Desporto

Clubes portugueses vêem com bons olhos o apadrinhamento de xadrez em STP

Vamos contribuir para o desenvolvimento social?

Sem deixar de ser activos na ajuda aos políticos, participando na política, também torna necessário gerar situações de desenvolvimento social para termos melhores cidadãos e consequentemente melhores políticos no futuro.

Entre as várias áreas em que o possamos militar, está também a prática de xadrez.

Estabeleci contactos com dirigentes de vários clubes de xadrez em Portugal para solicitar apoios possíveis relativamente a equipamentos (tabuleiros e relógios) para formação de clubes nas diversas localidades em S. Tomé e Príncipe. O propósito é que cada clube interessado cá em Portugal seja padrinho de clubes das localidades que lhes calhar.

Houve boa receptividade à proposta e alguns afirmaram que quererão ter proximidade com atletas afilhados caso estes venham estudar em Portugal e também propõem dar orientações pontuais no nosso país caso a isso sejam solicitados.

Preciso de uma lista de todas as localidades onde haja interesse no projecto para saber de quantos padrinhos necessitamos.

São inúmeros os benefícios que os analistas da prática da modalidade de xadrez indicaram como resultado da observação de grupos de praticantes e de não praticantes numa mesma comunidade. Para não sermos exaustivos seleccionamos os que se seguem:

Óptimo como diversão

É inclusivo porque faculta a socialização dado que em torneios as partidas são disputadas entre pessoas de qualquer nível social, de qualquer origem e de diferentes níveis de formação na área

Como desenvolve a memória, a concentração e o raciocínio lógico, tende a melhorar o resultado escolar de quem de facto estuda

Como cada decisão ao longo dos desafios cabe apenas ao jogador, há uma tendência para desenvolver a autoconfiança independência e responsabilidade pessoal

Desenvolve imaginação e criatividade

Melhora a auto disciplina

Cria o hábito ensina técnicas de procura de soluções

Acrescente-se que cada orientador deve proporcionar situações de análise conjunta onde cada elemento seja respeitado nas suas intervenções e ensinar também o bonito gesto de cumprimentar apertando a mão ao adversário quando reconhece que tem a derrota garantida.

Importante: Favorecer a prática de xadrez como uma disciplina para desenvolvimento harmonioso da personalidade sem nunca se deixar cair no puro vício de jogar.

Enviarei por este meio, muito brevemente, o nome de quem coordenará o projecto no país e o meio de apresentação das candidaturas. Entretanto, vão formando clubes por freguesias.

As dúvidas serão esclarecidas

Horácio Will

    3 comentários

3 comentários

  1. Horácio

    16 de Julho de 2019 as 19:34

    em vez de “…várias áreas em que o possamos militar…” deve ser “…várias áreas em que possamos militar…”

  2. Tony

    20 de Julho de 2019 as 18:55

    Mesmo a pedir são mesmo pobres, isto em relação Ao comentário anterior do Sr Horácio.

    Óptima actividade para todos, este tipo de patrocínio é bem vindo.

    Pena é de alguns Santomenses pobres de espirito e de dinheiro, não agradeçam a ajuda externa para suprir as dificuldades que estas actividades têm num País miserável.

    Força para o Xadrez em Stp

  3. Coerência

    21 de Julho de 2019 as 6:52

    Caros jornalistas editores do Telanon, este jornal é uma das fontes que todos recorremos para nos informar sobre os assuntos que marcam atualidade no país. Ora, neste momento está a decorrer uma polêmica entre o tribunal de conta e os tribunais judiciais e estamos sem perceber o que se está a passar. Telanon Pode criar uma notícia sobre esta atualidade para nos elucidar?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo