Ébola: Governo avisa que a situação é séria

Numa comunicação à Nação São-tomense, por causa da Ébola que se transformou num caso de emergência de Saúde Pública a nível mundial, o Primeiro-ministro e Chefe do Governo, Gabriel Costa, alertou a população para a ameaça que constitui o Ébola.

Segundo Gabriel Costa em parceria com a OMS e outros parceiros, o seu governo está a fazer tudo, «para que seja estabelecido um cordão de prevenção no país sobretudo nos aeroportos e portos», afirmou.

O Governo diz que avança com medidas urgentes e radicais, «para evitar surpresas que poderão tomar proporções catastróficas».

Ébola que avança por 4 países da África Ocidental, provocou a convocação de uma reunião do Conselho de Ministros do Governo são-tomense, que decidiu reforçar tecnicamente o comité nacional de emergência criado para o efeito.

Gabriel Costa, anunciou mais medidas «reforçar o controlo de vigilância nos aeroportos e portos de São Tomé e Príncipe. Determinar que a vigilância nos portos e aeroportos seja feita antes de se passar pelos serviços de migração e fronteiras».

O serviço nacional de saúde passa a estar de plantão no aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe para agir em todos os voos que chegam ou partem do país

O Executivo defende maior envolvimento dos sectores das Infraestruturas e meio ambiente, e da defesa e ordem interna no reforço da vigilância. As forças policiais e militares devem estar de olhos abertos para travar a imigração clandestina e as respectivas embarcações utilizadas.

A população é chamada a adoptar as medidas de limpeza e higiene. Tudo porque segundo o Primeiro-ministro, «a situação é séria».

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    luisó Responder

    Façam como outros países africanos já fizeram sem problemas de consciência: proibição de entrada de pessoas originárias dos países que estão com o ébola.
    Não tem outra solução, porque a alternativa não é segura pois todos nós conhecemos como vai a saúde e o controle sanitário em STP.

    • img
      Arnaldo (santola) Responder

      Pois é amigo sem mais, é a única forma, quanto mais vale prevenir do que tardar, o nosso governo tem de fechar as fronteiras com os países afetados até que as coisas se acalmem.

  2. img
    vio Responder

    Irmaos lavar bem as maos antes d qualquer refeicao e depois de dar maos a alguem tbm ajuda muito , andar sempre cm uma bisnaga (alcool) de gel d mao antibacterial sempre q andar de transportes publico nao e o remedio mas nunca se sabe ao menos previne.

  3. img
    filipe Muhongo Responder

    Evitem, consumir uns dos vectores de doença (Morcego)

  4. img
    H. Borges Responder

    Mas na prática não se tem feito nada ou quase nada… basta ir ao aeroporto de s. tomé nos dias de voos com a Nigéria e entrevistar os passageiros se foram sujeitos à alguma medida de prevenção e todos vão responder, nada, nada de nada, excepto se têm vacina contra a febre amarela…

  5. img
    cadacoisaquesobe Responder

    O Gabriel Costa é um grande frouxo!

    Ele não sabe que a situação é muito séria?
    Então porquê não adotar medidas drásticas , como o fecho da fronteira aérea e marítima com os países afectados, como a Nigéria e outros?

    O que Grabriel Costa anda a espera?

  6. img
    Anonimo Responder

    Vigilância? Vigilar o quê? Os vírus? Que parvoice..
    Até não se cortar a entrada às pessoas ds países afectados o pais está completamente exposto.

  7. img
    Barão de Água Izé Responder

    O nosso País não tem competências e capacidades para enfrentar o que se suspeita ser uma nova peste, a doença ébola. É de todo aconselhável não admitir entrada em território Nacional de cidadãos dos Países em que a ébola já se manifestou, até controlo da doença ou criação de controlos de saúde e sanitários em STP ao nível desta doença.

  8. img
    Grigspo Lenn Responder

    Lo Governio desti paíes (STP)deve faz fechar FRONTERAS com todus los paíes qui tenie a doença. Porqui es saudi e non es politica.
    Es saudi di todus los santominsis qui esta en peligro.
    Tomada di decisioni certadas.

Deixe um comentario

*