melhor esperar pra ver!!
    4 – O sr ministro alega que não tem dinheiro,mais tem sempre pessoas viajando a custa do pais pra fazer não sei o quê!! isto sim não deve continuar, uma vez que dizem não terem dinheiro.
    5 – A situação dos alunos no Brasil é tão caótica, acredito que nos outros paises também, mas falo do Brasil pois faço parte de um desses alunos, que a qualquer momento algum aluno irá morrer, isso mesmo morrer, os alunos não tem qualquer suporte medico, psicológico, passam fome e têm que estudar.
    6 – Será que os alunos têm que pagar com a sua própria vida o fato de querer um futuro melhor?????

    • img
      OP ANGOLA/STP Responder

      Ressalva pertinente, além de tudo que ocorre concernente aos acadêmicos de STP no Brasil, não existe amparo legal e auxilio diplomático para os devidos efeitos, medidas cruciais devem ser tomadas por obsequio.

  19. img
    J. Maria Cardoso Responder

    O Governo Santomense deve encarar de uma vez por todas k a situação dos bolseiros é gritante, de desespero e de fome.
    Não é estranho k o Estado é dos piores pagadores, mas há um compromisso para com os filhos em paises terceiros sem meios de sobrevivência k gritam pelo socorro. Os Governos mudam-se, o Estado não.
    Se o Governo, tão novo no poder, não soubesse ou não tivesse compromisso com os estudantes, o Estado tem e devia evitar a longa fome e miséria em k os mesmos estão sendo submetidos perante o adiar da questão.
    Recorra aos duodécimos sem perca de tempo. Cada minuto k passa, é um passo ao abismo. O país ainda não decretou falência. Pois não?
    Sr. Ministro, por favor, invente!

  20. img
    carvalho Responder

    muito boa noite, o que acabei de ler só mostra que o nosso país só vai melhora quando houver mulher ao cargo, só falam de Brasil Brasil, alunos em portugal também estão a passar muito mal, todos nós temos direito seja aluno que ministério mandou ou não somos todos saotomenses, eu entrei agora na faculdade por via da embaixada de são Tomé e príncipe em portugal candidatei me a bolsa gastei imenso dinheiro nas camionetas e agora eles vêm preocupar com alunos que ministério enviou ? ja n recebmos a 5 meses e provavelmente n vamos recebe-lo a unico opção para alunos com futuro é abandonar aquilo que eles lutaram vida toda para conseguirem só pode

    • img
      Edson dos Prazeres Responder

      Caro Carvalho, seja mais cauteloso na tuas colocações, estas a mandar toda essa boca porque STP é uma País de bandalha e tdos la querem mandar e fazer o que bem entender. Porque que em cabo verde não é assim, ou seja em nehum País, só mesmo o nosso, haja coragem….
      Um bem haja

    • img
      Maria Guerra Responder

      pois é nós querermos também voltar com o nosso realizado , naõ devem abandonar os estudantes seja ele quem for… putuga tê okê, né blanco sá ku leva muntuê bunda pleto sá nai , a zuda nón anha!

  21. img
    Fofa Responder

    Isso e um absurdo….De dizer que recebemos 200 e é suficiente , mentira eu pago alojamento de casa 130 euros, agua energia e gás, em minha casa mora cerca de 11 pessoas e ca onde vivo faz muito frio, e pra isso temos que comprar td em caso de alimento nem se fala faço compra mais de 70 euros as coisas vendem muito caro ca onde estou e que nao chega até o final do mês..E mais ainda querem nos cortar o subsidio, e dps como e que vai ser?Morremos de fome então…Vcs devem ter noção disso,se soubessem que não iriamm ter meios para segurar td isto n valia a pena mandar cada um para um País estranho passar necessidades só porque o seu país n tem meios suficientes isto e um cumulo…Ja estou farta disto tudo eu sou estudante e sei como isto é, n adianta de dizer que ca em Portugal os alunos têm mais facilidade de arranjar algo pra fazer porque e mentira tanto ca como em qualquer lado.Falo por experiência propia.Espero que tomem uma iniciativa mais breve possivel porque o caso é mesmo grave…

  22. img
    Edson dos Prazeres Responder

    Eu em particular entendo a posição do Sr. Ministro da Educação, o fato é que tudo começo com o Governo anterior, mas mesmo assim, penso que este Governo deve fazer diferente e deixar de copiar o Governo anterior tendo em conta que este colaborou no retrocesso de STP.
    Outro ponto a salientar, é que muitos alunos decidiram por conta própria estudar no exterior e o governo vai encaixando através de tacho sem levar em consideração as possíveis conseqüências. É de fato uma mais-valia para o País, mas temos de começar a fazer as coisas de forma legal…

  23. img
    Ze Bimbi Responder

    O nosso sistema do ensino superior esta mal e precisa de uma reforma de fundo.

    O governo deve suspender o envio de mais estudantes para exterior,tendo em conta que nesses ultimos tempos ou seja num espaco de dez anos o estado enviou milhares dos estudantes para extrangeiro.Contudo,o estado so podera enviar estudantes para extrangeiro caso o governo acolhedor oferecer todas as condicoes necessarias que garantem um bom desempenho dos estudantes no seu pais, como o caso de Taiwan.

    O estado deve criar uma Universidade de raiz e procurar parceria com os Paises amigos como Portugal, Cuba, Brazil de modo a contratar professores tendo em conta que S.T.P ainda nao despoe de quadros qualificados para dar licenciatura.

    O governo deve criar um Ministerio do Ensino Superior para fiscalizar doto o processo do ensino superior ao passo que o Ministerio da Educacao seria simplesmente vocacionado para politica da Educacao de base.

    Um abraco!

    • img
      Ate quando nosso São Tomé e Principe Responder

      Faço as suas palavras as minha. Falei perfeito o que eu ia falar. Concordo plenamente com você.
      No meu ponto de vista, os 300 USD por mês que eles enviam deveriam ser canalizados para investir em uma universidade em São Tomé e Príncipe com quadros qualificados. isso sim era resolução de problema a curto prazo.

  24. img
    BlagaBlaga Responder

    Caro Padre e Ministro da Educação os seus agradecimentos pela explicação dada.

  25. img
    cobra preta Responder

    O preço de muito liberdade é a libertinagem (Abuso e Corrupção)com o bem do povo que vive nas aldeias

  26. img
    cobra preta Responder

    Um homem mau gosta das coisas e usa as pessoas

  27. img
    BlagaBlaga Responder

    Mas os teus argumentos são infundados,não esqueças que este governo é um Governo de trabalho,que foram impulsados para trabalhar e resolver problemas,os estudantes não podem morrer de fome,que busquem financiamentos rápidamente,se não os pode demita-se do cargo imediatamente e vai ao PADRE.

  28. img
    cobra preta Responder

    As receitas do recurso maritimo para onde foram com a comunidade europeia, senhores servidores do povo

  29. img
    negra Responder

    sei que o pais está mal, mas visto que supostamente têm um governo organizado deveriam ter um plano B, e não estarem sempre com a desculpa que o “país está mal”.
    e os aluno profissionais apesar de receberem o subsidio da escola, muitos têm que pagar a casa, compra alimentos, pagar agua,gáz,luz.

  30. img
    FILHO DA TERRA Responder

    O Sr. Ministro da educação diz que os alunos em portugal conseguem fazer um biscato…
    Mais para quê isso??!!!!
    «No Brasil por Exemplo, com o atraso que há o estudante está mais em risco que os alunos em Portugal. Pelo sistema brasileiro o aluno não pode fazer nenhum biscato, como é possível em Portugal.»
    Viemos estudar ou fazer biscato Sr. ministro????!!!!
    Desculpe lá mais não penso que as coisas sejam assim tão fácil…

  31. img
    Fenix stp Responder

    Caro S.T.P no coração antes de comentares deverias primeiro aprender a escrever o português. O jaca doxi esta coberto de razão nas suas afirmações, o governo não pode permitir que pessoas que não fazem parte do governo, os ditos políticos em eleições enviem alunos ao exterior para depois cobrar ao governo a sua inclusão na lista de bolsistas, isso é falta de planejamento e é por isso que a situação chegou onde chegou.
    Contudo, concordo consigo no que se refere a concepção das bolsas, é preciso mudar a política de concepção de bolsas de estudos em STP e dar aos que realmente merecem, por mérito acadêmico e não por cunha, caso contrario uma grande parte da nova geração estará condenada ao fracasso.

  32. img
    Fenix stp Responder

    Caro carvalho,
    Tenho certeza que os alunos de Portugal esta a passar por momento delicados, pois muitos sãos meus amigos e me relatam a situação, mas posso afirmar aqui que os alunos que estão no Brasil estão numa situação muito, mais muito delicada mesmo, sabes o que é estar num país onde não podes trabalhar e sem dinheiro para comprar pão? Pelo menos em Portugal os alunos receberam a bolsa esse ano, enquanto no Brasil os alunos não recebem a 8 meses, isso mesmo 8 meses!!

  33. img
    Politico da Elite Corrupta de STP Responder

    Senhor Padre, isso é pecado, os meninos precisam de alimentar!
    E se fosse filho de senhor Padre?!! De certeza que teria dinheiro todos os meses na conta!!
    Senhor Padre siga os ensinamentos da igreja… “Enterrar os morto e cuidar dos vivos” ou seja cuida desses meninos que não têm culpa de ter nascido em STP e ainda por cima, merecem todo respeito, porque estão no estrangeiro a estudar para um dia representarem STP como o senhor representa hoje!! Cuida deles antes que eles morram a fome na terra alheia!! Por favor senhor Padre manda dinheiro para os nossos meninos, dê esses meninos um pão nosso de cada dia senhor Padre, em nome do menino Jesus Amém……

    Por ultimo Senhor Padre não deixe Satanás invadir a sua alma, eu sei que politica torna um homem bom em homem mau, mais pelo amor do sacramento que o senhor recebeu na Santa Igreja Católica em que todos nós acreditamos, não deixe que os demónio da politica invada a sua alma, cuide dos nossos rapazitos e rapariguitas eles merecem, estão longe da terra a procura do conhecimento, tudo em nome de STP.

    Que o amor Deus esteja consigo, em nome do Pai e do Espírito Santo Amém.

    Viva Senhor Padre Politico!!!

  34. img
    madalena Responder

    Senhor Ministro
    deve ensinar os jovens estudantes a viverem com oração, velas e incenso.
    De outra forma nao é possivel. Deve haver prioridades nos pagamentos e as bolsas no estrangeiro devem ser da maxima prioridade.

  35. img
    Parlamento de STP Responder

    Se orçamento não foi aprovado aonde é que Patrice Vaigem Viu dinheiro para fazer essas viagem toda…. Explica senhor Padre Ministro…

  36. img
    Filho de STP Responder

    Antes de mais queria cumprimentar todos os irmãos sãotomenses e muito respeitosamente ao senhor Ministro da Educação dizer que não são todas as escolas profissionais cá em Portugal que pagam duzentos e tal euros. Sou também estudante no ensino profissional onde recebo da escola 125€ mensais para pagar o alojamento, as contas da luz, da água, do gás e ainda fazer compras para refeições. Na escola temos apenas o direito aos almoços e apenas nos dias de semana por isso a situação dos estudantes em Portugal também não é das melhores. Sempre que recebemos a ajuda de custos de São Tomé temos dívidas até ao pescoço o que faz que o dinheiro não pare nas nossas mãos. Mas de qualquer forma sou muito grato por essa ajuda.

  37. img
    NANDO VAZ (ROÇA AGOSTINHO NETO) Responder

    UM GOVERNO TEM QUE INVENTAR!…

  38. img
    Fenix stp Responder

    Politico da Elite Corrupta de STP,
    Gostei muito do seu comentario, muito oportuno, espero que o sr. ministro leia.

  39. img
    Pumbu Responder

    Este ministrinho nem tem a vergonha!!! E um deficiente “chorador”! Tenho pena dos nossos jovens que estao a estudar no estrangeiro!

  40. img
    Carpe diem Responder

    É muito triste essa situação; gostaria de saber até quando vai se arrastar essa situação, os que estão no Brasil estão a gritar, em Marrocos nem se fala, são os que estão sempre com problemas gravíssimos, os de Cuba também, a priori os de Portugal são para receber até Março, caso contrário entra na lista..enfim..espero que essa situação nao se arraste..os estudantes precisam de uma resposta prática urgentemente sr. ministro..força meus irmãos..estamos juntos nessa..:(

  41. img
    realista Responder

    O GOVERNO JA TA ME DESILUDIR MUITO XAXO MUITA TRETA NA CAMPANHA AGORA K JA TEM TACHO NA MAO VEM AI DIZER QUE NAO HA DINHEIRO PARA OS ESTUDANTES ISTO E K FALTAVA COMO QUE PAIS AVANSSA ASSIM, PRA MIM a mentalidade vai dos nossos jovens vai continuar com virus sabes o porque akeles que por ventura acabarem o curso assim quando regressar ao pais logico que querem oucupar boas pastas tambem vai fazer o mesmo aos proximos bolseiro no futuro. primeiro sou eu after eu e arripoji eu e quem sabe se sobrar os outros. nao esquessa que o mundo da sua volta nada e eterno ,corragem.

  42. img
    ovumabissu Responder

    Antes de qualquer outra consideração, expresso aqui a minha solidariedade para com todos os estudantes de STP nos 4 cantos do mundo, mas em particular os que sofrem no Brasil, Cuba e Portugal. Não vos mata a fome, não vos agasalha, nem vos conforta mas é o que tenho para dar.

    O sr. ministro demonstra alguma insensibilidade para este tema. Enquanto responsável em 1ª linha pela sorte dos alunos santomenses no estrangeiro o Estado (de STP) não pode alegar questões processuais e de tramitação (bolas, questões burocráticas!) para os atrasos.

    Se há dinheiro, paga-se e regulariza-se, com responsabilidade e rigor, depois! Para situações excepcionais, medidas excepcionais. É assim que se trabalha!

    Não é “TLABA SÓ KA DA TÊ”. O correcto é “SÊBÊ TLABÁ SÓ KA DA TÊ”.

    Mas, meus caros, eu também fiz as mesmas contas do Leoter Viegas (bravo, meu caro!). Tal como ele concluí (qq um que tivesse feito estas contas também) que esta situação não é sustentável para as posses de STP. Meus senhores, a situação é realmente grave e calamitosa. Temos um país que vive em fantasia. Um Estado fantasioso e fantasista. Temos quase 1,5% da população a estudar no estrangeiro. Se somarmos os doentes em tratamento em Portugal…

    Se Portugal passa por uma grave crise, o que posso dizer da nossa (STP)? Não é crise, é… kida lê ôôôoooooo!!!!!!

    Sum mu ê, pedon! Kê kua ku non dêvê ku non ska paga axi ê?

  43. img
    El Chacal Responder

    «Para um país que não possui recursos como nosso,até enviarmos bolsas com frequência para os alunos, a curto prazo vai ser muito difícil»Sua excelencia,imploramos ao governo que satisfaça o nosso direito,porque só em um pais como nosso, sem recurso que os senhores entram pobre com cheiro de lucha e saiem bem perfumado por dinheiro do povo e sem falarmos das vossas casa depois de deixar a pasta.Mais até quando vamos seguir sofrendo dentro e fora da nossa terra povo de S.TOME Y PRINCIPE.Querem nos matar a todos caros irmaos e compatriotas estundantes na diaspora:Ledé da lami ça aúa ó ine ké mú.

  44. img
    mocambique Responder

    boa tarde, gostaria que o senhor ministro nos seus discursos tambem falasse dos estudantes que estao em mocambique, porque embora nao tenhamos escrito a carta a vossa excelencia,porque acreditamos que o sr Ministro esta informado acerca de tudo isso tambem estamos a passar muito mal ,porque a nossa situacao e a mesma que os estudantes de brasil, tambem nao podemos trabalhar nem temos lar, vivemos em casa arendadas,pagamos propinas,agua, luz,visto de permanencia todos os anos etc etc, por favor sr ministro tente regularizar a situacao, porque ja estamos a ser ameacados pelos donos de casa, e pior nem temos nenhuma representacao deplomatica para interceder por nos quando estivermos na rua, nem em relacao de visto de permanencia.Por favor entenda a nossa situacao.

  45. img
    BARAO DE AGUA'-IZE' Responder

    6 meses sem dinheiro no estrangeiro, de certeza que estao a passar fome.
    Esses governantes teem que apanhar algum susto para se mexerem.
    Manifestacao, vigilia, etc, etc.
    Vejamos o que esta’ a acontecer no mundo arabe: A arma do protesto tem muito poder.
    Se ficarmos calados e inertes e’ porque esta’ tudo bem.
    TEMOS QUE MEXER.
    NAO PERCAMOS MAIS TEMPO.

    • img
      Alguém que não é de S.T.P Responder

      Todo o pessoal de lá devia fazer uma manifestação em frente ao governo, principalmente os pais…

      Ou deviam dar um bom susto nesses políticos pra poderem mexer…

  46. img
    Damon Responder

    ajuda mo

  47. img
    fred Responder

    caros encarregado de educação,saiam da moita ,vão se manifestando ,porque a situação ta gravíssima , nós estudante no Brasil estamos a passar fome ,outros ate chegam dormir na rua ,sem condições pra pagar aluguer ….

  48. img
    Mimi Responder

    Sao Tomé e Príncipe tem neste momento estudantes na miséria espalhados por vários cantos do mundo. De entre eles talvez os de Taywan sejam os que menos têm a reclamar. Era bom que o Ministério da Educaçao, e por consequência o Governo tomasse a sério a resoluçao deste PROBLEMA DE INTERESSE NACIONAL. Talvez este também merecesse lugar nas discussoes do Conselho de Ministros. Chegou a hora de parar e arranjar soluçoes; nao faria mal consultar o “passado”. Quando se trata da sobrevivência de estudantes, dependentes inteiramente do estado, os meios justificam os fins.

  49. img
    vanda bonfim Responder

    olha a falta de dinheiro pelo governo aos estudantes… também esta a afectar os estudantes cá em marrocs pois eles também nao pdem trabalhar pois é enterdito.

    quando sai a bolsa desses estudantes e dos estudantes de brasil?
    resposta clara plix

  50. img
    vmle Responder

    eu tambem sou estudante concordo com algumas coisas e discordo com outras coisas k foram dita por ministro olinto.a verdade sao essas enkuanto continuamos com esse espirito de ma fé ja mais cheigamos lá e outra coisa é enkuanto nós os santomense nao suber o verdadeiro significado da cidadania fica mt mais complicado:temos k deixar de eleiger parentes começar a eleiger pessoas compitente e credivel olha dizem k em sao tomé ha alguns ex membro de governo com carro de 100 mil€ ta dito.

  51. img
    Mulher que Deus Amou Responder

    Concordo com muito do que foi aqui dito, e tenho pouca coisa a acrescentar. Sinceramente não conheço as condições do processo das bolsas de estudo em s.tomé. Se existe uma, ela precisa ser revista emediatamente!Já que o País tem poucos recursos e não consegue responder as necessidades básicas dos milhares de alunos que tem espalhado pelo mundo, então que comece a ser mais prático e comece por controlar quem realmente ainda frequenta a faculdade,principalmente em Portugal. E uma pequena sugestão sr ME, estabeleça prazos para o termino dos estudos. Os alunos não podem andar a repetir o ano constantemente e a receber o dinheiro da bolsa.Além de sobrecarregar o estado, estão também a comprometer os que estão a iniciar os estudos. O dinheiro que devia ir para eles, vai ser dividido com os que já deviam ter terminado. Entretanto, desejo boa sorte ao sr ME para que consiga resolver a situação dos estudantes e Coragem aos Estudantes, que um dia voltem para o vosso país(apesar dos pesares) e que consigamos todos juntos “organizar” o nosso STP! Ab imo corde

  52. img
    Maria Guerra Responder

    Reflexão ao Sr.Ministro de Educação:
    compreedermos que o governo enfrente imensos problemas no pagamento das bolsas a nós estudantes.
    e que a medida de corte para alguns seja uma forma de encurtar despesas!Mas como ficaram os estudantes que não são enviados pelo ministério ou aqueles que por sua conta vieram e adequiriram bolsas do ministério aqui?=? a verdade é que o ministério nega assumilos pelo simples facto…mas esses estudantes tal e qual como os bolseiros do governo tem uma vida de cão em portugal, porquê? Devido a crise economica mundial os serviços de migração tem criado leis para suprir a vida ods estudantes e dos emigrantes africanos , actualmente todos os estudantes tem obrigação de renovar os vistos de 1 em um ano, e tem que pagar o valor de 60 euros para alem das despesas adicionais com os documentos a tratar que por sua vez rondam uns tantos 100 euros, temos que apresentar pagamento das todas propinas lectivas, renda de casa, bláblá… e levamos para casa um cartão que diz na parte de tras”proibido actividade profissional ou actividade subordinada depende da sef” e para desbloquermos precisamos de um contrato de 6 meses que ninguem nos dá só por sermos “pretos”,”os pretos são todos ladroes são todas prostitutas” só vem cá robar nossos homens e nossos trabalhos” desencaminhar os nossos filhos” esquecendo eles que aki é que é fonte de todos vicios e maleficios eles é que conhecem toda forma de manipular pessoa e desencaminha la por questão de inveja e defama las quando não as damos confiança!Estudantes ai , não conseguem mais emprego nem de limpeza e quando conseguimos há pessoas que faz questão de criar cenario para sermos despedidos e envergonham nos por razões alheias as suas vontades!Até residencia estudantil onde as despesas são mais barratas temos que ser “português ou ter 5 anos cá” somos obrigados a pagar quartos superiores a 150 euros , sem falar das despeas de gaz que uam pesoa não sabe donde vem os valores! os livros no ensino superior valores minimos de 80 euros… sem falar dos materias exigidos pelos professoress para as aulas e os portugueses emprestam entre si e os pretos quese danem! os profesores nas aulas tentam caluniar ou iritar os alunos só por serem africanos para no final do ano dar sumiço nos exames e reprova los! os Senhorios das casas para alem de nos insultar tds as vezes que nos vê, trata nos como bébés pagamos a casa e querem saber onde que vamos de onde vai e onde vem o nosso dinheriro?imaginas quando os devemos as rendas?E quando alguaa instituição nos ajudar apoiar em termos de alimentação , vaõ nos queijar que nós usamos dinheiro para comprar roupas e fazer transas p isso não temos dinheiro para comer, quando na final nem um salão podemos ir porque não nos recebem com desculpa que nosso cabelo da trabalho, quando fazemos anuncio pk estamos aprocura trabalho eles dizem que as meninas estaão mais é a publicar numero para prostituiçaõ:sr. ministro com bolsas ou subsedeos que chegam sempre atrazados nós comemos pão que diabo amançou com rabo quanto mais se nos tirarem os susedeos , ajudas de custo? O governo tem que acreditar que queremos terminar curso e irmos embora deste inferno com portas de glórias! não corte os que já tem subsedeo e ajudas de custo,Sr.ministro se não é pai, santomense… vai nos abandonar a nossa sorte?A solução não seria estabelecer protocol que nos desse segurança, ou nos desse mais credibilidade como os caboverdianos que não pagam as propinas, vivem nos alojamentos estudantil, tem nacionalidade portuguesa os que faz beneficiar de bolsa de estudo de cá, os fazem ter protocol com acesso aos trabalhos e com seguros de saude gratis e com despesas moderadoras nos hospitais nas farmacias,isenção das despesas de alimentação nas escolas, enquanto nós pagamos 5 euros p prato de comida, mas os caboverdianos ainda rcebem ajuda de custo do governo deles! o quê que impede S.tomé de criar essas condições? Vai tirar os subsedearios ou os bolseiros do ensino superior bolsa como é que voltamos para o país , como vivemos aqui,não acabamos os estudos? vamos trabalhar o kê a onde?Reflita se não é pai é santomense, quem não tem familia aqui? E as familias que existem que já são piores q portugueses não nos ajudam.
    Deve sim tirar bolsas
    1ªaos alunos que já tem 5 anos cá porque ja possuem nacionalidade portuguesa, já podem trabalhar, já beneficiam das bolsas portuguesas e gozam com nossa cara porque recebem de stp e de portugal
    ,2ª os alunos com 5 anos cá já tem alojamentos das escolas e não pagam passe de transporte- casa é ao lado das escolas
    3º aos alunos das escolas profissionais poruqe tem estadia gratis, enregia, agua, gaz, refeição todos os dias gratis e ganham 4 euros por presença nas aulas, etem material gratis , não pagam passe para tramposte pk as casas são mesmo ao lado das escolas, recem computadores e placas com internet até roupa recebem e não tem propina nem emolumentos para pagar, e tem taxas moderadoras gratis para os serviços de saúde e os estudantes do ensino supior o k tem?
    Aos estudantes que são filhos dos papais que recem do ipad, da gulbelkian e de stp,
    Mas sr. ministro a um estudante que não tem nada disso e recebe um triste 250 euros que leva anos p receber os tira a bolsa ou sei la subsedeo?
    porque k no processo das candidaturas e renovações das bolsas não exige extrato de contas dos estudantes, isso sim é que vermos os rendimentos de cd um, não é isso que faz a SEF? pEÇA EXTRATOS DE CONTA E FAÇA ENTREVISTA ASO PAIS EM STP, PEÇA FONTE DE RENDIMENTO COMO FAZEM OS PORTUGUESES, PEÇA IRSS, E REGISTOS PATRIMONIAIS, EM VEZ DE CONTINUAREM COM NEOPTISMO , FAÇA INQUERITO DAS VIDAS DOS ESTUDANTES EM PORTUGAL ANTES DE TOMAR INICIATIVAS! MESMO QUEM SAIU POR CONTA PRÓPRIA FOI PORUQE O GOVERNO NÃO LHES DEU VALOR E ELE QUER TAMBÉM SER ALGUÉM NA VIDA E AJUDAR STP A DESENVOLVER, NINGUEM QUER PORTUGAL , NOS AJUDE, SEJA QUAL FOR A SITUAÇÃO QUE O ESTUDANTE TENHA VINDO DE STP´ESTUDANTE SANTOMENSE MERECE AJUDA DO GOVERNO NEM QUE SEJA PARA REGRESSAR AO PAIS JÁ QUE O GOVERNO NÃO NOS PODE CONTINUAR A PAGAR.NÃO SE ESQUEÇA QUE STP SOMOS TODOS PRIMOS NÃO NOS ABANDONE EM PORTUGAL, COMO DIZ O CANTOR AMORIM DIOGO” NON SÁ LATO XOTA CU LÊLÊ COCONJA PUNDA SELO, NON BI CUMÉ PA BEGA XÁ FÁ Ê , NOM ME MATA FOME TAN BA NÓN BÉ NON HÊ!

    guerreira da paz

  53. img
    Maria Guerra Responder

    carta ao sr.ministro de educação

    SR.ministro e os alunos que entraram em regimes especial este ano,não têm bolsa?Então porque que está na base de dados das universidades que somos bolseiros e ainda por cima a reitoria recusa nos todo tipo de desconto ou insencão dos emolumentos ligadas aos pagamnetos das propinas ou mesmo apoios sociais da universidade que prestão aos outros alunos, temos platarforma da escola bloqueada?Entregaram declaração de bolsa que recebemos 250 euros mensais as escolas no decorrer das candidaturas do regime especial, engana o governo português e depois nos abandona a nossa sorte? então como é que vai ser os alunos que entraram pela embaixada merecem ou não bolsa ou vamos levar fama de bolseiros enquanto nós não somos? vamos ter desvantagens só porque vocês fazem mal as coisas? nós não podemos recorer a nenhum apoio em portugal porque esta no registo que somos bolseiros, pelo amor de Deus sr.ministro não nos abandone porque assim niguem acredita em nós vamos a SEF pedir autorização de trabalho eles não dão está no sistema “bolseiros”, ninguém nos dá contrato DE TRABALHO, NEM TRABALHO sr.ministro, não nos abandone que sr. já foi padre!

  54. img
    Amaral Responder

    Tenho a consciência que os alunos do Brasil têm prioridade na bolsa em relação aos alunos de Portugal, uma vez que, o sistema do Brasil é diferente ao do Portugal. Quero alertar-vos que, o subsídio de alojamento que a escola profissional dá aos alunos é muito pouco. É muito pouco porque, o dinheiro não é utilizado só para pagar o alojamento que é carro mais também, é utilizado nas refeições nos fim de semana, feriados, materiais escolares e transportes caso se for necessário tratar de algum documento. Obrigado pela a vossa atenção.

  55. img
    Tukayene Responder

    estou sem forças pra defender, o ki é certo é ki si isso continuar assim, as consequencias o governo responsabilisara

Deixe um comentario

*