Política

MLSTP/PSD manifesta preocupação em relação a greve por tempo indeterminado na Rádio Nacional

Num comunicado o MLSTP/PSD, manifesta elevada preocupação pelo facto da falta de diálogo por parte do Governo, ter contribuído para a consumação e permanência da greve na Rádio Nacional de São Tomé e Príncipe.

O maior partido da oposição, considera não ser «sério nem praticável que um membro do governo tenha tentado negociar via SMS com os responsáveis da Comissão dos Trabalhadores da Rádio Nacional».

O partido de Aurélio Martins, acrescenta que «esta atitude é reveladora da pouca importância que este governo dá a Comunicação Social Estatal, o que de resto está subjacente ao facto de que até hoje os trabalhadores não saberem quem é o membro do executivo que tutela o sector», diz o comunicado da Comissão Permanente da Comissão Política do MLSTP/PSD.

Mais grave segundo o MLSTP/PSD é o facto de após uma semana de greve o Governo não ter indicado um interlocutor válido para lidar com o assunto. «Impedindo toda a população do serviço público da Rádio Nacional, um facto inédito desde 1975», refere o comunicado.

O partido aconselha o Governo de Patrice Trovoada, a dar sequência aos esforços desenvolvidos pelos anteriores executivos no sentido de transformação dos órgãos públicos de Comunicação Social em empresas com autonomia administrativa e financeira.

O MLSTP/PSD exorta também o governo a apostar no diálogo e na concertação social.

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Polvo Pol

    8 de Novembro de 2011 as 14:51

    Tambem acho que situação em S.T.P esta muito mal… a necessidade de fazer algo para mudar esta situação.

  2. João Carlos

    8 de Novembro de 2011 as 14:54

    Nao sou de M.L.S.T.P, nem tao pouco sou apoiante de Aurelio Martins, mas nesse ponto de vista tens razao meu caro Aurelio Martins, Governo tem que encontrar solucao para este caso..

  3. A.G Brasil

    8 de Novembro de 2011 as 15:04

    Eu peço que o MLSTP como o maior partido da oposicáo de sao tome e principe,tará que fazer alguma coisa.

  4. HelVes

    8 de Novembro de 2011 as 20:21

    Boa posição do MLSTP!!

  5. Digno de Respeito

    8 de Novembro de 2011 as 23:29

    Sou apartidário e concordo plenamente com essa intervenção. Nada melhor que fundir a Rádio e a TVS transformando-os numa empresa autónoma dotada de meios e capital social próprio. Será muito mais rentável ao Estado e os trabalhadores sentirão mais responsáveis e exigentes.Espero que Alfredo Medeiros saberá conduzir a situação reinante naquele órgão de comunicação estatal.

    Qual será o desfecho da situação?

  6. L.P produções

    9 de Novembro de 2011 as 0:56

    País esta passando por uma situação deligada, temos que unir em prol do desenvolvimento do nosso País… Boa oposição de M.L.S.T.P/PSD, força e espero que Governo encontre uma solução.

  7. paparazzi

    9 de Novembro de 2011 as 7:53

    eu concordo com mlstp desde 1975 nao me lembro de uma greve na radio isso esta a ficar feio em sao tome
    mlstp espera o governo na assembleia e questiona os la sobre isso

  8. Arte

    9 de Novembro de 2011 as 9:06

    Justa posição de causa. Concordo com o MLSTP/PSD; não obstante não pertencer a este partido. Mais grave é ter um interlocutor no podium que negociaçao via SMS. Vergonhoso e inédito, num país ainda torta de cultura electrónica. Há que se mexer com o titular e pedir responsabilidades politicas e sociais.

  9. sulila miranda

    9 de Novembro de 2011 as 10:01

    Mas…, lá está,… como podem ver a posição interna do Presidente do MLSTP, faz com que muitos nem liguem esse comunicado, muito embora eu reconheça a pertinência da greve dos da Rádio Nacional. Tanto quanto sei, esse sr só tem criado problemas no partido e os verdadeiros militantes abandonam as reuniões e depois disso, ele manda chamar os seus, enche a sala e poe-nos a votar a favor de x,y e z questões, onde já se viu isso? Só mesmo na minha terra… por isso, comunicado do MLSTP? mas de que MLSTP?

  10. Irmão do Bailundo

    9 de Novembro de 2011 as 10:21

    É um escândalo uma Radio Nacional não emitir e prestar serviço a Nação.É triste e lamentável mas uma coisa é certa que tem que se fazer alguma coisa.As pessoas de Direito têm que intervir e resolver as situações já que o povo não pode ser sacrificado por um Direito inalienável.O MLSTP/PSD como maior partido na oposição deve assuimir o seu papel e que sá mudar o rumo dos acontecimentos.

  11. Miss Janes

    9 de Novembro de 2011 as 14:26

    Boa oposição, força ai, tem que haver interveção dos partidos de oposição de forma mudar destino das coisas… País esta numa situação extremamente delicada…

  12. santa catarina

    9 de Novembro de 2011 as 15:49

    «Impedindo toda a população do serviço público da Rádio Nacional, um facto inédito desde 1975» É tão inedito que a situação de hoje é fruto de uma má gestão de muitos longos anos.
    Só agora é que o pessoal da radio nacional acordou? Durante outros governos onde andavam. Querem logo aumento de 600% e os negocios que fazem por aí.
    Sou contra a greve em qualquer sector não trás beneficios nenhum pelo contrario só trás prejuizo a alguns.
    Temos que copiar os bons habitos com é o caso de Japão.
    Temos que encontrar formas de dialogos o país é nosso o mal não vem de hoje!

  13. gilmar santo

    10 de Novembro de 2011 as 1:13

    no meu ver é falta de dialugo

  14. Floli Canidu

    10 de Novembro de 2011 as 12:01

    Muito bem Aurélio Martins. Mas não se esque ça que o seu partido ficou dividido depois da última eleição. É preciso fazer uma restruturação do partido a nível distrital e colocar gente que realmente quer dar o seu contributo para o engrandecimento do partido, preferencialmente os jovens,pois muitos dizem que os jovens neste partido não têm oportunidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo