Desporto

“Falta de transparência e imparcialidade” afasta Jocy Barros da FSF

O ex-jogador de futebol, Jocy Barros, que apresentou na última semana, na Biblioteca Nacional, o seu programa para o desenvolvimento de futebol santomense, caso viesse a ser escolhido pelos associados para dirigir o destino da Federação Santomense de Futebol, FSF, anunciou este domingo, em comunicado enviado à nossa redacção, o afastamento da corrida, alegando a falta de seriedade no processo eleitoral.

“A falta de transparência e imparcialidade em todo processo eleitoral, levou-me a afastar desta corrida, cujo sistema não permite se quer alcançar a meta, nem tão pouco fazer concorrência leal, o espírito de “fair play” foi manifestamente posto de lado”.

Jocy Barros foi mais longe neste desabafo, frisando que “as regras do jogo passaram a ser “jogos de interesses””.

Barros retira da corrida, que para ele, é apenas uma caça ao “tesouro”, mas, põe-se a disposição de contribuir mesmo fora da organização para o desenvolvimento da modalidade no país.

“Continuarei aberto a prestar todo o meu apoio e colaboração em prol do futebol nacional. Retiro-me desta corrida com o sentimento de que tenho e terei sempre um contributo para dar à instituição, mas, até para se ajudar é preciso que a nossa ajuda seja bem-vinda. Pelo que verifiquei nos últimos acontecimentos, o sistema não permite ajudas externas”.

Com a demarcação de Jocy Barros, a luta para à liderança do organismo será entre o presidente cessante, Domingos Monteiro, e o ex-presidente, Idalécio Pachire.

Recorde-se que o acto eleitoral está agendado para o próximo 19 de Fevereiro.

Martins dos Santos

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo