Economia

HBD – Vida Boa tem luz verde para investir 70 milhões de euros no Príncipe até 2020

Os atrasos registados com vista a assinatura do acordo administrativo com o Governo de Patrice Trovoada, tornam impossível o início das obras de alargamento da pista do aeroporto do Príncipe ainda este ano como estava previsto. A empresa HBD-Boa Vida, indica Fevereiro ou Março de 2013 como período para o início das obras.

O largamento do aeroporto do Príncipe, para mais de 1800 metros, permitindo a aterragem de aeronaves de médio porte faz parte do projecto de investimento no capítulo de acessibilidades. O Director Executivo do grupo sul-africano, HBD-Vida Boa, disse ao Téla Nón, que ao contrário do que estava previsto, as obras da nova pista não terão lugar este ano. «Quanto a começar este ano digo muito sinceramente e com muita pena minha que já não será possível. Tínhamos dito sempre que para que isso acontecesse era necessário que o contrato com o empreiteiro fosse assinado até 21 de Dezembro de 2011, o que não aconteceu», explicou Nuno Rodrigues.

Os trabalhos só poderão iniciar no primeiro trimestre de 2012. «Neste momento se assinarmos contrato com um empreiteiro dentro de dois meses, ele terá que fazer a mobilização que não poderá ser feita antes de Outubro. Outubro é a época das chuvas a obra não começaria nunca antes de Fevereiro ou Março do ano que vem. Portanto é nesse sentido que estamos a trabalhar», sublinhou.

Segundo Nuno Rodrigues o Grupo HBD-Vida Boa, já comprou 45% de participação da empresa holandesa, que o Estado são-tomense concedeu direitos para explorar o aeroporto do Príncipe. Com esta participação a HBD-Vida Boa vai financiar o alargamento da pista do aeroporto regional.  «Já apresentamos o projecto de expansão do aeroporto ao governo, o INAC já se pronunciou e nas próximas duas semanas teremos o estudo de impacto ambiental que é essencial», pontuou.

O concurso público para contratação da empresa que deverá realizar os trabalhos, já foi feito e nesta altura, segundo o director executivo da HBD-Vida Boa, o grupo sul-africano já está a negociar com dois empreiteiros que apresentaram melhores propostas. No entanto acrescentou que caberá ao Estado são-tomense através do Governo dar a permissão final para o início das obras.

O responsável da empresa sul-africana não escondeu a satisfação pelo facto do acordo administrativo de investimento ter sido finalmente assinado. «É com, muita satisfação que confirmo que ao fim de um ano de trabalho conseguimos hoje formalizar a celebração de todos os contratos administrativos de investimentos, que permitem que finalmente a HBD tenha a estabilidade jurídica necessária para começar a investir neste belo país», declarou.

Nos próximos 9 anos, a empresa vai investir mais de 70 milhões de dólares, para transformar a ilha do Príncipe num santuário de turismo ecológico. «É para começar já e tem um prazo previsto de até 9 anos na construção dos nossos resorts e dos investimentos que estamos a fazer na ilha do Príncipe e na componente agrícola que está associada a tudo isto», frisou.

O acordo obriga que pelo menos 90% da mão-de-obra, que vai trabalhar nos resorts, seja nacional. Por isso o grupo privado sul-africano, vai construir centros de formação profissional no domínio de hotelaria e outras áreas. «Não queremos turismo de pessoas que vêm para o jogo, para a bebiba. Queremos turismo de pessoas que vêm pela história, pela cultura», realçou Nuno Rodrigues.

HBD-Vida Boa diz que através do investimento na virgem ilha do Príncipe, quer provar que é possível realizar o desenvolvimento sustentável de facto. A empresa assumiu para si o desafio de nos próximos 30 anos, manter a floresta da ilha do Príncipe e todo o seu ecossistema tão virgem como actualmente. «Se não estiver assim nos próximos 30 anos, então falhamos», concluiu.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Filho da Terra!!!

    16 de Março de 2012 as 16:37

    Não conheço os pontos deste acordo mas gostaria de felicitar os Santomenses do Príncipe.
    Acho que este acordo só saiu tendo em conta que o nosso Primeiro Piloto, digo, Primeiro Ministro pretenderá ir ao Príncipe no âmbito das jornadas de reflexão que a Ação Demo Independente irá fazer em comemoração dos seus 20 anos de existencia por isso que apelar a população do Príncipe para que abram os seus olhos com este governo que atrasou os projectos da Boa Vida.
    Que tudo corra bem e que este projecto sirva para a promoção do Príncipe.
    Bem haja

  2. investidor

    16 de Março de 2012 as 17:29

    Abram o investimento a todos. pequenos e grandes.

  3. Nós por Cá

    18 de Março de 2012 as 10:04

    Meus Caros Compatriotas,
    Depois de uma longa caminhada, com diversos constrangimentos que julgo normal, principalmente quando se trata de um investimento com valor tão alto, até compreende-se.
    Estamos satisfeitos, pelo facto de ter-se já assinado o Contrato Administrativo de Investimento com o Grupo HBD-VIDA BOA. Este feito pertence-nos a todos.
    Agora, o que deixou-nos preocupados é o facto da informação veicunlada no TELA NOM

  4. Nós por Lá

    18 de Março de 2012 as 10:22

    Depois de um percurso longo, eis que chegamos ao fim de uma fase. O Grupo HBD já dispõe do Contrato mãe assinado pelo Governo Regional e o C.A.I.-Contrato Admiistrativo de Investimento, assinado na quinta-feira passada pelo Direcção Nacional do Património.
    Mas fiacamos preocupados com a informação do Senhor NUNO RODRIGUES,Portugues, Director Executivo do Grupo HBD, que depois de toda luta travada( no bom sentido da palavra), pelo Governo Regional e a população do Principe, para que fosse assinado o Contrato e por pouco ia-se assisitir uma rotura entre os dois Governos, vem esse Senhor Dizer que as obras só terão inicio em 2013 ?
    Julgamos ser uma falta de respeito a população do Principe, por isso apela-se ao Senhor Presidente do Governo Regional, José Cassandra e que terá todo o apoio da população do Principe, para notificar com maior brevidade possivel o Grupo HBD, no sentido desse Senhor vir anunciar o inicio das obras ainda este ano 2012.
    O Senhor José Cassandra, Presidente do Governo Regional, assim como teve força, determinação, para que fosse assinado o Acordo a favor do Grupo HBD, da mesma forma deverá reunir novamente as suas forças e ordenar o inicio das obras ainda este ano, se não for em Março, será em Abril ou Maio, até mesmo em Julho.
    Este Senhor NUNO RODRIGUES ao menos devia respeitar o abnegado esforço e empenhamento do Governo Regional e fundamentalmente da população do Principe, para que hoje o caldo ficasse pronto. Lá está, tinham espinhos nos pés, ajudamos a tirar e agora vem dizer-nos vamos correr, por isso mais uma vez apela-se ao Senhor José Cassandra, Nestor Umbelina, Hélio Lavres, Natália Umbelina, João Paulo Cassandra, Sociedade Civil, Jovens, Mulheres, Partidos Politicos, Deputados Nacionais e Regionais e todo a população do Principe, determinção para que as obras iniciem ainda este ano.

  5. KALI KALI

    19 de Março de 2012 as 4:14

    1.3 por mes sem boa enfrastutura nao sei nao detro de 2 anos falamos

  6. KALI KALI

    19 de Março de 2012 as 4:15

    “Enfrastrutura”

  7. Herbie Teixeira

    19 de Março de 2012 as 9:46

    O mais importante é saber que este contrato irá trazer beneficios como(90% de mão de obra será nacional, o que ira contribuir significativamente na diminuição de desemprego,tb irá proporcionar o desenvolvimento sustentavel e acima de tudo elevar o País a ser cubiçado nos patamares do turismo ao nível mundial:Tenho dito.

  8. Herbie Teixeira

    19 de Março de 2012 as 10:02

    Gostaria de saber o tempo de duração máximo do contrato?

    Agradecia ao Tela non, que me faculta-se está informação.

  9. conterrâneo

    19 de Março de 2012 as 10:31

    Espero ver um Principe forte, e que dê vontade de estar e fazer férias.

    A ver vamos!

  10. Óscar Wild

    12 de Maio de 2015 as 20:37

    =D

    Ouvi hoje, pela primeira… vez:
    – E não… gostei!
    Não porque, aquele… Povo:
    – Não, o… mereça!

    Numa grandiosidade… megalómana:
    – À qual seja, impossível e/ou… inconcretizável!

    Mas e, simplesmente e porque o seu… mentor:
    – Teve, o… azar!

    E não querendo, susceptibilizar… ninguém:
    – Não está, acompanhado… devidamente!
    Num outro braço direito, esquerdo ou… central!
    Que o faça – compreender o “(por)que” – já, é… compreensível:
    – “Aqui demora-se uma semana em se fazer o que se faria em Lisboa, numa… hora”!
    Há, que – entender a, postura – duma… cultura:
    – Por, um… lado!
    E outros interesses – por, de, e, em – outros… lados.
    Pois, adivinho – que se torne – mais, depressa… pobre:
    – Do que e, em transformar o seu… sonho!
    Lamentavelmente, pois… perdem:
    – Dois… inocentes!
    Ele e, aquele… Povo!

    🙁

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo