Eleições directas do próximo Presidente do MLSTP marcadas param 30 de Maio

Pela primeira vez na cena política nacional, um partido decide adoptar o sufrágio directo para eleger o seu Presidente. O MLSTP, que marcou para 30 de Maio a realização do seu Congresso Ordinário, decidiu optar pelas “directas”, ou seja todos os militantes inscritos no partido vão exercer o direito de voto na escolha do novo líder.

Enquanto isso, sob a presidência de Jorge Amado, o MLSTP está a analisar a possibilidade de requerer o parecer do Tribunal Constitucional sobre a compatibilidade ou não do exercício de altas funções na Administração Pública com as do cargo de Deputado Nacional. Uma diligência que surge na sequência da aprovação pela maioria parlamentar da ADI da alteração do Estatuto dos Deputados, com destaque ara o artigo que define as incompatibilidades.

No comunicado da sua comissão política, o MLSTP repudiou de forma veemente o procedimento de violência física que ocorreu no quartel general, e que segundo o partido descredibiliza a verdadeira missão das forças armadas.

No entanto exortou os órgãos e entidades representadas no Conselho Superior de Defesa Nacional, a repudiarem «interesses outros, que não os da dignificação, disciplina e fortalecimento da instituição, Forças Armadas de São Tomé e Príncipe», refere o comunicado.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Maria de Fatima Santos Responder

    O MLSTP tem uma oportunidade (espero que a aproveite) de se restruturar de verdade, fazer as pazes consigo mesmo e andar para a frente. O MLSTP tem uma dívida histórica para com o país que nao soube dignificar ao longo dos últimos anos mas penso que ainda é tempo de corrigir. Pela Insituiçao que representam, por respeito a si próprio o MLSTP tem que recuperar os seus ideais e reforçar a sua credibilidade. A tarefa nao é fácil mas, sem complexos, ainda é possivel. Sem facçoes por favor!

  2. img
    manuel soares Responder

    Meus caros camaradas e gloriosos do histórico MLSTP, por favor e por amor à Deus tenham calma e escolham quem na verdade e na realidade deve governar o partido e o país. Deixemos de guerras inúteis e tiros nos pés, vamos concertar na união e apresentação de um projecto e programa político com cabeça, tronco e membro para o bem estar e desenvolvimento do país.

  3. img
    SEABRA Responder

    O ideal mesmo, seria que um dos que conheceram e conhecem bem o começo e a evoluçao do MLSTP(com os seus êrros e poucos sucêssos),em colaboraçao com um verdadeiro simpatizante do historico partido (conhecedor na politica ,esclarecido e moderado…), da nova geraçao, tomassem à frente para dirigir este glorioso partido, que jà entrou na historia de STP(quando se fala , fora de STP, do partido que deu a independência de STP a resposta é imediata MLSTP…respeito, seja como fôr).
    Vem-me à ideia alguns exmilitantes de célebre JOTA : Afonso Varela, Alde Melo, Gabriel da Costa, Alcino Pinto…(hoje, nao se pode e nem se deve contar com o Varela, que jà està do outro lado do PODER- ADI, como braço direito do pm, P.T.).
    Espero que mais militantes se manifestem para dignificar STP e o seu grande DESTINO. Desviêm STP das maos dos novos lacaios (piores que os portugueses, que aliàs, colaboram bem com certos tugas…lembrem-se das eleiçoes de outubro 2014).
    Nao se enganem em escolher um EXCELENTE dirigente …jà é tempo!

  4. img
    Eusebio Neto Responder

    Para o bem da democracia no nosso pais, urge que o MLSTP se organize assuma as suas intransmissíveis responsabilidades no processo de desenvolvimento santomense. No poder ou na oposição, o MLSTP terá sempre a obrigação de fazer sentir a sua contribuição para levar os santomenses ao bem-estar que lhes foi prometido ha 40 anos. Para isso, importara determinantemente a “casta” de líder que o partido eleger no seu próximo congresso. Repetir os gravíssimos erros que foram recententemente cometido e que levaram o partido ao descalabro das ultimas eleições ditara inevitavelmente o seu desaparecimento. E de todos sabido que no seio do MLSTP “vadiam” muitos ambiciosas do poder mas quase todos portadores de cabeças ocas e esvaziadas de qualquer noção de liderança politica e de chefia da coisa publica. Por isso dessa vez espero que saibam escolher o melhor de entre os homens e mulheres que se vao candidatar a esse importante posto. De partidos fracos e a “estado islâmico” estamos fartos.

    Boa sorte

  5. img
    vai-tu Responder

    Procurar atualmente um LIDER para o Partido, faz
    lembrar Diógenes (filosofo), que andava em pleno
    dia com uma lanterna e perguntaram-lhe que fazia,
    respondeu;
    “PROCURO UM HOMEM”
    Os que têm perfil para serem LIDER do partido não confiam, nos próprios camaradas, por isso vamos assistir a uma série de candidatos que só ambicionam o Poder e o que realmente é importante
    ou seja, “A RECONSTRUÇÃO DO PARTIDO,O PAÍS E O POVO”, fica para segundo plano.

Deixe um comentario

*