Contributo para o Debate Nacional

Vamos por os pontos nos iis. O assunto de momento e que tantas paixões desencontradas desperta tem sido o debate nacional. Lamentavelmente o tema está a ser desvirtuado pois está centrado unicamente na figura da sua face nacional o Presidente Manuel Pinto da Costa e na figura sebastianista de Patrice e do seu ausente partido, bem como na visível falta de engajamento das forças políticas da troika parlamentar e até do primeiro ministro e dos ministros, pois mesmo sendo governo acho que deveriam dar a cara e não esconderem-se em reservadas estratégias partidárias com mera mas visível e indisfarcada intencionalidade pessoal e política.

Sera que teem medo que o debate do diálogo nacional os confronte com os erros da sua recente governação?

Não vejo mal em que seja a figura nacional do PR a estar na praça pública pois o PR, as suas funções e competências, o seu passado político e o presente do político e homem de estado podem e devem ser escrutinados pelo povo, enquanto realidade sociológica e política, pela massa critica da sociedade, com anseios, expetativas, opiniões, visão partidária e política, interesses e ambições, os homens e mulheres santomenses, sempre terão uma palavra a dizer sobre os assuntos nacionais, e podem e devem discutir em fóruns públicos ou partidários todos os assuntos de interesse coletivo, mesmo os do passado histórico do PR.

A cobardia morre sempre sozinha, mas a coragem tem virtudes ainda que seja para o ato de contrição e para serem analisados e assim evitarem-se os erros cometidos.

Mas pergunto, porque nos limitarmos a falar de coisas do passado remoto, quando temos coisas do passado recente que merecem ser amplamente discutidos para se evitarem os erros já cometidos e o rol de queixas sobre a desgraça da governação destes últimos dez anos.

Porque não debater os assuntos da presidência de Fradique e do seu partido de governo o MDFM ou os assuntos do governo de Rafael Branco, os da governação de Patrice e agora os do governo de Gabriel Costa ?

Esclareçam-nos os que governaram e os que agora governam qual a diferença que marca e como fizeram evoluir o pais Rafael Branco e os seus ministros, Patrice e os seus ministros e Gabriel Costa e os seus ministros ?

Venham ao debate dizer ao povo sofrido,  fomos diferentes, fizemos para o bem do pais e do nosso povo evoluir a economia, conseguimos ter uma boa saúde de cuidados primários e de especialidades médicas, materno infantil, temos um hospital onde não faltam meios de intervenção medica, temos melhores e mais camas para os doentes, temos médicos competentes e bem remunerados, temos uma polícia competente e que respeita os direitos do cidadão, bem apetrechada com meios de investigação e de proteção civil, com preparação e formação adequada, temos um ministério púbico que investiga bem e depressa os crimes e que tem bons magistrados e meios de investigação, temos uma justiça que funciona para o povo e em tempo razoável, com juízes competentes e sérios, temos uma agricultura e umas pescas que sustentam de bens primários o nosso povo e até sobra para exportação, temos um aeroporto com segurança internacional e aviões de uma sólida companhia de bandeira nacional, temos um plano de urbanização da cidade capital e das cidades e vilas do interior que servem as populações, de habitações condignas com água potável para o consumo humano e eletricidade e saneamento básico, temos os nossos recursos turísticos desenvolvidos e sustentavelmente aproveitados, temos as finanças e os impostos bem organizados de modo a que os impostos sejam prontamente arreceados para sustentar a administração pública, temos os salários dos funcionários em nível digno, para combater os esquemas que sugam os recursos da administração, temos comércio, indústrias de produtos de valor acrescentado dos nossos produtos da terra, temos as rocas bem exploradas e com viabilidade para gerar bens e rendimentos, temos os ministros tais e tais que se sacrificaram para o bem da nação ?

Porque não ouvimos e vemos Rafael Branco, Orscarito, Meneses, Hélio, Stok, Varela, Elisio, Carlos Tiny, Maquengo, e todos ou alguns dos que tão bem conhecemos vir a terreno dar voz e dar a cara    e assumir o que fizeram para o bem do povo e para nos justificar porque fizeram ou não puderem fazer ?

Porque não vemos nem ouvimos Patrice ?

Onde estão os dossiers e os contratos que negociaram em nome do governo e do estado e onde estão as obras feitas e as que deixaram por fazer ?

Porque não ouvimos nem vemos Fradique a dar explicações sobre os dez anos do seu mandato, porque fez cair primeiros ministros e impedia a governação em estabilidade  ?

Porque não vemos nem ouvimos os nossos deputados a explicar os projetos de leis e propostas de solução dos assuntos de interesse nacional ?

Digam me quantas propostas de lei ou projetos de lei apresentaram na Assembleia Nacional ?

Porque não há uma lei de proteção de menores e das mães sem possibilidade de sustentar os seus filhos abandonados e não sustentados pelos pais ?

Porque e que não se faz a inspeção dos juízes ?

Porque não se publicam as sentenças e acórdãos dos juízes ?

Porque e que os relatórios do tribunal de contas sobre a roubalheira nacional não são conhecidos e não trazem consequências para os infratores .

Porque e que os nossos recursos das pescas são delapidados por estrangeiros e o pobre pescador arrisca a vida no mar para sustentar a família, e agora para a televisão recebem uma meia dúzia dele uma meia dúzia de bússolas e dois ou três telefones e meia dúzia de coletes de salvação?

Como se justifica a vergonha Rosema e a recente vergonha Unitel ?

E porque morrem solteiros os escândalos dos bancos e os escândalos da docapesca, da GGA, da STP Trading, do arroz podre, dos desvios de recursos financeiros de todos os departamentos da administração pública, do não pagamento dos impostos ao estado, dos barcos do petróleo ?

Porque que só a ignorância fomentada e pouco esclarecida da população mantém o banho como modo de os mesmos senhores de sempre estarem no poleiro para se governarem ?

Porque e que os nossos estudantes no exterior passam fome e gritam por socorro do apoio do estado que não lhes vale ?

Estas e outras perguntas necessitam de urgente reposta dos que nela estiveram com as responsabilidades da governação, da administração pública, da polícia, da magistratura.

Estas e outras perguntas devem ser formuladas e não estão a ser colocadas e deveriam ser temas centrais do debate nacional, que se deveria transformar em inquérito nacional, sendo juízes todos os cidadãos e réus todos os cidadãos governantes ou não.

Tenho mais e muito mais para dizer e mostrar, tenho provas, e sei o que digo e do que falo, assumo as minhas responsabilidades, mesmo falando e criticando aqueles por quem tenho simpatia e amizade, sujeitando-me a divergência de opiniões, e até a maledicências e acusações infundadas, pois estou habituado  e garanto-vos sob palavra de honra, já acusei pessoas e instituições, quando fui magistrado do ministério público, já defendi pessoas e instituições quando fui advogado, hoje que sou juiz julgo pessoas e instituições. Sou sem medo de caráter e semedo de nome.

Vamos ao debate nacional, vamos ao diálogo nacional.

Carlos Semedo

Notícias relacionadas

  1. img
    Angelo Torres Responder

    Subcrevo as suas palavras. Vamos ao debate!

  2. img
    Portista Responder

    Grande intervenção senhor Semedo. O que me interessa a porcaria que o Miguel Trovoada vai falar sobre o seu passado conturbado com Pinto da Costa? Este senhor sempre viveu a grande e a Francesa. Teve tudo o que quis na política falando em nome do povo.
    Nunca deu um contributo válido para o país quando este precisou dele.
    Agora vem falar do passado. Tenha dó, meu caro. Há limites para o gozo com o povo. Eu quero lá saber do seu passado com o Pinto da Costa. O seu passado fica para si e para a sua família.
    O seu filho fez das suas, assinou documentos que comprometem o estado e o povo de S.Tomé e Príncipe, prejudicou a reputação do país e fugiu para o estrangeiro. O que é que o senhor acha disto? Foi bom? Quem ganhou alguma coisa com isto? Foi ele, o senhor e a vossa família. Agora querem falar do passado que o próprio senhor Miguel Trovoada foi o grande obreiro. Bandidos!!!
    Estou farto de vocês todos.

    • img
      Tio Responder

      Só posso congratular-me com a sua reação. Agradeço-lhe bastante pela coragem, inteligência e independência, para escrever o que escreveu. Isto é raro cá em S.Tomé. Eu não atreveria a fazê-lo, pois sei que seria vítima de perseguições e quem sabe poderia perder o meu emprego e a minha família ser prejudicada.
      De facto aquilo que o senhor Miguel Trovoada fez foi defender o seu filho querido. Ele foi um dos grandes responsáveis pela situação em que nos encontrámos hoje em dia. Teve boa vida. Agora ele quer que o filho e toda a sua família tenham também uma boa vida. Isto mais parece uma monarquia. Ninguém pode falar da família Trovoada aqui em S.Tomé. As pessoas são logo perseguidas. Que raio de país é este? Eu quero lá saber do Miguel Trovoada e do Pinto da Costa? E quem é que pensa na minha vida? Estes senhores pensam que são donos deste país. Estão todos bem da vida. E querem transformar-nos em observadores do espetáculo desagradável que oferecem ao país para eventualmente apoiarmos ou não um deles em vez do outro. Não contem comigo nesta luta. Como é que o senhor Miguel Trovoada se transformou numa das pessoas mais ricas deste país? O país é dele? Como é que o seu filho conseguiu tanto dinheiro para viver no estrangeiro sem trabalhar, em ambientes de luxo, com filhos em colégios caros, com todas as mordomias de um milionário? Talvez seria importante o senhor Miguel Trovoada explicar-nos estas coisas. Mas ele não o fez. Quer tratar-nos, o povo pequeno, por parvo. Pois colocando-nos contra o seu inimigo Pinto da Costa ele está a defender os interesses do seu filho e da sua família. Ele sabe com povo é que ele vive. Sempre foi assim cá em S.Tomé.

  3. img
    manuel soares Responder

    Bom dia meu caro Dr Carlos Semedo mas o senhor é Juíz, diga-me aonde só isso, por pura curiosidade, sem outras intenções juro.
    Agora vamos ao assunto que nos traz neste seu texto, mas o senhor ainda acredita neste diálogo nacional? vamos ser realista , o diálogo morreu e agora só politiquice e conversas do passado que não interessa a ninguém, falar-se do 75 e dos golpes, das tricas e brigas dos nossos políticos crónicos e malfeitores interressa a quem? por amor de Deus, vamos encontrar outro modo, outro tempo, outro contexto e outra metodologia para discutirmos e acertarmos no que nos une e qual é o melhor caminho para desenvolvermos STP, politica, económica e socialmente. Esta é a minha opinião, mas se quiserem realizar o dito diálogo que caracterizo de surdos neste momento, que façam, quem sou eu? um Zé ninguém, bom trabalho e um bom dia a todos sãotomenses.

  4. img
    Hotage Responder

    E de saudar a contribuicao.
    como santomensae tenho dito que as nossas pessoas sao pobres no espirito e consequentemente pobre na mentalidade. Alguem para justificar determinado assunto ou materia, funfamentando o seu argumento de modo a trona-lo compreencivel, diz o seguinte: Voce intende disto mais do que eu, porque fizeste tal formacao e no Estados Unidos. Falar do passado e necessario como disse o outro, constroi-se o presente e perspectiva-se o futuro a partir do passado;o tal passado e o que refere na sua questao; isto e, ouvir dos sucessivos Sr Ministros e Ministros daquilo que foram a suas contribuicoes para o Desenvolvimento do Pais. Facto ocorrido no anos 1974 -77 nao tem cabimento num forum de curta duracao como esse pois, simplesmente perde-se o tempo.

  5. img
    Danilo Salvaterra Responder

    Bravo Carlos Semedo. Os partidos políticos em S.Tomé e Príncipe sempre procurariam impedir um dialogo ou conferência nesse sentido. Acho se houver sabedoria da sociedade civil, jornalistas à altura talvez hoje poderemos dar esse passo. O país precisa saber quem é quem e suas responsabilidades para melhor decidir

  6. img
    António Silva Responder

    Subscrevo todas as suas palavras e preocupações. Este país necessita de um abanão; abanão político e social. Este abanão deveria ser feito também no interior da assembleia da república e cada governante deveria prestar contas e falar dos seu projectos e planos dentro desta instituição. Eu sempre me questiono:”-O que faz o tribunal de contas?”. Infelizmente o verdadeiro debate é transformado ou entendido como politiquice e de certeza que muitos não estão preparados para o mesmo. As governações não podem ser feitas sobre os joelhos. Fez-me muitas coisas más e de justiça nada se viu e ninguém foi incriminado!É inadmissível.

  7. img
    CEITA Responder

    sem palavras…,é penas que eles estão todos mergulhado e cego no Dolores do Patrice, os cavardes se esconde e espalham veneno e amaldiçoa este povo ignorante infelizmente não sei qual é mal que tem um dialogo nacional…

  8. img
    ddd Responder

    Essa foi boa, um bom Artigo, tens os meus valiosos respeito o nosso pais necessita desses pontos é disso que deveria ser o Tema para o Dialogo Nacional, são pontos fundamentais que carece de uma boa reflexão, duvido que os críticos do anterior artigo seu vão responder, é essa a clara verdade dos nossos políticos.

  9. img
    OCADONGO Responder

    Hoje sim, senti muita sinceridade aberta nas suas palavras.

    concordo com todo o racíocinio que fez.

    Muito bom artigo. mas de todos os modos, pra fazer-se analepse certeira, embora que nao se deveria falar das briguinhas de “compadres de infancia em especifico”, o Pinto da costa, sim, a ele , se lhe devia de questionar, por qué deixou–se levar pela dictadura, encabecando 15 anos d brutalidade, em que até, imitando a antiga europa do leste, nao só os desavindos ou de opiniao contrária a si (Pinto da costa), mas chegando mesmo ao cúmulo de durante os 15 anso de partido único, tal como se fazia na russia bolchevique e em mitos países socialistas, pois o Pinto perseguiu até inocentes em STP; apenas devido ao credo religioso que pertenciam. e foi induzido pra isso, pela sua cunhada, que tanto se exalta aqu no país como sendo heroína da literatura, só pra nao mencionar o nome.

  10. img
    Miguel Carvalho Responder

    Estou totalmente de acordo! Precisamos de pôr as cartas na mesa, sem trunfos …todos nós.
    Até ia mais longe… deviamos criar uma Comissão da Verdade e Reconciliação.

  11. img
    nossa gente Responder

    É como sempre digo, STP precisa de arrumar a casa, se não estamos lixados. Quem sabe no Diálogo Nacional alguma verdade seja dita; algum caminho seja encontrado; que o povo aperceba, efetivamente, está a ser enganado quando recebe maldito “banho”.

  12. img
    SEABRA Responder

    Creio que este dito DIALOGO jà devia existir hà SECA e MECA . Nada tem de extraordinàrio, no que diz respeito ao que faz parte da norma… so faltava esta, aplaudir sobre um ÊRRO cometido outrora pelos governantes.O diàlogo, faz parte de uma bôa “Governança”.
    Quanto ao “un compte rendu”, dos três governos, acho a ideia EXCELENTE .
    …perder o tempo com o 2° governo, do nomeado Patrice Trovaoada, é sem dùvida uma enorme perda de tempo…mas tem que ser. Acho que a questao de denunciar os prejuizos que “tous ces gouvernements, confondus”, suscitaram em STPe ao Povo saotomense, poderà permitir que a situaçao seja estudada e a partir dai pôr em pràtica os BONS projetos para fazer ARRANCAR o pais STP .

  13. img
    verdades verdadeiras Responder

    Muito bem sr. Semedo.

    Essas são as verdades cruas, sem duvidas!

  14. img
    Paulo Sacramento Responder

    Caro Cidadão,
    Sou um leitor assíduo deste e de outros jornais online. Por favor, escreva bem o português. Não se pode admitir que um Juiz, de Direito, venha ao público com estes textos sem o uso da gramática. Me desculpe, sr. dr., tens o direito e dever de escrever corretamente o português. Contudo, devo fazer o reparo de que seus artigos merecem a minha valoração. Bem-haja.

    • img
      Semedo Responder

      Meu Caro
      Não deve servir de desculpa, nem quero com isso deixar de reconhecer que tem razão, mas creia me sei bem falar e bem escrever, mas, a mais das vezes, a pressa em digitar e a menor pressa em corrigir, leva a que se digite uma palavra e os atuais malditos corretores ortográficos trocam-nos as voltas e saem bugalhos quanto queríamos escrever alhos! Ademais sou dos que desde a primeira hora aderiu ao acordo ortográfico! Todavia, obrigado pelo reparo, e por isso no meu artigo, exorto a que se publiquem as sentenças dos juízes pois seriam forçados a pensar melhor e escrever melhor! Bem haja.

    • img
      David Responder

      Eu conheço muito bem o juiz e garanto que não é quem julgam que é.

  15. img
    Eusebio Neto Responder

    Duvidas não devem existir pois, o Dialogo Nacional deve ser o fórum para se enterrar de uma vez por todas as magoas e os rancores do passado, pois se o pais esta como esta, todos ou pelo menos quase todos os nossos actuais ou ex dirigentes tem culpa no cartório. Uns foram presidentes das republicas, outros ministros, outros ainda deputados e muitos, responsáveis das organizações da juventude, da mulher e dos pioneiros do(s) partidos. Ninguem, nenhum dos nossos dirigentes e inocente e todos tem de assumir a sua quota parte na desgraça em que hoje se transformou S Tome e Príncipe. Pinto da Costa e Miguel Trovoada são os maiores responsáveis. Nenhum deles tem o cadastro menos sujo que o outro. Assumam!

  16. img
    Carcavel Responder

    O Sr. Semedo, traz até boa intenção! Mas não sei se se trata da sua ingenuidade, mas é estranho ainda acredite nesse chamado diálogo nacional! Como está longe do alvo, não percebe que não tem o seu alcance! Este diálogo não se contextualiza em nada que aqui quer contribuir, porque não tem esse objectivo. Quando não se sabe para onde ir, qualquer caminho serve.Por isso não se sabe onde este diálogo vai parar. Se o Sr. quiser caminhar sem destino, ou seja, se quiser acompanhar alguém que não sabe onde quer ir, que lhe siga! Mas o pior cego é aq

    • img
      Ano Velho Responder

      Meu caro Carcavel,
      O Diálogo Nacional é necessário e faz todo sentido. O grande problema é que os Partidos Políticos não querem esse mesmo Dialogo justamente porque vai mexer com os seus interesses. Primeiro dizem que não faz sentido o Diálogo. Segundo estão a tentar por todos os meios centrar os debates a volta dos 15 anos do Pinto da Costa, quando os presidentes subsequentes na minha optica, fizeram pior porque pelo menos deveriam beneficiar dos erros cometidos por Pinto da Costa. Por isso meu caro, toma muita atenção nessa teia que nos querem meter. Repara que para apimentar mais a situação, levantaram o problema da pressão de Miguel Trovoada que aconteceu desde 1975, onde ele veio prontamente dar o se chô, numa apressada conferencia de imprensa. Para mim, isto não tem a importância nenhuma, porque foi um assunto pessoal e um assunto de ajuste de conta. Como disse alguém atras, provavelmente o Pinto da Costa foi mais ágil senão seria ele a ir para a cadeia. Portanto, o Diálogo é necessário e temos que centrar o debate nas questões colocadas pelo Dr. Semedo, porque o resto não me interessa como cidadão deste Pais. Obrigado pela sua lucidez, Dr. Semedo!.

    • img
      Semedo Responder

      Caro senhor,
      Não sei se me está a criticar por não ter entendido o objetivo do diálogo nacional ou por não ter entendido o que escrevi! Aqui fica para seu governo, que não visto qualquer camisola, sendo meu hábito intervir, mesmo quando não sou chamado desde que os assuntos também me digam respeito, pois sou tão santomense como os que aí estão!
      Fique seguro que ainda não me dispus a querer o que quer que seja do nosso pais, e que se quiser e quando quiser estarei ai! Fique descansado pois não procuro fileiras partidários ou como alguns maldosos vomitam para que outros temam ou acreditem não procuro tacho, ah e tenha a certeza de que jamais me convidariam e sabe porque? Porque digo o que penso e sei fazer coisas!e não deixaria de vir de acordo com as minhas capacidades, a minha competência e a minha honestidade! Isso não há político santomense que arrisque ter me aí, mesmo aqueles por quem nutro genuína amizade e respeito!

  17. img
    manuel soares Responder

    Meu caro amigo Carlos Semedo, chega, obrigado pelo esforço e por nos ter brindado e blindado com textos e contributos valiosos para o dito diálogo nacional do presidente Pinto da Costa, nasceu torto e não vai endireitar-se porque Pinto da Costa não é democrata e está muito mal assessorado e aconselhado políticamente, então o sr presidente entra em guerra com os partidos políticos que lhe apoiou e lhe apoia, mesmo com um governo coxo e desgovernado,sabendo de antemão que o ADI colocou-se de fora do dito diálogo. Como é possível Pinto da Costa apoderar-se do diálogo, querer na primeira hora que o seu resultado seja vinculativo?, como é que Pinto da Costa decide ir sozinho ter com as populações nos distritos e falar sobre o diálogo?, e lá decide criticar os partidos políticos, como é possível Pinto da Costa ir buscar um dito documento (estudo STP 2030 – o país que queremos) sem dar cavaco aos partidos políticos que constituíam a comissão de preparação do diálogo(MLSTP/ PCD e MDFM)? Quem mandou Pinto da Costa suscitar ódio e rancor e desenterrá-lo depois de 39 anos ou mais? Chega, basta amigo Semedo, diálogo nacional só no sonho com esta gente de Santa Isabel nada feito, temos que esperar que os senhores deste tempo vão se embora para outro mundo para termos um verdadeiro diálogo nacional.

  18. img
    Carcavel Responder

    Espero muito ansioso o desfecho deste diálogo e que estejamos aqui neste espaço a fazer o balanço do diálogo nacional, de que serviu para mudar o país liderado por este PR! A ver vamos! O tempo encarregar-se-á de dar razão a quem tem!

  19. img
    Certeza Responder

    Não devemos começar uma caminhada sem antes olharmos para trás e certificarmos o que está a nossa volta! Ainda a bem pouco tempo, aquando da queda do XIV governo, houve manifestações de apoio e de alerta para que o PR usasse a sua magistratura de influência de modo a que pudesse evitar a queda do governo, manifestações essas com mais de cinco mil cidadãos Santomenses! E o PR por e simplesmente disse ao seu povo que este só manda nas urnas! E hoje, porque parece que este seu governo em que muito confiou, não teve o sucesso desejado, tendo afundado o país, ele próprio salta do barco e vem a essa mesma população pedir socorro através do diálogo, afirmando inicialmente de que 980 pessoas iam tomar decisões que viriam a vincular; Quer dizer, o senhor disse que seis mil pessoas não podiam impor nada e agora vem dizer que com 980 pessoas já se pode impor linhas de orientação para um país com mais de 150 mil habitantes!!!! Quer ainda dizer que são certamente 980 pessoas da sua linhagem, por isso é que têm vozes mais do que 6000 cidadãos!!!!! Este diálogo morrerá solteiro e triste, porque não tem amor do seu povo e o seu enterro não terá lágrimas!

  20. img
    Semedo Responder

    Vamos la ver se entendi! O que Pinto da Costa está a fazer, com as suas deslocações aos distritos não não e do que apresentar se como garante de uma ideia, a de dizer ao povo que o diálogo nacional não e só diálogo de surdos entre partidos e que o povo não deve só limitar-se a votar mas que deve ter opinião deve discutir! Até agora essa iniciativa de juntar o povo tinha sido pelas cores das camisolas partidárias! Assim eu que vejo esta iniciativa, e quero crer que só a malevolência ou a ignorância ou fixadas intenções políticas, podem fazer crer e defender que quando se diz que o povo e quem deve mandar na democracia e que os partidos políticos devem renovar- se para melhor servir a governação, se está a matar a ideia de democracia! Só os radicais que não pensam podem intoxicar com estas ideias!
    Ouvir falar e por as pessoas a aprender que podem devem e teem de participar no debate político faz muito bema a democracia,
    Se acusam de estar a falar sozinho nestas deslocações que chama de diálogo nacional então o que será o que está marcado de 24 para 28? Creio que estas datas são as do fórum conclusivo do debate nacional! Vejam, não estou a enfileirar pelas críticas de todos os que defendem que está a ser contra ou a favor deste ou daquele ou de escondidas intenções! Sei que o balanço não e favorável aos partidos, mas onde e que está éscrito em democracia que se não pode criticar os partidos, os seus dirigentes e os figurões do partido? Nesta matéria todos teem sido iguais, não há um que se distinga todos participaram de governos ineficazes, incompetentes, mais ou menos corruptos, com algumas, poucas, exceções!
    Estão os partidos a encontrar desculpas para esconderem a má formação e completa falta de competência e perfil em coisas de governo dos seus dirigentes, que não são capazes, nem nunca serão capazes de falar em aberto a discussão e mostram não quente dar a cara por ideias ou valores
    Assim volta a história da raposa que querendo comer as uvas e porque a elas não chegava dizia, apesar de ter muita vontade de as comer, que elas estavam verdes! Se tem coisas a dizer ao povo e a ouvir do povo vão a frente e mostrem o que sabem o que valem e sujeitem-se e defendam-se das críticas! Sairiam mais bem vistos e quem sabe políticos mais conscientes!

  21. img
    walter Responder

    Gostei

  22. img
    ddd Responder

    “O domínio de eleição da crónica é o dia-a-dia compartilhado; a força da narrativa reside na relação construída entre a experiência subjectiva do escritor e a experiência quotidiana dos seus leitores”

Deixe um comentario

*