Ministro da Educação anuncia 3 novos projectos financiados pelo Japão

Na última semana o Ministro da Educação, Olinto Daio, recebeu do Governo japonês um lote variado de equipamentos escolares, que vão contribuir para melhoria da qualidade de ensino, no novo ano lectivo.

Cadeiras, quadros, mesas entre outros fazem parte dos equipamentos que vão permitir o normal funcionamento de novos estabelecimentos de ensino nas localidades de São Fenícia, Diogo Simão e São Marcos.

O Embaixador do Japão em São Tomé e Príncipe Masaaki Sato, entregou ao Ministro da Educação, os novos equipamentos, que vão ser colocados também nas novas salas de aulas das escolas de São Marçal, Neves e de Santana.

Segundo o ministro da educação, a parceria com o Governo de Japão, permite o financiamento de 3 projectos no sector da educação. A reabilitação do parque escolar que já está em curso, assim como apetrechamento com os materiais escolares, e a estruturação da educação especial.

Projectos que Olinto Daio, considera como fundamentais e que «melhoram a qualidade das nossas escolas, tornando-as mais atractivas», afirmou.

No capítulo da educação especial, o ministro, explicou que já foi lançado um concurso público para aquisição de equipamentos. «Pretendemos lançar dois centros de educação especial, sendo aqui no distrito de Água Grande, onde já existe, vamos melhorar a qualidade com o apetrecho de equipamentos adequados para educação especial, e montar um outro centro num outro distrito», pontuou.

Recorde-se que os projectos de cooperação japonesa no sector da educação, são financiados com o fundo resultante da venda do arroz, que anualmente o Reino Nipónico oferece a São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Ma fala Responder

    Ministro bofetada- Deverias era pedir a tua demissao , em nome da educacao que defendes!

  2. img
    ANCA Responder

    Está é mais uma ajuda a considerar dum País amigo, Japão, mediante cooperação e contrapartidas.

    Pois que é necessário imperioso urgente, olhar para o setor de educação, todo o sistema educativo, aliando ao setor social cultural, desportivo, ambiental, aliando a economia, aliada as tecnologias de comunicação informação, a sua massificação, a chave razão para inversão do quadro atual que se encontra o estádio da educação como formação do indivíduo, bem como formação para a qualificação individual coletiva. Apesar de termos boa cobertura escolar a nível do ensino primário, média do ensino básico, ensino secundário com lacunas ainda a colmatar, neste sentido péssimo, assim como mau o ensino profissional e superior.
    Há que rever sempre a qualidade, o fim do que se ministra nos programas, nos vários ensino, se se vai de encontro a tomada da consciência social, para inserção de valores de pensamento, de organização, de saber e saber fazer, não obstante todo o trabalho formação e parcerias que se tem desenvolvido. É preciso ir mais além consolidar, solidificar, o sistema educativo nacional em toda a sua vertente, não obstante as dificuldades, pois que nem tudo se pode resumir a ausência dinheiro, por vezes a falta de percepção e de organização, estruturação, coordenação, leva que objetivos fins demore a ser complementares executados.

    Há que dar valor, há que olhar urgentemente para o ensino profissional, a nossa pirâmide populacional é de base alargada, isto implica conflito de expectativa, frustração, falta de emprego, perturbação social, aumento de criminalidade hoje e agora, no seio da sociedade já de si pobre e frágil.

    A demanda do emprego jovem deve ser posto em cima da mesa de forma urgente pensada, estrutura, organizada, debatida, pois que somos um território pequeno, em que a população aumentou, com reflexo na juventude, há que perspectivar fazer diagnostico, da razão da da pobreza, o seu aumento, a sua solução, pois que enquanto jamais solucionar-mos a questão dos rendimento, a questão do progresso econômico e financeiro, na nossa microeconomia, teremos que enfrentar sérios problemas de degradação social cultural, atraso, pobreza, miséria, a fome o subdesenvolvimento.

    Hoje a ferramenta essencial, tecnologias de informação comunicação, a que massifica-las o seu uso, a formação profissional urgente, enquadra-las com áreas de investimento presentes hoje e agora, temos o turismo, a hotelaria, a agricultura, a pecuária, a floresta, a culinária, a confecção de vestuário, a carpintaria, a construção civil, a pintura, a musica, o desporto, a economia do mar, a aquacultura, a pesca, na saúde, no saneamento do meio, na eletricidade, na mecânica, serralharia, no comercio, etc, etc, aliada, sempre ao conceito de empreendedorismo, de modo a colmatar a questão do emprego, sobretudo emprego jovem, tanto na capital como no meio rural, distrital regional, são necessário técnicos, pessoas que saibam fazer, pois que no País(Território/População/Mar/Administração) precisamos de quadros intermédios.

    As escolas e formações profissionais faz se sentir urgentes.

    Há que olhar para a educação formação cultural do indivíduo, berço seio familiar, ligada a educação formação escolar, tanto a montante como a jusante e enquadra-las nas políticas e perspectivas presentes do País(Território/População/Mar/Administração), nas perceptivas de cada classe populacional geracional, pois que isso trará progressos, crescimento desenvolvimento, social, cultural, ambiental, desportivo, científico, político, econômico e financeiro, que se quer sustentável.

    É necessário planear, estruturar o que se pretende para a educação, na saúde, no desporto, na economia, etc, etc,… assim como noutros setores institucionais, ter uma linha orientadora nacional, ter planos a curto médio prazo, do que se quer fazer, organizar estruturar, para que possa haver também confiança e investimentos massivos internos e externos, necessário trabalho árduo.

    És SãoTomense

    Senti orgulho em ti, tens potencial.

    Acredita em ti

    Tu és capaz

    Se sabes ajuda aquele que nada sabe,

    Se tens ajuda a quem nada tem.

    Juntos somos mais fortes

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

  3. img
    Sotavento Responder

    Este sr. nao tema vergonha nem tao pouco o PT.Mas a culpa a tem o povo. Un ministro que tema a pasta de educacao e que promete bofetadas a una funcionaria e continua aí.Deja coherente pelo menos porque otra coisa no es, como ministro de educacao es relés,imcopetente inculto e etc, etc

Deixe um comentario

*