Computadores Magalhães “made in São Tomé e Príncipe” em 2011

O governo são-tomense assinou um memorandum com a empresa portuguesa JP Sá Couto, que em Fevereiro próximo deverá permitir a montagem de uma unidade de produção e distribuição de 200 mil computadores por ano. O mercado da África central é o principal destino.

Segundo Olinto Daio(na foto), ministro da educação, cultura e formação profissional, o memorandum assinado com a empresa JP Sá Couto de Portugal, cria uma parceria para a produção de computadores Magalhães, “made in São Tomé e Príncipe”. Uma forma de promover o nome do país a nível internacional. «Queremos estabelecer uma parceria onde São Tomé e Príncipe, irá produzir computadores Magalhães. Portanto montaríamos aqui um centro de produção e distribuição para a costa africana», assegurou o ministro.

A unidade de montagem do computador de patente portuguesa, deverá ser construída em 2011. Olindo Daio indicou Fevereiro próximo como data para início das obras. Até Janeiro serão realizados estudos de viabilidade económica do projecto, assim como a definição da região do país onde o centro de produção deverá ser construído. «Com esta infra-estrutura vamos garantir empregos para cerca de 200 pessoas. É mais uma oportunidade para que possamos entrar neste mundo da industrialização e das novas tecnologias», referiu.

Segundo o ministro a futura unidade vai produzir 200 mil computadores por ano. A região africana será o principal mercado para a produção.

A nível nacional será uma oportunidade para entrada na era digital. «Com esse projecto queremos também a curto prazo, termos um computador por Professor e um computador por Aluno. Hoje para recuperarmos o atraso que temos a nível de desenvolvimento temos que alfabetizar as nossas crianças e jovens digitalmente», prometeu, o ministro.

País com mais de 160 mil habitantes, apenas cerca de 5% da população de São Tomé e Príncipe, tem acesso diário ao computador e consequentemente a Internet.

Abel Veiga

  1. img
    Verres Neto Responder

    Computadores Magalhães “made in São Tomé e Príncipe” em 2011. Esta considero a primeira das novas tecnologias em São Tomé e Príncipe, realmente é de louvar o trabalho do governo principalmente do Ministério da Educação representado por Sr. Dr. Olinto Daio. Espero que não paremos por aqui, porque o caminho é longo e temos uma meta a atingir. Meta, esta fazer que São Tomé e Príncipe tenho um nome no mercado internacional e isto é um papel de todos nós. Todos de mãos dadas contribuamos para o desenvolvimento do nosso próprio país em prol da sociedade santomense, aliás como disse o ministro da educação, com esta infra-estrutura garantir-se-a empregos para cerca de 200 pessoas, o que já é muito bom porque garante a diminuição do desemprego no país e vice-versa. Boas Festas a todos, um santo natal feliz e um novo ano cheio de prosperidade.

    • img
      Ciosmy Power Responder

      é de louvar esta atitude inovadora do novo governo, um centro de montagem destes computadores cá seria o início da era de nova tecnologia para STP.

      Esperemos anciosamente por este projecto e que ele não fique no papél, mas sim venha a se materializar…

  2. img
    Ilum Iname Responder

    Ora aí está uma iniciativa concreta, com pernas para andar ao contrário dessas da cooperação sul-sul à là Sizulu. Infelizmente os chavões do actual Governo tês sido muito alinhados com essa via terceiromundista. Mal avisado, digo eu.
    Foi retórica que já deu as uvas que tinha a dar – isto é, as do aproveitamento político, porque de utilidade prática para o desenvolvimento dos povos e dos países nunca deu nenhumas.

  3. img
    Macarofe Responder

    Quando vejo acredito…..

    • img
      observador Responder

      falamos de STP? quando ver acredito

  4. img
    euclides correia Responder

    se na realidade são tomé e principe fizer isso,poderei dizer que está dando um passo para a mudança.

  5. img
    Celsio Junqueira Responder

    Subescrevo por completo as palavras do Ministro.

    Se se confirmar, é uma oportunidade de ouro. E seria muito importante para a nossa economia e os nossos jovens.

    Mas isto não pode ser uma ilha, tem de ser um objectivo, preparado, planeado e organizado para a nossa economia. Com uma Estratégia, uma Ideia e sonhar.

    Para já um ponto positivo e uma esperança, temos de começar por algum lado.

    Boa sorte!!!

  6. img
    Pico Papagaio Responder

    Mais um projecto chamado Porto de Aguas profundas, Zona Franca, aeroporto do Príncipe, aeroporto internacional de STP.
    Quem Deus der vida com saúde verá.

    STP, país mais desenvolvido com projecto que fica só no papel.
    Este Governo está a me sair uma coisa linda, mal dita hora que votei no ADI, nunca mais na vida se não tiver ninguém para votar votarei em branco.

    • img
      Osama bin Laden Responder

      Muita calma senhor Papagaio, padre não mente.
      Palavra de padre chega ao Céu. Portanto esse projecto vai ter um final feliz.
      Quem me dera que todos nossos ministros fossem padre.

      Viva senhor Padre.

      • img
        Maria leva leva Responder

        Padre não mente? Ossama você está muito enganado! Padre funciona assim:

        “Faça o que eu mando e não faça o que eu faço”.

        Sabia que aqui no Príncipe tinha um padre que dizia gente na missa que não se deve fazer “coisa” sem casar, não é que mesmo padre fez “coisa” sem casar e ainda por cima deixou rebento.
        Portanto meu amigo não vai nessa que padre não mente. Padre é gente como qualquer outra pessoa.

        • img
          Manga safú Responder

          Essa é boa aaaaaaah.
          Padre Olinto é mais honesto ele casou 1º, depois fez “coisa”.

          • img
            Polvo Paul

            Padre Olinto não!! Ex-padre Olinto agora senhor Olinto Ministro da Educação e Cultura, num país sem cultura.

  7. img
    sankhara Responder

    a ver vamos. mas de todos os modos, tendo em conta que nao é pra se utilizar em stp ou por outra, nao se trata de uma oferta ( como tipicamente já estamos habituados e viciados a receber em forma de esmola), mas sim de um pretenso negocio contractual, pois creio que já seria matéria correspondente a área do ministro de outra tutela e nao o da educacao (embora que na fase embrionária tivesse sido proposta pelo seu homólogo ou coisa do género) tomar a dianteira na prosecucao do mesmo, dito projecto. ou estou muito enganado? alguem que me esclareca por favor…!!!

  8. img
    Dlima Responder

    À-ver-vamos se terá pernas para andar. É disto que STP e o seu povo precisa e caso se venha a se concretizar, será mais um passo rumo ao desenvolvimento. É sempre bem-vindo pessoas, empresas ou instituições que queiram ajudar o nosso País e os santomenses esperam que não seja mais um acordo para ficar na pratileira…
    O País precisa de investimentos e investidores credíveis e sérios e não de investimentos e investidores fantasmas como temos tido até agora, não só por culpa destes oportunistas mas também, por culpa dos nossos anteriores governates que nunca souberam escolher investidores sérios, não por inexperiência mas sim, por interesses próprios de cada um.
    Nós os santomenses depositamos uma dose muito elevada de confiança no atual governo e esperamos que estes não nos defrandem as espetativas, esperemos saibam trazer e trabalhar com pessoas sérias, com pessoas que queiram fazer algo de bom no nosso sofrido País…

    Estamos fastos de OPORTUNISTAS.

    • img
      Dlima Responder

      *defraudem…

    • img
      Dlima Responder

      *fartos…

  9. img
    Afonso Responder

    Não fala isso Papagaio , ñ aripenda antes de ver as coisas, tem fé na vida e no governo, embora com um pouco de razão neste pais fala mais e faz pouco, tudo na teoria nada na pratica.Bem k o Deus faça k tudo venha a pratica.

  10. img
    Batepá Responder

    Muito boa iniciativa.

    Apenas um alerta, importa que seja integrado num pacote estrutural de projectos pois, não adianta ter-se computadores todos sem haver estabilidade energética, água, sala de aulas em condições, entre outras coisas.

    Acredito que se cada ministro for atrás de projectos concretos, a fase de artiulação é facilmente ultrapassável.
    FUI

  11. img
    Joao Batepa Responder

    Eu ficarei feliz se ver isso a funcionar ao menos em 2013.
    Este Padre com cara de santo faz-me lembrar o diabo!

    • img
      Santo Responder

      Claro, em tua casa, vivem somente os diabos!
      Com Humildade

  12. img
    Estudantes em Venezuela Responder

    É dessas iniciativas que o país está falta meus caros compatriotas!!! é de louvar o projecto!!! Agora resta saber a questäo da rede, uma vez consolidado o projecto.
    Felicitçöes para o Ministro de Educaçäo, e o seu governo, que continuem com iniciativas deste género assim veremos o nosso paìs desenvolvendo!! Adelante S.Tomé y Príncipe

  13. img
    Tentando a ler Responder

    E o mercado ja esta identificado? Seria bom que os um + um desse dois nas contas ao mercado, senao…. bau bau

  14. img
    pagagunu Responder

    Cuidado com o “Merdalães” até os Portugueses estão contra isto!!!

  15. img
    madalena Responder

    Não faça omolete sem ovos.
    As cantinas escolares sem sal, sem leite sem açucar, sem farinha da matola, sem epepa. Sr Ministro, sem professor qualificado, muitos nem sabem mexer com rato.
    Aie deus

  16. img
    madalena Responder

    A Carta escolar está actualizada?
    Os professores estão motivados, os manuais, ja falam do petroleo e o ambiente?
    Mudanças climaticas, o uso de drogas?
    Os computadores não fazem milagres,
    Semea vento colhe tempestade, Boa sorte.

  17. img
    bolsa Responder

    quando é que o senhor vai resolver pagar a bolsa, pelo visto vamos passar o natal e fim do ano sem dinheiro para fazermos uma alimentação saudável. governos de m. estou farto de promessas que nunca cumprem. O senhor é Padre e deveria ter sensibilidade para com as pessoas em não deixa-las viver na precariedade. paguem a bolsa por favor.

  18. img
    Leoter Viegas Responder

    Não é só de más noticias vive o País:)
    Aqui está…Uma boa notícia para os santomenses e para a Economia santomense.
    Ao concretizar este investimento, não tenho dúvidas em afirmar que será um dos melhores investimentos no País nos últimos 35 anos.
    O futuro está na aposta em novas tecnologias e na economia do conhecimento, portanto, o País está de parabens. Só espero do Governo estratégia capaz de tirar o maior proveito deste faboloso investimento.
    Dentre múltiplas vantagens, saliento duas:
    1º – Maior investimento privado implica o aumento do nosso PIB;
    2º – Pelo que sei, a estratégia do grupo JP Sá Couto é aposta na produção e exportação para o mercado externo de S.Tomé e Príncipe. Isso terá grande implicação na nossa Balança Comercial, o que ajudará a minimizar o Défice Orçamental do País.
    Mais investimentos desta natureza precisa-se…

    Leoter Viegas

  19. img
    Higino Costa Responder

    é muito importante desde quue as autoridades competentes saibam tirar o proveito para o beneficio do povo santomense que tanto necessitam principalmente os jovens

  20. img
    Cantagalo Responder

    Mais uma manobra Política. Espero ver para crer, isto porque os políticos santomenses gostam de 10%. Sem 10%, vai ser dificil, Olinto Daio não faz milagres!

  21. img
    João Responder

    Vejo a notícia como uma boa notícia! Sim, sem margem para dúvidas. Todavia, vamos ver o que tudo isto vai dar.

  22. img
    Mario Pinto Responder

    Vamos cotribuir em vaz de criticar

  23. img
    Manga Punha Responder

    Quem não sabe mexer no rato, aprenda! Até quando deixem de serem analfabetos. Pode-se utilizar uma ratoeira ao lado do teclado.
    Mas o projecto é interessante. vamos digitalizar-nos a nós próprio.

  24. img
    Manga Punha Responder

    “Avê Maria, cheia de graça, senhor conosco.
    Bendito somos nós frutos de magalhães”.
    “Amém”.

  25. img
    Aoaní d'Alva Responder

    Só não entendi muito bem como é que o memorando foi assinado sem o estudo de viabilidade ser realizado. Mas é certamente uma nova fonte de renda e de emprego!

  26. img
    Madalena Responder

    São 30 mil baris de petroleo, assunto de prioridade maxima. o resto é cantiga.

  27. img
    Verónico neves Responder

    Espero ver para crer, até porque existem algumas questões que aqui não foram tratados, tais como:

    - A formação de mão-de-obra
    - Contrapartidas envolvidas
    - Prazos e valores estabelecidos

  28. img
    Polvo Paul Responder

    Os produtos vão sair do país como? se não temos avião nem barco. O no aeroporto é uma vergonha de todo tamanho. Será que J Sá Couto sabe que STP não tem nada? Não tem agua no hospital, aeroporto é uma grande brincadeira, porto de ST e Principe não tem grua estrada do país está só burraco…. Coisa de mais …

    Eu aposto que senhor padre vai ser socio deste negocio….

  29. img
    Mangulú Responder

    Espero para ver si tal acontece na realidade.Por já estamos fartos com promessas que não chegam a concretizar.Estamos a espera do porto de aguas profunda que começou com o antigo 1º Ministro Guilherme Posser.

  30. img
    Lagaia Responder

    Gostava de saber como serão as empresas Santomenses envolvidas.
    E qual será o papel do INIC

  31. img
    hildilberto Dias Responder

    Sua Excelencia este é um projecto ambisioso sendo assim surge num bom momento momento este em ke o nosso pais comessa a dar passos largos e isto surge como um formar de projectar o nosso pais la em fronteiras.
    Sei tambem que a sua Escelencia teve sempre esta incumencia de levar o nosso pais em conhençer o valor da nova tecnlogia porque varias sao as acçoes que a sua Excelencia ja vem praticando junto a toda equipa do Kitembu digital e hoje surge um fruto .Por isso muitos exitos neste mesmo projecto.
    hildilberto Dias
    Estudante Sao Tomense em CV

  32. img
    acusado Responder

    SrºPadre os magalhães dão cabo da vista, se descorda pergunta aos putos portugueses…

  33. img
    haver vamos! Responder

    Pra mim isso não passa de ser uma propaganda engonosa.

  34. img
    silvino Responder

    Esta ideia de projecto é louvável, porque temos de inovar e desenvolver industrial e tecnologicamente, de forma a criar postos de trabalhos para a população em geral.Eu sou bastante céptico atinente a essas promessas, porque já ouvi muitas delas vãs. Só espero que o Governo não crie embargo ao desenvolvimento, por não receber uma boa maquia da parte dos investidores. Nós precisamos desses investimentos, dessas apostas. Portanto, vamos abrir portas aos investidores estrangeiros e incentivá-los. Porque, que eu saiba, nós não temos internamente investidores com esse por económico. Manda vir mais arroz doce!

Deixe um comentario

*