Cultura

O Contraste: Literatura Infantil VS São Tomé e Príncipe

O acesso ao ensino da língua portuguesa, enquanto língua oficial de São Tomé e Príncipe, por si só, não tem garantido a competência das crianças para utilizarem adequadamente a escrita, a leitura e a imaginação, pois uma parte considerável de crianças são-tomenses que aprendem a ler e a escrever na escola não conseguem fazer uso da linguagem em situação de leitura e escrita, porque não são capazes de compreender/interpretar o que leem.

Ora, a privação do hábito da leitura para as crianças são-tomenses, não está, necessariamente, ligado ao poder aquisitivo dos pais, mas sim, como os pais e o próprio meio familiar tratam e lidam com a leitura e com literatura infantil, e também como a leitura e a literatura infantil é oferecida nas escolas públicas. E noutros casos e muitas vezes, as famílias são “rodeadas” de livros, mas não acham necessidade, não possuem curiosidade e não têm iniciativa e estímulo para conhecê-los.

Mas objetivamente, as crianças são-tomenses não só estão privadas do hábito da leitura, como do próprio livro infantil em si. Há pouquíssima coisa disponível. Daí que a Livraria Nón no engajamento e no trabalho em conjunto com os escritores são-tomenses e os demais, defendeu desde o princípio que sem Livros dificilmente se aprende a gostar de ler. E paralelamente, dissemos sempre, sem livro, sem leitura e sem a literatura infantil, os nossos filhos serão incapazes de ler e escrever, inclusive a sua própria história.

Portanto, é fundamental fazer jus, hoje, ao incitamento sobre a necessidade de se trabalhar na literatura infantil, sob pena de andarmos a rodopiar no mesmo lugar sem sinais de melhoria.

Se é verdade que uma das grandes importâncias da leitura no processo do desenvolvimento cognitivo da criança é que a leitura a possibilita a sonhar, a imaginar, a questionar, a compreender e a aprender a interpretar, não é e não será menos verdade, que o acesso às faculdades supracitadas sobre o impacto da leitura, é garantida às crianças de forma mais fácil se o próprio livro influenciar pelo menos 60%.

Para que o livro influencie 60% na vontade primeira da criança para o tocar, é essencial que o mesmo tenha uma ilustração forte, cores vivas, personagens elegantes e belas, uma história curta e leve e de fácil assimilação

A importância da Literatura Infantil, da Leitura e da própria Literacia para São Tomé e Príncipe mede-se hoje, e de forma “observável”, pelo nível da sua democracia, as alterações sociais em detrimentos dos valores basilares da sociedade são-tomense. Aliás, a nossa jovem e velha democracia ressente-se imenso com o baixo nível de literacia da nossa gente.

Edição: Livraria Nón

1 Comment

1 Comment

  1. Sem assunto

    9 de Setembro de 2022 at 6:34

    Hum…quem escreve assim não deveria ser gago, mas é!
    Por duas vezes fiz requisição de livros na vossa livraria e nunca cheguei a recebe los, diziam sempre de que ligariam para confirmar porém nada, dada a minha insistência, até porque neste labirinto chamado São Tomé livros não se vê a venda, o gerente oriemtou a jovem vendedora que me informarse de que o pedido foi aceite, desde Outubro até hoje, já lá vai quase um ano.
    Faço má propaganda com isto? Talvez, todavia a minha indiginação foi muito grande e não a escondo, visto que brincaram com o meu emocional, sou um colecionador de obras de grandes mestres e vi ali uma oportunidade de retomar e alargar a minha coleção!
    Assim sendo creio que vocês não possuem moral para falar de carência ou incentivo a leitura, a vossa livraria é fake pois fazem propaganda enganosa.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top