Sucesso na luta contra o paludismo reconhecido pela ONU

Depois de ter recebido nota positiva da OMS, São Tomé e Príncipe, foi reconhecido pelas Nações Unidas, como um dos poucos países do mundo que tem conseguido reduzir o paludismo.

O sucesso do país na luta contra a doença que era responsável por mais de 60% de mortalidade, foi reconhecido pelas Nações Unidas. No relatório Roll Back Malária, divulgado este mês, São Tomé e Príncipe faz parte do grupo de 11 países africanos onde a redução de mortes por causa do paludismo é superior a 50%.

Qualquer cidadão nacional, ou estrangeiro residente no país pode confirmar isso mesmo. A doença que tirava os adultos capacidade trabalho e comprometia o resultado escolar das crianças, perdeu força em São Tomé e na ilha do Príncipe desde o ano 2005 que ão provoca vítimas mortais.

Tudo fruto de uma campanha lançada no ano 2004, com apoio financeiro e técnico da República de Taiwan, que permitiu salvar centenas de vidas, sobretudo crianças menores de 5 anos, que são as principais vítimas do paludismo.

Segundo dados divulgados pelo Centro Nacional de Endemias, no ano 2002 São Tomé e Príncipe registava 67 mil casos de paludismo. Número importante para uma população que rondava os 150 mil habitantes. No ano 2011 o arquipélago registou apenas 2790 casos.

A nível nacional o número de obtidos baixou em mais de 90%. A doença regrediu, mas a direcção do Centro Nacional de Endemias, alerta para a necessidade de não haver relaxe. Ainda mais quando alguns círculos populacionais, teimam em oferecer resistência contra a pulverização das casas, ao mesmo tempo que amontoam lixo a beira do quintal, e deixam água acumular nos bairros residenciais, aguardando que seja o Estado a drenar tais poços de água acumulada, nos bairros e nos quintais.

Abel Veiga

  1. img
    Josy Neto Responder

    Parabéns S.Tomé e Príncipe. Nem tudo pode ser negativo no país. No entanto, necessário se torna envolver muito mais a população. A pulverização nas casas, não pode ser uma questão de boa vontade de uns ou de outros. O Governo ou a Assembleia devem aprovar a lei que obriga a pulverização de qualquer casa. Sobretudo quando se constata que os que não aceitam que as suas casas sejam pulverizadas, são pessoas menos informada, mais expostas a doença, sem nenhum conhecimento na matéria. Pode-se dizer mesmo que são ignorantes na matéria. E se as autoridades obdecem as leis destes ignorantes, então estão a comportar-se da mesma maneira.
    Outro aspecto que se deve redrobrar a vigilância, é com a venda destes produtos para os agricultores por parte dos agentes pulverizadores. Isto faz com que os mesmos preparem os produtos com menos quantidade de matéria necessária, o que pode vir a originar que os efeitos sobre os mosquitos não sejam eficazes.
    Antes, quando se dava estes produtos, viamos as baratas, centopeias e outros insectos morrerem. Hoje o efeito já não é o mesmo, e sob o risco dos mosquitos virem a criar a resistencia num futuro próximo.
    Por Favor, Não Deixem Morrer este Projecto, Nem Tratem de Sabotar o Mesmo. É um dos melhores projectos de saúde, durante toda a existência de S.Tomé e Príncipe.
    Mais uma vez os parabéns
    Josy

  2. img
    Nando Vaz(Roça Agostinho Neto) Responder

    Fui, um dos protagonista para esse sucesso.
    Lembro-me quando prestei serviço voluntário juntamente dos técnicos de Taiwam que foram fazer recolha de mosquitos para realização de estudos.
    peguei centenas de mosquitos, devem me agradecer pelo contributo!…

  3. img
    pagagunu Responder

    temos que continuar a lutar pois uma regresão da doença agora seria fatal porque já todos perdemos inmunidade contra a doença. Concordo con o diz Josy Neto sobre a obrigatoridade da pulverização isto não pode ser deixado, ao belo criterio das pessoas, todos temos memoria dos danos k o paludismo fez e continua a fazer ao nosso povo. Porque que os manda Bocas deste espaço não falam sobre isto ??? Pois trata-se de vitoria do povo Santomense, disto ninguem quer falar …

  4. img
    Anca Responder

    Muitos questionaram;

    O que é que isso tem haver com a notícia “Sucesso na luta contra o paludismo reconhecido pela ONU”?
    Basta relacionar e partilhar conhecimentos.

    • img
      Anca Responder

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  5. img
    Joao Batepa Responder

    Muito Obrigado ONU!!

  6. img
    FIDELITO Responder

    UM BOM RECONHECIMENTO PARA O NOSSO QUERIDO STP.

    O GOVERNO DEVE IR MAIS LONGE.

    DEVE CRIAR UMA LEI QUE OBRIGA TODAS AS PESSOAS A ACEITAREM A PUVERIZAÇÃO NAS SUAS CASAS.

    AS CRENÇAS DE UMAS PESSOAS NÃO PODEM COLOCAR EM RISCO UM ESFORÇO COLECTIVO E A SAUDE DA MAIORIA.

    PARABÉNS S.T.P.

  7. img
    maria josé Responder

    tudo mal….

  8. img
    Anca Responder

    Aqui está a prova de quando acreditamos quando queremos, quando fazemos movidos por orgulho e determinação naquilo que queremos ser e atingir como país, povo e nação conseguimos, conseguimos a admiração externa e aumentamos o nosso orgulho e admiração por nós mesmo e pelas nossas causas, nesse caso a luta contra o paludismo.
    Que não significa que temos que envaidecer e baixar a guarda.

    Os meus parabéns admiração e reconhecimento, da equipa que tem trabalhado no planeamento e orientação do projeto de luta contra o paludismo.

    Bem haja a todos

    Continuemos a praticar o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem Sãotomenses

    Deus abençoe e ilumine São Tomé e Príncipe

  9. img
    Fradiquista Responder

    Meus caros,

    Vamos dar ao Cesar o que é do Cesar.
    Esse sucesso na luta contra o Paludismo é merito do Fradique de Menezes…custa a gente reconhecer que o homem contribuiu de forma determinande para isso?
    Parabens Fradique essa é a sua marca…
    Viva S. Tomé e Príncipe

Deixe um comentario

*