Cultura

Maior escola secundária do país apetrechada com biblioteca de nível internacional

Os mais de 7 mil alunos do único Liceu de São Tomé e Príncipe, beneficiam doravante de uma biblioteca multi-funções e e de meios informáticos para ajudar na conquista do saber. Uma intervenção do projecto ESCOLA + e da Companhia São-tomense de Telecomunicações.

O Projecto ESCOLA + financiado pela cooperação portuguesa apetrechou a biblioteca do Liceu Nacional com mais de 2 mil exemplares de livros, e a Companhia São-tomense de Telecomunicações (CST), instalou 30 computadores com acesso a Internet, no âmbito do projecto Net Escola.

Os mais de 7 mil alunos que diariamente buscam saber no Liceu Nacional, têm assim a sua disposição novas ferramentas, para conquistar o conhecimento. Segundo o responsável do projecto Escola +, a biblioteca multifuncional, resulta de uma integração de equipamentos informáticos e equipamentos de áudio e vídeo, que transformou a biblioteca num espaço vivo. «Com meios equivalentes a qualquer parte do mundo de maneira que os alunos do secundário possam fazer pesquisas e desenvolver as suas capacidades na área da informática e desenvolver cientificamente», afirmou Paulo Freitas, na qualidade de Presidente do Instituto Marquês de Vale Flor, um dos patrocinadores do projecto Escola +.

A CST que introduziu a componente informática, através da instalação de 30 computadores, realçou através do seu administrador delegado, José Jardim, o seu papel social. «A CST no seu programa de estabilidade prevê o apoio no desenvolvimento social, educativo da sociedade. O que se quer no domínio da sua vocação que o das comunicações e das tecnologias», referiu o administrador da única empresa nacional de telecomunicações.

Alunos do Liceu Nacional, mais próximos do conhecimento.

Abel Veiga

    29 comentários

29 comentários

  1. Afonso

    26 de Outubro de 2010 as 8:54

    Sera mesmo que aqueles computadores são para os alunos?

    • BRUNO

      31 de Outubro de 2010 as 14:04

      SIM, MAS SO QUE VAIN TEER

  2. Miguel Angelo Correia

    26 de Outubro de 2010 as 9:33

    é de louvar iniciativas desse genero uma vez que o nosso Liceu estava precisando.
    Fico muito feliz em saber que o Liceu está a sendo mudado de verdade , e que também existe pessoas querendo fazer algo em prol desse espelho da Educação Santomense.Só tenho que agradecer como antigo aluno daquela instituição que um dia tive esperançoso que iria mudar.
    Agora vamos esperar que esses livros e equipamentos sejam bem tratados no sentido de ser utilizados por inumeros alunos que haverão de estudar por la.

  3. Matabala

    26 de Outubro de 2010 as 12:56

    Um grande paço foi dado, talvez se fosse dado a cerca de 15 anos atrás, eu não teria sofrido tanto quanto sofri, quando tive de deixar STP para ir formar-me no estrangeiro; agora não se esqueçam de estabelecer regras de acesso e utilização destes equipamentos do saber, falo tanto dos computadores como dos livros…que seja prioritário o aluno realmente não tem e que haja um sentimento de humildade para com aqueles que virão nos anos seguintes…

  4. Maria leva leva

    26 de Outubro de 2010 as 14:29

    Demora-se mais 1 hora para abrir uma pagina, internet ou palhaçada!!!!! A CST até mete dó…..

    • Matabala

      26 de Outubro de 2010 as 17:35

      Esta é a segunda parte da realidade cara Maria…muitos falam em Internet mas o que se usa em São Tomé ainda está longe se ser a satisfatório…e a CST fala em “PAPEL SOCIAL”…se tivessem realmente um respeito pela sociedade, não estariam a cobrar, em pleno século 21, uma taxa a todos que querem saber quanto têm de saldo no seu telemóvel…

      • N.C

        26 de Outubro de 2010 as 21:13

        Nao fugindo ao tema central da noticia,realmente o sistema de comunicacao movel em s.tome e uma desgraca.os precos,as tarifas e a qualidade de servico ja nem se fala.em 30 dias de ferias em s.tome gastei aproximadamente 300 euros som em carregamentos.Uma autentica robalheira aos clientes e ninguem faz nem diz nada.Sinceramente nao sei como a nossa gente consegue suportar.A par da emae,essas duas empresas levam qualquer pessoa a desespero em s.tome.Haja coragem e esperanca.Concorencias precisam-se e fazem-se falta nesse arquipelago

    • Sonhador

      1 de Novembro de 2010 as 11:22

      Pois é concordo. Ora veja só vou ti dar o exemplo do que se passa. Bom a CST oferece 256Kbps como velocidade máxima e eles dizem que é ADSL, se eles oferecem essa velocidade máxima e tu vives em Ribóque por ex. com esses cabos que eles têm e que ja não se usa e que sofrem bastante atenuação do sinal até chegar a tua casa e se tiveres sorte vais ter 56Kbps no teu router, ou mesmo se tu vivesses ao lado da CST nunca ias ter esses 256Kbps de velocidade máxima no teu router.

      • Zebideu

        15 de Novembro de 2010 as 10:38

        Concordo plenamento, caro matabala, veja só isto, 256 kbps… Isto não é, em circuntância alguma meios equivalentes a qualquer parte do mundo. Não tentem nos enganar. M….

    • Sonhador

      1 de Novembro de 2010 as 11:24

      Pois é concordo. Ora veja só vou ti dar o exemplo do que se passa. Bom a CST oferece 256Kbps como velocidade máxima e eles dizem que é ADSL, se eles oferecem essa velocidade máxima e tu vives em Ribóque por ex. com esses cabos que eles têm e que ja não se usa e que sofrem bastante atenuação do sinal até chegar a tua casa e se tiveres sorte vais ter 56Kbps no teu router, ou mesmo se tu vivesses ao lado da CST nunca ias ter esses 256Kbps de velocidade máxima no teu router, para não estar aqui a fazer os cálculos de quanto tempo leva para uma pagina abrir com essas velocidades.

  5. J. Maria Cardoso

    26 de Outubro de 2010 as 18:57

    Notícias k elevam o saber dos nossos estudantes nos animam a todos.
    Muito recentemente, as estatísticas dadas a conhecer e k publicaram as notas de 2009/10 das escolas portuguesas em Portugal e pelo mundo fora, através de Escolas Portuguesas, os nossos estudantes disputaram os últimos lugares. Porquê? O k falha?
    Será k os professores enviados à STP são os k tb disputam os últimos lugares de candidatura em Portugal?
    Será k faltam meios e materiais de oferecerem os conhecimentos aos alunos são-tomenses?
    Será k os docentes banhados no nosso leve-leve são benevolentes ao ponto de se passarem pelo faz de contas?
    É de saudar o gesto destas instituições privadas e não-governamentais em darem o seu contributo na formação da nova geração apoiando os esforços do Governo e kiça, os resultados possam ser superiores aos da escola Tuga nas ilhas.
    Não sendo citadino alerto a estas instituições e tantas outras a não aquartelarem as suas apostas nos conhecimentos apenas no Liceu Nacional.
    Oxalá, seja uma partida!

  6. Sonhador

    26 de Outubro de 2010 as 21:58

    Este fazer da CST é como se fosse vamos enganar esta malta com uns computadores e vão ficar sensibilizados. Ora vejamos colocaram 30 computadores com acesso a Internet para fazer pesquisas em bibliotecas internacionais, será que com 256kbps que é a velocidade máxima que a CST oferece é suficiente para 30 computadores estarem a fazer uma ligação exaustivas a bancos de dados das bibliotecas internacionais?? A CST só pode é estar a brincar ou a gozar com a cara dos estudantes, pelo amor de DEUS, ao em vez da compania trabalhar para o melhoramento do conexão que temos eles não fazem. E outra coisa não é por ser pessimista mas este projecto n vai dar em nada porque o avanço tecnológico não se da com aquela largura de banda que temos ai neste país. Amigos eu não sou nenhum sabedor profundo da matéria, mas não se implementa um serviço desse com essas condições. Por favor dêem liberalização no mercado das telecomunicações neste país por favor.

    • Osama bin Laden

      27 de Outubro de 2010 as 15:02

      O senhor Orlando da AGER não deixa, ele boicotou a entrada dos Franceses da Orange que queria entra para STP no mercado de rede telemóvel, este senhor queria comissão os homens não gostaram e foram embora.
      STP não avança por causa de alguns filhos desse próprio país…..

      • xxx

        27 de Outubro de 2010 as 22:39

        Pois, os filhos da m ã e

      • pumbu

        28 de Outubro de 2010 as 13:42

        Caro Ossama, adoro os seus comentarios. E mais uma vez voce tocou no maior MAL do nosso pais. A corrupcao, o abuso do poder, a incompetencia de muitos dirigentes que temos nos deixam numa situacao de necessitados eternos. O que a cst fez e uma accao provida do remorso de consciencia visto que andam a roubar o povo de forma aberta. Viva a concorrencia, que um dia chegara!

      • Hilaria Lima De Menezes

        29 de Outubro de 2010 as 9:58

        O senhor pensa que com a ‘Orange’ os santomenses serao capazes de suportar os custos? O senhor sabe quem é Orange em França? O senhor sabe quanto custa o abone de Orange sem contar com o consumo?
        O facto de se chamar Osame bin Laden parece muito estranho , mais enfin é todo o seu direito. Mais é mais reponsavel quando a gente pode assumir sem mascaras.
        Fuique sabendo que nao é o facto que possa existir concurências que os preços nao serao elevado tendo em conta que os fornecedores entram-se em accordo quando fixam os préços.Cuidado com as aparencias. Nao é o facto de ser françês que o preço séra mais accessivel para aqueles que,o françês nem so, diz nao ganharem um euro por dia o que é uma verdade.
        Tudo isto é uma politica economica e social muito complexa.

