Política

Presidente da República defende liberdades individuais e colectivas

Manuel Pinto da Costa, que falava na abertura do II Encontro de Desenvolvimento Local, defendeu o contraditório como alma da democracia, e contestou a possibilidade de o debate de ideias e do contraditório, provocarem situações em que a liberdade de cada um seja posto em causa.

O Presidente da República, destacou que «em democracia as divergências de pontos de vista são naturais, o confronto de ideias é indispensável e saudável. Mas é necessário que esse confronto seja, acima de tudo, construtivo e que tenha sempre em causa o superior interesse nacional, nomeadamente a credibilidade externa do nosso país».

Só assim, acrescentou que as divergências se poderão traduzir em resultados concretos e positivos que permitam melhorar as questões que estão em causa.

Por outro lado alertou que «a polémica pela polémica, a polémica que se esgota em si mesma, apenas contribui para o desgaste de energias que, muitas vezes, nos irão fazer falta para atacar e resolver os reais e verdadeiros problemas que afligem a nossa sociedade».

O Chefe de Estado concluiu que deve ser evitado a «todo o custo que desse natural debate de ideias não resultem situações que ponham em causa a liberdade de cada um e, indirectamente, promovam, por este ou aquele motivo, a auto censura dos cidadãos»,

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. Féde ká Dóxi

    19 de Outubro de 2012 as 11:40

    Senhor Presidente. Pare escute e olhe. Não deixe cair o Governo. Empurre-os até ao precipício e dê costas. Vão cair sòzinhos, porque não têm saída. Não quero lhe ver vítima de quem já está morto. Ajude a opsição a empurrar-lhe. É isto que a oposição está fazendo.
    Até breve

  2. nora

    19 de Outubro de 2012 as 12:10

    MUITO BEM SENHOR PRESIDENTE.

    ENCOMENDO AO SECRETÁRIO GERAL DO ADI “LEVY NAZARÉ” A LER IDEOLOGIA DO PAI GRANDE.

    BEM HAJA S.T.P.

    • Adler Santiago

      20 de Outubro de 2012 as 18:09

      Penso que não é só o Secretário do ADI que deve ler está matéria, mas sim todos os Santomenses, seja ele, dentro ou fora do País. É preciso interpretar melhor as metáforas aqui presente.

  3. João Carlos

    19 de Outubro de 2012 as 12:13

    Concordo plenamente com a posição do Presidente da Republica, mas acho que deveria fazer mais pelo STP e tem poder para isso, porque é “Pai Grande”,e todos respeitam a ele…
    Bem haja a todos..

  4. Estou Farto disso...!

    19 de Outubro de 2012 as 12:42

    Sim Senhor, esse é o verdadeiro Líder da Nação. Meus parabéns Senhor Presidente, e muita coragem.

  5. jorge desalmado

    19 de Outubro de 2012 as 13:04

    Sra. Nora,
    As coisas nem sempre foram assim:

    Ora vejamos essa declaração:
    Junho de 2001

    “Eu seria louco se apostasse no Dr. Manuel Pinto da Costa como presidente da república”

    Em que ficamos????

  6. jorge desalmado

    19 de Outubro de 2012 as 13:07

    O que escrevi foi:
    Sra. Nora,
    As coisas nem sempre foram assim:

    Ora vejamos essa declaração:
    Junho de 2001

    “Eu seria louco se apostasse no Dr. Manuel Pinto da Costa como presidente da república”

    Em que ficamos????

  7. jorge desalmado

    19 de Outubro de 2012 as 13:09

    Sr Abel Veigas estamos em Democracia… passe corretamente o meu comentario, se faz favor.

  8. Zugú-Zugú

    19 de Outubro de 2012 as 13:14

    Como é possível, Senhor Presidente da República, que no Tribunal não ter oficial de diligências para levar intimação para Cidadão, foi necessário o Sr. Procurador da República mandar Agentes da PIC, ir prender o Sr. Américo Barros, no Palácio dos Congressos? Isto também é Democracia? Credo Sr. Raposo.
    Àquando na Campanha Presidencial, como Candidadto, foi pedido ao Sr. Procurador investigar, para saber donde vem tanto dinheiro para sustentar a Campanha do Sr. Evaristo de Carvalho, isto foi para água abaixo, nunca mais se falou nisso e nem houve resposta. Pode ter caído algum dinheiro de vulto para o Sr. Procurador da República e ele simplesmente deu por esquecimento. Mas, o Pôvo não esqueceu.
    Nós queremos a continuação da Democracia e a sua Liberdade para sempre. Ninguém pode alterar isso sufisticadamente para Ditadura silenciosa. Nunca. Aproveitamos essa oportunidade para dizer ao Sr. Aurélio Silva (Cauíque) que já foi tapado à sua boca com dinheiro do Sr. Patrice e do ADI, esqueceu-se de fazer o pagamento aos funcionários, no devido tempo. Peço desculpas, sinto-me com o direito de lembrar disso. Funcionários Públicos, não são capangas e nem todos são do ADI, do Sr. Primeiro Ministro e o Sr. Cauíque. Os funcionários são livres de participarem ou não em manifestações, a favor ou contra tudo que está bem ou mal. Força Senhor Presidente da República, Que Deus continue a dar vida e saúde à Vossa Excelência para nos salvar nesta crise de falta de mentalidades d’alguns dirigentes Santomenses. Viva a Democracia. Viva a Liberdade. Viva São tomé e Príncipe.

  9. jorge desalmado

    19 de Outubro de 2012 as 13:19

    Sr Abel Veiga, o meu comentário está incompleto e fora do contexto.
    O sr assim está a induzir em erro os leitores.
    Repasso:

    Sra. Nora,
    As coisas nem sempre foram assim:

    Ora vejamos essa declaração:
    Junho de 2001

    “Eu seria louco se apostasse no Dr. Manuel Pinto da Costa como presidente da república”

    Em que ficamos????

  10. Eusébio Pinto

    19 de Outubro de 2012 as 14:11

    Independentemente de se realizarem ou não manifestações a favor ou contra seja lá quem fosse, é importante que os detentores do poder em São Tomé e Príncipe saibam demonstrar a sua capacidade de liderança. Pois um verdadeiro líder político tem que saber conviver com a diferença, ser tolerante (ainda que tenha que “engolir alguns sapos”) e pensar sempre nas implicações do que vai dizer antes de fazer certos pronunciamentos. O líder político não deve manifestar abertamente o espírito de vingança e retaliação quando é confrontado com a diferença de opiniões como manifestamente ficou patente nas declarações de Sua Exa. o Primeiro Ministro de São Tomé e Príncipe, ao reagir ao comunicado do MLSTP – PSD sobre o caso “navios ancorados ao largo de São Tomé”.

    Na verdade julgo que não ter eu lições a dar à Sua Excelência Sr. Primeiro Ministro em matéria de diferença entre chefe e líder, mas ao pôr em causa a continuidade do Sr. Américo Barros, enquanto executivo com cargo de direção no Banco Central de São Tomé e Príncipe por ter lido um comunicado do partido em que milita, nas vestes de Vice-Presidente, o Sr. Primeiro Ministro demonstrou que é sim um chefe despido de espírito de liderança.

    Neste aspeto, o Sr. Presidente da República com as declarações que o texto acima ilustra, acaba de demonstrar a sua capacidade de político maduro e com grande capacidade de liderança.

    Eusébio Pinto
    Luanda, Angola

    • Eusébio Pinto

      19 de Outubro de 2012 as 14:15

      No texto acima, onde se lê “julgo que não ter eu lições…” deve-se lêr “julgo não ter eu lições…”

      Eusébio Pinto
      Luanda – Angola

    • Manuel

      20 de Outubro de 2012 as 16:49

      De acordo Eusebio….

  11. meymadra

    19 de Outubro de 2012 as 14:22

    esqueçam o titulo da noticia e leiam a noticia.
    o Presidente foi muito claro quando disse: “a polémica pela polémica, a polémica que se esgota em si mesma, apenas contribui para o desgaste de energias que, muitas vezes, nos irão fazer falta para atacar e resolver os reais e verdadeiros problemas que afligem a nossa sociedade”.

  12. Frustrada

    19 de Outubro de 2012 as 15:03

    Palavreando o Presidente da República «a polémica pela polémica, a polémica que se esgota em si mesma, apenas contribui para o desgaste de energias que, muitas vezes, nos irão fazer falta para atacar e resolver os reais e verdadeiros problemas que afligem a nossa sociedade».
    Este excerto do discurso do Presidente da República serve para para extrairmos ilações.
    Viva Democracia!

  13. hiro manuel

    19 de Outubro de 2012 as 15:52

    Liberdade individuais e colectivas mais é uma ova…O Patrice Trovoada nem respeito tem por si, todas as actividades que se realizam em s.tomé em que o senhor Pinto da Costa está presente o 1ºMinistro Patrice Trovoada envia o seu capanga Afonso Varela. O Sr.Pinto Da Costa com o seu passo de lêsma vai observando todas as asneiras do governo e não toma nenhuma actitude, agora vem ai com esta de defesa de liberdades individuais…Pai Grande-mais é Pai Pequeno…Isto anda tudo mal.

  14. inacio quaresma

    20 de Outubro de 2012 as 8:35

    «a polémica pela polémica, a polémica que se esgota em si mesma, apenas contribui para o desgaste de energias que, muitas vezes, nos irão fazer falta para atacar e resolver os reais e verdadeiros problemas que afligem a nossa sociedade».
    certo Sr. Presidente, isto não é numhuma enigma…
    força S.T.P
    Inacio Quaresma,
    Luanda – Angola,

  15. Arnaldo

    20 de Outubro de 2012 as 21:20

    Concordo plenamente com o sr. Presidente da República.

  16. ÔSSÔBÔ

    21 de Outubro de 2012 as 10:29

    Pinto da Costa é uma alternativa para os cidadãos do arquipélago. Valeu a pena o povo ter lhe dado mais uma chance de mostrar que os 15 anos do partido único nada têm a ver com os desafios que se operam na era democrática
    Na minha óptica e sem exageros, ele parece ser um homem de concenso!
    FIU!!!!

  17. TRINDADE

    22 de Outubro de 2012 as 8:56

    EU SÓ QUERIA ALERTAR A NORA DEZER-LHE QUE O DEPOIMENTO DO SENHOR PRESIDENTE , ELE FALAVA DERECRAMENE PARA OS LIDERI DA OPOSIÇAO . E QUE É ELA QUE DEVE A IDEOLOGIA DO PAIS GRANDE

  18. O Analista e Censurador

    22 de Outubro de 2012 as 20:21

    Para além do conhecimento mútuo da Ideologia Politica. O politico mais posicionado em São Tomé e Príncipe, só existe 1 – Senhor Dr.Manuel Pinto da Costa, actual Presidente. Seria bom que muitos desses políticos feito a pressa que não sabem o que é ABC da politica, aprendessem com essa figura considerado o nosso Pai Grande e deixar de blá blá blá.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo