Desporto

STP escorrega com “mão-cheia” no “velhinho” 12 de Julho

A principal seleção santomense de futebol feminino entrou a perder esta sexta-feira,22, ante Togo (5-0), na primeira eliminatória de acesso à fase final do Campeonato Africano das Nações, CAN, a ter lugar em Marrocos-2022.

Pouco São Tomé e Príncipe para muito Togo no primeiro desafio da primeira eliminatória de acesso ao CAN 2022, que teve lugar esta sexta-feira, no “velhinho” e “desgastado” Estádio Nacional 12 de Julho, com o conjunto santomense a perder por mão-cheia, 5-0, entregando, praticamente, a eliminatória às adversárias.

Nada está perdido, é uma máxima que se utiliza muito no futebol, lembrando que,“enquanto há vida há esperança”, por isso as jovens santomenses, não acreditam que está tudo perdido, mas que ainda é possível minimizar a situação no jogo da segunda mão, na próxima semana, recordando que, quem seguir em frente jogará com Camarões ou Congo.

O jogo que marcou o regresso aos jogos internacionais da seleção “AA” feminino, desde 2006, foi assistido, na descaracterizada tribuna VIP, pelo Presidente da República, Carlos Vila Nova, e o Director Geral do Desporto, Akadyri Marçal Ramos.

Martins dos Santos

6 Comments

6 Comments

  1. Fuba com bicho

    23 de Outubro de 2021 at 9:33

    Culpa de vila nova. Tino come dinheiro de campeonato feminino engana fifa que temos um campeonato feminino vive vida dele ainda assim Vila Nova nomea esse bandido como seu conselheiro. Nosso país não tem concerto todos mesma porcaria tanto adi, mlstp pcd tudo farinha do mesmo tacho sociedade civil sem partido tem que resgatar esse país na mão desses bandidos

  2. A Pátria

    24 de Outubro de 2021 at 16:18

    Coitadinhas, 5-0 foi o suficiente para tomarem o juízo e apelar a esses políticos corruptos a fim de investirem no desporto do país. Ainda têm esperança no Togo? Esperança que vai se tornar em ilusão.

  3. SEMPRE AMIGO

    24 de Outubro de 2021 at 21:06

    Não é segredo para ninguém, dentro e fora do país, que o desporto santomense anda nas ruas da amarguraura,e vem sendo,nesses dias que correm, para STP uma inesgotável fonte de humilhações.Footbol,basquetebol,atletismo,…nenhuma dessas modalidades nos cobre de honrosas medalhas.Perante esta situação, como santomenses,não podemos continuar cobardemente no nosso habitual “seja o que DEUS quiser”.Então,o que fazer?Soerguer o nosso desporto.Neste momento, por múltiplas razões, soerguer o nosso desporto nacional é um desígnio nacional.Muit bem! Mas estamos perante várias condicionantes.Em primeiro lugar devemos,todos nós santomenses,sobretudo aqueles que pretendem nos dirigir,ter sempre presente nas nossas cabeças, que o desenvolvimento sustentável de STP,um pequeno país arquipelágico,sem uma importante diversidade de fontes de receitas,depende ainda muito da sua capacidade de atrair e tecer sólidas relações internacionais com parceiros económicos bilaterais e multilaterais.Mas para atraí-los temos que estar preparados para saber preparar e vender condignamente a imagem do país,, a imagem de um país dirigido por uma classe dirigente que,embora podendo divergir na tática, comunga ideias concordantes no que diz respeito aos objectivos estratégicos consensualmente definidos e aceitáveis para o país arquipélago STP situado em pleno Golfo da Guiné As permanentes guerrilhas entre as forças políticas impedem-lhes de ser verdadeiros esteios do sistema democrático

  4. Fuba com bicho

    24 de Outubro de 2021 at 21:55

    Nno Monteiro come todo dinheiro da FIFA ninguém lhe diz nada. Vila Nova nomeou Nino Monteiro seu conselheiro esse país é uma mafia.

  5. Texto Tirado do Facebook

    25 de Outubro de 2021 at 9:00

    Vim hj cá vos dizer de que estamos msm no poço, já sei que sabem disso, mas cd dia que passa os governantes deste pais me decepcionam, exceto a alma que ñ merece. Ora vejamos. A FIFA e a CAF, financeiam o nosso futebol, mas acredito eu que este financiamento ñ é para realizar campeonatos seniores, e msm que o seja as despesas que são implicadas nos mesmos nem é considerável. No meu entender, e alguém ja mo tinha dito, que a maior parte destes financiamentos eram para ser destinados à formação dos atletas (futebolistas) tanto masculino como feminino. É inadmissível uma federação que vem publicamente afirmar de que recebe anualmente 1.000.000,00 € por parte da maior entidade futebolística do mundo, que ñ tem condições de realizar campeonatos infantojovenis ( tanto masculino como feminino), que tb ñ tem condições de preparar e guiar as nossas seleções para os jogos internacionais. Enquanto que os os funcionários constroem casas, compram carros top gama, e fazem s suas vidas. É lamentável tanto esforço que o país tem feito ao longo dos anos para estar pelo menos nos rankings (tanto da fifa como da caf), e nestes últimos 5 anos pelos resultados e pela ñ comparência, correr o risco de nem ser mais considerados. Têm sempre alegado que ñ há verba, realmente ñ temos, mas este pouco que ganhamos é para agente aplicar. Na minha opinião o nosso futebol senior ñ gera dinheiro, portanto ñ podemos investir nele, e mesmo que isso aconteça, deixemos como estar. Ou pensam que a verba, o apoio que a federação dá aos clubes é suficiente? Longe disso meus senhores, quem assume o cargo de presidente de um clube é candidato a ir à falência, embora muitos que o são tb só são pq o dinheiro ñ é dele. É uma vergonha um país ñ poder participar em competições internacionais por causa de meios, uma vz que já se sabe de que anualmente cai alguma coisa. Meus senhores da federação, ainda há tempo para mudar à página, sejemos, mais organizados, apostemos na formação dos miúdos e miúdas para que no futuro possamos perder, mas perder com cabeça levantada, pq perdemos mas td fizemos td para ganhar, ñ perdemos porque os nossos atletas nem conseguem chutar uma bola, pq lhe falta comida, ou pq ñ havia condições para que ele pudesse estar preparado. Um bem aja à tds, e viva nosso STP.

  6. SEMPRE AMIGO

    25 de Outubro de 2021 at 11:01

    Os partidos políticos no nosso país não podem continuar a ser utilizados como trampolim para a ascensão pessoal das incoptências nacionais.Tendo em conta o nível da cultura política da maioria da população santomense,por um lado, e os múltiplos desígnios nacionais a serem enfrentados, os partidos políticos santomenses,no meu entender, deveriam ter como missão prioritária,serem formadores da vontade política plural e ao mesmo tempo mobilizadores das energias necessárias á realização dos objectivos nacionais.Deveriam também ser estimuladores da construção, quando necessário, dos consensos reclamados pelos processos de desenvolvimento.O momento histórico que STP atravessa é um daqueles momentos em que todas as energias devem confluir para uma única causa, um objectivo,um grande desígnio:ELEMINAÇÃO DA POBREZA,a causa principal de todos os outros males da República.Sem a eliminação de múltiplos condicionantes dominantes na RDSTP, nada avança.Nem a economia, nem o desporto,nem cultura.TUDO está ainda no M”BÉ, M”BI, M”SA Í MÉ.

Leave a Reply

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

To Top