        • Sonhador

          1 de Novembro de 2010 as 11:05

          Hilaria Lima De Menezes, eu em momento algum toquei no Orange e nem sei de que empresa se trata, mas a minha preocupação é como que as pessoas pegam pelo pécimo serviço que a CST presta e ainda por cima anda por aí a fazer de contas que estão a apetrechar as escolas com as novas tecnologias achas isso uma coisa decente para se andar por ai a dizer quando eles não oferecem bom serviço, por outro lado, quando tu dizes que com o aparecimento da outra operadora não garante que os Santomenses terão capacidades de pagamentos de serviços, olha não sei qual a tua actualização actual mas digo que estou em Portugal que não é o topo da Europa, mas é um bom exemplo para se tomar como partida, olha para a forma agressiva que as operadoras se contra-atacam para acatar clientes basta uma operadora fazer preços baixos para todas outras também praticarem preços baixos e com pacotes bem vantajosos para os clientes e as infraestruturas deles estão bem montadas de forma a eles terem menos reclamações por parte dos clientes e faz com que hoje em portugal qualquer pessoa possa ter acesso tanto a TV por cabo, TV sobre protocolo IP, dentre outras tecnologias usadas, agora voltando ao nosso mundo real, achas se não houver outras operadoras a concorrer com a CST a situação tecnológica ira mudar por si só a custa da CST no nosso país?? Não se esquece que a CST é como se fosse uma filial da PT, e porquê que eles também não fazem os mesmos investimentos que fazem cá em Portugal? Porquê que eles não melhoram a conecção existente no país? Tudo porque os governantes santomenses são mentirosos e aldrabões. no quintal deles tem la granda parabólica a captar sinal de Internet externo a alta velocidade e estão se lixando para aquela miséria que a CST da para nós. Eu pessoalmente sou a favor de surgimento de novas operadoras de comunicação em São Tomé seja a que preço elas tiverem praticando pelo menos a sociedade terá opção de escolha por aquilo que acham melhor para ela e não toma-la o que ti dou e cala-te isso não é democracia, democracia é ter opção de escolha e o povo santomense não o tem.

  7. SPC

    27 de Outubro de 2010 as 15:55

    Parabéns aos alunos do Liceu que, para além dos livros têm também a internet na biblioteca.
    Mérito ao Montóia que, desde que assumiu a direcção daquela escola não poupa esforço para mudar a situação da mesma.
    Acho que deveríamos dar parabéns ao Montóia que é na verdade o grande mentor do “novo” Liceu Nacional.
    Parabéns Sr. Leôncio digo Sr. Director…

  8. realista

    28 de Outubro de 2010 as 8:55

    gesto agradavel vamo rir kikikikkikki
    uaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

  9. Faustão

    28 de Outubro de 2010 as 10:16

    Tudo isso é treta. Computadores? Internet? Vamos ver o que se diz INTERNET em STP. Bom, como estamos habituados a receber coisas velhas, vamos sempre dizer que é bom.
    As verdadeiras ofertas são aquelas que ao médio e longo prazos dão alguma coisa, e muitas das vezes é melhor recusar. Sabemos todos das qualidades das ofertas, e ainda donde veêm. Enfim é a terra que temos.

    • Hilaria Lima De Menezes

      29 de Outubro de 2010 as 10:12

      Reposta ao Fastao;
      nao é a terra que temos é a terra que queremos ter. Pois é verdade que podemos recusar essas ofertas de coisas velhas que logo que chegam ja estao estragadas, ou entao coisas que pelo facto de nao saberem como distruir-la no estrageiro enviam para esse nosso pais assim como para certos paises ditos pobres
      e nos nos encontramos com lixos toxicos em que nao sabemos como nos desfazer deles.O mundo hoje ou por outra desde sempre foi egoista .O colonialismo foi a prova mesmo se foi mais do que isto. Niguem està pronta a servir os filhos dos outros antes de sevir os seus.
      O interresse daquele que dà nao é so dar mais o que vai ele receber de uma maneira ou outra em troca
      Mais enfin quando temos fome que fazer? Costuma-se tambem dizer que cavalo dado nao se vê para os dentes.
      Bem, continua lutando embora téoricamente para que nao se aceite tudo e mais alguma coisa sem resistençia.

  10. Macarofe

    29 de Outubro de 2010 as 12:10

    Confesso q estou satisfeito com a implementação da iniciativa. Falta a vontade dos gestores da unica companhia de telecomunicação do país em proporcionar melhor a efeiciencia nas cominicações quer telefónicas e internet. Não obstante aproveito para pedir a escola + no sentido de ajudar a direcção da escola no que concerne a casa de banho. è uma lástima quando vemos no exterior da escola está td bem, mas as salas com mais de 60 alunos e sem pelo menos WC para satisfazer determinadas necessidades.

  11. Polvo Paul

    29 de Outubro de 2010 as 14:11

    É, mas sem vidro na janela vai stragar coa chuba, né, meu?

  12. Nome

    30 de Outubro de 2010 as 16:34

    Óptima iniciativa da CST, porém, já sabemos como isso vai acabar… Deviam é engrossar a quantidade de livros que foram ofertados, estamos fartos de coisas para fazer inglês ver.

  13. fuzilero

    5 de Novembro de 2010 as 8:54

    paraben,grande passo, mas tenhem q estar sempre atentos com esses computadores, e com esses senhores

  14. Zémé sá tamé de flá!

    30 de Novembro de 2010 as 20:38

    Sobre a questão dos computadores oferecidos pela CST ao Liceu Nacional para a implementação da cadeira TIC no plano curricular, tenho a dizer o seguinte:
    1 – Actualmente estes PCs já não se utiliza na sala de formação, quando estamos a falar em reduzir custos com a energia, manutenção, aquisição de UPS, bem como arefecimento do espaço físico, acho que CST tem técnicos capazes para aconselhar a alta direcção na escolha de equipamentos ideiais (estou a falar dos thin client;
    2 – Existe apenas uma sala no liceu com 24 PCs e turmas com mais de 50 alunos, caso optassem por outros equipamentos a problema estaria minimamente resolvido;
    3 – Nesta situação os alunos terão aulas de 15 em 15 dias no dito laboratório;
    4 – Por outro lado existem coinscidência de horários entre professores o que os leva a passar no “laboratório” talves uma vez por mês;
    5 – A velocidade disponibilizada pelo provedor da internet de certeza será uma vergonha;
    6 – Actualmente a sala está fechada, não está climatizada, logo será de novo outro forno humano a comparar com as actuais salas sem luzes nem vitoinhas;
    7 – Será que a Escola+ está a par desta situação? e a CST tem a consciência do que está a fazer? O Liceu nacional tem pessoal capacitado para as questões ligadas as TICs?

    São as refelexõs sobre a implementação das TICs no Liceu Nacional. sou da opinião que se suspenda esta cadeira do grau curricular e disponibilize os PCs para outros destinos porque acho que não foram adquiridos com o propósito actual.

    • sonhador

      6 de Dezembro de 2010 as 20:07

      Lol. pois os 256 Mgbs, grande velocidade que a CST oferece da pra fazer tudo e ainda sobra.

  15. ABDEL OLIVEIRA

    18 de Dezembro de 2010 as 10:27

    a coisas que precizao de ser aconpanhadas

  16. The Scorpion King

    5 de Fevereiro de 2011 as 2:15

    Boa noite!
    Antes de mostrar o meu parecer, li os comentários todos que se encontram por cá relaccionados com o tema em questão…A intençao ou melhor, a iniciativa ate que nao é a má de todo, mas o que conta mesmo é o benefício. Porque para o que vale instalarem esse tipo de serviço sabendo que de antemao a internet é super fraca e que para se aceder a um determinado site é preciso esperar p’rai uns 30/45 minutos ou ate para nao dizer 1 hora!
    Na realidade, a culpa nao é da tal compania (CST), a culpa é dos que estao a frente do país. Porque se eles estivessem mesmo ali no cargo onde estao em prol do POVO e do PAÍS, o nosso país nao estaria da maneira que esta. É muito triste e repudio altamente a maneira como a CST e também para não escapar e a EMAE têm subcarregado, explorado, roubado o POVO SANTOMENSE. Mas porquê que eles têm esse poder, essa força, porquê que eles podem e fazem isso tudo e mmuito mais? Porque têm as mãos dos nossos misaráveis gorvenantes a lhes proteger, porque o governo têm sociedade com essas ditas 2 empresas.
    Mas lastimavel ver um país numa miséria profunda como é o caso de Sao Tome & Principe. Agora há um grande fluxo de drogas, criminalidades, desempregados, doenças, etc,etc…Por um lado nós o POVO é que somos culpados disso tudo, porque na maioria dos Países a VOZ do POVO é que tem poder. Mas vendo bem como as coisas andam, o País ira seguir o rumo de Guine-Bissau, Nigéria, do Egito…mas queira Deus que isso nunca venha a acontecer. Mas também para não acontecer, só cabe aos dirigentes máximos desse País tão Maravilhoso. Vamos deixar de ser caudas e passarmos a ser CABEÇAS

    WRR

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo